História Veela - Capítulo 34


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Tags Camila Cabello, Colegial, Justin Bieber, Mitologia, Veela
Visualizações 1.115
Palavras 3.028
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Escolar, Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Magia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 34 - Operação Better Together


 

Ambos ainda trocavam olhares e sorriso. Felicidade. Essa era a palavra que descrevia os dois naquele exato momento. Despois de um certo momento te troca de olhares carinhosos Ashley se pronunciou dizendo:

― O que fazemos agora?

―  Agora temos que tomar um banho. ― o garoto afastou o corpo da garota do seu e sentou na cama. ― Vamos tomar banho e descansar um pouco. Deixa eu ver que horas são. ― estendeu o braço esquerdo e pegou o relógio que estava no criado mudo. ― sua mãe vai te buscar na casa do por volta das seis e meia e são quase cinco. Bom, da pra descansar um pouco. ― deu de ombros.

―   Ok! ― Ashley confirmou. ―Você poderia me emprestar uma roupa?

― Claro, amor. ― Deu-lhe um selinho. ―Vamos tomar banho e depois eu pego, Ok? ― ela assentiu novamente.

Ashley levantou da cama  já levando consigo o lençol que se encontrava no pé da cama, e cobriu assim seu corpo. Justin a olhou daquele jeito, Ashley estava com os cabelos totalmente desgrenhados, as bochechas bem coradas e o corpo um pouco reprimido, por causa da vergonha.

Justin levantou da cama, e ao contrario da namorada, ele não tinha vergonha da nudez e caminhou até ela a abraçando por trás. A garota estremeceu.

― Vamos tomar um banho juntinho, Vamos? ― o garoto sussurrou no ouvido dela.

― Justin, não sei se você vai se ofender, mas eu ... eu quero tomar banho sozinha. ― se reprimiu.

O garoto a soltou e a olhou de frente.

― Tá com vergonha, pequena? ― acariciou o rosto dela bem de leve. ― não precisa ter vergonha de mim. ― sorriu meigamente para ela. ― afinal de contas eu já vi tudo o que esse lençol tenta esconder. ― arqueou a sobrancelha e sorriu malicioso.

― Eu prefiro tomar banho sozinha. Desculpa. ― falou.

― Ok! ― ele cedeu. ― Se você quer assim. ― deu de ombros. ― Há toalhas secas no armário do banheiro e eu vou pegar uma roupa para você.

Ashley assentiu e foi caminhando para o banheiro, onde entrou e fechou a porta. Justin respirou fundo e foi até seu closet, onde pegou a primeira blusa de malha que encontrou e a levou novamente para o quarto e a colocou na porta, batendo logo em seguida.

― Ash, tem uma blusa na porta. É para você vesti. ― falou.

― Tá bom. ― ela respondeu de dentro do banheiro.

Sem se preocupar com o fato de que estava totalmente pelado caminhou para fora do seu quarto e foi andando até o quarto dos seus pais, que ele sabia que estaria vazio. Entrou e foi direto para o banheiro. A chuva ainda persistia do lado de fora, raios, relâmpagos e trovões invadiam o céu. Ele entrou no box e ligou o chuveiro na água quente e ali se pôs a meditar sobre o que tinha acontecido.

Era incrível como aquilo mudou o corpo dele. Se sentia mais forte, animado e feliz. Pela primeira vez se sentia completo, totalmente completo, sem faltar um caquinho se quer.  Enquanto esfregava seu corpo com o sabonete lembrava da textura da pele de Ashley em seu corpo, cada toque, cada beijo, cada caricia, cada gemido. Isso provocou um arrepio que percorreu todo o corpo do garoto.

Quando terminou o banho desligou o chuveiro e saiu do box. Caminhou até o armário debaixo da pia do banheiro e lá pegou uma toalha bem felpuda e começou a se secar. Quando o corpo estava praticamente seco a enrolou na cintura e caminhou de volta para seu quarto. Quando chegou no mesmo encontrou Ashley saindo do banheiro. Ela estava vestida com a blusa branca que lhe dará e soltava os cabelos. Justin acendeu a luz e a encarou.

― Sente-se melhor? ― questionou.

― Ainda dói um pouco. ― reclamou.

Ele riu e caminhou até ela.

― Vai passar. ― deu-lhe um selinho. ― com a pratica você se acostuma. – sorriu de lado. ― eu vou acabar de me vestir e já volto. Tá? ― ela assentiu.

Justin deu um beijo estalado na bochecha da garota e foi para o closet. Ashley voltou a tentar desembaraçar seus cabelos, e quando olhou para a cama um constrangimento lhe atingiu, pois na mesma havia uma mancha de sangue. Ela sabia que isso poderia acontecer, afinal, ela era virgem, mas mesmo assim o constrangimento veio. No exato momento Justin voltou para o quarto, deixando a garota mais corada ainda. Ele ainda não tinha visto, mas estranhou a expressão da namorada.

