História Veela - Capítulo 33


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Tags Camila Cabello, Colegial, Justin Bieber, Mitologia, Veela
Visualizações 1.362
Palavras 4.411
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Escolar, Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Magia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Depois de tanto tempo ... enfim... o tão sonhado hot chegou.. não sei se ficou bom, pq minha especialidade não é terceira pessoa e tals, mas.. vamos que vamos.

BOA LEITURA

Capítulo 33 - Let's make love


 

 19 horas e 30 minutos

( casa da Ashley)

 

Clara estacionou na garagem e saiu logo em seguida, indo buscar as compras, que tinha feito antes de buscar Ashley, no porta-malas do carro, a garota saiu logo em seguida e  foi ajudar sua mãe, pegando metade das sacolas e levando com dificuldade para o interior da casa.

Ao chegar na cozinha Ashley colocou as sacolas em cima da bancada,  ajeitou sua bolsa novamente nos ombros e saiu apressadamente, subiu as escadas, andou até seu quarto, entrou e trancou a porta. Assim que jogou a bolsa na poltrona ouviu o celular tocando baixinho, antes que aumentasse ela correu para atender, o tirou de dentro da bolsa constatando que era Justin quem ligava.

―Alô? ― falou assim que atendeu.

―Amor, você chegou bem? ―Justin pergunta com voz preocupada.

―Sim. ― a garota responde como se fosse óbvio. ― estou no meu quarto e a mamãe com certeza está preparando o jantar. ― falou enquanto ia até o guarda-roupas procurar algo para vestir após o banho.

―Hm... ― ficou em silêncio. ― você sabe a senha, né? ― ele falou  se referindo ao celular.

―Sim! ― respondeu Ashley.

Justin havia  emprestado o celular dele para Ashley, já que não suportaria ficar sem  se comunicar com ela.

Eu queria passar a noite com você.  ― resmungou. ― dormir sentindo seu cheiro.  Isso seria ótimo.

―Concordo com você. ― Ashley concordou. ― as noites estão sendo tão frias sem você. ― resmungou fechando  a porta do guarda-roupas.

Posso te visitar essa noite então? ― perguntou Justin fazendo uma voz rouca.

―Não, seria muito arriscado.  ― Ashley discordou na ideia do namorado.

Ok! ― falou cabisbaixo. ― amanhã nos veremos na escola? Pois agora ficou quase que impossível te encontrar lá, e  nem é tão grande assim.

―Será quase que impossível. Meu horário não bate mais com o seu e o Malk está de marcação serrada em mim, papai pediu para que ele me vigiasse na escola, só para ver se eu continuaria te encontrando, e você sabe muito bem que Malk te odeia.

Nerd desgraçado . ― o garoto rosnou do outro lado da linha.

―Justin, não fale assim dele, ele é meu amigo. ― o defendi.

― Seu amigo? Amigos querem ver sua felicidade, ao contrario dele. Mas ok! ― bufou.

―Vou tomar banho e daqui a pouco a gente se fala.

―Ok!

Ashley desligou o celular e o jogou em cima da cama. A garota caminhou até o banheiro e se despiu, entrando no box logo em seguida.

***

A mesa estava posta e a família sentada a mesma comendo em silêncio, ninguém ousava quebra-lo. Ashley terminou de comer e decidiu não prolongar aquele clima, levantou da mesa, pediu licença e subiu para o seu quarto. Quanto mais as horas se passavam, mais ansiosa ficava, estava cada vez mais próximo. Assim que trancou a porta, a garota correu e pegou o celular, discando o número do namorado rapidamente esperando ele atender.

Chamou.

Chamou.

Chamou.  E ele não atendeu.

Ela bufou alto e largou o celular para o lado. Ficou olhando  para o teto durante alguns minutos até que decidiu fazer uma coisa. Já que o telefone era do namorado, que mal havia em olhar o que tinha nele? E assim ela fez, pegou o celular e começou a stalkear. A primeira coisa que ela foi verificar foi as mensagens, olhou uma por uma e aparentemente não encontrou nada demais, a maioria das mensagens eram dos amigos e nada mais. Resolveu ler sobre o que eles conversavam, eram inúmeras as conversas que ela acabou adormecendo.

