História Veela - Capítulo 36


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Tags Camila Cabello, Colegial, Justin Bieber, Mitologia, Veela
Visualizações 1.019
Palavras 2.458
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Escolar, Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Magia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 36 - Better Togheter


7 horas e 45 minutos, sábado.

(casa da Ashley)

 

A garota abriu os olhos lentamente e analisou o ambiente ao seu redor, alguns raios de sol já invadia o cômodo pela fresta das cortinas e o barulho da rua se ouvia ao fundo. Ela respirou fundo e se espreguiçou, mas logo sentiu que braços fortes seguravam seu corpo, então abaixou os braços e virou a cabeça para trás, para assim olhar o namorado.

Justin dormia tranquilamente, em um espasmo abraçou Ashley com mais força fazendo sua ereção matinal prensar contra sua bunda, a fazendo arfar. A garota olha por debaixo do lençol e constata que tanto ela como ele estava nu, um sorriso brota em seus lábios ao lembrar-se do que aconteceu na noite passada. Assim que despertou de seu pequeno transe olhou para o relógio na cômoda e viu que faltavam apenas quinze minutos para oito da manhã, seus pais com certeza já estavam acordados.

― Justin! ― o chamou. ― Justin. ― insistiu, vendo que ele não havia se mexido. ― Justin. ― o cutucou.

― O que foi? ― resmunou de olhos fechados.

― Já são quase oito da manhã, você tem que ir embora. ― apoiou os cotovelos na cama e encarou Justin.

― Caramba. ― o garoto abriu os olhos rapidamente dando de cara com a visão dos seios fartos da namorada. ― amei acordar e ter essa visão. ― comentou e sorriu de lado.

Ashley olhou para a mesma direção que ele e corou, logo os cobriu com o lençol e sentou na cama.

― Levante e vista-se rapidamente. ― ameaçou levantar, mas Justin a puxou de volta e a beijou, enquanto suas mãos desceram até a cintura dela e apertando-a com certa força e posicionando o corpo  em cima do seu.

― Justin. ― resmungou quando ele roçou o pênis na barriga dela. ― Não temos tempo, mamãe vai desconfiar se eu não sair do quarto.

― Só um pouco... ― mordeu a clavícula da garota a fazendo arfar. ― uma rapidinha...  eu sei que você quer.  

― Não! ― afastou do beijo e sentou na barriga do garoto. ― tenho que arrumar um jeito de você sair daqui. ― colocou o dedo na boca, essa era uma das maneiras que ajudava a pensar. ― O que foi? ― perguntou quando percebeu os olhos de Justin fixos em seu corpo.

― Você nessa pose, merece até uma foto. ― acariciou as coxas da garota. ― fique parada, vou tirar. ― ele estendeu as mãos até o criado mudo, para tentar pegar o celular.

― Não, Justin. ― negou tentando sair de cima do garoto.

― É só pra mim. ― insistiu e colocou na câmera do celular.

― Justin, olha o estado que eu estou... ― apontou para o próprio corpo, nu. ― não vou tirar foto alguma assim.

― Seus cabelos estão escondendo seus seios, e você está com uma cara ótima. ― sorriu. ― vamos, amor, só uma. ― insistiu.

― Ok! ― cedeu.

Justin sorriu vitorioso.

― Faz a pose com o dedo na boca, amei isso. ― pediu. A garota riu e revirou os olhos.

Ashley ajeitou os cabelos, de modo que tampasse seus seios, apoiou uma de suas mãos no peito de Justin e a colocou o dedo na boca.

― Olha pra mim. ― Justin pediu, assim ela fez. ― agora faz a carinha que eu amo. ― ela sorriu e fez a mesma expressão de minutos atrás. ― isso. ― tirou a foto. ― agora eu quero ver o sorriso. ― ela sorriu, ele tirou a foto. ― amo seu sorriso, sabia disso? ― acariciou a bochecha dela.

― Posso ver se ficaram boas? ― perguntou.

― Claro! ― ele a entregou o celular e ela começou a analisar as fotos. ― tá vendo como você é linda? ― sorriu. ― e sabe o melhor de tudo isso? ― negou. ― isso tudo é só pra mim. ― ambos sorriram abertamente.

― Obrigada pelo elogio, mas agora precisamos levantar. ― Ashley tomou a iniciativa e levantou da cama, enrolada no lençol. ― vamos, levante também.

― Ok! ― Justin imitou os passos de Ashley e levantou da cama, ela o encarou. ― gosta do que vê? ― o garoto mordeu os lábios e segurou seu pênis na base.

― Justin... ― Ashley resmungou e tapou os olhos.

― Não sei  o porquê  você não gosta de vê-lo. ― falou enquanto vestia suas peças de roupa que estavam espalhadas pelo quarto. ― você senta nele, gatinha. ― deu uma piscadela.

