História Veela - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Tags Camila Cabello, Colegial, Justin Bieber, Mitologia, Veela
Visualizações 1.803
Palavras 3.274
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Escolar, Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Magia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 21 - Efeito Veela


 22 horas e 45 minutos

 

          Já havia se passado horas que Ashley já estava  desmaiada e Justin começava a ficar preocupado.

         Depois dela ter desmaiado na sala de música Justin a levou para o quarto, e como sua roupa estava suja de sangue, tanto por causa da crise que ele havia dado, quanto da marcação , o garoto decidiu tira-la.

         Ashley encontrava-se deitada na cama coberta com um edredom, pois o ar condicionado deixava o quarto mais frio.

         Justin já não estava aquentando mais vê-la desacordada e decidiu ligar para Chaz.

         — Chaz?

          — o que aconteceu, Justin. Você está bem?

         — Eu estou ótimo, mano.

         — ainda bem. — respirou mais aliviado.

         — Mas com a Ashley não

         — o que aconteceu com ela?

          — eu a marquei. Ela desmaiou e já está assim a um bom tempo. O que eu faço?

         — cara, isso é ótimo. Agora só falta a consumação. Quanto o desmaio isso já era previsto. Relaxa mano, ela deve acordar amanhã de  manhã. O tranquilizou.

         — ok!

         Justin desligou o celular e olhou mais uma vez para Ashley desacordada. O corpo do garoto estava cansado e tudo que ele precisava era de descanso. Ele tirou sua roupa ficando só de boxer e deixou na cama ao lado da garota.

        

                 11 horas e 30 minutos, sábado.

    

         Ashley lentamente abriu os olhos e analisou o local ao seu redor. Quando percebeu que não estava em seu quarto e sim no de Justin. Ela tomou um susto e sentou rapidamente na cama.

De longe ela ouviu um barulho de água, vinha  do banheiro. O barulho parou e da porta saiu Justin só de bermuda.

      Quando ele percebeu que Ashley já estava acordada sorriu e foi até a cama.

     — Bom dia, meu amor. — Justin falou engatinhando na cama e beijou Ashley.

      — Justin, você pode me explicar o que aconteceu, e por que eu estou aqui? Mamãe vai me matar. ― Ashley falou desesperada.

      — Hey, calma. Você desmaiou e eu te trouxe para cá. — a beijou novamente.

      — você poderia acender a luz?

      — claro. — Justin levantou e foi até o interruptor.

     A luz foi acessa e clareou o quarto por completo. Ashley se descobriu e levou um susto. Ela só estava de roupa íntima.

      — Justin, o que aconteceu entre nós ontem a noite? ― perguntou tentando manter a calma.

       —nada, já falei. — ele respondeu enquanto procurava uma roupa no closet.

       — então você pode me explicar o que significa isso?

     Justin chegou da porta do closet e encarou Ashley. Um sorriso malicioso formou nos lábios do garoto.

     — Wow. — umedeceu os lábios.

      — Wow? Seu cafajeste. — Ashley levantou da cama com raiva. — você fez sexo comigo a força? — começou a estapeá-lo.

      — eu? Eu nunca faria isso com você. — respondeu rindo enquanto ela descarregava sua raiva. —  estou falando “Wow” por causa disso.

         Ele a puxou para o closet e pararam em frente o espelho.

         — o meu “ Wow” é por causa disso.

          Apontou para o espelho no qual refletia a imagem dos dois. Ashley abriu a boca em sinal de espanto. A transformação tinha sido intensa.

 O corpo dela havia mudado,  tudo havia ficado mais  aprimorado. Seus seios que antes eram pequenos, agora estavam grandes e o sutiã P  não suportavam seus seios. Era necessário um M ou até quem sebe um G.

       Descendo mais um pouco analisando seu próprio corpo ela percebeu as belas curvas, que antes  não havia em seu corpo. Coxas bem torneadas, sem exagero. Suas nádegas estavam maiores e poderia ser resumida em duas palavras, empinada e redonda.

          Os cabelos de Ashley estavam em um tom mais claro, mas não chegava ser loiro. Poderia ser definido como um castanho claro.

         — Justin, o que aconteceu comigo?

         — Acho que isso é efeito da marcação.

         Ashley passou as mãos pelo seu corpo para ver se aquilo era verdade. E sim era verdade.

         — onde estão minhas roupas?

         Ela perguntou ainda meio aérea.

         — elas estavam sujas de sangue, então eu mandei para lavar.

         — será que já está seca? — olhou para ele.

