História Valave the spirit of dragons - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias O Hobbit, O Senhor dos Anéis (The Lord of the Rings)
Tags Legolas, Romance
Visualizações 71
Palavras 1.687
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Ecchi, Fantasia, Hentai, Lemon, Magia, Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu não fiz capa por que preciso estudar...e sabe...vcs não vão morrer se ficarem sem capa Kkkk Então eu acho que esse cap ficou bem titi Kkkk ( Titi: Triste)...espero que tenham gostado de qualquer forma <3

Boa Leitura <3

Capítulo 8 - Memórias dolorosas.


Memórias dolorosas.

Eu sai junto a Legolas e Tauriel da sala de armas depois de colocarmos nossas armas no lugar e da minha enorme bronca quanto a Legolas ter contado uma espada ao meio.

- Ela poderia servir para guerreiros inexperientes!! Foi irresponsável...

- Se você soubesse minha idade acho que sua bronca seria bem pior...não se preocupe eu mando que façam outra...

- Deveria valorizar mais o trabalho alheio...

Ele riu.

- Eu valorizo...algum dia eu provo isso a você.

Tauriel deu uma alta gargalhada.

- Eu duvido que consiga...

- De que lado você está??

- Do das mulheres...

Nos rimos juntas enquanto Legolas olhava com falso desinteresse para nós duas, quando percebemos estávamos na sala de jantar...ela estava vazia e não havia sido arrumada ainda, eu sorri e então me dirigi para a cozinha para começar a arrumar a mesa, Tauriel me segurou pelo pulso esquerdo enquanto Legolas pelo direito.

- O que você pensa que vai fazer??

Eu franzi o cenho.

- Horas!! Vou arrumar a mesa!!

- Não sem nós...

Sorriu Legolas, eu me surpreendi com aquilo...um príncipe se rebaixando a arrumar sua própria mesa, eu duvidei que ele estivesse falando a verdade e comecei a rir, ele parecia confuso.

- Qual a graça??

- Espera...vocês estão falando sério?? Eu nunca achei que nobres soubessem arrumar uma mesa...

- Bom antes de nobres somos aventureiros...e sabemos nos virar numa cozinha.

- Desculpe...

Eu olhei para baixo e minhas orelhas baixaram, eu me senti mal por achar que eles eram nobres inúteis...

- Não precisa ficar assim...a maioria das pessoas acharia isso...

Eu continuei com as orelhas abaixadas embora mudasse minha expressão, nós botamos a mesa silenciosamente, quando eu estava prestes a pôr a última coisa eu senti Legolas me abraçar, por que ele fez isso?? Bom eu não sei...talvez seja por causa das minhas orelhas...elas continuaram abaixadas por que eu ainda me senti mal por causa do que disse, eu acredito que ele deve ter sentido pena de mim, de qualquer forma eu o retribui, seu corpo tinha um calor diferente dos que já senti...era algo bom e parecia que vinha de dentro de mim e não dele, mas eu me sentia estranha...quando ele se separou de mim eu fiquei sem reação e ele pareceu ficar constrangido.

- Me desculpe...suas orelhas...eu pensei que ainda estava triste.

- T-Tudo bem...eu só...me senti um pouco tonta...

Eu menti...sabe...como um mentiroso faria, mas foi por boa causa...eu não sabia nada sobre aquele calor e olha que eu entendo disso...eu apenas...me senti assustada por nunca ter sentido isso.

- Você está bem?? A febre esta voltando??

- N-Não...obrigado eu já estou bem...foi só...uma tontura repentina...

Eu respirei fundo e Legolas assentiu...se sentando na mesa ao ver que seu pai abrirá a porta, eu me sentei perto de Tauriel, que mantinha um sorriso da qual eu não fazia ideia do que se tratava, era largo e ela tinha seus olhos quase semicerrados...eu apenas a olhei por alguns segundos com uma expressão confusa e então me virei para Thranduil...era o único ali na qual eu poderia olhar, se olhasse para Legolas coraria, se olhasse para Tauriel não entenderia nada...pelo menos podia contar com a expressão sempre vazia e desinteressada do rei para me consolar ali, mas não demorou para que ele me perguntasse.

