História Veela - Capítulo 31


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Tags Camila Cabello, Colegial, Justin Bieber, Mitologia, Veela
Visualizações 1.172
Palavras 3.661
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Escolar, Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Magia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 31 - This is not the end


Na sala a única coisa que reinava era o silêncio, deixando o clima mais pesado do que já estava, os pais de Ashley a encarava com suas expressões fechadas, fazendo com que a garota encolhesse os ombros e sentisse seu coração na boca. O clima na sala estava realmente pesado, o silêncio torturante ainda reinava, até que seu pai, Jacob, proferiu palavras de questionamento a garota.

         ―Eu quero saber da sua boca o que você estava fazendo na noite de sábado. E eu peço que não minta, será pior. ― disse Jacob tentando mantar a calma.

         Ashley engoliu o pouco de saliva que restava em sua boca e o encarou. Suas pernas tremiam e ela tentava vasculhar sua mente atrás de uma desculpa plausível, mas não encontrou, então em resposta encolheu ainda mais os ombros e abaixou a cabeça.

         ― Vejo que eu mesmo vou ter que falar. ―Jacob soltou o ar dos pulmões e proferiu tais palavras. ― O que você pensa ao sair para uma festa, se embebedar e dançar igual uma mulher da vida para um monte de playboys?

         ―Eu...

         ―Não. Não. Não ― a interrompeu. ― Eu acordo no domingo de manhã com um garoto batendo na minha porta para devolver as roupas da minha filha, e dizer que ela esqueceu na casa dele na noite passada, pois saiu de lá carregada.

         ―Mas pai eu posso...

         ―Pode o que? ― a interrompeu. ― Explicar? ― perguntou indignado. ― Como você vai explicar isso? Como você vai explicar meu amigo de trabalho ter ligado para mim  e dizer que viu um vídeo seu dançando igual uma vadia em uma festa? ― em sua voz agora havia raiva. ― HEIN, ASHLEY? ― gritou com fúria.

         ―Calma, Jay. ― Clara tentou acalma-lo.

 ― Como você pode pedir para que eu tenha calma, Clara. Eu não criei filha minha para ser vadia. ― gritou com Clara e virou para Ashley. ― foi para isso que ela começou a namorar aquele mauricinho? Para ele a levar para o mau caminho? ― voltou a encarar Clara.

Ashley nesse momento tentava ao máximo sufocar seu choro, mas ele insistia em não sair silencioso, e para piorar, denunciava sua existência escorrendo como lagrimas no rosto da garota. Um lixo, isso que ela estava se sentindo naquele momento, ouvi tais palavras da boca de seu próprio pai a feriu de uma forma inexplicável. Ele sempre fora seu herói, o que sempre a protegeu e elogiou, e nesse momento proferia palavras de ofensa e decepção. Isso, para ela, era o fim.

― Eu te criei com tanto amor, tanta dedicação. ― Jacob tentava acalmar a voz. ―passei noites fazendo horas extras, para que nada te faltasse a você, sempre investi na sua educação. Eu fiz por você o que seus avós não puderam fazer por nós. ― ele apontou para Clara e si próprio. ― Onde eu errei com você, Ashley? ― falou decepção.

Ashley só chorava, nada mais. Ela levantou o rosto para tentar encarar seu pai nos olhos, e quando isso aconteceu, viu seus olhos marejados. Doeu. Doeu mais que um murro no estômago.

― Sobe para o quarto. ― ele respirou fundo e falou com firmeza.

Ashley não retrucou, nem concordou. Somente saiu correndo da sala, subiu as escadas em uma velocidade absurda, varreu o corredor igual o vento  e entrou em seu quarto, trancando a porta e escorregando por ela até seu corpo atingir o chão por inteiro. E assim ela chorou, chorou muito, chorou sem se importar com nada, somente em libertar sua dor através do choro, que escorreu pelas suas bochechas.

