História Veela - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Tags Camila Cabello, Colegial, Justin Bieber, Mitologia, Veela
Visualizações 1.466
Palavras 2.861
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Escolar, Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Magia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 14 - Confusão na cantina


           6 horas e 55 minutos, sexta-feira.

                   (Tiger High School)

         Ainda estava no horário de chegada dos alunos. Nos estacionamento o fluxo de carros estava mais tranquilo, e os que podemos chamar de foras da lei. Alunos que não se importavam com o horário das aulas  estavam encostados em seus carros.

         ― eai, Kimberly. ― Brooklyn chamou atenção da amiga que passava seu brilho labial rosa nos lábios. ― resolveu o assunto com a ratinha da biblioteca?

         ― o meu aviso foi dado. Com certeza ela não se atreverá a passar no meu caminho e muito menos o do Justin.

         Respondeu ainda olhando no espelho e analisando seus lábios no mesmo.

         ― pelo jeito não é isso que ela esta fazendo. ― Cindy falou olhando para frente. ― olhem ali. ― apontou.

         No campo de visão delas via a cena de Justin e Ashley saindo do carro do garoto. O mesmo logo depois que saíram imprensou ela contra a porta e tomou seus lábios em um beijo bem dado.

         ― eu não acredito nisso. ― Kimberly falou com raiva. ― essa garota me paga. ― sua pele começava a adquirir um tom avermelhado.

         ― e o que você vai fazer? ― Brooklyn perguntou em um tom envenenador.

         Kimberly respirou fundo.

         ― eu vou dar o que ela merece. ― falou ajeitando os cabelos.

         ― eu acho bom você ser rápida. ― Cindy falou no mesmo tom que Brooklyn. ― o baile está chegando e pelo visto quem ele vai convidar será ela. ― olhou para a cena.

         Justin ainda não havia soltado Ashley. Mas não se beijavam mais. O garoto acariciava o rosto dela enquanto sorria.

         ― podem ter certeza de uma coisa. Do baile esse romance nojento não vai passar.

         ― o que você está pensando em fazer? ― Cindy perguntou.

         ― vou colocar a verdade a mostra. ― falou decidia e com raiva.

         Não deu oportunidade para as amigas fazerem mais perguntas e saiu andando batendo o pé. A raiva explodia pelos seus poros.

         Brooklyn e Cindy encararam e deram de ombro. Logo depois saíram atrás da amiga.

 

                  9 horas e 20 minutos.

 

         O professor colocava os cálculos imensos na lousa enquanto os alunos copiava o mais rápido que podia.

         Na sala de robótica usavam o sistema de dupla, assim cada dupla ficava em uma bancada.

         ― Ashley. ― Chaz, que estava sentado ao lado dela, sussurrou.

         Ela resmungou.

         ― com quem você vai ao baile?

         ― baile? Qual baile? ― olhou para ele.

         ― o beneficente que a escola promove todos os anos. ― respondeu.

         ― ah, sim! ― respirou fundo. ― vou com o Malk. Como todos os anos.

         ― Malk? Como assim? ― Chaz falou surpreso. ― você não vai com o Justin?

         ― não. Com certeza eu não sou a pessoa mais indicada para acompanha-lo. ― parou de escrever e encarou o garoto. ― ele é um dos garotos mais bonitos da escola. Pessoas bonitas vão com pessoas bonitas. Entende?

         ― Ashley, isso não está certo. ― Chaz falou.

         ― claro que está. ― falou ouvindo o sinal tocar indicando o termino da aula.

         ― Justin não vai gostar nada da noticia. ― Chaz balançou a cabeça.

         Ashley retorceu os lábios e voltou sua atenção para o caderno e voltou a copiar. Chaz a encarou por alguns segundos e logo depois começou a guardar seu material.

         ― você vai ficar? ― perguntou colocando sua mochila nas costas.

         ― sim. ― o olhou. ― tenho algumas coisas para copiar. ― apontou para o caderno.

         ― ok! ― deu de ombro. ― até mais. ― se despediu com um aceno e se foi.

         Ashley voltou sua atenção para o caderno e voltou a copiar os cálculos.

         A porta da sala estava entreaberta, e como era o horário do intervalo todos os alunos estavam nos corredores. Justin passou por acaso em frente a porta do laboratório de robótica.

         O cheiro que vinha lá de dentro era inconfundível. Ashley estava lá. Sorriu e entrou fechando a porta atrás de si. De onde estava lançou um olhar sobre a garota, que estava com sua atenção no caderno.

