História Veela - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Tags Camila Cabello, Colegial, Justin Bieber, Mitologia, Veela
Visualizações 1.480
Palavras 3.207
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Escolar, Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Magia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 17 - Falsas Juras


Justin ainda estava anestesiado com a imagem da garota. Ashley começou a descer as escadas vagarosamente escorregando suas delicadas mãos pelo corrimão de madeira polida.

          Ao chegar ao pé da escada Justin já estava a sua espera. Os olhos do garoto ainda estavam perdidos na garota e a única reação que teve foi balbuciar uma única frase.

         — você está linda.

          Em resposta Ashley riu sem graça, abaixando um pouco a cabeça fazendo seus longos cabelos castanhos escuros criarem um véu de cachos.

         — As regras ainda estão de pé, Bieber. — Taylor alertou tirando os dois do mundo paralelo que estavam.

         —hã? Ah, sim! —Justin falou ainda meio desnorteado.

         — É para ir ao baile e depois direto para casa. Não quero paradas. — alertou aos dois.

         — Sim, papai. — Ashley falou levantando os olhos.

         — pare com isso, Taylor. — Clara o repreendeu. — vocês já estão atrasados. — falou para os dois.

          — Ah, sim! — Justin falou caindo em si.

          — vamos? — Ashley perguntou apontando para a porta.

         — sim, mas antes tenho que te dar uma coisa.— Ashley o olhou desconfiada.

         Ele mostrou a caixinha transparente na qual continha a pulseira de flores. A tirou com cuidado e colocou cuidadosamente no pulso magro de pele macia da garota.

         — É realmente muito linda. — Ashley elogiou olhando para seu pulso.

         — não mais do que você. — Justin rebateu beijando a mão da garota.

         Ashley corou mais uma vez.

         — vamos? — ele estendeu o braço.

         — vamos. — pegou o braço do garoto.

       Depois de despedir de seus pais Ashley e Justin seguiram para fora da casa. Com cuidado ele a ajudou chegar até o carro.

         — Gostou? — Justin perguntou referindo-se ao carro.

         — ele é incrível. — falou  admirada. — aliás, você está incrível também. — o elogiou.

         — obrigado. — sorriu satisfeito. — Você ainda tem dúvida de que nós dois subiremos ao palco como dama e cavalheiro?

         Ele falou se aproximando ainda mais da garota e a puxou  pela cintura.

         — você está  incrível. — sussurrou bem próximo aos lábios dala e logo depois os beijou.

         A língua dele pediu passagem e ela deu sem pensar. Passou suas mãos pelo rosto dele e logo depois passou a acariciar a nuca.

           — Justin… — sussurrou entre o beijo. — Justin, é melhor irmos. Papai deve está nos vigiando pela janela.

         Justin finalizou o beijo sugando de leve o lábio inferior dela.

         Ele sorriu e olhou para a casa, da onde dava para ver perfeitamente alguém os vigiando. Com toda a certeza era Taylor.

   Justin abriu a porta do carro e logo depois Ashley entrou.

                ***

     20 horas e 30 minutos

            (Tiger high school)

           Assim que chegaram ao colégio caminharam para o ginásio, onde estava acontecendo o baile. Ao atravessar a porta principal de mãos dadas vários olhares foram com destino ao casal Ashley e Justin.

         O garoto não, mas Ashley sentiu-se envergonhada. Justin foi puxando-a pelo meio do aglomerado de alunos para encontrar seus amigos.

         —Drew! — ouviu alguém chamando seu nome.

    Olhou na direção e viu Chaz acompanhado de uma garota. Caminharam até eles.

         — Eai, mano. — cumprimentou o amigo. — onde estão os outros?

         — serve aqueles ali? — apontou em uma direção.

         Justin viu Ryan acompanhado de Kimberly. Ela havia obrigado o irmão a acompanha-la no baile, já que Justin tinha dispensado-a. Já Chris como era de se esperar estava na companhia de Cindy. Digamos que eles tinham um relacionamento enrolado.

         Chaz era o único que não estava no meio das líderes de torcida, apesar de que já estava com uma das damas de companhia de Kimberly. Mas hoje estava sendo acompanhado por uma amiga de fora da escola. Coisa que era permitida.