― Você não presta. ― Ashley balançou a cabeça e terminou de vestir a lingerie. ― mas eu te amo. ― sorriu e ajeitou a calcinha na parte de trás. Justin acabou de se vestir rapidamente, assim como Ashley. ― vou ver se tem alguém no corredor. ― A garota caminhou até a porta e abriu com cuidado, colocou a cabeça para fora e olhou para os lados. Não havia ninguém. ― Pode vir, a barra está limpa. ― chamou Justin, que foi correndo ao seu encontro, se despediu de Ashley com um beijo demorado, e quando ambos viraram para a porta deram de cara com Clara, a mesma estava com os braços cruzados e os encarava. ― Ma-ma-mamãe?

― Eu acho que vocês me devem explicações. ― sem pedir licença ela entrou no quarto e trancou a porta. ― e não adianta mentir. ― os encarou, ambos estavam paralisados. ― podem começar.

―Não adianta mais, Ashley. É melhor abrir o jogo. ― Justin disse, Ashley somente assentiu. ― de onde você quer que eu comece?

― Que tal do dia em que tudo começou? ― Clara respondeu com um tom de ironia camuflado.

― Bem, primeiro eu quero dizer que Ashley e eu estávamos sofrendo pra caramba e nós não estávamos suportando a solidão. Jacob foi muito radical nos separando dessa maneira. ― Justin começou a falar.

― Tenho que concordar com você, a atitude de Jacob foi muito radical. Mas isso não lhes da o direito de burlar as regras. ― os encarou. ― quando vocês começaram a se encontrar as escondidas?

―Você lembra do dia em que um colega de escola ligou dizendo que nosso projeto de robótica tinha ido por água a baixo? ― Ashley perguntou e Clara concordou. ― era tudo mentira...

― Eu bolei esse plano para ver a Ash. ― Justin começou a falar. ― eu não estava suportando a ausência dela, eu não a via na escola, em nenhum lugar. Cheguei a pedir meu pai para embargar a transferência dela, como uma chance para que eu tentasse consertar tudo, mas não consegui e recorri a essa opção. ― Justin se encostou na parede e passou as mãos pelo rosto. ― Eu me encontrava com ela lá.

― Então quer dizer que você mentia para mim, Ashley? ― Clara a encarou.

― Eu não queria.... eu juro. ― a garota se encolheu. ― mas era injusto o que o papai fez. ― encarou sua mãe.

― Meu Deus. ― Clara passou as mãos pelo rosto. ― e desde quando vocês avançaram no namoro de vocês? Não mintam, porque as roupas  de vocês  e os barulhos que eu ouvi ontem a noite os condenam. ― os encarou.

― Você lembra do dia da tempestade? Você foi me buscar e eu não estava na casa do Chaz e ...

― Aquele dia vocês estavam...

― Sim, eu a levei para a minha casa e nós fizemos amor. ― Justin completou.

―Essa foi a primeira vez de vocês? ― assentiram. ― e quantas vezes isso se repetiu?

― Ontem foi a segunda vez. ― Ashley respondeu.

―Vocês se preveniram?

― Sim. ― Justin respondeu.

― Menos mal. ― Clara suspirou aliviada.

― Pode ficar tranquila, hoje virei com meus pais para conversar com Jacob e reatar meu namoro com Ashley.

― Jacob está irredutível, mas vou ajudar vocês.

― Obrigada, mamãe...

― Mas não quero mentira entre nós. Estão ouvindo?  

― Sim! ― responderam em uníssono.

***

 

 18 horas e 30 minutos

( Casa do Bieber)

 

Justin andava impaciente pela sala, enquanto seu pai o observava. Já havia vinte minutos que ambos estavam arrumados e só esperavam por Katherine, que insistia em demorar. O garoto estava com os nervos a flor da pele, daqui a poucos minutos ele, junto com os pais, conversariam sobre o reatar do seu namoro com Ashley.

― Pare com isso, Justin, desse jeito vai furar o chão. ― James reclamou.

― Não consigo. ― parou e encarou o pai. ― por que a Kath tá demorando tanto?

― Já estou aqui, apressadinho. ― Katherine apareceu na escada, já arrumada. ―  e se acalme, Justin, temos que passar serenidade. ― chegou perto do filho e arrumou os cabelos do mesmo.

― Podemos ir? ― o garoto reclamou, impaciente.

― Sim. ― ela confirmou. ― iremos todos no mesmo carro.  Assentiram.

 

***

Cerca de vinte e cinco minutos após sair de casa eles pararem em frente a residência de Ashley. Os três saíram do carro e caminharam até o portão, onde esperaram alguém vir abrir, quem veio recebe-los foi Clara, a mesma já havia comunicado a vinda de Justin e os pais para Jacob.

― Entre? ― Ela os convidou com um sorriso simpático. ― estávamos a sua espera.

― Jacob está calmo? ― Justin resmungou a pergunta.

― Na medida do possível. ― sorriu nervosa. ― vamos, não queremos demorar para resolver isso, não é mesmo?

Os quatro andaram até a casa em um silencio agoniante, antes de entrarem respiraram fundo, se preparando para encarar a fera. Jacob estava na sala, já a espera de todos, ele levantou do sofá onde estava sentado e foi até os pais de Justin, os cumprimentando cordialmente e ignorando totalmente a existência de Justin, isso não era bom.