6 horas e 30 minutos, quinta-feira.

(casa da Ashley)

 

Ashley tentava tomar o café o mais rápido possível, pois por suas contas já estava mais do que atrasada. Quando bebe o último gole de café da xícara ela levanta e coloca as coisas dentro da pia e sai a procura de sua mãe.

―Mãe. ― ela chama. ― mãe.

―O que foi? ― Clara aparece na escada. ― o que está acontecendo?

―Queria te pedir uma coisa. ― Ashley se aproximou da escada.

―Diga!

― Você pode me levar para a casa do Chaz por volta de uma e meia da tarde? É por que precisamos adiantar algumas coisas.

Clara arqueou a sobrancelha em uma expressão de desconfiança, mas deu de ombro.

―Ok! ― concordou. ― você vem para casa e depois eu te levo. ― sorriu sem mostrar os dentes.

―Eu te amo mãe, você é a melhor. ― sorri e mandou um beijo.

― Eu sei disso! ― Clara responde de forma convencida. ― agora vá, pois você já está atrasada. ― Ashley assente e vai em direção a porta.

***

 10  horas e 40 minutos

(Tiger High School)

O sinal já havia sido tocado indicando o horário do intervalo, a maioria dos alunos se encontrava na cantina, enquanto Justin fazia o caminho oposto, pois minutos antes Ashley havia dado sua localização e ele iria encontra-la. O garoto percorreu a escola praticamente inteira até chegar ao auditório, onde ficava sempre aberto, mas só era utilizado quando havia uma palestra, ou quando o diretor necessitava de fazer um comunicado a todos.

Justin parou na porta do mesmo e correu o olho pelo local, viu que ali se encontravam um pequeno número de alunos sentados de forma espalhada, o lugar era silencioso. Ashley virou para trás e acenou, para que Justin a identificasse e fosse ao seu encontro. Assim o garoto fez, foi andando apressadamente até onde ela estava, assim que chegou, sentou ao lado dela e a beijou, e ela sem medo correspondeu.

―Então é aqui que você estava se escondendo durante todo esse tempo? ― Justin perguntou quando desgrudou os seus lábios dos dela.

―Sempre venho aqui. ―  respondeu. ― desde antes de começar a conviver com você.

― Então era por isso que eu nunca te encontrava quando precisava de você para fazer meus trabalhos. ― falou pensativo.

―Justin. ― ela o repreendeu e deu um tapa em seu braço.

Ambos riram.

―Mas falando nisso, eu esqueci de comprar meu lanche. ― Justin retorceu os lábios. ―Estava tão ansioso que esqueci.

―Já pode dizer que não vive sem mim. ― Ashley mostrou o lanche  que a havia comprado para ele antes de ir para o auditório.

―Não vivo sem você. ― o garoto sorriu e a beijou. ― agora vamos comer por que eu estou morrendo de fome. ― pegou o lanche da mão dela e abriu. ― Não vai comer?

―Já comi. ― Ashley respondeu enquanto olhava o garoto comendo.

― Hum... isso aqui está muito bom. ― Justin fez o comentário de boca cheia, fazendo Ashley rir. ― Que horas você vai para a casa do Chaz? ― perguntou depois de engolir o conteúdo que estava em sua boca.

―Pedi a mamãe para me levar por volta de uma e meia da tarde. ― respondeu.

―Uma e meia? ― a garota assentiu. ― tenho treino hoje depois da escola. ― deu mais uma mordida do sanduiche, mastigou e engoliu. ― devo ficar aqui até uma e vinte mais ou menos. Chaz também.

― Então eu acho melhor ir mais tarde. ― Ashley retorceu os lábios ao falar.