Assim que perceberam o olhar do amigo, Chris e Ryan deixaram suas “damas” e foram de encontro a eles. Coisa que não agradou nada suas acompanhantes.

 — eai, mano. — os dois cumprimentaram o amigo dessa forma.

         — Ashley você está muito gata. — Chris a elogiou.

          — Gata, gostosa e muito mais. — Ryan falou rindo.

         — Ei. —Justin deu um tapa na cabeça do amigo. — te orienta, garoto. Ela tem dono.

    Justin puxou a garota pela cintura e a beijou rapidamente. Como se estivesse marcando território. O ato não passou despercebido pelos que estavam a sua volta.

         — Não está mais aqui tem falou. — Ryan jogou as mãos para cima.

         ―Kimberly está uma fera. ― Chris comentou.

         ―Eu que o diga. ― Ryan riu. ― Da próxima vez que for dispensa-la me avisa, Justin. Assim eu posso viajar para bem longe e escapar dos chiliques. ― Ryan riu fazendo os outros rirem.

         ―Cara, a gatinha aqui não deu aviso prévio antes de flechar meu coração. ―Justin falou dando um beijo estalado na bochecha da garota. A mesma corou.

         ―hm, Justin está romântico. ― Chris debochou.

         ―Estou apenas relatando o que está dentro de mim. ― Justin rebateu rindo.

         ―Eu já li que veelas são românticas, mas não sabia que a esse ponto. ― Ryan falou sem pensar.

         Justin o fulminou com os olhos. E a vontade naquela hora era de mata-lo. 

         ― O que é isso? O que são veelas? ― Ashley perguntou confusa.

         ―Isso é só uma brincadeira do Ryan, meu amor. ― Justin falou entre os dentes ainda fuzilando Ryan com os olhos.

         ―AH...

         ―Vamos dançar. ― a puxou para a pista de dança. Na qual tocava uma musica agitada.

 

                            ***

                   22 horas e 53 minutos.

         Depois de dançarem incessantemente por duas horas Justin e Ashley resolveram tomar um ar fresco. Pois do salão estava abafado.

         ― Você está gostando? ―Justin perguntou rindo puxando a garota pelas mãos.

         ―Sim. ― respondeu rindo. ― eu nunca me diverti tanto em toda a minha vida. ― o encarou nos olhos ainda com um sorriso no rosto.

         ―Isso é ótimo. ― riu. ― você não tem a ideia do quanto eu gosto de ver um sorriso em seu rosto. ― acariciou suas bochechas de leve.

         Ela fechou os olhos sentindo a mão fria do garoto acariciar sua pele quente.

         ―Ashley, eu tenho uma coisa muito importante para te contar.

         Justin falou baixinho perto dos lábios da garota. Ele não podia mais adiar, tinha que contar toda a verdade para ela. E não poderia passar daquela noite.

         ―Sim, conte. ― deu sinal verde para que prosseguisse.

         ―Eu...

         ― O resultado da Dama e Cavaleiro do baile será divulgado agora. Todos devem está presentes. ―Uma garota do comitê organizador do baile os alertou.

         ―Ok! ― Ashley disse. ― vamos?

         ― Mas eu tenho que... Ah, deixa para lá.

                   ***

 

         O salão estava lotado e todos estavam com seus olhos vidrados no placo, na qual havia o diretor com um papel na mão.

         ― No quinto baile beneficente oferecido pela escola Tiger High School, todos os anos elegemos o Cavaleiro e a Dama da noite. ― o diretor falou no microfone. ― Como todos já sabem, vence a dama e o cavaleiro que estiver mais bem vestido. E já temos um resultado.

         Ela levantou um envelope da cor vermelha em uma altura que todos pudessem ver.

         ― Que toque a musica de suspense para anunciarmos a dama da noite. ― falou.

         Uma musica foi colocada pelo Dj.

         ―E a dama da noite é?

         Deu uma pausa longa aumentando o suspense de todos.

         ―Kimberly Butler. ―anunciou.

         Todos no salão aplaudiram.  Isso não era surpresa para mais ninguém. Kimberly era linda, popular. Combinação perfeita.

         ― Isso está errado. ―Justin resmungou vendo Kimberly subir ao palco sorridente.

