História Vacuum - Interativa. - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Ao No Exorcist, Interativa
Visualizações 28
Palavras 1.524
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Magia, Mistério, Survival, Suspense
Avisos: Canibalismo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Espero que gostem!

DESCULPA A DEMORA PRA POSTAR, SORRY SORRY SORRY

Assim se alguem ja criou uma ficha, pode fazer outra também, ok? Mas a segunda só pode ser Aria, Dragoon ou Doctor.
Os que ainda não fizeram fichas, TEM VAGAS.

Capítulo 2 - Os exames.


   Os monitores levaram todas as pessoas para uma sala fechada. Era um grande salão escuro sendo iluminado apenas pelo sol que passava pelas grandes janelas de vidro. A sala tinha paredes roxas e um chão quadriculado xadrez. O escuro estava cada vez mais dando sono em Shino.

Shino era um cara sonolento e preguiçoso. Tinha um cabelo castanho e liso que vivia bagunçado, usava roupas simples como blusas de mangas longas e calça jeans. Ele mede em torno de 1,74 e é bem lerdo.

Estavam todos agitados e animados, diferente de Shino. Ele estava meio zonzo, dormindo em pé, até que uma garota esbarrou nele derrubando ele no chão. Era uma menina não muito alta com cabelos negros e olhos brilhantes.

– Ai –Disse Shino, até ele levantar a cabeça e ver a linda garota, que estava com uma cara de assustada.

– ME PERDOE, EU NÃO QUIS TE DERRUBAR – Ela falou enquanto fazia uma reverencia.

– Não tem problema, acontece. – Ele se levantou.

– Tudo bem mesmo?

– Sim.

– Me chamo Laila Matsuuara.

– Shino Hotsu.

– Da grande família Hotsu?

– Essa mesmo.

– O que?! Eu gosto muito dos Hotsu são sempre determinados e legais. Como é ser da família Hotsu?

– É um saco na realidade. Meus pais não largam do meu pé e meio que idolatram minha irmã e o resto da familia não liga muito pra mim.

– Ah, entendi. Então por que quer se tornar um exorcista?

– Eu meio que sou obrigado. E você?

– Quero vingar a morte da minha mãe.

– Foi morta por um demônio?

– Sim.

– Sinto muito. Isso parece ser um saco.

– E é mesmo.

As cortinas se fecharam do nada deixando a sala toda escura. Todos ficaram confusos e alguns assustados.

– Sejam bem vindos a escola Vera Cruz. Bom se vocês conseguirem passar nos exames. –  Uma voz surgiu do meio do escuro, ninguém sabia de onde estava vindo.

O ar começou a ficar denso e pesado, e foi ficando cada vez mais, até que muitos começaram a cair e a não conseguir se levantar. Shino estava normal, sem nenhuma dificuldade de ficar em pé. E estava bem confuso também. Laila se apoiou nele e com isso não caiu.

– Então é isso que o sangue Hotsu te permite? – Disse Laila impressionada.

– O que é isso?

– É a pressão do Vacuum, poucas pessoas conseguem suportar. Eu treinei por meses mesmo assim mal consigo ficar de pé.

– Pressão? Então é assim q é o Vacuum?

– O tempo todo.

Após um minuto, tinha 200 pessoas caídas, as luzes acenderam e a pressão parou.

– Bem, todos que estão de pé passaram no teste, mas esse não é o único. –
Era a mesma voz– Todos que caíram podem se dirigir a saída, e os que estão em pé façam uma fila em direção as portas na esquerda.

– Definitivamente agora eu não sair de perto de você SHI-NO. – Disse Laila se agarrando ao braço de Shino.

– Isso realmente vai ser um saco.

Tinha três portas, e com isso formaram três filas.

– O segundo teste será esse, essas portas dão em um labirinto. Vocês passarão no segundo exame se conseguirem sair do labirinto. Não pense que são testes bobos, é assim que é o Vacuum, só que pior.

E então as portas de abriram e todos saíram correndo, tinha vários caminhos, e maioria tomou seu próprio caminho. Era a mesma coisa da sala que estavam, paredes roxas e chão quadriculado xadrez.

Shino e Laila ficaram correndo e correndo, até se cansaram e começarem a andar. Laila viu uma garrafa d’água no bolso de Shino e rapidamente pegou.

– Espera, não bebe isso!

– Ahn, por que?

– Isso é água abençoada. Conhecida por alguns como água benta.

Mesmo assim Laila bebeu. Os dois sentaram e começaram a pensar

– Ah esquece, estava querendo usar em algum desses testes. Algo não faz sentido, os caminhos seguem o mesmo padrão e são fáceis de se localizar, mesmo assim não achamos nem a entrada.

– Espera, algo faz sentido sim.

– O que é?

– Antigamente eles usavam poder demoníaco para exorcizar demônios.

– Sério?

– Você é mesmo idiota Shino. Sim, aqui nessa escola tem selado até a Kurikara, a espada do Satã.

– Então, espera... E se todo esse lugar for um demônio?

– Isso! Por isso tive uma ótima ideia. – Laila derramou toda a água no chão.

– Você é mais inteligente do que eu pensei.

Um vapor junto com partículas demoníacas começou a sair do chão.

– De pé – Laila tinha mais uma ideia.

– O que foi?

– Conhece Salmos 119:105.

– Conheço.