- O que tanto olha para mim senhorita??

- Sinceramente...no momento não vejo mais para quem olhar se não o senhor...

- Eu poderia saber por quê??

- Bom...visto que estou sentido algo estranho desde que eu levantei e no momento não consigo controlar isso a única pessoa pela qual posso contar que estará com a mesma expressão sempre é o senhor...

Ele pareceu suspirar de um misto de desinteresse e algo como se ele me chamasse de idiota silenciosamente, seus olhos frios observaram meu rosto e ele sorriu de canto.

- Que bom que minha falta de interesse pela senhorita lhe é uma vantagem...

Eu sorri largamente.

- No momento é...mais ou menos...

Legolas começou a rir.

- Porque não pode olhar para outras pessoas??

Eu o olhei e corei e apenas disse a verdade

- Um dos sentimentos desconhecidos é em respeito a você...enquanto não descubro o que é me parece sensato não preocupar você com isso...

Ele se surpreendeu com a declaração, mas eu sempre fui alguém sincero e não fiquei mal por ter dito aquilo para ele, ele parece ter se sentido constrangido e eu apenas sorri me sentindo culpada por isso.

- Me desculpe se eu o fiz se sentir mal diante do seu pai...eu não queria...

O rei parecia muito interessado agora na conversa, eu me segurei para não abrir uma expressão surpresa...eu nunca o vi interessado em algo...

- Então...a muitos sentimentos que você desconhece??

- Bom...eu vivi a maior parte da minha vida em florestas, montanhas e rios então...eu não conheço muitos sentimentos bons...eu não tive muitos amigos e nem nunca senti amor...as únicas coisas que eu já senti são medo, raiva, desejo por coisas brilhantes...algo idiota que eu tenho desde pequena...

Legolas riu.

- É por isso que nunca solta esse vestido??

- Mais ou menos...

Ri junto a ele olhando as mangas douradas do meu vestido, Tauriel apenas sorria olhando nós dois até o rei nos interromper.

- Nunca sentiu amor...isso me parece algo muito bom...

- Bom...eu não sei se isso é algo bom ou ruim mas uma elfa certa vez me disse que o amor é perigoso...eu não me atreveria a senti-lo ou procurá-lo.

O rei inclinou sua cabeça levemente.

- De certa forma...você tem razão...ele é perigoso...quando acaba...

Eu o observei confusa, havia certa profundidade em suas palavras...algo pessoal nelas, era estranho vê-lo falar sobre algo pessoal mas eu ainda não entendi bem sobre o que se tratava, ele apenas se levantou e saiu do salão sem dizer mais nada, eu olhei preocupada para Legolas.

- Eu disse algo ruim??

Ele suspirou.

- Não...apenas...lembrou da minha mãe.

Minhas orelhas despencaram ao ouvir aquilo, ele parecia triste e eu me senti mal por ele.

- Eu sinto muito...eu...também não tenho mãe...eu sei o quanto doí.

Eu suspirei me lembrando daquele fatídico dia, ele deve ter lembrado de quando a mãe morreu também por que suspirou exatamente como eu.

Legolas/Valavë -...Mãe...

Nós nos olhamos tristes e Tauriel suspirou alto.

- Vocês não precisam ficar pensando na morte das suas mãos juntos...isso...não vai mudar o que aconteceu...mas vocês podem contar um com o outro de que elas nunca vão ser esquecidas...

Eu sorri para Tauriel.

- Você tem razão...elas sempre estarão vivas...se as mantermos dentro de nossos corações...