         Kimberly estava vestida com um vestido vermelho longo bastante descoberto, principalmente nas costas. O mesmo vestido que Clara, a mãe de Ashley disse que ficaria bom para a garota. Mas ela o rejeitou.

         ―Agora vamos anunciar o Cavalheiro da noite. ― o diretor continuou fazendo todos ficarem em silencio. ― e o cavalheiro da noite é?

         Pausou mais uma vez fazendo surpresa.

         ―Justin Bieber. ― falou fingindo entusiasmo.

         Todos começaram a aplaudir. Outro que já não era novidade. Justin era lindo, popular, capitão do time de basquete. A combinação perfeita.

         ―Isso está errado. ―Justin falou mais uma vez. ― era para ser você e eu. ― falou indignado. ― Eu não vou subir lá sem você. ― bateu os pés.

         ―Justin, você vai subir ao palco sim. ― Ashley o olhou. ― não importa se eu não ganhei, mas você ganhou. Agora suba até lá e assuma seu posto de cavalheiro da noite.

         ―Ash... ― resmungou manhoso.

         ―eu vou ficar daqui te aplaudindo. ― falou rindo e deu um selinho rápido nele.

         Justin foi caminhando entre a multidão até o placo. Ele subiu ao mesmo sem animo algum. Assim que chegou ao centro do palco uma das garotas do comitê organizador do baile lhe entregou o par de luvas brancas e a cartola.

         Esses eram os itens do cavalheiro. Um par de luvas brancas e uma bengala, que simbolizavam os cavalheiros de antigamente. Já a dama também recebia um par de luvas, só que de renda e um buquê de rosas vermelhas.

         ― aplausos para a Dama e o Cavalheiro da noite. ― o diretor falou e todos aplaudiram.

         Justin sorria forçadamente para as câmeras sem animo algum. E com seus olhos procuravam Ashley em meio a multidão.

         ―Agora o discurso.

         Kimberly mais que rapidamente pegou o microfone da mão do diretor e   tomou frente.

         ―Eu estou imensamente grata por vocês terem votado em mim e em meu namorado para Dama e Cavalheiro desse baile. ― falou sorridente.

         Justin revirou os olhos.

         ―Vocês mais do que ninguém sabem que nós ficamos felizes juntos. ― se abou e agarrou o braço de Justin.

         ―Me solta. ― Justin falou entre os dentes. Mas ela o apertou.

         ―E eu quero deixar uma coisa bem clara para todos vocês. Correu boatos de que Justin e eu estávamos separados. Isso é totalmente mentira.

         Um sussurro correu o local, Justin a olhou incrédulo e soltou seu braço.

         ―Nós estamos mais unidos do que nunca. Meu namorado é uma ótima pessoa e estava fazendo uma obra de caridade. Aliais temos que ser bons para as pessoas.

         Falou debochada fazendo todos rirem do motivo da piada. Ashley. A garota por outro lado estava totalmente sem chão. Ela não estava conseguindo processar isso tudo.

         ― O que? ―Justin falou incrédulo. ―Você está ficado louca Kimberly?

         ― Quem trocaria Kimberly Butler por Ashley Jhonny? ― falou rindo.

         ―JÁ CHEGA, KIMBERLY. ―Justin pegou o microfone.

         A ultima fala de Kimberly foi o suficiente para que Ashley desacreditasse em tudo que Justin havia dito ao longo desses dias. Todos os momentos, juras, beijos, carinhos. Tudo foi ao chão.

         Como em uma velocidade absurda o foco parou de ser o palco e foram todos para ela. Todos riam e debochavam da garota que estava cada vez mais constrangida. Ashley foi recuando os  passos        para trás sem ver para onde estava indo. Sem querer tropeçou em algo e caiu no chão.

         As pessoas aproximavam-se mais e mais, apontavam e riam. As lagrimas já desciam pelo seu rosto, mas reuniu força da onde não tinha e levantou-se. Olhando a sua volta tentando procurar a saída até que achou.

         Afundou em meio a multidão e foi andando em direção a porta. Seus passos eram rápidos e confusos. Em questão de segundos ela cortou o salão e saiu pela porta. Saiu correndo pelo corredor segurando seu vestido, seus olhos estavam cheios de lagrimas o que deixava difícil ver por onde andava. Mas mesmo assim continuou.

         ―Ashley, Ashley. ― a voz de Justin soou pelos corredores.