― O que houver? ― perguntou inocentemente.

― Eu posso limpar se quiser. ―falou sem jeito.

Ele juntou as sobrancelhas em sinal de confusão e logo olhou na mesma direção da garota e viu a mesma coisa que ela vira.

― Ei, não se preocupa. ― a abraçou. ― depois a arrumadeira troca tudo. Ok? ― a garota assentiu. ― vem, vamos dormir no outro quarto. ― ele a puxou e foram caminhando para um dos quartos de hospedes. Entraram em um que tinha uma cama de casal, pois sempre que James e Katherine brigavam,  o marido dormia ali. Os dois deitaram ne cama e se olharam.

―Como vai ser daqui pra frente, Justin? ― Ashley perguntou. ― Vamos continuar se encontrando escondido para sempre ? ― ficou cabisbaixa.

―Não, amor. ― a beijou. ― isso será questão de tempo. Vou continuar insistindo com seus pais para voltarmos. Mas enquanto isso nós nos encontraremos a escondida. ― acariciou o rosto dela. ― Ok? ― assentiu. ― Agora vamos descansar, temos pouco tempo. ― Ela assentiu.

***

 18 horas e 10 minutos

O barulho do telefone soava bem longe pelos ouvidos de Justin, que se mantinha de olhos fechados e relutante em acordar. Se remexeu um pouco e abraçou ainda mais Ashley. O telefone persistia em tocar, e o garoto em ignorar. Até que parou. Justin sorriu de olhos fechados e se aconchegou na cama. Novamente o telefone começou a tocar, ele franziu o cenho e abriu os olhos lentamente, olhou para seu lado direto e viu que o telefone na cabeceira tocava muito. Ele se espreguiçou e esticou o braço para pegar. O atendeu.

― Alô? ― falou com voz de sono.

― Eu espero que vocês já estejam a caminho. ― Chaz falou do outro lado da linha.

―Hã? ― Justin perguntou sonolento.

Não vai me dizer que ainda estão em casa?

― Nós estávamos dormindo e vocês me acordou, mané. ― bufou.

Você já viu que horas são?

―Ah... não.

― Já são seis horas e dez minutos. A mãe da Ashley daqui a pouco vira busca-la.

Justin em um pulo sentou na cama, assustando Ashley e fazendo com que ela o olhasse assustada.

― Eu acho bom vocês correrem.

― Dentro de cinco minutos estaremos a caminho. ― Justin falou e desligou o telefone.

 ― O que aconteceu? ― Ashley perguntou ainda meio desnorteada.

― Estamos atrasados, gatinha. ― Justin levantou da cama rapidamente.

― Ó meu Deus! ― Ashley exclamou e levantou rapidamente.

― Vamos. Pegue suas roupas e vamos. Você se veste no carro. ― Justin falou enquanto caminhavam para seu quarto.

― Ok!

Eles entraram no quarto, Ashley foi vesti sua lingerie e pegar suas roupas, que estavam espalhadas pelo quarto, enquanto Justin foi pegar pelo menos uma calça para vestir.

― Vamos? ― Justin saiu do closet fechando a calça.

― Vamos. ― ela pegou sua blusa e sapato, pois só tinha dado tempo de vestir a lingerie e o vestindo, mas sem abotoar.

Eles desceram para a sala, onde Ashley pegou sua mochila e foram na direção do porão, pois estava chovendo e ficaria ruim ter acesso a garagem pelo lado de fora e ainda mais do jeito que estavam. Chegando ao porão passaram por uma porta que dava acesso a garagem, e entraram no carro rapidamente.

― Está tudo aí? ― Justin perguntou enquanto dava partida.

― Eu acho que sim. ― Ashley respondeu enquanto tentava fechar o vestido.

― Ok! Vamos logo, sua mãe deve está quase na casa do Chaz, mas se tivermos sorte o transito pode está difícil.

― Ok, vamos logo.

Justin deu partida e saiu da propriedade rapidamente. Chovia muito e mesmo limpando o vidro constantemente o mesmo ainda continuava embasado. Seu celular começou a tocar, e como Ashley ainda tentava arrumar sua roupa, ele mesmo teve que atender. Era Chaz novamente, constatou quando olhou no visor.

― Já estou a caminho. ― falou assim que atendeu.

― Mudança de plano, mano. A mãe dela já está no portão. ― o coração do garoto começou a bater mais forte. ― faz o seguinte, leva a Ashley direto para a casa dela, vou jogar um kao e dizer que ela resolveu ir de ônibus quando a chuvas estiou um pouco e que ela já deve está em casa.

― Ok. ― Justin parou o carro e começou a fazer o caminho inverso.