***

Ashley acordou com um vento frio batendo em suas coxas, abriu os olhos e se assustou quando percebeu a superfície gelada no qual estava deitada, era o chão, sem percebe ela caiu no sono enquanto chorava. A garota sentou e analisou o quarto por completo, o mesmo estava escuro, a única fresta de luz que o invadia era a que vinha pela janela, pois a mesma estava aberta.

Reunindo de onde não tinha ela se levantou do chão e caminhou até a janela, que estava aberta. O celular, que estava em cima de sua mesinha de estudos, começou a vibrar, ela olhou e constatou que era Justin que ligava. Deixou tocar, até que a ligação caísse, respirou fundo e só assim pegou o celular.

“ Não venha me buscar amanhã. Nos encontraremos na escola”

Ashley enviou a mensagem e respirou fundo mais uma vez. Não demorou muito e o celular vibrou. Era a resposta de sua mensagem.

“ Por que? O que aconteceu?”

Retorceu os lábios e começou a digitar a resposta.

“As coisas não estão nada boas aqui em casa. Amanhã conversaremos.“

“ Ok! Boa noite. Eu te amo, não se esqueça disso. “

“ Eu também te amo.”

Ela recolocou o celular no lugar onde estava e caminhou até sua cama, se jogando na mesma.

***

 6 horas e 57 minutos, segunda-feira.

Ashley tomava seu café apressadamente, pois já estava atrasada, sua mãe, Clara, terminava de colocar a mesa de café, pois Jacob ainda não havia tomado seu café. A garota bebeu o ultimo gole de café que restava em sua caneca e levantou-se da mesa, passando por sua mãe rapidamente e  colocou a louça na pia.

― Tchau , mãe. ― Ashley despediu-se de sua mãe com um beijo estalado na bochecha.

― Cuidado, filha. ― ela a alertou.

―Sim. Sim. ― falou andando apressadamente, mas essa presa foi interrompida quando bateu em um corpo maior do que ela, levantou o rosto e viu o expressão cerrada.

― Avise para seu namoradinho que é para ele vir aqui, precisamos ter uma conversa séria.

Ashley assentiu e saiu rapidamente.

***

 7 horas e 30 minutos.

(Tiger High School)

Justin estava no estacionamento esperando por Ashley, mas mal ele sabia que a garota já havia chegado faz tempo. Impaciente ele bufou e verificou, pela milésima vez, seu relógio de pulso para ver que horas eram. Vinte para oito da manhã, essa era a hora que marcava no relógio do garoto, o estacionamento estava  praticamente vazio, só havia ele e mais um professor que acabara de chegar. Vendo que não viria mais ninguém ele resolveu entrar.

O garoto caminhou pelos corredores da escola ouvindo só seus próprios passos. Pelo seu horário de aula agora seria literatura, essa aula não era junto com Ashley. Ele passou em frente a sala e de lá dava para ouvir a voz  abafada da professora explicando alguma coisa, ele abriu a porta com cuidado, para não fazer barulho ou chamar a atenção, e entrou parando logo em seguida. O garoto correu os olhos rapidamente pela sala até encontrar um lugar perto de Ryan, seu amigo. Ele andou rapidamente até ele.

―Eai! ― Ryan o cumprimentou assim que sentou.

― Fala. ― fizeram o toque de infância.

―Pensei que não viria mais. ― Ryan cochichou.

―Fiquei esperando Ashley chegar. ― se espojou na cadeira. ― Mas acho que ela não veio. Você a viu? ― Ryan negou.

―Falando em Ashley, o que foi aquilo na festa do Toddy? Todos da escola estão comentando o ocorrido.  ― Ryan falou.

Justin soltou o ar dos pulmões e passou as mãos pelo rosto frustrado.

―A drogaram. ― respondeu enquanto coçava as pálpebras.

― Que? Como assim? ― o amigo questionou confuso.

