História Veela - Capítulo 26


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Tags Camila Cabello, Colegial, Justin Bieber, Mitologia, Veela
Visualizações 1.363
Palavras 2.320
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Escolar, Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Magia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


O AVISO DE INCESTO FOI ACRESCENTADO A FIC POR CONTER UMA PARTE NESTE CAPITULO, –E NAO SEI SE CONTERÁ NOS PROXINOS, MAS PROVAVELMENTE NAO . — QUE TRATA DO MESMO.

Capítulo 26 - Cine


13 horas e 45 minutos

                        ( Casa dos Butler)

 

      Na casa da família Butler tudo corria normalmente, o senhor  Butler estava na empresa, como sempre, e a senhora Butler deveria está torrando o cartão de créditos do marido nas boutiques da cidade. 

     Já seus filhos, Kimberly e Ryan estavam em casa. Kimberly como sempre estava em seu quarto tendo uma overdose de seus músicas preferidas escolhidas   a dedo no spotify.  Ryan estava na sala revirando a mesinha onde ficavam os números de telefones, tudo isso para achar o número da floricultura.

            ―Droga! ― Bufou com frustração. Pois não conseguira encontrar o que queria. ―  Esther. ― chamou.

            Não demorou  minutos e uma mulher aparentando ter trinta e três anos de idade, trajada de roupas de criada, apareceu na sala.

            ―Sim, senhor Butler. ― falou.

            ―Você sabe onde está o número da floricultura? ― perguntou enquanto olhava para os lados, tentando encontra-los.

            ―Vou busca-lo. ― falou e voltou para a cozinha.

            Ryan bufou e se jogou no sofá. Não demorou muito e ela voltou com o cartão da floricultura e o entregou.

            ―Aqui está, senhor. ― falou.

            ―Obrigado. ― agradeceu.

            Ele não perdeu tempo e discou o numero que estava no cartão. Deu três toques e atenderam.

            ―Boa tarde,  floricultura raios de sol. Em que posso ajuda-lo? ― uma voz feminina falou do outro lado.

            ―Eu queria encomendar um  buque de flores.

            ― De qual modelo  e flor seria?

            ―Rosas vermelhas e sem espinhos. Pode ser do modelo tradicional.

            ―Sim.  E onde devemos entregar?

            Ryan pensou um pouco e logo passou o endereço de Ashley.

            ―Custarão 60 dólares.

            ―Ok. Coloque na conta do Senhor Butler.

            ―Nós agradecemos pela preferencia. Dentro de poucas horas o buque estará no endereço desejado.

            ―Obrigado. ― agradeceu e desligou o telefone.

            O garoto jogou o telefone no sofá e passou as mãos pelo rosto.

            ―Vai mandar flores para quem, irmãozinho? ― A voz de Kimberly invadiu a sala.

            Ele revirou os olhos e levantou do sofá.

            ―Hein, irmãozinho. Não vai responder?  ― insistiu.

            Ryan a ignorou e foi andando para a cozinha.

            ―Ah, vai. Conta. ― pulou nas costas do irmão.

            ―Ah! Para de ser chata. ― Ryan reclamou.

            ―Se você me disser eu paro. ― o encarou.

            ―É para a Ashley. Está satisfeita? ― a encarou.

            Kimberly o olhou com uma expressão de desagrado.

            ―Ashley. Ashley. Ashley. ― falou. ― de uma hora para a outra essa garota passou a ser o centro do universo.  ― caminhou até a geladeira onde pegou uma jarra de suco.  ― Cuidado, maninho, o Bieber não vai gostar nada de saber que você está mandando presentes para a nova namoradinha dele.

            ―Não fala besteira. ― pegou a jarra da mão dela. ― ele sabe. ―  colocou um pouco de suco em um copo.

            ―Hum! Então quer dizer que vocês estão partilhando a rata da biblioteca? ― se aproximou do irmão, que a encarava. ― Orgia Ryan. ―riu de canto. ― Estou me sentindo excluída. Nem me chamaram para participar, ou, assistir. ― riu debochada.

            Ela começou a desenhar linhas imaginarias no peito do garoto e foi subindo até a boca.