         Ele corria para alcançar a garota, mas ela o ignorou e tentou ser mais rápida. O que ela não contava era que Justin por ser veela era bem mais rápido e conseguiu alcança-la. Ele segurou o braço dela impedindo de dar um passo.

         ―ME SOLTA. ― gritou com raiva e amargura.

         ― Ashley, por favor. Me esculta. ―Justin pediu ainda segurando o braço dela.

         ―EU NÃO QUERO ESCULTAR NADA DO QUE VOCÊ TEM A DIZER. ― gritou com raiva e chorando.

         ―Ashley, o que ela disse é mentira. Eu nunca faria tal coisa com você. Acredita em mim. ― implorou.

         ―Não! Ela tem razão, como eu fui capaz de acreditar que alguém como você pudesse se interessar por mim? Como alguém trocaria Kimberly Butler por Ashley Jhonny? ― riu forçado. ― Eu sou uma idiota.

         ―Ash, não é nada disso. Eu te amo.

         ―Não me chame assim. ― puxou seu braço com força. ― Você perdeu esse direito.

         Justin encolheu os ombros.

         ― Eu sabia que não deveria acreditar em pessoas como vocês. vocês são todos iguais. Pisam e brincam com os sentimentos de pessoas como eu. ―apontou para si mesma.

         ―Ashley...

         ―Se você quer realmente não quer me ver machucada. Não aparece na minha vida nunca mais. Esqueça que um dia você me conheceu, que esteve comigo. ― falou com dos olhos cheios de lagrimas que olhavam fixamente nos do garoto.

         Os olhos de Justin também estavam marejados e a veela dentro de si estava se dilacerando por causa da rejeição. Aquelas palavras saídas da boca de sua amada eram como chibatadas na alma e causavam feridas internas. Difíceis de se curar.

         Ashley não perdeu tempo e saiu dali correndo. Mas o barulho que seus saltos causavam no piso do corredor fez com que Justin saísse do seu pequeno transe e criasse força para correr atrás da amada.

         Quanto mais ele corria, mas ela corria. Naquele momento quem falava mais alto era o desespero e não havia veela que alcançasse Ashley. Tudo que ela queria era afundar seu rosto no travesseiro e chorar como se não houvesse amanha.

         Chegando na calçada começou a olhar de um lado para o outro, a procura de um taxi. Justin chegou esbaforido perto dela, seus pulmões estavam em brasa, mas nada o impediria de agarra-la e tomar seus lábios em um beijo que a fizesse esquecer tudo o Kimberly dissera.

         Puxando os braços da garota com força ele uniu seus lábios aos dela sem aviso prévio. Sua língua pedia passagem, mas Ashley travava seus lábios rejeitando o beijo e socando seus peito para que a soltasse.

         Por muito custo Ashley conseguiu afastar Justin de seu corpo em um solavanco. Ela limpou sua boca com as costas da mão e voltou sua atenção para a rua aonde avistou um taxi.

         ―TAXI!  ― gritou e fez sinal.

         O taxi parou perto da garota, e ela entrou rapidamente falando o destino e deixando Justin para trás.

         Justin não perdeu tempo e foi correndo para o estacionamento. Quando estava chegando próximo ao seu carros seus amigos chegaram.

         ― Onde está Ashley? ― Chaz perguntou.

         ―Ela foi embora. ― respondeu pegando as chaves do carro em seu bolso. ― Mas eu vou atrás dela.

         ―ok! ― confirmaram.

         Justin entrou no carro e saiu do estacionamento em alta velocidade.

                            ***

         O taxi estacionou em frente a casa de Ashley, ela desceu pagou e o carro foi embora. Com os olhos ainda inchados por conta do choro excessivo decidiu não ir para casa, foi caminhando  pela mesma causada.

         Parou em frente a casa de seu amigo Malk e bateu na porta e esperou que alguém atendesse. Não demorou muito e a porta foi aberta, e de trás dela um garoto de causa de moletom,  blusa de malha branca e cabelos desgrenhados apareceu.

         ―Ashley, o que faz aqui? ― perguntou ajeitando os óculos.

         ―Eu posso entrar? ― perguntou fungando o nariz.