―Foi isso mesmo que você ouviu, Ryan? ― o encarou rapidamente.

― Conte como isso aconteceu. ― falou curioso.

―Nem eu sei como isso aconteceu. ― bufou. ―muitas coisas aconteceram naquela noite, Ryan. Muitas coisas. ― olhou para o nada.

― Como?

― Depois eu te conto.

         ***

8 horas e 20 minutos

 

O sinal tocou, indicando que a aula havia terminado, os alunos começaram a guardar seus materias e caminharem até a saída. Ryan e Justin foram os últimos a sair da sala, logo depois entraram nos corredores abarrotados de alunos e professores. Todos andavam apresados para a troca de aula, mas Justin tinha presa em relação a outra coisa, encontrar Ashley. Seus olhos varriam os  corredores a procura da garota, mas não encontravam nada.

― Eai, vai me contar o que aconteceu, ou não? ― Ryan o tirou de sua busca.

―Sua irmã. ― Justin falou e voltou a procurar por Ashley.

― O que tem a Kimberly? ― Ryan perguntou confuso.

― Ela praticamente implorou para que eu a fodesse, quando eu fui pegar algo para a Ash beber.

― E o que isso tem haver com o showzinho que a Ashley deu para os marmanjos? ― Ryan perguntou confuso.

― Nada, mas eu acho que foi nesse meio tempo que deram a bebida para Ashley. ― bufou.

― Então para isso acontecer você demorou a voltar. ― Ryan o encarou. ―Justin, o que você estava fazendo naquela cozinha com a Kimberly?

Justin parou e respirou fundo, pensando se deveria ou não contar o ocorrido para o amigo. Ryan era de confiança, os dois sempre foram muito agarrado desde crianças, então não teria mal algum contar isso para o amigo.

― Eu fiquei com a Kimberly. ― Justin falou rapidamente.

― O que? ― Ryan perguntou assustado. ― Você e ela...

―Não, nós não transamos. ― Justin respondeu antes que ele pudesse terminar a pergunta.

― E Ashley sabe disso?

―Não e nunca saberá. Está ouvindo? ― perguntou sério.

― Ok! ― Concordou levantando as mãos em sinal de rendição.

O sinal tocou novamente indicando que a próxima aula iria começar, Justin respirou fundo e ajeitou a mochila nas costas e começou a caminhar para a sala, onde teria sua próxima aula. A próxima aula era de Geografia e junto com Ashley, o que deixava as coisas mais fáceis. O garoto parou em frente a porta da sala, a mesma estava escura pelo lado  de dentro, pois o projetor portátil já estava ligado, ele deu mais uma olhada pelo vidro antes de entrar, avistou Ashley sentada no canto contrario da sala, a mesma se encontrava de cabeça baixa. Ela estava triste, Justin deduziu.

Ao entrar viu que a maioria dos alunos já estavam sentados em seus lugares, e o que ficava perto de Ashley já estava ocupado com ninguém mais , ninguém menos do que Malk, amigo inseparável de Ashley, ou nem tão inseparável assim, levando em conta os acontecimentos de alguns meses para cá.

Justin andou até eles e parou encarando Malk, com um olhar de quem diz:’ é melhor você levantar, antes que eu te tire a força’. E o garoto respondeu com um  de ‘Minha amiga, meu lugar. Depois dessa guerra fria de olhares Justin bufou alto e resolveu lançar seu olhar verbalmente. Claro, com mais sutileza.

―Poderia me dar licença. ― falou ele tentando manter a calma, que já havia perdido na troca de olhares.

―Há outros lugares vagos, Bieber. ― o garoto com voz anasalada respondeu.

―Então... Sente você neles. ― Justin respondeu cinicamente. ― Porque eu vou sentar perto da minha namorada. ― sorriu amarelo.

―Eu já disse...- antes que o garoto terminasse a frase Justin travou o punho ameaçando, o que fez o garoto recolher seus matérias, que estavam em cima da mesa, e sair dali rapidamente.