         — não. A empregada só chega as oito e começa o serviço às dez. Com certeza ainda não está limpa.

          — então como eu vou voltar para casa? — o encarou.

         — você pode ir com uma roupa minha. — deu de ombro.

         —Ok! Pega lá uma pra mim.

         Ele assentiu e começou a procurar alguma coisa para Ashley vestir. Ele pegou uma camiseta de um time de basquete e uma jaqueta.

         — toma. — entregou para ela as duas peças.

          Ashley pegou a blusa e a jaqueta e começou a vesti-las. Justin ficou admirando-a, suas curvas estavam fazendo sua imaginação aflorar e controlar-se para não agarra-la estava difícil.

         ―Ashley, posso fazer uma coisa? ― Justin perguntou enquanto media Ashley, que estava de costas.

         ―O que seria?

         ―Isso. ― ele disse dando um tapa estalado nos glúteos da garota.

         ―AI. ― ela gritou colocando a mão no local. ― Por que você fez isso? ― olhou para o garoto.

         ―Desculpa, mas eu não resisti. ― respondeu rindo. ― Ela está muito convidativa para dar uns tapas. E fazer outras coisas também. ― sorriu malicioso.

         ―Nem pense nisso. ― o repreendeu. ― está doendo, sabia? ― reclamou passando a mão pelo local novamente.

         ―Desculpa, amorzinho. ― aproximou-se dela. ― Vem cá, vem. ― a puxou pelas mãos.

         ―Não, me solta. ― resmungou.

         ―Não. ― ele apertou a cintura dela e a beijou rapidamente.

         ―Me leva pra casa. ― pediu. ― Mamãe já deve esta quase acionando a policia.

         ―Claro que não. ― riu. ― ela sabe que você dormiu aqui. Eu liguei avisando.

         ―O QUE? ― perguntou assustada. ― VOCÊ FALOU COM A MAMÃE?

         ―Sim. ― deu de ombro.

         ―Ah, meu Deus. ― colocou as mãos na cabeça. ― ela deve esta pensando que fizemos sexo. ― abriu a boca em sinal de espanto.

         ―Isso seria bom. Você quer? Seria legal e prazeroso. ― Sorriu de lado.

         ―NÃO! ― negou e saiu do closet.

         ―Ei, espera aí. ― Justin saiu do closet atrás de Ashley. ― Eu só estava brincando. ― segurou o braço dela antes que pudesse sair do quarto. ―Vamos descer e tomar café, aposto que está com fome.

         ―Um pouco. ― deu de ombros.

         ―Um pouco? ― riu. ― eu ouvi sua barriga roncando.

         ―Para, seu bobo. ― riu e deu um tapa no braço dele.

                            ***

         Justin e Ashley estavam sentados em uma pequena pesa que havia na copa da cozinha. A mesa estava repleta de coisas.  Ashley comia bolo de laranja e suco de maracujá, enquanto Justin comia pão de queijo e leite com açúcar.

         ―Ashley. ― ele sujou o dedo com Nutella.

         Ashley o olhou e recebeu nutella em seu rosto. Justin sujou as bochechas dela.

         ―Justin. ― reclamou tentando limpar o  rosto enquanto Justin ria.

         ―Deixa que eu limpo. ― ele puxou a cadeira dela para mais perto.

         Ele segurou o rosto dela e passou a língua pela bochecha tirando a Nutella.

         ―Justin, não faz isso. ― Ashley reclamou rindo enquanto ele fazia a mesma coisa na outra bochecha.

         ―O que? ― perguntou inocentemente. ― eu falei que ia limpar, ué. ― riu.

         ― E agora eu estou com sua saliva no meu rosto. ― reclamou.

         ―Você pega minha saliva quando nós nos beijamos. ― riu.

         ―Isso é diferente. ― deu de ombro.

         Ele a puxou e fez com que ela sentasse em seu colo.

         ―Posso experimentar uma coisa?  ― Justin perguntou.

         ―Hm, você vai aprontar alguma.

         Justin riu e pegou o pote de nutella que estava na mesa e passou um pouco na boca de Ashley. Ela ficou olhando sem entender, até que Justin a puxou para um beijo. A garota sorriu entre os lábios do garoto e começou a corresponder o beijo.

         Uma coisa pode ser notada, Ashley estava mais vulnerável a Justin. Ela por si próprio estava avançando para um beijo mais quente. Justin fez com que ela sentasse com as pernas uma a cada lado do seu corpo, os deixando bem próximo.

