História Vampire Lover - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias VIXX
Personagens Hongbin, Hyuk, Ken, Leo, N, Ravi
Tags Drama, Neo, Romance, Short Fic, Vampire, Vixx, Yaoi
Exibições 122
Palavras 1.809
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drabble, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Desculpem a demora *-* Eu estou doente e tenho que estudar, maravilha né? Mas estou postando JKDSHSJDS enfim espero que gostem!

Capítulo 15 - Vampire Lover 15


Fanfic / Fanfiction Vampire Lover - Capítulo 15 - Vampire Lover 15

Hakyeon acordou na metade da tarde, como informava seu telefone, ele não sentia frio, mas podia sentir o peso do braço de Taekwoon sobre ele por cima do edredom, ele se virou, dando de cara com o rosto pacifico do vampiro, nocauteado pela magia que o envolvia, sendo ele uma criatura da noite, enquanto o sol brilhava no céu, ele estaria fraco e sonolento, sem qualquer força inumana ou reflexos rápidos, se não fosse por sua pele super pálida, fria e pela falta de movimento em seu peito, Hakyeon diria que ele parecia humano, talvez porque um dia ele foi um, pensou ele.

Hakyeon observou o vampiro dormir por uma hora, mexendo em seus cabelos suavemente, recebendo sons satisfeitos em troca, ele ficou com vontade de rir da forma como Taekwoon se inclinava ao toque mesmo dormindo, kitten, pensou ele, kitten gigante.

Levantando-se com muita relutância, Hakyeon se vestiu, pondo uma camiseta com gola para cobrir as marcas da mordida, colocando a jaqueta embaixo do braço em caso de estar frio na rua, ele então foi até Taekwoon e beijou o rosto do vampiro, avisando-o que iria sair.

“Eu preciso ir no QG, preencher a papelada sobre ontem, volto logo” disse Hakyeon.

“Antes da noite” murmurou Taekwoon.

“Se eu demorar, você consegue me encontrar né?” Perguntou Hakyeon

“Hm” concordou o vampiro, se inclinando com dificuldade para selar os lábios dos de Hakyeon.

 

Hakyeon chegou no QG uma hora depois de ter saído da mansão, sentindo como se tivesse entrado em um universo paralelo. Era tudo tão familiar, mas ao mesmo tempo estranho, Hakyeon já esteve nesses corredores milhares de vezes, tanto durante o dia como a noite, e nunca havia se sentido assim, o QG costumava lhe dar uma sensação de segurança, era um lugar onde ele se sentia bem, mas dessa vez era diferente, ele estava se sentindo como se não pertencesse ali, primeiro porque parte dele se sentia como uma fraude, um caçador que divide a cama com um vampiro, ele seria banido da profissão, preso e eternamente uma piada entre os caçadores no QG, todo mundo iria duvidar de suas habilidades, achando que ele provavelmente fingia saber lutar quando na verdade seu “namorado” fazia o serviço. Segundo, desde o início quando ele começou a caçar, ele não tinha motivos para fazer isso, na grande maioria das vezes, os caçadores matavam vampiros em forma de vingança, por terem perdido entes queridos por causa deles, mas para Hakyeon era diferente, alguns dos seus amigos no QG haviam morrido em rondas, ou tentado matar um vampiro e não tendo sucesso, ficaram marcados e depois foram mortos, mas ele via isso como consequências do trabalho, todos sabiam dos riscos, e aparentemente todos concordavam; e agora, ele conhecia um vampiro que lutava contra sua própria natureza, que havia sido transformado contra a sua vontade e que tinha salvado sua vida mais de uma vez, então mais do que nunca, caçar não fazia sentido.

Hakyeon foi até a sala de arquivos e se sentou para preencher os formulários, relatando os eventos da noite passada.

Quarenta minutos depois, Hakyeon estava batendo na porta da diretoria, com os relatórios na mão, respirando fundo para se manter no controle de si mesmo.

Wonsik respondeu, mandando Hakyeon entrar e ele o fez, fechando a porta atrás de si. Ele se sentou na poltrona na frente da mesa de seu chefe, apertando a mão do mesmo e alcançando as folhas para ele. Wonsik leu em silêncio, e Hakyeon esperou.

“Você está bem?” Perguntou.

“Estou, os vampiros não foram problema” respondeu Hakyeon.