― Você vai conseguir. Pé na taboa, meu irmão.

― Ok! Valeu. ― desligou o celular.  

― O que aconteceu? ― Ashley perguntou preocupada.

― Sua mãe já chegou na casa do Chaz.

A garota prendeu o ar nos pulmões e ficou estática.

― Mas fica tranquila. Já temos um plano. ― Justin lhe lançou um sorriso confiante. A somente assentiu.

A chuva estava impiedosa, em algumas ruas havia alagamento, mas por sorte Justin saiu com um carro alto, para não ter problemas. Tudo estava um perfeito caos, o garoto pegou o máximo de atalhos que conseguiu para chegar a casa de Ashley e conseguiu. Quando no relógio marcava seis horas e quarenta e cinco minutos eles já estavam em frente a casa da garota.

― Chegamos. ― Justin parou o carro e suspirou aliviado.

― Obrigado, eu não sei como te agradecer. ― Ashley falou fechando o casaco.

― Me agradeça estando na minha vida todos os dias e me garantindo que será só minha. ― ele disse puxando-a para um beijo, que foi correspondido de imediato.

―Agora eu preciso mesmo ir. Minha mãe deve está chegando daqui a pouco. ― sessou o beijo.

― Quer que eu te leve até a porta? Está chovendo pra caramba lá fora. ― o garoto perguntou preocupado.

― Não precisa. ― sorriu fraco. ― você está sem camisa, com o corpo quente. Você pode ficar gripado. ― sorriu sem mostrar os dentes. ― Te amo. ― puxou-lhe para um beijo molhado.  ― Tchau. ― se  afastou, abriu a porta do carro e saiu.

Ainda chovia muito, então saiu correndo até chegar a varanda de casa, onde parou ofegante, olhou na direção da rua e acenou para Justin, que buzinou, mostrando que tinha visto o gesto. Não demorou muito e ele foi embora e a garota entrou.

A casa estava silenciosa e ela aproveitou para subir para o quarto rapidamente. Estava toda molhada e precisava de um outro banho, e bem quente. Subiu as escadas correndo e entrou e seu quarto, fechando a porta logo em seguida, se despiu e foi para o banheiro.

Debaixo da água quente, que jorrava do chuveiro, ela se permitiu relembrar mais da tarde inesquecível que passou com o namorado. O toque dele era tão singular, assim como o beijo, caricia e entocadas. Ela corou com os pensamentos avançados  e sorriu feito boba. O banho não demorou muito, após cinco minutos saiu e se enrolou em uma toalha e caminhou até seu guarda roupas, onde pegou uma calcinha  qualquer e seu inseparável pijama. Logo que terminou de se secar vestiu a roupa e penteou os cabelos, e olhando para o espelho e lembrou do comentário que Justin fizera em relação a seus pijamas.

― Broxantes. ― falou e riu.

― Ashley. ― ouviu a voz de mãe chamando-a.

― Estou aqui. ― respondeu.

Não demorou muito para a mãe entrar no quarto ofegante.

― Por que não me avisou? ― Clara perguntou ofegante.

― Desculpa. Eu tentei, mas sem celular fica difícil. ―  retorceu  os lábios.

― Você tem razão. ―  suspirou ais uma vez. ― Acho que está na hora de devolver seu celular.

A garota controlou a vontade de sorrir e  sair pulando. Então como reposta somente assentiu.

***

 21 horas e 50 minutos.

( Casa da Ashley)  

 Depois de fazer a lição e jantar Ashley subiu para o quarto e lá se trancou. Ela precisava falar com Justin de uma forma urgente, então discou o numero do garoto rapidamente e  esperou atender.

― Sentiu minha falta. ― falou quando ele atendeu.

Graças aos céus, Ash. Já estava quase subindo pelas paredes. ― ela riu fraco. ― quando vi que não tinha te entregado o celular eu quase pirei.  ―  ele riu.  ― me diz aí, como conseguiu o celular de volta?

― Mamãe disse que eu precisava de me comunicar com ela em situações estremas. ― ri fraco.

Sua mãe é o máximo.

― É sim. ― concordou feliz. ― Justin...

Hm.

―Não esquece do remédio. ― falou ansiosa.

Que remédio? ― Justin fingiu não saber do que se tratava.

― Não se faça de desentendido, Bieber. ― falou serio.

― Eu sei gatinha. ― riu alto do outro lado da linha. ― eu só estava tirando onda com a sua cara.

― Engraçadinho. ― resmungou.

― Gatinha, eu estava pensando. Não podemos ficar separados oficialmente, pois seu aniversario está chegando e eu tenho planos para nós.

― E que planos seriam? ― perguntou curiosa.

Será surpresa. ― riu pelo nariz. ― mas você vai ter que fazer greve de fome, chorar e fingir  que está muito triste.