            ―Eu ia adorar ver vocês dois fodendo a ratinha. ― falou bem próxima dos lábios do irmão. ― Vai falar que você não tem essa curiosidade? ― riu fraco. ― Admiti que você já se imaginou no lugar do Bieber fodendo a nerd.

            Um calafrio atingiu o corpo do garoto o fazendo arrepiar.  Kimberly percebeu a reação do irmão e riu.

            ―Você está louca. ― ele a empurrou e saiu da cozinha apressadamente.

                        ***

                        14 horas e 30 minutos

                        (casa do Chaz)

 

                        Depois de sair da lanchonete, que havia perto da casa do Chaz, Justin e Ashley seguiram até a casa do amigo. Não foi necessário chamar ou esperar o portão ser aberto, pois o mesmo abriu-se assim que o carro parou na frente. Justin dirigiu até perto da casa do amigo e estacionou. Ambos saíram do carro e caminharam até o interior da casa.

            ― Pensei que não chegariam nunca. ― Chaz cumprimentou os dois.

            ―O esfomeado do Justin quis parar na lanchonete. ― Ashley falou rindo.

            ―Ei, olha quem fala. ― a encarou rindo.

            ―Mas diga em que devo a honra das ilustres visitas? O dia de trabalhar no projeto mudou?

            ―Não. ― Justin falou. ― Estamos aqui por outra coisa. ― se jogou no sofá.

            ―E o que seria? ― Chaz sentou no outro.

            ―Minha pequena. ― Justin puxou Ashley pelo braço, fazendo a garota cair em seu colo.

            Ao sentir os corpos tão próximos ela corou.

            ―Não precisa mais dos óculos. ― acariciou os cabelos dela.

            ―Como assim não precisa mais?

            ―Na marcação o corpo dela se aprimorou. ― Justin a mediu. ― E isso incluiu a visão. Ela não tem mais nenhum problema. A visão dela está perfeita.

            ―E o que há de errado nisso? ― Chaz perguntou  confuso.

            ― Minha mãe não sabe dessa historia de veela. ―Ashley falou. ― e eu não posso simplesmente aparecer em casa sem óculos e falar que eu estou curada. Meus pais não acreditariam.

            ― Entendo. ― concordou. ― em que posso ajudar?

            ―Você tem lentes sem grau para esses óculos? ― Ashley perguntou entregando os óculos a ele.

            Chaz analisou bem os óculos e lembrou-se que tinha óculos parecidos com aqueles, só que sem grau, pois usava apenas por estilo.

            ―Tenho sim. ― falou. ― Vou ao meu quarto e volto com suas novas lentes.

            O garoto levantou e subiu as escadas rapidamente. Justin e Ashley continuaram  na sala, Justin acariciava as coxas de Ashley, enquanto ela acariciava os cabelos dele.

            ―Amor. ― ele a chamou.

            Ela o olhou.

            ―Vamos ao cinema hoje? Tá passando um filme legal. ― falou.

            ―Ok. ― deu de ombros. ―Iremos em qual sessão?

            ―Das oito horas. O que acha?

            ―Pra mim está bem. ― sorriu e lhe deu um selinho.

            Justin a impediu de se afastar e iniciou um beijo. Sua língua pediu passagem e ela deu prontamente. As mãos do garoto desceram até a cintura dela, apertando-a, ela arfou. Para o beijo ficar mais confortável Justin passou as pernas de Ashley uma para cada lado de seu corpo, onde apertou as coxas dela com força.

            ―Justin. ― falou entre o beijo.

            Mas ele ignorou e continuou a beija-la com mais fervor.

            ―Justin. ― se afastou milimetricamente. ― Estamos na sala do Chaz.

            ―O que tem? ― beijou o pescoço dela. ― Ele está lá em cima e nós aqui em baixo.

            ―E se alguém nos ver?

            ―Só está o  Chaz e nós.

            ―Mas Justin... ― gemeu quando o garoto mordeu seu pescoço.

            ―Gatinha, não iremos fazer nada demais. ― a encarou. ― Só estamos nos beijando.

            ―Desse jeito? ― se afastou um pouco e olhou para a posição que os dois estavam.