         Ashley não reclamou e nem recusou o ato. Ela passou os braços pelo pescoço dele, enquanto Justin subia suas mãos por debaixo da blusa que ela usava, chegou até a calcinha,  acariciou a intimidade dela por cima do pano, e percebeu que estava começando a ficar molhada. Ela estava excitada.

         Em um movimento involuntário ela rebolou no colo de Justin sentindo claramente a ereção do garoto. Ambos arfaram. Ele voltou a subir suas mãos passando pela barriga até chegar aos seios dela. Justin apertou os seios da garota levemente fazendo um choque de realidade vir a tona para ela.

         A garota parou o beijo e levantou rapidamente do colo de Justin. Ela o olhava reprimida tentando esconder o corpo. Ela estava envergonhada pelo que havia acontecido.   

         ―E-e-eu quero ir embora. ― sussurrou.

         ―Ok, eu vou te levar. ― levantou da mesa.

                            ***

                   13 horas e 20 minutos

         ( casa da Ashley)

        

         Justin estacionou o carro em frente a casa e ambos saíram do mesmo.

         ―É melhor você não entrar. ― Ashley falou.

         ―Ok! ― Justin não retrucou. ― Se você quer assim. ― deu de ombro.

         ―É melhor. ― sorriu fraco. ― Tchau. ― deu um selinho nele.

         ―Espera. ― segurou o braço dela. ― Eu quero te pedir uma coisa. Como eu faltei duas semanas você pode me dar algumas aulas? Só para eu não ficar perdido e tirar notas ruins.

         ―É claro que sim, meu amor. ― sorriu.

         ―Repete. ― Justin falou com um sorriso bobo nos lábios.

         ―Repetir o que? ― perguntou confusa.

         ―O que você disse.

         ―É claro que sim?

         ―Não, a outra parte.

         ―Meu amor?

         Ele assentiu e sorriu.

         ―Essas palavras saindo da sua boca é a melhor melodia que eu já ouvi. ― a puxou pela mão. ― Você não sabe o quão grande é o meu amor por você. ―a beijou.

         ―Ok, Ok. ―afastou-se. ―agora eu tenho que ir. Amanhã você vem e  começamos a estudar. ― deu de ombro.

         ―Amanhã? Não pode ser hoje? Hoje eu não vou mais te ver?

         ―Justin, não é tanto tempo assim. ― ela riu.

         ―Para mim é. ― riu também.

         ―Tchau. Qualquer coisa me liga. ― fez o sinal do telefone e caminhou na direção de sua casa.

         Ashley chegou a porta de sua casa e antes de entrar virou para ver se Justin ainda estava lá, e estava. Ele sorriu para ela que retribuiu.

         A garota abriu a porta e entrou. A sala estava silenciosa, com certeza seus pais deveriam ter saído.  Caminhou até as escadas e quando ia subir foi surpreendida.

         ―Aonde você vai, mocinha? ― a voz da sua mãe lhe fez parar.

         Ashley virou pra trás e riu sem graça. Seus pais a olhavam de cima a baixo.

         ―Você tem algo a contar? ― Jacob perguntou.

         ―Eu juro que não fiz nada de errado. ― se defendeu.

         ―Ok. Então aonde estão suas roupas? ― Jacob a olhou de cima em baixo.

         ―E seus óculos? ― Clara completou.

         ― Óculos? ― Ashley colocou a mão no rosto.

         Ela não havia percebido que estava sem óculos, o que era estranho, pois ela não enxergava praticamente nada sem os óculos.

         ― Esqueci na casa do Justin. ― sorriu fraco. ― depois ele trás para mim.

         ― É sobre isso que queremos falar com você. ― Jacob tomou a palavra. ― que historia é essa de dormi na casa dele? E ainda por cima não ter a coragem de nos ligar para avisar. Mandou ele fazer uma coisa que você deveria ter feito.

         ―Desculpa. ― falou em um sussurro. ― Não era minha intensão dormir lá. Foi um imprevisto. ― retorceu os lábios.

         ―Imprevisto? Espero que vocês tenham se prevenido nesse imprevisto. ―Jacob rebateu.

         Ashley levantou a cabeça rapidamente.

         ―Papai, Justin e eu não fizemos sexo. Eu juro.

         ―Sei. ― riu fraco. ― Você dormiu lá, voltou com as roupas dele e nada aconteceu?

         ―Sim. ― deu de ombros.

         ―Ashley, já para o seu quarto. ― Jacob ordenou.