                                      ***

         Justin freou bruscamente em frente a casa de Ashley e saiu rapidamente. Seu terno estava desalinhado e o desespero era visível em sua face.  Abriu o pequeno portão que dava acesso a casa de Ashley e em poucos segundo estava tocando a campainha freneticamente.

         A luz da sala foi acessa e a porta foi aberta. Clara, foi quem abriu a porta, estava com uma expressão confusa.

         ―Justin? ― falou confusa.

         ―A Ashley está? Preciso falar com ela. ― falou desesperado.

         ―como assim? Pensei que ela estivesse com você. ― respondeu mais confusa ainda.

         Justin a olhou confuso, mas não retrucou, deu as costas e saiu na direção ao seu carro.

         ―Justin. ― Clara o chamou, mas não deu ouvido.

          Antes de entrar no carro um provável local passou pela sua cabeça. Mas aquilo seria meio que difícil, eram mais de meia noite e com certeza ele já deveria esta dormindo. Mas ele resolveu ariscar, afastou-se do carro e foi caminhando pela mesma calçada até chegar a casa de Malk.

         Antes de se aproximar da porta analisou a casa e percebeu que a luz da sala estava acessa, Ashley estava lá. Pensou.

         Caminhou rapidamente até a porta e tocou a campainha uma vez. Ninguém atendeu. Duas vezes. Ninguém atendeu também. Até que na terceira vez a porta foi aberta.

         ―Eu sei que a Ashley está aí e eu vou falar com ela custe o que custar. ― Justin falou assim que viu o garoto do outro lado da porta.

         Sem esperar o garoto responder, ele adentou a casa e logo que olhou para o sofá viu Ashley de cabeça baixa. Justin  não pensou duas vezes e foi até ela. Porem quando a garota sentiu seu toque sobre sua pele encolheu-se.

         ―Ash. ― Justin falou em um sussurro de voz.

         Os olhares dos dois se cruzaram e em ambos encontravam-se  marejados.

         ―Vai embora da daqui. ―Ashley disse entre os dentes.

         ―Não! Você tem que me ouvir. Não é justo jogarmos tudo que vivemos fora, como não fosse nada, tudo por causa de palavras sem sentido que uma garota falou. ― Tentou manter a atenção dela nele.

         ― Manter o que? A sua aposta suja de me fazer de otária? ― riu fraco.

         ―Ashley, eu te amo. ― Falou no tom mais sincero de todos.

         ― Isso também faz parte da caridade? ― arqueou a sobrancelha. ― aposto que você deve está gravando essa conversa. ― levantou do sofá com raiva.

         ―Não estou gravando nada, Ashley. Eu juro. ― levantou e começou a se aproximar.

         ― Sim, é claro! ― balançou a cabeça. ― Você deve está fazendo melhor. Um dos seus amiguinhos deve está na janela filmando toda a nossa conversa para depois passar em um telão para a escola toda ver.

         ―Ash...

         ―Já disse para não me chamar assim. ― falou com raiva.

         ― Eu não estou mentindo. Tudo o que eu disse foi verdade. Eu juro.

         ― Não jure pelas suas mentiras, Justin.  ― falou entre os dentes.

         As palavras de desconfiança da amada dilaceravam o ser de dentro do garoto, fazendo com que o sentisse como um guerreiro em meio a uma guerra, na qual esta perdendo. Mas que tem que ficar de pé e não ser um desertor.

         Por fora até Justin estava se sentindo mal, não só por causa do sofrimento da veela, mas também por não consegui ver lagrimas rolando pelo rosto de uma garota tão meiga e carinhosa como Ashley. Ele já tinha se apegado a ela.

         ―A casa não é minha. Mas por favor, retire-se. ― tentou ser firme.

         Justin engoliu as lagrimas a seco e limpou a que escorreu pelo seu rosto. Respirou fundo e foi andando na direção da porta. Mas antes parou perto de Ashley, que tentando se fazer de forte cruzou os braços e fez uma expressão fechada.

         O garoto foi aproximando do seu rosto com cuidado e depositou um beijo casto em sua testa. O mesmo foi demorado e nele ele tentava demonstrar o que já tinha dito. Aquele beijo significava o respeito que ele tinha para com ela. 


Notas Finais


eai? o que acharam? estão odiando a Kimberly? kkk
#comente e até o proximo,
#bj he


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...