― O que? Por quê? ― a confusão estava ainda mais presente na voz da garota.

Por que seus pais tem que ver o seu sofrimento. E não se esqueça de dizer que é porque estamos separados.

― Ok.

Eu vou fazer o mesmo. Vou fazer greve de fome, vou dormi tarde, deixar os cabelos desgrenhados, ... ― eles riram. ― temos que apelar. Vou pedir para meus pais irem aí comigo e convencer os seus. Temos que está em estado deplorável. Já vou avisando.

― Ah, logo agora que eu estou tão feliz. ― Ashley falou indignada.

Eu também, amor. Mas finge, ok? Nós ficaremos felizes quando estivermos juntos. Ok?

― Ok!  ― sorriu. ― eles têm que ver o sofrimento estampado em nossos rostos.

― É isso ai. Se ficarmos sorrindo sempre vão pensar que superamos a separação.  ― Justin completou.

― Isso não é verdade.

Nunca será. 

***

6 horas e 30 minutos, sexta-feira.

(Casa dos Bieber)

Justin havia acordado disposto a dar um jeito na situação dele com Ashley, pois eles não podiam ficar assim, separados. O garoto analisou sua imagem mais uma vez no espelho, estava deplorável, ótimo. O plano tinha que dar certo, há havia passado a noite praticamente em claro, o que lhe causara olheiras monstruosas, e de quebra deixou seus cabelos desgrenhamos e vestiu uma roupa amarrotada. Ele tinha que parecer um morto vivo.

Saiu do quarto convencido de que tudo iria dar certo. Mesmo com uma noite praticamente  em  claro ele se sentia muito bem disposto, mas disfarçará isso muito bem. Desceu se arrastando até a sala, a mesma estava vazia, seus pais com toda certeza estavam na cozinha fazendo o dejejum. Caminhou até lá se arrastando, a cena tinha que ser perfeita.

― Bom dia, filho. ― Katherine, sua mãe, o cumprimentou com animação.

O garoto só soltou um resmungo  fraco e caminhou preguiçosamente até a geladeira, onde pegou apenas um copo com água e bebeu sem animo algum. Os pais do garoto acharam estranho, ele estava tão bem ontem, como pode está assim hoje? Então sua mãe, como sempre mais preocupada, resolveu perguntar.

― Meu filho, o que está acontecendo com você? ― perguntou e levantou da cadeira indo até o garoto.

― Mãe eu não aguento mais. ― Quando a mesma estava perto o suficiente, Justin se jogou e chorou. ― Eu a quero de volta.

― Ela quem, meu anjo? ― acariciou os cabelos loiros e revoltos do garoto.

― Ashley, mamãe. ― chorou mais. ― eu a quero de volta.

― Mas o que aconteceu com vocês dois? ― perguntou preocupada e olhou para James.

― O pai dela a forçou terminar o namoro comigo. ― fungou.

― Como assim? ― Kath e James perguntaram ao mesmo tempo e no mesmo tom de surpresa e espanto.

― Sim, foi por causa de uma festa que nós fomos. Eu sai um pouco de perto de Ashley e a drogara. Nada de mal aconteceu a ela, a única coisa que aconteceu foi que ela bebeu demais e ficou dançando em cima da mesa. ― os pais do garoto  olharam surpresos. ― Ele só descobriu quando viu os vídeos que estavam rolando pela internet, mas eu juro que não tive nada haver com isso. Eu a amo, mãe. ― chorou.

― Não se preocupe, Justin, iremos conversar com os pais dela. Vocês não ficaram separados. ―a mãe o consolou. ― Vocês se amam, e não pode ficar assim. Não é James? ― olhou para o marido.

― Tem razão. ― ele concordou. ― vou ligar para Jacob ainda hoje. ― completou.

― Obrigado, paizão. ― Justin abraçou James. ― Agora eu tenho que ir, se não vou me atrasar para a escola. ― ajeitou a mochila nas costas.

― Tem certeza? Você me parece fraco. ― Kath perguntou preocupada.

― Não, não precisa. Eu consigo me arrastar até lá. ― Justin falou ainda chorando.

E assim o jovem saiu da cozinha, deixando seus pais preocupados, mas ele estava com a consciência tranquila, pois estava dando tudo certo. Caminhou até seu carro rapidamente e entrou, quando se acomodou no banco do carona já estava com um sorriso no rosto, olhou no espelho e ajeitou seus cabelos, colocou a jaqueta do time de basquete e passou um perfume que sempre deixava no carro. Sorriu ao ver o resultado. Respirou fundo e discou o numero de Ashley.

― O plano está dando certo! ― falou assim ela atendeu.   


Notas Finais


O que aprendemos nesse capitulo. Bieber não vale porra nenhuma kkk melhor pessoa kkk
#COMENTEM amorzinhos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...