         Ashley subiu as escadas correndo e rapidamente trancou-se em seu quarto.  A primeira coisa que ela foz foi tirar a roupa e tomar um banho. Seu corpo estava exausto e sua mente confusa.

                            ***

                   17 horas e 30 minutos

        

         Ashley ainda permanecia trancada em seu quarto. a garota estava sentada em sua cama fazendo exercícios de historia, quando ouviu alguém bater na porta. Ela parou o que estava fazendo e foi ver quem estava na porta. Quando abriu era a sua mãe.

         ―Posso entrar? ― Clara perguntou.

         A garota assentiu e deu passagem para a mãe entrar. Clara caminhou até a cama e sentou na mesma. Ashley a acompanhou.

         ―Precisamos conversar. Seu pai e eu iriamos ter essa conversa junto com você. Mas eu achei melhor ser só nós duas. É menos constrangedor.

         Ashley franziu o cenho.

         ― Você e Justin se preveniram ontem?

         ―Mamãe, eu já disse. Justin e eu não fizemos sexo.

         ―Minha querida, não precisa ter vergonha. Eu sou sua mãe e você pode se abrir comigo.

         ―Mamãe, eu sou virgem.

         ―OK! ― Clara fingiu render-se. ―Mas você tem que saber alguns métodos.

         ―Que métodos? ― Ashley perguntou assustada.

         ―Camisinha é um deles. ― Ashley assentiu. ― Toma. ― Ela entregou algumas camisinhas para Ashley. A garota olhou espantada.

         — Mãe, eu não vou fazer sexo com o Justin. — falou mais uma vez.

         — Ok, mas guarda. — falou.

         — Ok! —revirou os olhos. — O Justin pode vir aqui amanhã? Ele faltou aula duas semanas e eu vou ajuda-lo com a matéria.

         Clara a olhou com um olhar de segundas intenções.

         — Depois diz que não vai fazer nada. — riu fraco.

         — mas eu não vou.

         — ok! — Clara levantou da cama. — eu vou preparar o jantar. E sim ele pode vir amanhã.

         Ashley riu fraco. Clara balançou a cabeça e saiu do quarto.

         Depois de esperar por alguns minutos Ashley pegou seu celular e discou o numero de Justin. Começou a chamar.

         ―Pensei que tinha esquecido de mim. ―Justin falou do outro lado da linha.

         ―Como te esquecer? ― Eles riram. ―Onde você está?

         Ashley perguntou ao ouvir barulhos estranhos do outro lado da linha.

         ―Estou chegando em uma boate. Aqui tá muito louco e tem varias gatinhas. ― Justin riu.

         ―Gatinhas? É bom saber disso, senhor Bieber. Não precisa me procurar mais. Ok? ― Ashley falou enciumada e com raiva.

         Justin gargalhou do outro lado da linha.

         ―Eu estava brincando, meu amor. Não estou em boate nenhuma, estou na casa do Chaz. O barulho que você está ouvindo é do GTA que os dois estão jogando.

         ―Aham sei.

         ―Estou falando serio. ― riu. ― Que pena que não posso ir aí hoje à noite. Dormir sozinho em casa será muito entediante.

         ―Dorme na casa do Chaz.

         ―Não, a mãe dele está em casa e ela é cheia de nóia. ― sussurrou.

         ―Eu estou ouvindo, Justin. ― Chaz gritou de longe. ― E para sua informação ela não é cheia de nóia. Ela só acha que você é uma péssima influencia para mim.

         ― Isso é verdade. Justin é uma péssima influencia para todos. ― Ryan completou rindo.

         Ashley riu.

         ―Concordo com vocês.

         ―É complô contra minha pessoa agora? ― Justin se fez de vitima.

         ―Não. Imagina. ― Ashley riu.

         ―Senhorita Jhonny, você gostaria de vir para cá?

         ―Não. ― parou de rir. ―Meus pais já estão falando por que dormi  na sua casa. Imagina ir para uma casa cheia de garotos.

         ―Mas o seu namorado vai está aqui. Isso conta muito.

         ―Continuo recusando. ― concluiu. ― Vou ter que desligar. Mamãe daqui a pouco vai chamar para o jantar. Beijos.

         ―Beijos. Estou com saudades.

         ―AÍ, QUE VIADAGEM! ― os garotos giraram

         ― Viados são vocês. Bando de cuzões. ― Justin rebateu. ― Eu te amo, gatinha.

         ―Eu também te amo, amorzinho. ― falou rindo.