Eu sorri e vi Legolas me olhar com algo que parecia ser uma expressão pensativa, mas tinha algo a mais...em seus olhos eu quase poderia sentir ele olhar para mim alma...

- É...você tem razão...

Ele apenas disse enquanto me olhava, aquilo não me incomodava mas me deixa constrangida...um pouco apenas, eu abaixei minha cabeça mas continuava sentido seus olhos sobre mim, isso até Tauriel começar a falar novamente.

- Bom eu acho que os bolos estavam uma delicia mas eu preciso...me retirar...e acho que você também Legolas...

Eu o olhei e ele finalmente despertou, olhando para Tauriel e sorrindo.

- Ah...claro...eu e Tauriel precisamos resolver alguns assuntos na borda da cidade mas...quando voltar...quero que seu quarto tenha sido movido para ao lado do meu ok??

Eu ri timidamente.

- Claro...espero que você voltei com segurança...

Eu sorri para eles e eles me reverenciaram depois foram, eu fiquei na mesa e Caliel veio até mim quase tendo um ataque de felicidade, eu não tinha mencionado que elas tinha chegado logo depois que eu comecei a arrumar a mesa e ficaram estáticas e boquiabertas com o fato de Legolas e Tauriel estarem me ajudando.

- MEUS DEUSES!! COMO FOI ESTAR NA PRESENÇA DO REI!!???

- Caliel calma ele também é um elfo como qualquer outro...

- A diferença é que ele governa os outros elfos Valavë!!

- Eu não acho que isso faça dele um elfo diferente dos outros...ele não me parece mais sábio, nem ter algum órgão a mais e nem ser biologicamente superior então constato que ele é normal...

Caliel olhou para mim com falso tédio.

- Vai logo!! Conta como foi seu primeiro jantar!!

- Bom...o rei é bem sensível pelo jeito e...só...

- Me surpreende que o rei deixe que o lixo ande pelo castelo sem ser coletado.

Disse Aistana com os braços cruzados, eu apenas a olhei entediada e depois sorri.

- Agradecemos por isso...eu não teria a honra de olhar sua cara se recolhessem o lixo corretamente.

Só então ela olhou para mim.

- ORA SUA VADIAZINHA SELVAGEM!!

Todos olharam para um velho familiar para mim entrando no salão.

- Eu não vejo por que jovens tão bonitas deveriam brigar tanto...

Gandalf sorriu piscando para mim, Aistana apenas empinou aquele nariz tão grande que tinha e saiu porta a fora batendo seus pés, ele observou enquanto todas as servas saiam.

- Aistana nunca foi uma das minhas servas favoritas...e duvido que seja a do rei também...

- Eu não entendo por que ela é tão...amarga...

- Algum dia talvez...você consiga arrancar o por que dela, se conseguir eu lhe dou um...um...

Ele pareceu pensar em uma recompensa que não o tirasse tanto, eu sorri e dei uma ideia.

- Um abraço??

- Oh sim...um abraço...

Um pequenino idoso saiu de trás de Gandalf, o idoso que desceu as escadas enquanto eu as subia, tinha um sorriso em seu rosto.

- O dragão que conheci não era nem a metade da simpatia que você é minha jovem...puxou sua mãe...

- Você está falando meu pai??

- Oh sim...o conheci certa vez...você de longe não se parece com ele...mas seus olhos...me lembram um pouco os dele.

- Supondo que ele era um dragão não ser parecida com ele é algo bom...

- Oh você não faz ideia do quão isso é bom...

Eu suspirei e Gandalf pôs uma mão em meu ombro.

- Está na hora de esclarecermos algumas coisas sobre o seu pai...

- Algumas coisas...que de fato talvez não lhe agradem...

Continua...


Notas Finais


Olá de novo Kkkk Obrigado pela sua paciência em ler até aqui <3 Comente se quiser, favorite e divulgue <3 Me desculpe pela ausência de capa mas é por que eu realmente preciso estudar...tempo :/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...