                        Justin deu de ombros.

            ―Vamos continuar o que estávamos fazendo que é melhor. ― falou e voltou a beija-la.

            Logo ouviram alguém limpando a garganta para chamar atenção.  Separaram-se rapidamente. Quando viu era Chaz.

            ―Então, seus óculos estão aqui. ― os entregou para Ashley.

            ―Muito obrigada. ― Sorriu.

            ―Não a de que. ― deu de ombros. ― estamos aqui para isso. ― riu.

            ―Chaz, você quer ir ao cinema com a gente? ― Ashley perguntou. ― Justin falou que está passando um filme legal.

            Justin a encarou, só que ela não percebeu. Chaz e ele ficaram trocando olhares, e os do Justin berravam um “ Não ouse aceitar.”

            ―Acho melhor não. ― falou. ― É um programa de casal.

            ―Você pode levar aquela garota de foi com você ao baile.  Que tal?

            Justin o olhou com cara feia novamente.

            ―Não. Acho melhor não.

            ―Hm! Que pena. ― a garota retorceu os lábios.

            ―Que pena, né? ― Justin falou fingindo tristeza.

           

                                    ***

                        7 horas e 30 minutos

                        ( Casa da Ashley)

           

            Ashley estava em seu quarto quando ouviu a campainha tocar. Rapidamente olhou pela janela e viu o carro de Justin estacionada em frente a sua casa, se apressou em terminar de se arrumar e desceu rapidamente as escadas.

            Chegando a sala Justin já estava a sua espera e quando a viu abriu um largo sorriso.  Ashley logo correspondeu e correu até ele o abraçando e beijando.

            ―Demorei?- a garota perguntou.

            ―Não. Acabei de chegar. ― sorriu. ― vamos? ― perguntou.

            ―Sim. ― riu e deu as mãos a ele. 

            Ashley despediu de sua mãe, Justin da sogra e saíram da casa indo em direção o carro.

            ―A proposito você está muito linda nessa roupa. ― Justin a elogiou.

            Ashley estava usando uma calça Jeans clara de cintura alta, uma blusa preta que aparecia um pouco da barriga e tênis.

            ―Obrigada. ― riu abertamente.

            Ele correspondeu ao sorriso.

            ―Já escolheu o filme? ― perguntou enquanto Justin a abria a porta do carro para ela entrar.

            ―Já. ― ele atravessou e entrou no carro, assim como ela.

            ―E qual vai ser? ― colocou o cinto de segurança.

            ―Não sei o nome. Mas é uma comedia romântica. ― respondeu enquanto dava a partida.

            ―Hm, legal. ― sorriu.

            ―Não gostou? ― a olhou rapidamente.

            ―Gostei. Mas é que nunca pensei que você gostasse de comedia romântica.  

            ―Minha namorada gosta, então eu gosto. ― deu um sorriso rápido.

            ―Poderia ter escolhido outro. Não iria ligar. ― ela deu de ombros.

            ―Ah, só agora que você me fala? ― fingiu estresse. ― Eu poderia assisti um de ação que vai lançar hoje, é super foda e eu estava muito a fim de ver.

            ―Não tem problema. Nós podemos ver esse, eu não me importo. ― Ashley encolheu os ombros ao falar.

            ―Eu estou brincando. ― Justin abriu um sorriso. ― Eu vou ver o filme com você. Deixa o meu para a próxima.

            ―Ok. Mas você não vai ficar bravo? ― perguntou baixo.

            ―Como ficar bravo com você? ― estacionou o carro e a beijou. ― eu te amo, pequena. ― acariciou a bochecha dela.

            ―Agora vamos. Antes que percamos a sessão. ― ela falou.

            Justin assentiu e saiu do carro, seguido de Ashley. Juntos ambos foram de mãos dadas até chegar ao cinema do shopping. Justin foi primeiro comprar os ingressos para o filme. Ele preferiu escolher uma das ultimas fileiras.

            Logo depois enfrentou uma fila um pouco grande para comprar pipoca e guaraná. Depois de comprar foi até Ashley, que estava sentada em um banco perto dos pôsteres dos filmes.

