História Valeu a Pena (Cellbit) - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Rafael "CellBit" Lange
Exibições 116
Palavras 786
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Volteiiii gente!
Boa leitura.

Capítulo 13 - Capítulo 13- Eu não soltarei sua mão


Fanfic / Fanfiction Valeu a Pena (Cellbit) - Capítulo 13 - Capítulo 13- Eu não soltarei sua mão

Pov Luisa

Hoje faltam exatamente 1 mês para nos formarmos, eu ainda não sei qual faculdade cursar e Rafael também não faz ideia, estamos começando a ficar desesperados.
Nossa relação está cada dia melhor. Agora estamos no parque com os meninos bebendo Milkshake. Rafael estava querendo embora pois estava reclamando de dor no corpo, já fazia um tempo que ele reclamava disso mas não tinha ido no médico.

Pov Rafael

Minha visão tava escurecendo e eu sentia dores muito fortes no corpo todo.
- Gente vamos embora? - insisti mais uma vez.
- Tá bom, vamos embora. - falou Luisa levantando do chão.
Todos se levantaram, e assim que fiquei em pé, vi minha visão escurecer mais e minhas pernas ficarem tão fracas que não podiam suportar o peso do meu corpo. Senti meu corpo cair no chão e depois não vi mais nada.

Pov Luisa

- Rafael. - gritei assim que ele caiu no chão desmaiado.
- Chama a ambulância. - gritou Christian.
Aruan pegou o celular e começou a falar com a ambulância.
Eu estava desesperada sem saber o que fazer e Julio tentava ne acalmar a todo custo.
- Calma, a ambulância tá chegando, deve ter sido o calor. - falou Julio.
Quando a ambulância chegou, eles disseram que só uma pessoa poderia ir junto. Todos concordaram que eu deveria ir.
Entrei no van, onde eles fecharam as portas e eu segurei a mão de Rafael disposta a não soltar mais.
O caminho pareceu uma eternantes. Assim que chegamos eles me separaram de Rafael e me mandaram ficar na sala de espera que logo me dariam notícias.
Eu andava de um lado para o outro, pensando em todas as possibilidades.
Os meninos chegaram e ficaram tentando me acalmar. Whinderson ligou para a mãe de Rafael e esta disse que não poderia sair da cidade onde estava agora e para mante-la informada.
Demorou muito para o médico vir falar com a gente.
- Os parentes de Rafael! - falou o médico e logo nos apresentamos.
- Rafael está passando por uma série de exames agora, ele está passando bem, porém, a situação dele é bem mais complicada do que parece. - falou o médico. - Em breve teremos mais notícias e eu volto a informar vocês. - concluiu ele.
Fiquei mais nervosa do que antes, o que será que Rafael tinha? Porque estavam fazendo tantos exames? Eu quero vê-lo.
Depois de um tempo, o médico voltou.
- Quem é a namorada do Rafael? - perguntou ele.
- Eu! - respondi.
- Pode me acompanhar, por favor? Ele quer te ver.
Levantei da cadeira e segui o médico.
Ele abriu uma porta branca e me deu passagem. Assim que entrei vi um Rafael meio pálido e fraco deitado na cama. Corri para abraça-lo.
- O resultado dos exames saem amanhã. - falou o médico. - Você pode dormir com ele aqui hoje.
Fiz que sim com a cabeça e o médico disse que avisaria os meninos.
Segurei a mão de Rafael e vi seus olhos se fecharem. Fiquei olhando ele dormir a noite toda. Eu não sabia o que estava acontecendo, eu não sabia o que ia acontecer. As lágrimas pingavam dos meus olhos e minhas mãos suavam. Eu já estava sentindo falta da voz dele, e do sorriso, eu o amo de uma forma tão difícil de explicar.
No dia seguinte o médico bateu na porta, entrou com uns papéis nas mãos nos deu bom dia e sentou em sua mesa.
- Bom, eu preciso falar com vocês. - disse ele.
Rafael já estava acordado e parecia bem melhor.
- Rafael, já faz um tempo que você ven sentindo dores, não é mesmo? - perguntou o médico.
- Aham. - respondeu Rafael desanimado.
- Eu vi o resultado do seu raio x. E...olha...eu sei que isso é muito difícil...é uma pena eu ter que dar essa notícia a vocês...Rafael, você está com câncer em muitas partes do corpo, uma quimioterapia não iria resolver, pois já está muito espalhado, ela iria tomar todo o seu tempo, e meu conselho é que você aproveite esse tempo, você tem 3 meses de vida Rafael, é escolha sua você querer gastar esse tempo fazendo uma quimioterapia que não vai funcionar ou aproveitando com as pessoas que você ama. - concluiu o médico.
As palavras caíram sobre mim como pedras. Eu não tive reação nenhuma e Rafael também não. Fiquei segurando a mão dele e sentindo as lágrimas escorrerem dos meus olhos, eu não suportaria viver sem ele. Não acredito que isso está mesmo acontecendo. Eu o amo tanto. Não podem leva-lo de mim. Não agora. Nem nunca. Eu jamais soltarei a mão dele. Não enquanto ela estiver quente.


Notas Finais


Tô chorando😭
É isso gente.
Obrigada pelos 30 favoritos💕💕
Beijos de luz😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...