História Veela - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Tags Camila Cabello, Colegial, Justin Bieber, Mitologia, Veela
Visualizações 1.651
Palavras 2.376
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Escolar, Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Magia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 12 - Amigos?


14 horas e 15 minutos

         ( casa dos Butler)

        

         Kimberly estacionou sua Ferrari vermelha no portão da garagem e saiu rapidamente da mesma batendo a porta com força.  Começou a caminhar na direção da porta espumando de raiva.

         Até aquele momento ela não estava conseguindo acreditar que havia visto Justin e aquela “ nerd desprezível”, como ela intitula Ashley, aos beijos.

         ― ARGH! ― grunhiu ao passar pela porta.

          Aquilo não iria ficar assim. Se Bieber não estava a fim de dar uma explicação plausível do motivo dele está tão agarradinho com a nerd, outra pessoa a daria. Seu irmão, um dos melhores amigos de Justin. Ryan.

         Kimberly jogou sua bolsa da Prada no sofá e subiu as escadas batendo o pé. Passou pelo corredor e andou até a terceira porta onde ficava o quarto do irmão.

         ― Ryan! ― falou abrindo a porta. ― Britney? ― exclamou.

         Kimberly parou olhando a cena constrangedora de Britney, uma das garotas lideres de torcida, em cima de seu irmão brincando de gangorra.

         ― Kimberly?  O que você está fazendo aqui, porra? ― Ryan falou com raiva.

         ― tenho que resolver um assunto com você. ― Kimberly falou tentando ignorar o máximo possível a garota nua tentando esconder o corpo.

         ― porra, não da para ser depois? Não esta vendo que eu estou ocupado?

         ― dane-se! O que eu tenho para resolver com você é muito mais importante. ― falou mandona.

 Ryan bufou.

― eu duvido muito. ― passou a mão pelo rosto. ― dá para dar licença ou tá difícil?

― eu vou ficar aqui até você vesti uma roupa e essa vadia sair daqui, para que nós possamos conversar. ― Kimberly falou tentando manter a calma.

Ryan bufou e sentou na cama encarando a irmã. A mesma estava encostada na parede de braços cruzados encarando o irmão.  Ele percebeu que ela não sairia dali antes de ter uma conversa com ele. Bufou alto para mostrar sua indignação e começou a levantar.

Ele vestiu a boxer ainda sentado na cama e pegou uma blusa que estava no chão e assim levantou.

― Britney, daqui a pouco eu volto. ― falou para a garota enquanto andava na direção de Kimberly.

― sim, Ryan. ― a garota respondeu uma voz sedutora nasal. ― Vamos, Kimberly. ― tentou tocar o ombro da irmã, mas ela o impediu.

― não me põe a mão. ― esquivou-se. ― eu não sei em que lugares essa mão já foi hoje. ― olhou com nojo.

Ryan bufa e revira os olhos. Ambos saem do quarto e Ryan bate a porta.

― agora já pode falar. ― Ryan disse quando tomaram uma distancia boa da porta do seu quarto.

― que historia é essa do Justin ficar se agarrando com aquela rata de laboratório? ― Falou estressada.

― Ashley, o nome dela é Ashley. ―corrigiu.

― oh, virou defensor dela também? ― falou dando de mão.

― eu não to defendendo ninguém. ― revirou os olhos.

― não, imagina. ― cruzou os braços. ― então, vai me falar que historia é essa ou não? ― o encarou seria.

― Deixa o Justin em paz com ela. ― falou tranquilamente. ― ele está a fim dela, então deixa ele curtir.

― como assim “ a fim dela”? ― falou incrédula. ― o Justin é MEU. ― apontou para si mesmo. ― Está entendendo?

― não, irmãzinha. ― segurou o queixo dela. ― ele não é seu. ― sorriu fraco.

― não é meu? ― riu fraco. ― então é de quem? Da rata de laboratório? ― zombou rindo forçadamente.

― sim. ― respondeu simples tirando  a ironia do rosto da garota.

― NÃO! ― gritou histérica. ― pode falar, é algum tipo de aposta, não é?

― não há aposta alguma. ― jogou a cabeça para trás passando a mão pelo rosto.

― duvido. ― falou.

― ah, pense o que você quiser. ― Ryan falou já estressado. ― eu já disse, se você quiser acreditar ou não posso fazer nada.

Deu as costas e seguiu para seu quarto novamente.

 

         19 horas e 45 minutos

         ( casa da Ashley)

 

         Justin estacionou sua Ranger Rover em frente a casa de Ashley e caminhou até a porta. Ele tinha que resolver a situação que havia se formado. Depois que ela saiu da quadra ela não respondeu mais suas mensagens, seus telefonemas. Nada.

 Ele tocou a campainha e esperou alguém atender. Não demorou muito e a porta se abriu e de trás dela não apareceu Ashley e sim a mãe dela.

― Justin, que surpresa você por aqui. ― Clara sorriu.