Como cortesia, os donos da casa convidara-os para sentar e conversar. O ar estava pesado, Justin varria a sala com os olhos a procura de Ashley, mas não achara em lugar algum.

― Bom, creio que você já sabe o motivo pelo qual estamos aqui. ― James, como sempre muito direto, foi direto ao ponto. ― viemos tratar do assunto que relaciona meu filho. ― apontou para Justin. ― e sua filha.

― Creio que já saiba do real motivo pelo qual eu os afastei. ― Jacob falou com uma ironia camuflada.

― Sim, eu estou ciente e  saiba que achei sua atitude radical demais, nem eu ...

― Radical? ― Jacob o interrompeu. ― proteger a honra de uma filha agora é radical?

A discursão foi inevitável, o que deixava as coisas mais complicadas. Jacob estava irredutível, mas James e Katherine, com a ajuda de Clara, tinham contra argumentos, enquanto isso Justin permanecia calado, não se pronunciava de maneira alguma, a única coisa que eles  tinha em seus pensamentos era Ashley. Onde ela estava?

― Ela na cozinha. ― Clara balbuciou para Justin, que entendeu de pronto. ― vai lá. ― ela fez o sinal com a cabeça e  ele assentiu e saiu disfarçadamente até a cozinha.

Quando chegou a mesma começou a vasculhar tudo a procura de Ashley, o que era difícil, pois as luzes estavam apagadas.

― Ashley. ― ele a chamou em um sussurro.

―Justin? É você? ― perguntou receosa e saiu de onde estava escondida.

―Sim, amor. ― o garoto sorriu quando a viu. ― estava preocupado com você. ― se abraçaram. ― você está bem?

― Eu estou com medo, Justin. ― falou chorando. ― papai está irredutível, eu estou ouvindo tudo daqui. ― soluçou.

―Shiuu.. ― ele a consolou com um abraço apertado. ― você não precisa ficar assim. Meus pais e sua mãe estão fazendo o possível para nos ajudar. Tudo vai dar certo. ― se olharam. ― você vai ver. ― uniram os lábios em um beijo calmo, e confortante.

― Justin, você acha que ele vai deixar? ― Ashley perguntou quando ambos se afastaram.

―Claro que vai. ― sorriu , tentando passar confiança, e acariciou as bochechas da garota.  ― confia em mim, tudo dará certo.

― Eu confio, Justin. ― ela o beijou rapidamente. ― agora volte para a sala, antes que papai brigue. ― ele assentiu, deu um último selinho em Ashley e voltou.

― Então, Jacob, se for sobre essas condições, nós aceitamos. ― Justin chegou na exata hora em que seu pai aceitara a proposta de Jacob.

― Espero que seu filho.. ― olhou para Justin com desdém. ― cumpra as regras.

― E você poderia lista-las? ― Kathy pediu, para que Justin ficasse a par de tudo o que conversaram no tempo em que ele esteve fora.

― Primeiro, Ashley não dormirá na sua casa e nem você na dela. Segundo, nada de quarto, se quiserem namorar será na sala e sobre a fiscalização minha ou de Clara. Terceiro, sem ir para a escola juntos, ela vai de ônibus e você no seu carro, isso vale para a ida e a volta. Quarto, sair, só com minha autorização. Essas são umas das inúmeras que eu vou impor, para que esse namoro se mantenha decente.

― Eu aceito todas essas condições. ― Justin falou com firmeza. ― agora, peça para Ashley vir até aqui, para que possamos contar a boa nova para ela.  ― o garoto falou sorridente.

― Espere um pouco, vou busca-la. ― Clara levantou e foi na direção do jardim, Ashley se encontrava lá a espera de sua mãe.

Todos ficaram esperando ansiosos pela volta de Clara , com a garota.  Quando entraram na sala Justin olhou par Ashley e sorriu abertamente, esse era o sinal de que tudo havia dado certo.

― Ashley venha até aqui. ― Jacob a chamou. ― Justin aceitou as condições que eu impus a ele, em troca de vocês reatarem o namoro. As regras são... ― Jacob as repetiu. ― então, você aceita?

― Para ficar ao lado de Justin eu aceito qualquer coisa. ― ela disse e o rosto de ambos se iluminaram.

― Eu acho q está na hora do Justin devolver uma coisa que pertence a Ashley. ― Kath chamou a atenção de todos.  

Justin tirou a aliança do bolso se ajoelhou em frente Ashley e pegou uma de suas mãos. Os olhos de ambos estavam marejados e começaram a chorar, de felicidade. O garoto recolocou a aliança de compromisso no dedo dela e ambos sorriram.

― Você voltou a ser minha namorada, oficialmente. ― Justin sorriu e se levantou, sem esperar Ashley o abraçou com força  e chorou ainda mais de felicidade. ― Eu te amo, minha pequena. ― Justin sussurrou no ouvido da garota.

― Eu também te amo. ― o abraçou com mais força. 


Notas Finais


Desculpa a demora, amorzinhos! Espero que tenham gostado do capitulo e daqui pra frente é badalção, tenho que mostrar a face veela raivosa do Jus kk
#comentem


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...