―Não. Não. ― o garoto falou. ― você pode ir ao mesmo horário. Daremos um jeito de fugir do treino e chegar a tempo. ― sorriu.

― Ok! ― Ashley suspirou.

***

13 horas em ponto

( Tiger High School)

 

O relógio marcava uma hora da tarde em ponto e Chaz e Justin já haviam inventado uma desculpa para o treinador, para serem liberados mais cedo. Ambos caminharam apressadamente até o vestiário, onde foram tomar uma ducha rápida. Quando Justin entrou em uma das cabines e ligou o chuveiro ouviu um barulho estranho, era de trovoada.

―Droga! ― espraguejou. ― Por que justo hoje?

Ele tentou ignorar ao máximo o barulho da chuva, que se iniciou segundos depois da trovoada, e se apresou em tomar uma ducha rápida. Em cinco minutos ele já tina saído da ducha e estava se secando. Caminhou até seu armário, colocou a senha, abriu e pegou a muda de roupa que estava antes. O garoto a vestiu rapidamente, pegou a mochila e sal do vestiário.

― Pensei que tivesse morrido lá dentro. ― Chaz disse assim que Justin passou pela porta de saída do vestiário.

―Vamos embora. Ashley daqui a pouco está lá e olha a chuva que está caindo. ― Justin disse empurrando o amigo.

***

13 horas e 20 minutos.

Ashley e sua mãe estavam presas no transito. O temporal que estava caindo lá fora estava feroz e estava causado transtorno nas estradas, as deixando péssimas para a direção. A garota estava ficando nervosa.

―Você não acha melhor voltarmos? ― Clara sugeriu. ― está chovendo muito e não dará para vocês mexerem com nada que envolva eletricidade.

―Não. ― Ashley falou nervosa. ― eu vou sim. Mesmo que não dê para mexer com eletricidade, ao menos poderemos refazer os cálculos. ― tentou ficar calma.

―Ok! Mas nós demoraremos um pouco. ― Clara deu de ombros.

***

14 horas e 10 minutos.

(Casa do Chaz)

―   Mano, ela não deve vir mais. ―Justin falou nervoso.

― Calma, mano. ― Chaz tentou tranquiliza-lo. ― ela disse que viria e Ashley não é de quebrar suas promessas.

― Mas olha que horas já são. ― apontou para o relógio que estava na parede. ― ela já era para ter chegado a quase uma hora atrás.

― Calma, ela já deve está chegando. ― Chaz riu fraco.

―Não ri, seu idiota. ― Justin  o repreendeu. ― o negocio é .... ― o garoto foi interrompido pelo som da campainha. ― Deve ser ela. O que está esperando para atender?

Chaz levantou as mãos em sinal de rendição e levantou do sofá, indo ver quem estava na porta. O garoto abriu e deu de cara com Ashley tentando se livras das gotículas de água que estavam em seus cabelos e roupa.

―Ashley, entre. ― Chaz deu passagem. ― onde está sua mãe?

― Ela já foi embora e só volta as seis e meia. ― a garota respondeu.

― Amor, eu estava preocupado com você. ― Justin apareceu e a abraçou. ― você está toda molhada, precisa de um banho e roupas secas, se não vai pegar um resfriado. ― falou protetor.

― Não precisa, eu estou bem. ― Ela sorriu fraco.

―Vamos para a minha casa, lá você faz isso. ― Justin falou e ela assentiu.

***

14 horas e 30 minutos

( casa do Justin)

Justin abriu a porta de casa rapidamente e deu passagem para Ashley entrar, assim ela fez.  O garoto fechou a porta.

―Antes que você pergunte minha mãe não está em casa. ― Justin disse. ― ela deve está na yoga e depois vai encontrar com meu pai.

― Ah... ok! ― a garota respondeu e ficou olhando para as mãos.