         Ele foi aproximando-se dela, mas a mesma continuava não perceber sua presença. Quando chegou perto passou os braços pela sua cintura com delicadeza e depositou um beijo castro no pescoço dela.

         Um arrepio percorreu o corpo dela o que a fez tirar sua atenção do caderno e virar para trás dando de cara com uma imensidão de com indefinida. Porem perfeita.

         ― vamos almoçar juntos? ― ele perguntou.

         ―ok! ― deu de ombro e concordou.

         ― olha, que milagre. ― riu. ― você aceitando um convite meu sem reclamar e impor coisas. ― riu novamente.

         ― você um idiota, sabia? ― sorriu e balançou a cabeça.

         Justin riu deixando a mostra seus dentes perfeitos.

         ― primeiro tenho que lhe fazer um convite. ― soltou a cintura dela .

         ― e o que seria? ― virou o corpo para o garoto.

         ― quero te convidar para ir ao baile. ― sorriu no final.

         Ela o olhou quieta e retorceu os lábios de leve.

         ― tem um probleminha. ― olhou par Justin. O mesmo franziu o cenho.

         ― e qual seria?

         ― eu já tenho um par para o baile. ― falou sem graça.

         O sorriso do rosto de Justin se desfez de seus lábios  dando lugar para uma expressão seria.

         ― e quem seria? ― respirou fundo tentando manter a calma.

         ― Malk. ― falou em tom baixo. ― eu e ele sempre vamos ao baile juntos. ― explicou.

         ― e eu? ― Justin perguntou indignado apontando para si mesmo.

         ― você vai com alguém da sua altura. Kimberly por exemplo. ― falou.

         ― você só pode está de brincadeira. Não é? ―falou em um tom irônico.

         ― não estou não. ―respondeu seria.

         ― Ashley. ― segurou os braços dela. ― você vai comigo. Está entendendo?

         ―não. Eu dei minha palavra para o Malk. Não vou dar para trás.

         Eles se encaram por alguns segundos. Tudo em silencio.

         ― está bem. Eu vou resolver isso. ― fechou suas mãos em punho e deu um soco na bancada.

         ― o que você vai fazer, Justin? ― Ashley perguntou ao ver Justin sair pela porta.

         O garoto estava possesso e seria capaz de fazer de tudo. Seus olhos estavam completamente negros. A veela estava no controle.      

         Justin andava pelos corredores com a expressão fechada. Seu destino era a cantina, aonde todos estavam a essa hora.

         Quando chegou a mesma correu os olhos até encontrar  um garoto. De óculos fundo de garrafa, blusa xadrez e calça estranha. O mesmo estava sentado em uma mesa junto com os demais de sua espécie.

         Justin começou a caminhar até lá. As pessoas o cumprimentava, mas ele não dava a mínima importância. a única coisa que ele queria e tinha em mente era chegar até o garoto e acabar com aquilo tudo.

         Chegando lá ele não se anunciou com um “olá”, “bom dia” ou coisa assim. Foi logo puxando o garoto para trás o fazendo cair no chão junto com a cadeira. O barulho assim como o ato chamou a atenção de todos.

         O garoto estava confuso. Aliais, todos naquele ressinto estavam confusos. Qual era o motivo para a raiva de Justin?

         Todos formaram um aglomerado em torno dos dois e como sempre estavam querendo ver mais briga. O garoto no chão tentou levantar-se, mas Justin o impediu segurando sua blusa e acertando um soco bem dado em seu olho esquerdo.

         O alvoroço na cantina era grande e havia cada vez mais gente em torno deles. Justin batia no garoto e o mesmo só tentava se defender das bofetadas. Justin era bem mais forte que ele, com a veela no poder se tornava quase que impossível atingi-lo.

         ― Justin, Justin. ― Ryan e Chris chegaram no meio da roda que havia se formado e tentou puxar Justin.

         Mas ele estava irredutível e incontrolável.

         Não se passaram minutos e Ashley chegou a cantina e viu um alvoroço. Ele já tinha em mente o que poderia ser, mas precisava conferir.

         Foi  caminhado até o aglomerado de pessoas  até chegar ao núcleo do mesmo. A cena era caótica. Justin esbofeteava Malk enquanto Chaz tentava afastar Malk  de Justin e Chris e Ryan tentava segurar Justin.

         Ashley não pensou duas vezes e entrou na frente de Justin sem se importar se levaria um soco perdido ou não. E  infelizmente foi isso que aconteceu. Ashley foi acertada por um dos socos de Justin que eram endereçados a Malk.