“Então qual é o problema Hakyeon?” Questionou Wonsik.

“As criaturas tem andado muito por aquela parte da cidade, e tem pouca vigilância lá, há muitos moradores que cultivam alimentos, e o VC parece não se importar” respondeu Hakyeon.

“Eu andei pensando sobre isso ontem quando pedi para você fazer a ronda, vou ver se há algo que eu possa fazer” disse Wonsik, “alguma novidade sobre os livros?”

“Nada que a gente ainda não saiba, há muitos livros e a grande maioria tem algo relacionado a vampiros no título” E Hakyeon sabia que a sua nova fonte de informações seria muito mais útil.

“Você deve estar agonizado, sentindo falta do seu trabalho” falou seu chefe.

“Na verdade, não” respondeu Hakyeon, olhando para seus próprios dedos.

“Não?” Perguntou Wonsik, surpreso.

“Já faz um tempo que eu estava pensando em dar uma pausa, em tudo. E nas ultimas caçadas, eu me sinto lento, receoso...” explicou Hakyeon.

“E porque você não comentou sobre isso antes?” Wonsik questionou.

“Porque antes não tinha mais ninguém envolvido, e agora tem” disse Hakyeon.

“Ah, por isso você anda meio estranho, tem um namorado no meio, não é?”

“É, tipo isso” Hakyeon concordou.

“A coisa deve ser séria, já que mudou a sua perspectiva sobre ser caçador. Você está cogitando parar?” Perguntou Wonsik, com a curiosidade atiçada, o que era compreensível, alguém mudando a cabeça de Hakyeon, um dos melhores, senão o melhor, caçador que o QG já teve.

“Não sei, sinceramente. Talvez parar por um tempo, tentar, sei lá, viver” ou morrer, pensou Hakyeon, afastando o pensamento depressa.

“Você não está fazendo isso porque ele quer, não é?” Wonsik duvidava que Hakyeon obedecesse a alguém dessa forma, mas não custava perguntar.

“De forma alguma, ele entende” disse Hakyeon, mordendo a língua.

“Entende?” Perguntou seu chefe.

“É, ele sabe, e entende se eu quiser continuar, mas o fato é que eu acho que não quero mais” E era verdade, Hakyeon sabia que Taekwoon não interferiria em suas decisões, mas só o fato dele estar gostando de um vampiro, mudava tudo.

“Você deve gostar mesmo dele, para ter contado sobre a sua profissão, e ele também, já que entende e não saiu correndo” disse Wonsik, fazendo Hakyeon sentir vontade de rir, se você soubesse quem ele é, pensou ele. “Você que sabe, Hakyeon, posso te dar esse tempo, adiantar as suas férias, aí então você decide”

“Tudo bem, eu posso continuar olhando os livros, mas sem pressa” concordou Hakyeon, e Wonsik assentiu, procurando por alguns papéis para Hakyeon assinar, coisas rotineiras e de praxe para solicitar as férias dele. Assim que terminaram e se despediram, ele deixou a sala mais aliviado, teria tempo para pensar, pensar se valia a pena, se Taekwoon valia a pena, e tempo para analisar o que faria caso decidisse se aposentar.

 

Como de costume, Hakyeon passou em um supermercado antes de voltar para mansão, a ideia de que não havia nada que ele pudesse levar para Taekwoon o deixou chateado, mas ele tentou ignorar a sensação, fazendo suas compras rapidamente. Ele havia passado em casa e pegado mais roupas e alguns itens pessoais, e demorado um pouco lá, pelo simples fato de sentir falta de casa, por mais que a cama de Taekwoon fosse confortável, não era a mesma coisa.

Quando ele saiu do mercado, o sol já estava se pondo, deixando o céu de um laranja forte e esfumaçado, Hakyeon apreciou a vista enquanto dirigia para fora da cidade.

Chegando no portão da propriedade, o céu já estava de um azul bem escuro, mas ainda não estava completamente noite, mas conforme Hakyeon se aproximava da porta da mansão, que estava aberta, ele pode notar Taekwoon parado dentro de casa, pronto para sair assim que fosse totalmente noite. Ele desceu do carro carregando as sacolas e entrou, aproximando-se do vampiro.

“O que você está fazendo aqui? Mal consegue manter os olhos abertos” repreendeu ele.