Justin finalmente sentou onde tanto desejava e cumprimentou Ashley com um beijo rápido na bochecha, mas a garota continuou de cabeça baixa, não moveu nenhum músculo. O garoto franziu o cenho e a encarou, mas o véu que os cabelos dela formavam fez com que ela não percebesse tal ato.

―Amor. ― Justin falou com voz carinhosa e afastou os cabelos dela. Lágrimas foram notadas nos olhos da garota. ― o que aconteceu, meu amor? ― falou com voz calma.

Ela fungou e limpou seu rosto.

―Nada. ― respondeu tentando mantar a voz normal.

―Ashley, apesar do pouco tempo que te conheço eu sei discernir quando você sabe bem e quando não está. Então, fale. ― Justin acariciou o rosto de Ashley.

Ela viu que não adiantaria nada esconder as coisas de Justin, já que além de conhece-la, eles tinham uma ligação muito forte por causa da veela. Então, respirou fundo e virou um pouco do corpo para ele e tentou olhar fixamente em seus olhos.

― Papai já sabe de tudo. ― falou. Ele franziu o cenho. ―Papai já sabe do show que eu dei na festa do Toddy. ― esfregou o rosto. Justin arregalou os olhos. ―Pelo que eu entendi Toddy foi devolver minha roupa na minha casa, o que complicou tudo. ― engoliu o choro. ― um amigo do meu pai viu meu vídeo na internet e contou para meu pai. ― não aguentou e começou a chorar. ―Ele falou coisas horríveis para mim. ― escondeu o rosto.

―Oh, baby. ― Justin afagou os cabelos de Ashley. ― não fica assim, meu amor. ― a consolou.

Ashley respirou fundo e se ajeitou, antes que levantasse suspeitas.

―Papai falou que quer conversar com você. ― secou as lágrimas de seus olhos. ― ainda hoje. ― completou.

―Ok! ― Justin engoliu seco.

―Eu estou com medo dele falar para nós terminarmos. ― voltou a chorar. ― eu não quero que isso aconteça. ―tentou segurar o choro.

―Não. Isso não vai acontecer. ― ele falou rapidamente. ― Eu não vou permitir. ― a abraçou.

―Mas e se isso acontecer? ― o olhou.

―Não vai acontecer. ― afirmou. ― mas se isso porventura vier a ocorrer, nós daremos um jeito de nos encontrar as escondidas. ― beijou as bochechas dela de forma demorada, e ela em resposta assentiu, tentando encontrar firmeza e consolo nas palavras dele.

***

10 horas e 30 minutos.

Já era a hora do intervalo em Tiger High School e a maioria dos alunos ou estavam no pátio ou na cantina, excerto Kimberly e suas damas de companhia, Cindy e Brooklyn, as mesmas se encontravam no banheiro, como sempre, retocando a maquiagem para não deixar abalada a fama de impecável. Enquanto passava seu brilho labial em seus lábios carnudos, Kimberly era observada por Cindy e Brooklyn.   

― Quando você pretende mostrar as fotos para a ratinha? ― Cindy questionou.

Kimberly terminou o que estava fazendo e olhou para a amiga, a mesma estava com um sorriso sínico nos lábios.

―Fiquei sabendo que o aniversario da ratinha está próximo. ― sorriu de lado. ―pelos meus cálculos será em menos de um mês.

― E o que você pretende com isso? ―Brooklyn a interrogou.

―Não é obvio, minha querida amiga? ― sorriu debochado. ― vou dar esse lindo presente para ela.

As três se entreolharam e sorriram, uma mistura de malicia e crueldade.

―Já estou até imaginando a cara que a ratinha vai fazer quando vir as fotos. ― Cindy sorriu pensativa.

― Vai ser hilária. ― Brooklyn riu.