―Vamos subir. Lá você pode tomar um banho e tirar essa roupa molhada. ― sorriu de lado. ― se bem que sem roupa você vai ficar de qualquer jeito. ― a garota corou. Ele se aproximou dela. ― amor, não precisa ficar envergonhada. ― passou uma de suas mãos pela nuca da garota. ― não precisa se preocupar. ― roçou sua boca na dela.

― Ok! ― respondeu com voz tremula.

― Pensando bem... ― Justin a puxou pela cintura e colou seu corpo ao dela. ―acho que podemos pular algumas etapas não acha?

Ashley o olhou confusa. Ele  a surpreendeu suspendendo as pernas dela e enlaçou em sua cintura, e a beijou logo em seguida. Justin foi andando na direção das escadas sem parar o beijo e começou a subi-la, com dificuldade, com Ashley no colo.

Chegando ao seu quarto ele a colocou no chão e desgrudou seus lábios dos dela. Eles se olharam ofegantes. Para o clima não pesar Justin resolveu avançar e tirou sua blusa, deixando seu peito molhado e definido a mostra, e voltou a beija-la. Ele a conduziu até a cama e a deitou com delicadeza, se afastando logo depois.

―Ashley. ― Justin  a chamou para que o olhasse. Assim ela fez. ― eu sei que tem toda aquela treta de proteção e tals, mas... ― ele bagunçou os cabelos.  ― como essa é a consumação e eu não sei dessas coisas de veela, você sabe né? ― ela assentiu.

―Justin, seja mais objetivo. ― pediu.

― Bom... ― bufou alto. ― eu quero dizer que quero fazer sexo sem camisinha com você.

― O que? ―  perguntou assustada. ― isso não vai rolar, eu posso ficar grávida...isso seria irresponsabilidade.

― Calma. ― Justin segurou os braços dela. ― você não vai ficar grávida, eu compro a pílula do dia seguinte para você. Vai ficar tudo  bem. É por que eu não sei como tem que acontecer na hora da consumação, e é melhor não arriscar sabe. ― a encarou. ― mas eu só vou fazer se você deixar, é claro.

A garota respirou fundo e começou a pensar na possibilidade, ela tinha certeza que aquilo era irresponsabilidade da parte dos dois, pois sempre foi instruída a nunca fazer isso, pelo menos não enquanto antes de está  casada. Mas um lado dela estava seguro de fazer isso, já que Justin havia prometido que nada de errado aconteceria.

― Está bem. ― respondeu. ― mas você promete comprar o remédio? ― o encarou desconfiada.

―Prometo. ― sorriu. ― compro  hoje se for possível, senão entrego amanhã na escola sem falta. ― ela assentiu.

― Vou confiar em você heim. ―arqueou a sobrancelha.

― Pode confiar. ― ele se inclinou para frente. ― eu nunca de decepcionei. ― a beijou e sorriu.

Ashley timidamente acariciou a nunca de Justin e o puxou para mais perto. O garoto apoiou suas mãos ao lado do corpo dela controlando assim seu peso. O beijo entre os dois era calmo, naquele momento não necessitava de presa. As mãos tímidas de Ashley foram descendo pelas costas do garoto até chegar ao cós da calça, onde  ela parou com medo de continuar.

Para fazê-la sentir-se  mais a vontade Justin jogou o peso do corpo para um braço, e o mesmo ficou com a função de sustentar o corpo do garoto para não cair em cima dela, e foi acariciando o rosto de Ashley  e deixando  os lábios dela aos poucos descendo seus beijos para o pescoço. O cheiro dela era como um entorpecente para a veela a fazendo aflorar como nunca antes havia.

Os olhos do garoto começaram a se escurecer, mas Justin estava lutando para  a criatura não ficar no comando, pois queria que esse momento fosse só dos dois e sem envolvimento de outros seres, mas seria impossível, já que o ser dentro dele era muito mais forte. E assim ela o possuiu.

As mãos dele apertaram com força a cintura da garota a fazendo arfar.  Agora os beijos desciam para os seios, enquanto uma das mãos passeava pelo corpo dela e subia por debaixo do vestido. Ele se afastou e ficou de joelhos.