― eu vim falar com a Ashley, ela está? ― falou gentilmente.

― sim, entre. ― falou sorrindo ela abriu mais a porta e deu passagem para que o garoto passasse.

         Justin entrou pedindo licença.

         ― ela está lá em cima. ― Clara falou andando na direção da cozinha.

         ― posso subir? ―perguntou.

         ― claro. ― respondeu.

         Justin assentiu e  rumou na direção da escada. Ele começou a subir a mesma calmamente e começou a andar pelo corredor até que parou de frente a segunda porta a esquerda. A mesma estava entreaberta. Bateu lentamente na porta e esperou alguém responder, mas ninguém respondeu.

         Foi abrindo a porta lentamente até dá uma abertura suficiente para que entrasse no cômodo. O mesmo estava silencioso, ele foi andando em direção a cama e  a mesma estava vazia. Varreu o quarto com os olhos e não encontrou ninguém. Mas ele ouviu um barulho, barulho de agua.

         O barulho da agua vinha de uma porta entreaberta perto de uma estante. Ele começou a aproximar-se lentamente da porta até chegar a mesma. Pela fresta da porta ele espiou o que estava lá dentro e se surpreendeu com o que viu.

         Ele entreabriu mais a porta e para ver melhor. Do vidro embasado do box dava para ver a silhueta da garota se banhando. Justin nunca imaginou que Ashley escondia curvas assim por baixo de suas roupas.

         Justin escorou no patente da porta e ficou admirando. Seu corpo estava começando a reagir aquela visão. Ele começou a sentiu seus olhos ficarem escuros e seu corpo estranho. Droga, a veela está querendo assumir o controle outra vez.

         Quando ele ouviu o chuveiro sendo desligado seu  ser voltou a si e ele saiu  do banheiro rapidamente e voltou para o quarto.

         ― Droga, Ashley. ― falou andando de um lado para o outro. ― por que você faz isso comigo? ― passou as mãos pelo rosto.

         ― o que você está fazendo aqui? ― a voz da garota ecoou pelos ouvidos do garoto fazendo ele encara-la imediatamente.

         Os olhos dele se perderam no corpo da garota. Ela estava  só de toalha e com uma expressão espantada.

         ― Droga! ― falou se encolhendo. ― vira de costas. ― exigiu.

         ― ok. ― respondeu meio aéreo e virou para trás.

         ― agora você pode me responder o que está fazendo aqui?

         Começou a procurar roupa para vestir dentro de suas gavetas.

         ― você não respondeu as mensagens e nem atendeu os meus telefonemas. ― falou.

         ―  te responder não era a melhor opção. ― começou a vestir a lingerie.

         ― e por que não? ― virou para trás quando ela ia vestir o Sutiã.

         ― vira! ― falou.

         ― ok. ― revirou os olhos e virou. ― eu preciso conversar com você, explicar as coisas.

         ― não há nada para explicar. ― terminou de ajeitar o sutiã.

         ― claro que tem. Eu não quero você longe. ― falou cansado.

         ― Bieber, essa sua mudança repentina está muito estranha. ― vestiu o short. ― um dia você só me procura em casos extremos para que eu faça seus trabalhos. ― colocou  uma regata. ― e no outro está me beijando e dizendo que estamos  namorando e não que não consegue ficar longe de mim.

         Respirou fundo ajeitando seus cabelos.

         ― você tem que repensar seus sentimentos. ― respirou profundamente.

         ― eu não preciso repensar nada. ― Justin jogou as mãos para o ar. ― posso virar?

         ― pode. ― autorizou.

         ― nem tudo na vida precisa fazer sentido, Ashley. ― a olhou nos olhos. ― principalmente o amor.

         ― não confunda as coisas, Bieber. ― falou calma caminhando até uma escrivaninha.

         ― eu não estou confundindo nada, Ashley. ― falou começando a ficar irritado. ― será que é tão difícil acreditar que alguém possa sentir algo por você?

         Aproximou-se da garota fazendo com que ela o olhasse nos olhos.

         ― está fazendo aquilo outra vez. ― sussurrou olhando os olhos do garoto escurecer.

         Justin sentiu uma dor no peito vir, mas tentou não demonstrar. Respirou fundo para disfarçar e vê se a dor  apartava.  

         ― ok. ― respirou fundo mais uma vez. ― só tenta acreditar em mim. ok?

         ― Justin...

         ― Ashley, pelo amor de Deus. ― segurou os braços da garota. ― você está com medo de se envolver comigo? Tá com medo de se apaixonar? ― riu fraco e desanimadamente.

         ― escuta, eu não posso te dar o que as outras garotas de tão.

Apertou as mãos do garoto, que ainda estavam em seu rosto.

― você está falando de sexo? ― falou sem rodeios. ― você pensa que eu estou com você só para te comer?

― poderia usar um palavreado mais suave. ― comentou.

― brincar de gangorra? ― encarrou a garota.

― bem mais leve. Mas não sou criança. ― falou.

         Justin revirou os olhos e bufou.