Os dois deram as mãos um de frente pro outro, e começaram a ditar o salmo.

– Desviei os meus pés de todo caminho mau, para guardar a tua palavra. Não me apartei dos teus juízos, pois tu me ensinaste. Pelos teus mandamentos alcancei entendimento; por isso odeio todo falso caminho. Lâmpada para os meus pés é tua palavra, e luz para o meu caminho! – Enquanto os dois falavam vários pontos de luz iam surgindo no ar como se fossem vagalumes e quando terminaram de falar elas se expandiram fazendo um grande clarão.

Aquele salmo era usado para pessoas perdidas ou para quebrar ilusões. E como esperado, funcionou.

Quando eles abriram os olhos viram todos os participantes do teste ali correndo de um lado pro outro, só que sem paredes. Era uma ilusão. Eles estavam em uma grande sala idêntica a outra e também viram as três portas. Quando atravessaram estavam lá outras pessoas. Era a mesma sala de antes, com grandes janelas e cortinas so que dessa vez a luz estava acesa. E então concluíram que passaram no teste.

– YAAAAAAAAAAY PASSAMOS! – Laila estava cada vez mais animada.

– Não foi tão difícil assim.

– É parece que alguns acabaram antes de nós. Vamos falar com eles para verem o que sabem sobre o exame.

– Acho melhor não...

Antes que ele pudesse falar, Laila puxou ele e foi em direção a um garoto de cabelo branco que estava em pé encostado na parede.

–Olá!

Ele não falou nada.

– Então, nós queríamos perguntar se você sabe algo sobre o exame e se passamos mesmo.

Ele continua olhando pro chão sem falar nada.

– Eeeeei me responde!

– Acho melhor deixar ele quieto – Shino retrucou.

– Então vamos falar com aquele outro!

Laila puxou Shino novamente, só que dessa vez ela foi em direção a um garoto sentado que parecia bem alegre.

– Olá!

– Olá! – Respondeu o garoto.

– Ah pelo menos você fala. Me chamo Laila Matsuuara.

– Takeda Yusuki.

Antes que eles pudessem conversar um senhor sai de dentro da outra sala acompanhado de uma mulher com roupa empresarial, atravessando uma das três portas.

– Só vocês até agora? – Disse a mulher.

O senhor usava uma roupa parecida com um mordomo e três espadas penduradas na cintura.

– Eles também estão no exame? – Disse Shino

Takeda que estava sentado rapidamente se levantou e seus olhos começaram a brilhar.

– Aquele é um dos dozes bispos santos e também diretor dessa escola, Nomura Shiba. – Respondeu Laila.

– Diretor?

– Fico feliz que tenham passado. – Disse Nomura.

– Eu tenho uma pergunta. – Respondeu Shino.

– Faça.

– Se usar poder demoníaco foi proibido, por que ainda usam nesse lugar?

– Ó então você percebeu? Deixe-me te explicar. Nessa escola vários artefatos estão guardados, até artefatos demoníacos. Essas duas salas eram um salão aqui da academia, mas foi possuída por um demônio e não conseguimos derrotá-lo, por isso o selamos aqui.

– Faz sentido o que aconteceu com a água abençoada – Retrucou Laila.

Shino ia fazer mais perguntas, mas antes que pudesse Takeda o interrompeu fazendo inúmeras perguntas super animado.

– Pelo visto ele gosta mesmo do velhote – Resmungou Shino.

– É mesmo.

A porta abriu novamente, mas dessa vez foi a porta que eles usaram para entrar. Todos olharam curiosos para ver quem era. Um garoto de cabelo branco espetado segurando a Kurikara. Nomura olhou com um olhar procupado segurando uma de suas espadas, ameaçando desembainhar ela. Antes que ele pudesse fazer qualquer coisa vários cipós se enrolaram nele e impediram seu movimento, logo em seguida flores foram crescendo em seu corpo.

– O que é isso?

– Ops.

– Nakano?!

A mulher vestida de secretária estava com um sorriso sádico.

– Eu odiava esse nome.

Ela estava possuída por um demônio.

Takeda logo olhou para trás e desembainhou sua grande espada que estava em suas costas.

– Acho que você devia se proucupar com ele. – Disse Nakano apontando para o garoto que tinha acabado de entrar.

O garoto desembainhou a Kurikara fazendo várias chamas o cercarem.

– Acabe com isso logo, não conseguirei manter o controle por muito tempo! – Nakano gritou.

– Pode deixar.

O garoto enfiou a espada em seu peito e começou a gritar enquanto sua pele queimava e se desfazia. Por baixo da pele dele tinha uma pele vinho.

– Precisamos de ajuda! – Disse Laila

Quando o corpo do garoto foi queimado, o demônio assumiu sua forma.

– E..e..esse é o...?! – Laila estava totalmente assustada.

Shino estava paralisado não sabia o que fazer.

­– Esse é o Azukitogi, o demônio açougueiro. – Disse Takeda entrando na frente de todo mundo.

Era um grande demônio, com músculos e uma pele vinho. Segurava dois cutelos que estavam cobertas pelas chamas azuis e a Kurikara ainda estava em seu peito.

– Vigiem aquela mulher, ela parece perigosa, mas temos um problema maior. – Disse Takeda empunhando sua espada.


Notas Finais


OBRIGADO POR LER!

UHUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUU


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...