―Ash, eu não vou conseguir. ― Justin falou balançando a cabeça, para tentar espantar o ser.

―Oi? Como assim? ― perguntou confusa e ofegante.

―Eu não vou conseguir, amor. Ela é mais forte do que eu. ― fechou os olhos com força.

―Não tem importância. ― Ashley estendeu o braço e sua mão tocou o rosto de Justin. ― eu confio em você. ― sorriram.

―Confia em mim? ― Justin perguntou com ternura. Ela assentiu. ― então vem. ―ele a puxou pelas mãos a fazendo ficar ajoelhada na cama.

Ele a virou de costas e acariciou os braços dela  os beijando  com delicadeza. Ashley  se arrepiou. Justin afastou os cabelos dela das costas e foi até o zíper do vestindo, o puxando para baixo deixando o corpo  exposto. Ele o puxou para cima e ela ajudou levantando os braços e fazendo com que deslizasse rapidamente para fora do corpo, a deixando só de calcinha e sutiã.

―Você é tão linda, mesmo de costas. ― Justin sussurrou próximo ao  ouvido dela, a fazendo arrepiar. ― tão linda. ― beijou sua pele com calma.

Um arrepio percorreu o corpo de Ashley quando Justin escorreu suas mãos para o feixe de seu sutiã, que se ficava nas costas, e o abriu fazendo com que ele saísse com facilidade. Ambos arfaram.  Justin foi levando suas mãos até a parte da frente do corpo de Ashley e tocando os seios dela sentindo a pele arrepiada. Ele escorregou suas mãos  até a calcinha de renda e adentou a mesma, tocando a pele quente e lida da vagina da garota a fazendo gemer. Seus lábios foram até o pescoço de Ashley e lá depositou um beijo seguido de um chupão, que fez com que ela se curvasse um pouco para trás e levasse suas mãos até o cabelo dele os agarrando com força. 

― Você é tão quente. ― Justin sussurrou com voz grossa e rouca no ouvido de Ashley, enquanto sua mão movimentava dentro da calcinha da garota. ― apertada. ― introduziu  um dedo no interior da vagina dela. Ambos gemeram.

―Justin... ― Ashley gemeu enquanto Justin movimentava apenas um dedo dentro dela.

Ele sorriu e tirou sua mão de dentro da calcinha, levou o dedo unido até a boca da garota, que receosa o chupou de olhos fechados.  Quando tirou seu dedo da boca dela ele se afastou e a virou de frente, a deitando-a  logo em seguida. Sem perder tempo ele foi puxando a calcinha , fazendo com que deslizasse até os pés da garota e em seguida tira-la por completo, deixando Ashley completamente nua. Ele a olhou com os olhos totalmente negros e um desejo incontrolável percorreu seu corpo,  o desejo foi tanto que sua excitação ficou ainda mais visível deixando seu pênis ainda mais duro e implorando para ser libertado.

Os olhos de Ashley desceram para o local e ficou fitando durante um tempo. Um calor começou a percorrer seu corpo e principalmente na região intima a deixado muito mais quente. A garota rosou uma perna na outra para tentar aliviar. Justin percebeu o estado da namorada e não conseguiu segurar a risada maliciosa.

Para cortar logo aquela sessão de troca de olhares Justin se inclinou para frente, ficando em cima dela sem descarregar seu peso, e a beijou com intensidade e ela o puxou para mais perto, querendo um contato mais intimo. A excitação dos dois aumentou quando o sexo deles se rosaram um no outro, os fazendo gemer entre o beijo. Já não aguentando mais Justin desceu seus beijos para o pescoço, descendo para os seios, beijando cada um, e logo foi trilhando até chegar a parte tão desejada por ele.

Ele abriu as pernas dela e se abaixou ficando com o rosto bem próximo da vagina da garota. Suas mãos foram para as pernas de Ashley e as abrindo mais, então se aproximou mais e depositou um beijo nos lábios vaginais da namorada, a fazendo gemer. Justin riu e logo depois introduziu a língua , explorando assim o interior úmidos e quente da vagina da namorada.