― Ashley, eu não estou te pedindo nada disso, você que está com os pensamentos férteis demais.

Sorriu ao imaginar a garota em sua cama.

― não vou dizer que não sinto atração por você. ― mordeu os lábios analisando a garota de cima a baixo. ― mas eu sei ir com calma. Ok?

Ela o encarou e mordeu os lábios levemente. Enquanto ele a olhava esperando uma reação, resposta ou ação da parte dela.

― amigos. Ok? ― falou depois de algum tempo.

―  por que amigos? ― questionou cruzando os braços.

― por que você disse que iria com calma. ― respondeu prontamente. ― e com calma, para mim, significa não pular nenhuma fase. ― o encarou.

― ok. ― concordou. ― mas...

― sem “mas”. ― Ashley falou enquanto o garoto se aproximada dela.

― posso terminar de falar? ― segurou o rosto dela com delicadeza. ― como amigos ainda posso fazer isso com você? ― perguntou já unindo os lábios dos dois em um beijo que começou calmo e foi intensificando.

Aquela sensação apesar de ser nova para a garota e rotineira para o garoto já tinha se tornado viciante para ambos. Em menos de vinte e quatro horas desde o primeiro beijo entre eles e ambos não conseguiam mais viver sem sentir um ao outro.

Ashley mesmo dizendo que não se importaria de ficar sem beija-lo. No fundo desejava mais do que tudo sentir o gosto dos lábios de Justin. E durante o beijo implorava para que o relógio parasse para que o beijo durasse mais.

Justin foi finalizando o beijo com vários selinhos até parar de vez. O que ele não queria, mas era necessário. Seus pulmões já estavam implorando por oxigênio.

A respiração dela estava descompensada e seu rosto estava em um tom avermelhado. Justin riu do estado em que a garota ficava depois de todo beijo.

―Desde que não seja na frente de todos. ― sussurrou.

― vou tentar. ― riu fraco.

― agora eu acho melhor você afasta-se. Antes que...

Sua fala foi interrompida ao ouvi a porta se abrir e de trás dela aparecer sua mãe, que olhou para os dois com um sorriso de segundas intenções ao ver as mãos de Justin segurando a cintura de Ashley e a proximidade entre os dois.

Ashley corou ao receber o olhar malicioso da mãe e afastou-se rapidamente de Justin. Ficando a uma distancia boa.

― eu vim avisar que o jantar está pronto. ― falou calmamente ainda olhando para os dois.

Principalmente para Ashley, que corava a cada segundo. Toda mãe conhece seu filho ou filha, e pela reação da garota sua mãe percebeu que a mesma estava com vergonha de algo.

― não será necessário, o Justin já está de saída. ― Ashley respondeu. ― não é? ― olhou para o garoto.

― sim, claro. ―respondeu rapidamente. ― já estou de saída.

― pensei que ficaria para o jantar?

― outro dia, não é? ― Ashley falou pegando a mão do garoto e o levando para fora do quarto. ― eu vou leva-lo até a saída. ― falou passando por sua mãe.

― Tchau, senhora Jhonny. ―Justin despediu-se de Clara enquanto Ashley o puxava.

Ashley foi conduzindo Justin até a porta principal.

― Tchau, até amanha. ― falou já fechando a porta.

Mas Justin impediu segurando a mesma.

― que falta de educação Ash. ― falou sorrindo de lado. ― se despeça direito.

Revirou os olhos e deu um selinho rápido nele.

― assim não. ― balançou a cabeça negativamente. ― assim. ― a puxou para um beijo mais intenso.

― Tchau, Justin. ― a voz de Clara foi ouvida fazendo com que Ashley se assustasse e separasse rapidamente fingindo ajeitar os óculos.  

          Justin sorriu para Clara que os olhava com um sorriso de segundas intensões.

         ― amanhã eu passo aqui para te buscar de carro. Iremos para a escola juntos. ― falou próximo ao ouvido da garota.

         ― não. ― ela respondeu rapidamente. ― não, carro não.

         ― moto?

         ― não.

         ― bicicleta?

         ― não.

         ― skate?

         ― já falei que não.

          Justin bufou alto e revirou os olhos.

         ― venho de buscar andando então.

         ― Justin, não. ― falou mandona.

         ― amigos vão para a escola juntos. Sabia?

         ―Justin, não ouse me desobedecer. ― falou seria.

         ― ui, está assim agora? ― ironizou.

         ― não. ― cruzou os braços e arqueou a sobrancelha

         ― pensarei no seu caso. ― virou de costas e foi andando até seu carro.

         Ashley bufou alto e revirou os olhos.

        

         Homens, tão complicados. Pensou.

        

         Ashley virou de costas e entrou em casa fechando a porta logo em seguida.

         ― não, nem vem. ― falou ao virar e ver sua mãe de braços cruzados e um sorriso de segundas intenções nos lábios.

  


Notas Finais


espero que tenham gostado

bjs #comentem


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...