         Quando a veela percebeu que havia acertado sem querer o rosto de sua amada parou. O sentimento de proteção tomou conta de si.

         ― meu amor, eu te machuquei? ― Perguntou em um tom de voz baixo e tentou toca-la.

         Ela recuou.

         ― não toque-me. ― falou com a mão no rosto. O lugar aonde tinha sido atingido.

         Justin recuou um passo e encolheu os ombros.

         ― Malk. Você está bem? ― Ashley foi até o amigo e se ajoelhou ao lado do mesmo.

         ― Não, Ashley. ― falou com dificuldade tentando levantar.

         Os alunos foram abrindo passagem e um home de terno cinza, calvo e expressão fechada. Era o diretor.

         ― Eu. Quero. Os. Três. Na. Minha. Sala. Agora. ― ele falou pausadamente.

         Justin, Malk e Ashley assentiram e seguiram o direto.

         O caminho até a sala foi silencioso. O diretor andava bem mais na frente, seguido de Malk e Ashley e mais atrás Justin.

         Quando chegaram a sala o diretor sentou em sua cadeira e os três ficaram de pé. Ashley em momento algum olhava para Justin. 

         ― vocês estão achando que a minha escola é o que? Um ringue de luta? ― falou serio e forte.

         ― quem começou foi ele, diretor. ― Malk falou apontando para Justin.

         ― eu? ― Justin riu fraco. ― quem mandou se meter com a minha garota?  

         ― Sua garota? ―Malk olhou para Ashley.

         ― calados. ― o diretor falou. ― Bieber, isso não te dar o direito de praticamente espanca-lo em pleno refeitório.

         Justin cruzou os braços e revirou os olhos.

         ― seu histórico no colégio não é dos mais limpos. E você sabe disso. ― o diretor encarou Justin. ― desde quando você entrou nessa escola eu tenho problemas com você. Brigas. Fugas. Falsificação de gabaritos e boletins. A lista é imensa.

         Justin continuava com a mesma expressão.

         ― e agora temos dois alunos feridos pelas suas mãos. ― apontou para Malk e Ashley. ― e uma deles é uma garota. Você  sabe o problema que você pode arrumar se ela resolver te denunciar?

         ― mas foi sem querer. Ela entrou na frente. O soco era para esse zé mané ai. ― olhou para Malk. ― eu nunca a machucaria. Ela é minha garota. E a  coisa que não  quero é vê-la machucada. ― olhou com uma expressão terna para Ashley.

         Mas a garota continuava olhando para frente e segurando as lagrimas.

         ― já basta Bieber! ― O diretor gritou. ― pode pegar suas coisas, pois você está suspenso por uma semana.

         ― uma semana? Mas eu tenho provas. ― Justin falou indignado.

         ― pensasse nisso antes  de agredir os seus colegas.

         ― mas...

         ―sinta-se agradecido por eu não lhe expulsar. ― o diretor levantou da cadeira. ― agora pegue suas coisas  e só apareça na propriedade do colégio daqui a uma semana.

         O diretor deu sua palavra final. Justin abaixou a cabeça e retirou-se da sala em silencio.

         ― e vocês dois estão dispensados. ― O diretor falou para Ashley e Malk.

         Ambos assentiram.

         ― mas antes passem na enfermaria. ― assentiram novamente.

 

                                      ***

 ― e ai, Justin. ― Chaz, Ryan e Chris chegaram perto do garoto. Que estava em seu armário pegando algumas coisas.

― o que o diretor falou com você? ― Chaz perguntou aflito.

― estou suspenso por uma semana. ― bateu a porta do armário.

― Bro, nós temos prova. E você sabe que se não tirarmos boas notas nelas estamos fora do time. ― Chris falou.

         ― eu sei cara. Eu sei. ― Justin colocou a mochila no ombro.

         ― e como você vai fazer? ― foi a vez de Ryan perguntar.

         ― eu também não sei. ― respondeu e bufou alto. ― a Ashley não olhou nem um segundo para mim. Ela com certeza não vai querer olhar na minha cara por um bom tempo.

         ― tempo. Uma coisa que você não tem. ― Chaz frisou.

         ― Não precisa lembrar-me disso. Eu já estou ciente que eu estou fodido.

         Começaram a andar pelos corredores.

         ― fala com seus pais. Eles podem vir até aqui e conversar com o diretor.

         ― vou fazer isso. ― Justin respondeu com desanimo. ― mas tenho que resolver as coisas com a Ashley.