― Será a maior decepção da vida da ratinha. E se aquele incidente no baile não o separou, com toda certeza esse os separará. ― Kimberly sorriu maquiavélica e suas amigas acompanharam.

***

 12 horas e 45 minutos.

O sinal tocou pela ultima vez no dia, indicando que as aulas haviam terminados e os alunos poderiam ir para suas respectivas casas. Ashley e Justin juntaram suas coisas rapidamente, pois não queriam adiar mais a conversa que Justin teria com Jacob. Dessa conversa poderia esperar tudo, e infelizmente as piores coisas.

Ambos chegaram ao estacionamento, que estava repleto de carros, pois praticamente nenhum aluno tinha saído do prédio da escola, eles entraram no carro, assumiram suas posições e saíram do local.

O clima dentro do veiculo estava tenso, ninguém falava nada, somente pensavam e idealizavam como seria a conversa, e infelizmente as expectativas não eram boas.

Justin  estacionou o carro em frente a casa de Ashley e desligou o mesmo, o coração dos dois começou a bater mais forte, a porto de parecer rasgar o peito, eles se entreolharem e fizeram o mesmo movimento, de abrir a porta e sair. Justin  travou o carro e foi par ao lado de Ashley, sem aviso prévio ele a beijou, e nesse beijo eles transmitiram todos os sentimentos, todos os medos, todas as dores. Lágrimas rolaram pelos olhos dos dois, aquele beijo poderia ser o último.

Depois de se afastarem ambos seguiram de mãos dadas até a casa, antes de abrirem a porta ambos se entreolharam e respiraram fundo. Ashley deu a iniciativa e levou uma das suas mãos até a maçaneta, Justin pôs sua mão em cima da dela e juntos abriram a porta. Após entrarem na sala perceberam quem estava a espera deles. Jacob os encarava com uma expressão séria, o que fez ambos tremerem na base.

―Ashley, suba para o seu quarto. ― Jacob ordenou.

Ashley não retrucou e subiu rapidamente as escada, mas não teve coragem de ir para o seu quarto e ficou escurando parada um pouco depois da escadas, para escutar a conversa.

― Minha conversa é com você. ―Jacob foi ríspido com Justin, que engoliu seco. ― sente-se.

Assim Justin fez, sentou-se no sofá.

―Primeiramente eu queria deixar bem claro que o que aconteceu na festa foi...- Antes que Justin pudesse completar a frase Jacob o interrompeu.

―Que bom que você sabe o motivo da nossa conversa.

― Eu já imagino... ― Justin respondeu cabisbaixo.

―Então já imagina o quão desmoralizada minha filha está? ― o encarou.

―Jacob, eu posso explicar. ― Justin tentou.

― Então explique. ― foi ríspido.

―Alguém colocou algo na bebida da Ashley para ela ficar daquele jeito. Ela não é disso... E você sabe disso. ―tentou se justificar.

― Colocaram alguma coisa? ― perguntou sarcástico. ― então quer dizer que você levou minha filha para uma festa na qual sabia que haveria drogas ilícitas? ― o encarou.

―Sim, mas...

―Mas, o que? ― o encarou. ― Não há “ mas”, Justin. Você levou minha filia, minha inocente filha para um caminho sem volta.

―As coisas não são assim, Jacob. ― Justin tentou falar, mas logo foi interrompido por Jacob.

―Não são assim? ― o encarou. ―Então você quer dizer que você pode levar minha filha para esse tipo de festa, a drogar à ponto dela dançar igual uma vadia? ― Jacob elevou o tom de voz.

―Não...

―Então me diga o que, Justin... A imagem da minha filha está rodando pela internet e a imagem dela está sendo denegrida por aí e o que você me diz sobre isso? ― falou visivelmente alterado.

Justin apenas abaixou a cabeça e encolheu os ombros.

― Isso não tem ais volta, Justin. ― tentou normalizar o tom de voz, mas com a raiva que estava era quase que impossível. ― você não serve para a minha filha. ― as ultimas palavras fizeram com que Justin, mesmo sem coragem, encarasse Jacob cara a cara.