                                     ***

 

                   00 hora e 30 minutos, Domingo

        

              O quarto de Ashley restava silencioso. A garota dormia tranquilamente. Um barulho quase imperceptível invadiu o quarto, era o barulho de alguém abrindo a janela. Era Justin.

         O garoto estava no beiral da janela tentando abrir a mesma, o que não foi muito difícil. Aliais,  para veela nada é difícil. A janela foi aberta e o garoto entrou, assim como um vento frio. Para que ela não percebesse sua presença antes  da hora o garoto fechou a janela rapidamente.

         Ele começou a aproximar-se da cama em passos lentos. Ashley ainda dormia tranquilamente. Justin tirou os sapatos lentamente e subiu na cama engatinhando. Ele deitou ao lado dela vagarosamente. A cama de Ashley era uma “ cama de viúva”, como muitos apelidam. Ela é maior que uma de solteiro e menos que uma de casal.

         Justin tocou o rosto dela  lentamente. Ela teve um espasmo e passou a mão pelo rosto. Justin passou a ponta de seu dedo lentamente pelo nariz. Ela repetiu o mesmo ato dormindo. O garoto segurou a risada.

         O garoto resolveu avançar mais. Ele levantou um pouco o corpo, fazendo de apoio seu próprio braço, e tocou seus lábios nos da garota. Ela abriu os olhos rapidamente assustada, quando ela ia gritar, mas ele prensou seus lábios contra o dela evitando o grito. Quando ela percebeu que era respirou mais calma. Justin afastou seus lábios dos dela.

         ―O que você está fazendo aqui? ― ela perguntou baixo enquanto sentava na cama.

         ― Estava muito chato na minha casa. Eu estava sozinho, sem ninguém, sem você. Então decidir vir para cá.

         ―Você está louco. Mamãe vai me matar. Por que não esperou até amanha?

         ―Nossa. Não está gostando da minha presença?

         ―Não é isso. ― Passou as mãos pelos cabelos.

         ―E para a sua informação já é domingo. Então estou dentro do combinado.

         Ela o encarou e balançou a cabeça.

         ―Mas o que você veio fazer aqui?

         ―Vou dormi aqui ué.

         ―Ok. ―Ela deu de ombros, pois sabia que discutir não seria a melhor opção. ― Vou pegar um travesseiro para você.

         Ele assentiu. Ashley levantou da cama e caminhou com cuidado até o interruptor e acendeu a luz. Quando Justin bateu os olhos na garota não conseguiu conter o riso.

         ―SHIUUUU! Papai e mamãe vão acordar. ― Ela o repreendeu.

         Justin tapou a boca para abafar o riso.

         ―Do que você está rindo? ― colocou as mãos na cintura.

         ―Que pijama é esse? ― perguntou tentando abafar o riso, que era inevitável.

         ―Meu ué. ― Deu de ombros. ― O que há de errado nele?

         ―Ele é extremamente broxante. É serio. ― riu.

         Justin analisou mais uma vez a garota de cima a baixo. Ela estava vestida com um pijama rosa com estampa de vários porquinhos coloridos. O pijama praticamente engolia a garota, e parecia que ela havia pegado de alguma criança de oito anos que sofre de obesidade.

         ―Não tem nada demais nele. ― Ela olhou para si mesma.

         ―Não. Imagina. Esse pijama fica largo até para mim. Posso apostar que cabe dois de mim aí dentro. ― riu.

         ―Você é idiota. ― bufou.

         Ela voltou a fazer seu caminho até seu guarda-roupa, onde pegou um travesseiro. Quando voltou para capa o jogou em cima de Justin.

         ―Vai ficar com raiva de mim, gatinha? ― Ele tentou aproximar-se. Porem ela o negou.

         ―Você veio para dormir. Não foi? Então durma ou vá embora. ― respondeu com raiva.

         Justin a puxou pelo braço, para que ela se aninhasse em seu peito.

         ―Fica brava comigo não, gatinha. ― Beijou os cabelos da garota. ― Esse pijama é broxante, mas eu te amo mesmo assim. ―riu.

         ―É broxante? Logo agora que eu estava a fim de terminar o que estávamos fazendo na mesa da sua casa. ― Ashley provocou.

         ―Sabe de uma coisa? Ele nem é tão broxante assim. ― Justin respondeu inocentemente.

         ―Idiota. ― bateu no braço do garoto.

         Ela se aconchegou em no peito do garoto e fechou os olhos.


Notas Finais


espero que tenham gostado
no proximo cap tem mais badalação
bjs #comentem


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...