― boa sorte, mano. ― Chris deu dois tapinhas no braço do amigo. ― você vai precisar.

 

         14 horas e 30 minutos

         ( casa do Bieber)

 

― outra vez, Justin? ―  James. Seu pai. Falou com firmeza. ― essa já é a quarta vez. Eu estou cansado de ir ao colégio conversar com o diretor para ele relevar suas merdas.

Justin se mantinha calado e de cabeça baixa.

― não fala assim com ele, James. ― Katherine defendeu Justin. ― você sabe muito bem que aquele diretor tem uma implicância com meu menino.

         ― implicância? ― James riu de deboche. ― não há implicância, Katherine. ― olhou serio para ela. ― isso é culpa sua. ― apontou para a mesma. ― você sempre mimou esse menino demais. Sempre passou a mão em cima de seus erros.

         ― por favor, James. Releve. ― Katherine pediu.

― relevar? Relevar? ― perguntava incrédula. ― você só me pede isso. ― a encarou. ― se bate o carro. Eu tenho que relevar. Arruma briga. Eu tenho que relevar. Tudo que tenho que relevar. ― começou a alterar o tom de voz.

         ― não precisa conversar. ― Justin se manifestou. ―eu fiz. Eu vou pagar. ― levantou do sofá.

         ― não, meu filho. ― Katherine segurou seu braço.

― não, Kath! Ele tem razão. Vou ficar sem fazer as provas e corro o risco de não jogar no time. Mas está tudo ok! 

Deu  uma ultima olhada para James e Katherine e retirou-se da sala.

Mas ainda dava para ouvir a discursão dos pais. Era rara a cena, mas quando acontecia desenterrava muitas coisas.

 

                  18 horas 40 minutos

                   ( casa da Ashley)

 

Depois de muito pensar em o que fazer para falar com Ashley. Já que ela não respondia nenhuma de suas mensagens  nem suas ligações.

Decidiu então ir até a casa dela. Mas antes passou para comprar flores. Optou pelo famoso buquê de rosas vermelhas.

Estacionou em frente a casa da garota e caminhou até a porta. Tocou a campainha. Buquê nas mãos e ansiedade tomando o peito. Não demorou e Clara abriu a porta.

― boa noite. ― Justin falou.

― Justin. ― respondeu de uma forma diferente.

― posso falar com Ashley? ― perguntou tentando ver o interior da casa.

― ela está ocupada. ― falou tentando ser gentil.

― Clara, por favor. Eu preciso falar com ela. É muito importante.

Ela retorceu os lábios.

― ok! ― cedeu. ― ela está no quarto.

― obrigado. ― sorriu e entrou.

Justin subiu as escadas correndo com o buquê de flores nas mãos. Não demorou e ele já estava em frente a porta da mesma.

Entrou calmamente e viu ela sentada na escrivaninha escrevendo algo. Antes que ele pudesse dizer algo  ela se manifestou.

― você não deveria está aqui. ―falou sem olhar para ele.

― trouxe flores. ― falou baixo.

― flores não vão apagar o escândalo que você fez. ― virou para o garoto.

Assim que ela virou ele percebeu o estrado. Sua bochecha estava vermelha começando a ficar roxo.

― meu amor. ― correu até ela. ― desculpa. Desculpa. ― deixou os lábios dela. ― não era minha intensão te acerta. ― olhou nos olhos dela.

― o negocio não é eu. E sim o Malk. Ele esta em um estado pior. Sabia?

― ele que procurou. ― falou mandão.

― você chegou socando ele, Justin. ― ela o encarou seria.

― mas ele quis pegar você de mim. ― encolheu os ombros.

― isso você pode ficar tranquilo. Ele não vai poder ir ao baile. Está com o braço quebrado e só vai ficar bom daqui a quinze dias ou mais.  

Justin tentou disfarçar a satisfação. Mas deixou escapar uma risada abafada.

― você está rindo? ― ela perguntou incrédula. ― fique sabendo. No baile com você eu não vou. ―levantou do banco.

― como assim? ― levantou também.

― eu vou ficar em casa. Não vou com ninguém. ― deu de ombro.

― ok! ― Justin deu de ombros também. ― ficaremos em casa então.

― não. ― balançou o dedo. ― isso significa longe de você também.

― Ashley! ― falou indignado. ― o que você quer que eu faça?

― quer saber mesmo?

― sim.

― vai ter que pedir desculpas para ele.

― hã? Nem pensar.

― é isso ou não vou com você. ― sorriu de lado.   


Notas Finais


espero que tenham gostado

bjs... #comentem


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...