História Useless Diary - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Lay, Lu Han, Xiumin
Tags Baekmi, Lumin, Meixing, Xiuhan
Visualizações 65
Palavras 948
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drabble, Fluffy, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Voltei rapidinho né!

Espero que gostem. Esse capítulo acabou não sendo tão engraçado quanto deveria, mas ele é bem necessário.

Boa leitura!

Capítulo 8 - Fim da jornada, Arctic Monkeys e sorte.


Olá mais uma vez, diário inútil.

Por conta de minha preguiça, essa historinha ficou bem mais longa que o esperado, mas vamos lá. Última parte da jornada da festinha na casa do Minseok.

Onde paramos mesmo? Ah, sim! Eu tinha literalmente acabado de voltar do Paraíso.

Inclusive, depois disso o jogo tinha chegado ao fim, todos muito mais interessados em curtir a música e encher a cara. Não tanto, é claro, vamos ter moderação né.

Depois do nosso pequeno desafio cumprido, Minseok não se importou em ficar grudado em mim até o fim da festa.

Eu não tinha que ficar tentando chamar a atenção dele, ele ficava ali comigo por conta própria.

Inclusive, acho que a brincadeira lá no armário o deixou meio impaciente, pois perdi a conta de quantos beijos ele me roubou pelo restante da noite, em um momento chegando a sentar no meu colo pra me beijar, pouco se fodendo para o resto do povo ali presente.

Juro que se eu morresse ali, ia chegar no céu (ou inferno, nunca se sabe) dançando macarena.

Ah, mas meus amigos pareciam contentes por isso, faltavam jogar confente em cima da gente.

Vez ou outra lembrava do que o Min tinha dito antes de saírmos daquele cubículo e tremia na base fortemente. Mas relevamos.

Yifan e Junmyeon estavam segurando um pouco de vela, convenhamos, já que o restante de nós estava muito bem ocupado. Por isso vi os dois fazendo companhia um ao outro, e talvez se afogando na comida e bebida.

As horas passaram rapidamente diante de nossos olhos e logo passava das cinco da manhã.

Todo mundo estava super chapado, seja de sono, álcool, ou até mesmo cansaço. Nem lembro de muita coisa, real oficial, mas logo tínhamos subido as escadas e o Minseok estava nos direcionando para os quartos.

Obviamente eu ficaria sozinho em um, casaizinhos também teriam o seu próprio, e eu tinha perdido o Yifan de vista até ver ele rebocando um Junmyeon muito alterado pelas escadas.

O sujeito era tão certinho que não aguentava uns shots de tequila, beleza.

Estaria mentindo se dissesse que não queria voltar ao quarto de Minseok, até porque as lembranças que tinha de lá eram muito boas. Mas isso obviamente não aconteceria aquele dia.

Quando geral se mandou, ele me deu um último beijo, sussurrou um "Boa noite" e logo se foi também.

Ri de nervoso ao ver que o quarto que ficaria era bem melhor que o meu em minha própria casa, chegando à conclusão de que ter dinheiro deve ser 10/10.

Mas foda-se, tava cansado pra caralho e queria desesperadamente dormir.

Então fui lá, fiz tudo que tinha que ser feito, tomei banho, coloquei uma roupa bem mais confortável e é tóis, tava pronto pra dormir e só acordar depois do meio-dia que nem todo mundo.

Mas quando tava quase lá... Bateram na porta, puta que pariu viu. Falei que podia entrar, e se fosse o Yifan, eu ia socar a cara dele.

Mas não era o Yifan.

Era o Minseok. Em toda sua glória, vestindo nada além de uma camisa preta do Arctic Monkeys e boxers, é claro. A camisa dele era um pouco grande, ajudava a cobrir um pouco de suas coxas.

Mas que caralho.

Deus, Jesus, Maria, José, Buda.

Motivo da morte? Ah, novamente o pãozinho indie alternativo, nenhuma novidade.

Ele ainda estava com o cabelo meio bagunçado de quem acabou de sair do banho, porra, eu queria sufocar ele com beijos. E talvez fazer outras coisas também.

Bom, não soube o que falar. Mas ele sim.

"Posso ficar aqui contigo?"

A casa é sua, meu rei! Literalmente, né.

Então com minha resposta positiva, veio e deitou do meu lado, não demorando a se aconchegar embaixo do cobertor comigo, e melhor, ficando praticamente em cima de mim, com a cabeça encostada no meu peito.

É tetra!

Sério, achei que ia explodir ali. Ia voar Luhan pra tudo que é lado. De onde vinha tanta sorte, viado? Comecei a suspeitar que Minseok ficava mais amistoso por conta do efeito do álcool.

Eu instantaneamente passei os braços ao redor dele e de repente tudo pareceu tão... Certo. O que o Luhan de meses atrás diria se soubesse que futuramente estaria abraçadinho com o crush na casa dele?! Surreal, moleque.

"Lu, você pode pensar menos? Seu coração tá quase pulando pra fora."

Mas como é que ia me acalmar?! Caralho!

"Desculpa..."

"Você já passou da fase de ficar nervoso perto de mim."

Ah tá, como se isso fosse passar tão fácil. Nem fodendo, tava quase morrendo.

"Não é assim tão fácil..."

"Aproveitando que seu coração te condena... Preciso fazer uma pergunta."

Meu cu trancou. Não só pela pergunta a ser feita, mas porque ele falou isso com a cara enfiada no meu pescoço e eu senti um arrepio que veio lá das profundezas da minha alma.

"O que?"

"Você gosta de mim? Tipo, de verdade."

Meu cu trancou mais ainda.

Isso não era uma coisa ruim... Minseok sempre foi muito direto, gostava de deixar as coisas claras.

E eu nunca fui do tipo que não responde suas perguntas sinceramente.

"Como você disse, meu coração me condena... Então, sim."

Meu maior medo naquele momento era ele dizer que não era recíproco e que não devíamos ficar mais.

Porém...

Sem aviso prévio, ele me beijou, tão calmo, lento, sem pressa alguma... Derreti por dentro que nem um otário.

"Então digamos que você esteja com sorte."

Eu pretendia questionar ele sobre isso, mas logo ele sussurrou um "Boa noite", mais uma vez.

Não estava preocupado. Aquela resposta parecia bem mais do que positiva.

Eu dormi pouco tempo depois, e diário, juro que nunca dormi tão bem na minha vida.

Tô pateticamente apaixonado, estirado por ele, arriado os quatro pneu. Misericórdia.

Falo isso aqui por não poder falar em voz alta. Ainda.

De qualquer forma, é o fim da jornada sobre a festinha.

Sinto que voltarei aqui mais rápido, sacas? Coisas relevantes devem acontecer em breve... Assim espero.

Até outro dia.


Notas Finais


LUHANZINHO TÁ SE DANDO BEM, MEU REI!

Espero que tenham gostado, woohooo

Twitter: xiuwantsme
Facebook: marianamcb99


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...