Em um movimento involuntário Ashley fechou os olhos e arqueou as costas soltando um longo gemido. Justin começou a chupa-la enquanto movimentava com a língua, fazendo com que mais gemidos saíssem da boca dela.  De movimento em movimento as coisas ficaram rápidas que chegava a fazer barulho quando a boca do Bieber se afastava da vagina de Ashley.

O orgasmo da garota estava cada vez mais perto, o corpo dela esquentava de uma tal forma que nem ela mesma conseguia explicar. Tudo estava muito quente, o quarto parecia está em chamas, pelo lado de fora o barulho da chuva e no lado de dentro os gemidos  insanos que saiam dos lábios dos dois. Mais um movimento de Justin com a boca e Ashley chegou ao seu orgasmo. Um grito roco saiu dos lábios da garota  quando a mesma sentiu as paredes de sua vagina se contraírem e expelir um liquido viçoso, que foi recebido pelo garoto de forma prazerosa.

Justin se afastou e a olhou rapidamente, Ashley estava com os olhos fechados, sua respiração estava ofegante, suas pernas bambas e tremiam um pouco, um sorriso leve brotou nos lábios do  garoto.

― Amor, olha para mim. ―  ele a chamou. Aos poucos ela foi abrindo os olhos, até conseguir encara-lo. ― Você é tão linda. ― ele sorriu ainda extasiado olhando para o corpo da namorada.

Ele  inclinou-se  para frente,  deixando com que seu corpo ficasse sobre o dela, mas não descarregando seu peço, é claro.  Então ele a beijou de uma forma calma e quente, fazendo  com que os músculos da garota relaxassem. Os lábios dos dois foram separados pelo garoto e ele a encarou.

―Sem pressão. Ok? ― ela assentiu.

Ele se afastou ficando de joelhos e logo depois descendo da cama e ficando no final da mesma de pé, encarando Ashley. Eles se olharam. Justin abriu os botões de sua calça vagarosamente abaixando-a logo em seguida. A tirou por completo e ficou somente de boxer. Suas mãos foram até o cós da boxer, a garota continuava com os olhos fixos nele sem desviar um segundo, a curiosidade era muita. Quando ele ia abaixar a boxer um raio atingiu a terra, causando um clarão e uma trovoada trouxe o estrondo  que chegou a dar uma leve vibração nas paredes do quarto. Ashley se assustou e encolheu-se um pouco, Justin sorriu e voltou para a cama, indo de gatinho até a garota, se pondo dentre as pernas dela.

― Só relaxa e segue seus instintos. ― Justin sussurrou bem próximo ao rosto da garota, que assentiu e o puxou, calmamente, para um beijo.

O beijo era saboreado pelos dois, nele continha um gosto diferente dos outro, o mesmo era desconhecido pela garota. Mal ela sabia que era seu próprio gosto. As mãos de Ashley foram passeando pelo abdômen do namorado, sentindo cada músculo, e chegou a boxer, onde parou. Ela arfou e continuou abaixando-a vagarosamente. Aos poucos o pênis de Justin se revelava, para ficar mais fácil ele a ajudou, se livrando mais rapidamente da boxer, ficando completamente nu.

Os olhos de Ashley pararam no pênis de Justin, que estava rígido  e batia acima de seu umbigo.  Ele puxou a garota  fazendo com que seus sexos ficassem bem próximos, ela prendeu a respiração quando viu Justin segurando seu pênis e deslizando sua mão por toda  a extensão do membro. Mordeu seu lábio inferior. Justin cuspiu em seu pênis e espalhou a saliva por toda a extensão do mesmo, esse gesto deixou a garota meio confusa.

― Relaxa, baby, tudo para não te machucar muito. ― sorriu de lado. Ela assentiu sem graça e com os olhos arregalados.