“Eu estava preocupado” respondeu Taekwoon.

“Não seja ridículo, eu sei me cuidar” afirmou Hakyeon.

“Eu sei, mas você está com o meu cheiro, é perigoso” sussurrou o vampiro, quase sem forças até para falar, sonolento e fraco.

“Estou de volta são e salvo, não se preocupe” confortou Hakyeon.

Eles deram as mãos, Taekwoon insistiu em carregar pelo menos uma das sacolas, e então caminharam em direção ao quarto do vampiro.

O cômodo estava iluminado com as velas, e Hakyeon havia comprado no mercado, uma pequena luminária com bateria, que ele colocou em cima da mesa, clareando o quarto sem cegar o pobre Taekwoon.

Ele estava ajeitando a luminária, quando se deparou novamente com os cadernos e papéis em cima da mesa, passando os dedos por cima da elegante escrita, sorrindo ao fazê-lo. No segundo seguinte, Taekwoon estava ali, passando os braços pela cintura de Hakyeon, descansando o queixo em seu ombro.

“Você escreve?” Perguntou ele.

“Hm” concordou Taekwoon.

“Só poesias?”

“Não, em alguns dos cadernos eu escrevo datas importantes, eventos do mundo humano que acho relevante, coisas assim” respondeu o vampiro.

“Tem algo sobre mim?” Perguntou Hakyeon.

“Sim” sussurrou Taekwoon.

“O que está escrito?”

“A data de quando o vi pela primeira vez, nosso primeiro beijo...” A cada palavra, a voz de Taekwoon ficava mais baixa, fazendo o coração de Hakyeon escapar uma batida.

“E as poesias, são sobre o que?” Questionou ele.

“Coisa mundanas, meus sentimentos, sentimentos humanos, as vezes observando pessoas na rua, imagino como é a vida delas e escrevo sobre isso”

A forma como Taekwoon expressava a vontade de ser humano era demais para Hakyeon, e mesmo não podendo, ele ainda tinha consideração até mesmo pelas vidas que tirava.

O vampiro procurou por entre as folhas, debaixo de uma pequena caixa onde estavam guardados lápis e canetas, ele puxou uma folha, que claramente havia sido amassada, as palavras borradas por causa da tinta fresca, com a data de um dia atrás. A boca de Hakyeon se abriu, ele sentia a garganta se fechar com lagrimas enquanto lia as palavras que estavam escritas ali.

Quente e brilhante como um dia de verão

Áurea de uma luz capaz de cegar

Como asas de borboletas são as batidas de seu coração

Fazendo a cada dia, um vampiro se apaixonar.

 

“Você” sussurrou Taekwoon, sua voz serena, rouca, o ar de sua respiração causando arrepios por toda pele de Hakyeon, enquanto o mesmo lutava sem sucesso em segurar as lágrimas, deixando algumas gotas teimosas escorrerem pelo seu rosto.

“Ninguém nunca―” Hakyeon tentou dizer, mas as palavras morreram em sua garganta.

Ele então se virou para encarar Taekwoon, o vampiro parecia tão abalado quanto ele, erguendo a mão para secar as lagrimas de Hakyeon com seus dedos frios e finos, fazendo o mesmo se inclinar ao toque, que parecia quente e convidativo apesar de tudo.

“Porque eu?” Perguntou Hakyeon.

Taekwoon riu sem graça, abaixando os olhos e ecoando a pergunta de Hakyeon.

“Porque eu?” Repetiu ele.

Isso fez Hakyeon rir de verdade, pois a situação não poderia ser mais improvável, um caçador e um vampiro, alguém com a eternidade a sua frente e um humano com os dias contados. O dia e a noite, a luz e a escuridão colidindo mais rápido que ambos podiam processar. E nenhum dos dois poderia se importar menos, enquanto eles estivessem juntos, o coração de Hakyeon bateria pelos dois, pelo menos por enquanto.


Notas Finais


EU ESCREVI UMA POESIA VOCÊS TÃO ME OUVINDO GRITAR????? DJHJKSDH é pequena eu sei, mas caralho pqp, me superei ~desculpem pelo surto, mas foi um grande passo pra mim HUAHAUAH espero que tenham gostado de capitulo fofinho ^^ Fiz com muito amor! Bjbj amo vcs /renata.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...