            ―Vamos? ― perguntou.

            Ela assentiu e levantou. Justin segurou a mão dela com uma mão e com a outra equilibrava dois baldes de pipoca e dois copos de Coca-Cola.

            ―Quer ajuda?

            ―Não. Eu dou contar. ― sorriu.

            Ao chegar na porta da sala o homem pediu os ingressos,  Justin os entregou e ambos entraram.  Rapidamente eles acharam seus lugares e se acomodaram. Não demorou e o filme começou.

                                   ***

            Depois de meia hora de filme Justin estava dormindo,  enquanto Ashley prestava atenção na grande tela e ria. Ao sentir um peso sobre seus ombros olhou para o lado.

            O que viu foi Justin esparramado na poltrona com a cabeça em sua encostada em seu ombro. Riu da forma que ele dormia, mas ficou com pena de acorda-lo, pois o mesmo dormia tão serenamente.

            ―Justin. ― o chamou com acalma.

            Ele logo despertou em um pulo e começou a olhar para o lado assustado, como se tivesse sido pego fazendo algo de errado. Ashley não conseguiu  controlar e começou a rir, fazendo com que os outros que estavam na sala pedissem silencio.

            ―Justin, você estava dormindo. ― prendeu o riso.

            ―Eu? Dormindo? ― esfregou o rosto. ―  Eu estava apenas vendo a hora no seu relógio de pulso.

            ―Aham, sei. ― o encarou.

            ―Vamos assistir o filme. Tá muito interessante. ― se ajeitou na poltrona e encarou o telão.

            Ashley balançou a cabeça e voltou sua atenção para o telão também.

           

                                   ***

              1 hora e  10 minutos, Quarta-feira.

                        ( casa dos Butler)

           

            A passos lentos Kimberly sai do seu quarto e caminha pelo corredor até a porta do seu irmão. A mesma estava entreaberta, ela abre vagarosamente e adentra o cômodo. O lugar estava escuro e a única luz que havia era a do abajur do lado esquerdo da cama, que era o lado que Ryan dormia.

            Ela não se importou com isso e foi caminhando lentamente até a beira da cama, tirou os chinelos e subiu engatinhando na cama. A cada movimento ela se aproximava do irmão era um espasmo que ele tinha. Quando chegou ao quadril ela sentou o prendendo entre suas pernas. Ela o admirou.

            Suas mãos começaram a passar lentamente pelo peito desnudo do irmão e deu uma leve rebolada. Ryan acordou assustado.

            ―O que você  está fazendo? ― perguntou a encarando.

            ―Não está obvio? ― remexeu mais uma vez. ― Que tal nós brincarmos daquilo novamente, hein?

            Inclinou-se para frente e o beijou.  

            ―Para, Kimberly. ― a afastou. ― Nós prometemos que isso nunca mais iria se repetir. ― falou serio. ― Você não acha estranho dois irmãos se pegando?

            ―Não. Não acho. ― deu de ombro. ― Você bem que gostou de fazer. ― o encarou. ― Ryan,  depois que o Justin começou a se envolver com aquela rata eu nunca mais transei com ninguém. ― falou manhosa.

            ―Problema é teu. ― deu de ombros e tentou levantar.

            ―O problema é meu, mas quem vai resolver é você. ― o impediu de levantar.

            Kimberly vestia apenas uma lingerie, o que facilitava as provocações. E foi isso que ela fez, lentamente abriu o sutiã de renda na cor vermelha deixando seus seios fartos expostos.

            ―Volta para o seu quarto. ― Ryan falou.

            ―Não enquanto você não se satisfazer, irmãozinho. ―o encarou. ― Vai dizer que você não está com saudades deles?

            Ela inclinou-se para  frente deixando seus seios fartos no rosto do irmão.

            ―Vamos nos arrepender disso depois. ― Ryan respondeu com voz arrastada.

            ―Desde que eu esteja satisfeita. ― sussurrou no ouvido dele com voz sensual.


Notas Finais


eai povo. Desculpa pela demora em atualizar. é que eu estou atulhada de coisas pra fazer e manter quatro fics em andamento não é nada facil, mas espero que tenham gostado
#comentem


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...