―Jacob, entenda uma coisa, nem eu nem, a Ashley tivemos culpa do que aconteceu. ― Justin reuniu força de onde não tinha para falar. ― eu tomei conta da Ashley, como eu havia prometido, durante toda a festa. Mas em um momento de descuido isso aconteceu.

―Um momento que descuido que arruinou com a imagem da minha filha. ― Jacob falou sério. ― Ashley pode até me odiar pelo que eu vou fazer, mas é o melhor por hora.

Ashley da onde estava sufocou o choro, ela já sabia o que vinha pela frente.

―Ashley, eu sei que você ouviu toda a conversa. ― Jacob falou sem cortar o contado visual que mantinha com Justin. ―Desça aqui imediatamente. ― ordenou.

A garota engoliu a seco e desceu as escadas vagarosamente, como se fosse um boi indo para o abatedouro. As lágrimas ainda jaziam em seus olhos e embasavam sua visão. Coragem, palavra totalmente extinta no vocabulário da garota naquele momento.

―Eu acho melhor essa história terminar aqui. ― Jacob foi firme. ―Ashley, entregue a aliança para ele.

―O QUE? ― Justin gritou. ― NÃO. NÃO. Você não pode fazer isso. ― Justin falou desesperado.

― Ela é de menor e eu sou pai dela, então eu tenho todo o direito de fazer isso. ― Jacob rebateu. ― Anda, Ashley.

― E os sentimentos dela? ― Justin questionou.

― Isso pode curar depois...

―Não fale como se ela fosse um robô. ―Justin quis se aproximar de Jacob o impediu.

    ― Ashley, eu já disse. Devolva a aliança para ele. ― o pai da garota falou mais uma vez, só que dessa vez  mais rude ainda.

A garota relutante começou a tirar a aliança de seu dedo, as lágrimas rolavam sem piedade pelo seu rosto e ela não conseguia olhar para Justin, muito menos para seu pai.

A cada movimento de Ashley o desespero de Justin e da Veela era maior, vê-la fazendo essas coisas era como receber um golpe fatal durante uma luta, e de certa forma seria, pois nem Justin e nem a veela conseguiriam viver sem Ashley.

― O que você quer que eu faça? ― Justin questionou. ― Que eu me case com ela? Não  tem problema, eu me caso, mas pelo amor de Deus não nos afaste. Eu não suportaria.

―Eu não vou permitir que minha filha acabe com a vida tendo você a encaminhando para a desgraça. ― Jacob rebateu. ― Ashley, entregue a aliança.

Ashley caminhou vagarosamente até Justin e de cabeça baixa estendeu seu braço entregando a aliança. Relutante Justin a pegou e segurou na mão de Ashley com forço, desejando não mais solta-la.

―Agora, suba! ― ele ordenou e ela obedeceu. ― Eu não quero mais te ver mais perto dela. Vá embora e nunca mais volte.

― Ela me ama e eu a amo, Jacob. Nada que você fizer vai mudar o sentimento que tem dentro de nós. ― Justin falou com os olhos vermelhos por conta das lágrimas.

E assim ele saiu deixando na casa um silêncio mórbido, e levanto com sigo a dor do fim de um relacionamento. Mas ele não aceitava a história terminar assim, ela não poderia terminar assim. Ele a amava e ela o amava. Sentimento correspondido e verdadeiro nada separa. E isso não seria diferente entre Ashley e ele.


Notas Finais


perdoe-me a demora em postar, minha vida anda muito corrida.
Bom, como o nome do cap mesmo diz, esse não é o final... então se prepare, pois a consumação, o tão esperado Hot virá no proximo cap, estou acabando de bolar como será, só afirmo uma coisa... será super romantico kkkk
até o proximo cap. #COMENTEM
bjs He


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...