Ele passou os dedos pelos lábios vaginais de Ashley sentindo ela bem molhada. Aquela era a hora de consumar tudo, Justin levou seu pênis até a entrada apertada de Ashley e a invadiu com calma. Ambos gemeram.

― Relaxa, babe. ― Bieber gemeu. Ashley respondeu com outro gemido.

Justin tirou seu pênis e o colocou novamente começando a pressiona-lo, com calma, contra o hímen da garota.  Uma dor começou a atingi-la, ela fechou os olhos com força e apertou  os lençóis com mais força ainda.  Ao romper o hímen e penetra-la por completo Justin gemeu e Ashley não aquentou e deu um grito de dor. Eles ficaram imóveis, ele esperando ela se acostumar com a dor e ela esperando a dor passar. Ambos com o mesmo intuito.

Quando viu que ela soltou os lençóis entendeu como se a dor já tivesse amenizado, então começou  a fazer movimentos lentos para frente e para trás. Ambos gemiam com as entocadas, ela já estava ficando acostumada e a dor já se transformava em prazer , um prazer novo e fantástico. Justin se inclinou para frente e a beijou continuando a entocar.

― Mais rápido. ― Ashley gemeu no ouvido de Justin. Ele sorriu anasalado e fez o que ela pediu, fazendo o que já estava com vontade a muito tempo.

Ele a entocava com força e ia fundo a fazendo gemer sem  para. A respiração dela era  curta, pois velocidade das entocadas e os gemidos que ela emitia  não deixa sua respiração ser completa e o ar chegar até seus pulmões. Ambos gemiam e as entocadas eram cada vez mais rápidas, tudo esquentava, tudo ficava melhor a cada segundo.

Para não ficar tudo na mesma, aproveitar para mostrar mais coisas ele parou de entocar, ela ficou confusa, pois estava gostando. Ele deu apenas um sorrisinho de lado  e deitou na cama ao lado dela. Ashley ficou confusa e em sua cabeça corria um único pensamento “ será que acabou?”, mas não, tudo estava só começando. Justin a virou de lado, fazendo com que ela ficasse de costas para ele ― como se fossem dormir de conchinha. ― segurou uma das pernas dela, a erguendo e a penetrando novamente. Ambos gemeram.

O corpo dos dois bem colados proporcionava  movimentos mais fundos , ele entocava rápido e ambos gemiam. Justin virou o rosto dela e a beijou com vontade, sem parar de entocar. O orgasmo da garota estava cada vez mais próximo, e ela gemia cada vez mais descontroladamente. Sua pele estava avermelhada, respiração cortada por constantes gemidos e tomada por um prazer incalculável, esse era o estado na qual Ashley se encontrava. Sua intimidade estava dando os mesmos sinais de antes, as paredes se contraiam, a mesma pulsava e então aconteceu, o liquido viçoso, fruto do orgasmo, foi expelido. A sensação boa se instalou fazendo-a entrar em êxtase. Justin continuou a entocar até chegar ao seu ápice e despejar  jatos de seu liquido no interior da garota.

Eles gemeram, ofegaram, se beijaram. Justin saiu de dentro dela e gemeu, a puxou para ele e se beijaram. O beijo foi atrapalhado, o corpo da garota estava tremulo, a mesma não conseguia raciocinar direito, pois ainda estava em êxtase. A  sensação nova a deixou com o corpo sensível ao toque do garoto, um toque e ele já estremecia. Era tudo muito novo para ela, rotineiro para o garoto,  e especial para os dois.

― Dá próxima eu te ensino e deixo você ficar no comando. ― Justin falou ofegante. Ashley riu cansada e assentiu. ― eu te amo, minha pequena. ― sussurrou olhando nos olhos dela acariciando seus cabelos.

―Eu também te amo. ―o beijou com calma.


Notas Finais


ESPERO QUE TENHAM GOSTADO. ATÉ A PROXIMA COM MAIS BADALAÇÕES.
BJS
#COMENTEM.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...