História Veela - Capítulo 40


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Tags Camila Cabello, Colegial, Justin Bieber, Mitologia, Veela
Visualizações 1.023
Palavras 8.039
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Escolar, Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Magia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu sei, eu sei! Vacilei demorando para atualizar a fic, mas foi por um bom motivo, estava atolada de coisa. Mas ok! Tem cap novo aí e espero que gostem

B0A LEITURA!

Capítulo 40 - Presente de aniversário


 

Uma semana depois…

 

Véspera do aniversário de Ashley.

 

16 horas e 30 minutos, sexta-feira.

( Tiger High School)

 

A semana passou voando, e já era véspera do aniversário de Ashley.  Toddy depois do incidente tentou denunciar Justin para o diretor, o que resultou em coisa alguma. A história que ele relatou era muito surreal para ser verdade, o garoto dissera que Bieber o atacará e o deixará ferido no chão, mas como provar o que dizia se em seu corpo não havia ferida e nem marca alguma.

Tudo isso era contraditório e hilário.

O treinador apitou anunciando o fim do treinamento, o campeonato estava próximo, assim como a feira de robótica da cidade, na qual Ashley e Chaz representaria a escola, sem contar com a formatura, que estava na porta, sem contar com as festas que eram organizadas entre um evento e outro. O fim de ano dos jovens de Tiger High School era mais do que agitado.

Justin bateu a porta de seu armário e ajeitou sua mochila nas costas, o garoto já havia tomado uma ducha rápida, só para tirar o suor do corpo, já que tinha um compromisso inadiável.

— Galera, eu vou indo nessa, tenho passar em um lugar para pegar o presente da Ash. — Justin falou para os amigos. — nos veremos amanhã.

— Valeu! — eles falaram em uníssono.

O garoto foi andando até o  estacionamento rapidamente até chegar ao seu carro, onde entrou e deu partida, saindo rapidamente. Justin tinha combinado que passaria na casa de Ashley para ajudar Jacob na arrumação da festa. Foi necessário vinte minutos até o garoto chegar ao lugar desejado, estacionou perto do meio fio e saiu do carro. Entrou na loja e se dirigiu rapidamente até o balcão.

— Boa tarde, eu vim pegar o filhote que está no nome de Justin Bieber. — o garoto falou para a balconista.

— Ok, espere um pouco que eu vou ver. — a moça pediu e foi ver. Justin ficou olhando para os lados até que ela voltou com uma caixa aberta. — aqui está, senhor. — entregou para Justin.

Justin pegou a caixa e o filhote logo começou a abanar o rabinho. O mesmo era um filhote da raça Labrador e era macho. A pelagem era de cor caramelo e os olhos grandes, negros e brilhantes. Uma graça de filhote.

— Ela vai ama-lo. — Justin comentou com a balconista.

— Sim, ele realmente é uma graça. Esse filhote é o mais espoleta da loja. — a moça sorriu.

— Você me mostre algumas coleiras?

— Sim, claro. Vou pegar. — ela saiu deixando somente Justin e o filhote.

O garoto brincava com o filhote, que lambia sua mão e abanava ainda mais o rabinho.

— Aqui está. — a moça chegou com as coleiras, as colocando em cima do balcão.

— Eu quero essa aqui. — Justin disse, logo de cara, e pegou uma coleira de cor vermelha, que tinha um pingente dourado em formato de um osso. — você tem algum laço, para eu pôr na coleira dele?

— Sim. — ela abaixou e pegou um laço na cor vermelho, a mesma da coleira, e entregou para o garoto.

— Muito obrigado. — agradeceu e segurou o laço.

Justin pagou por tudo e saiu da loja com a caixa, filhote e o restante das coisa nas mãos e entrou no carro.

— Sua nova dona vai te amar, amigão. — antes de dar partida Justin afagou a cabeça do filhote que latiu três vezes e abanou o rabo.

O garoto deu partida e seguiu até sua casa, onde mostrou o filhote para sua mãe Katherine, que o amou e quis logo pegar. Justin subiu para seu quarto, onde tomou banho e se arrumou, pois já havia combinado com Ashley.

 

18 horas e 25 minutos

( Casa da Ashley)

 

Justin estacionou seu carro em frente à casa de Ashley e caminhou até a porta, tocou a campainha e ficou esperando alguém atender. Não demorou muito e Ashley abriu a porta.

— Quem é a  futura aniversariante? — perguntou com empolgação.

— EUUU! — Ashley falou empolgada pulando no colo de Justin. Ambos começaram a rir. — Vamos entrando.— desceu do colo do garoto e saiu puxando-o para dentro de casa. — mamãe está fazendo um bolo ótimo para amanhã.

— Hmm… posso provar? — ele perguntou, seguindo a namorada até a cozinha.

— Olá, Justin! — Clara o cumprimentou assim que viu o garoto entrando na cozinha.

— Olá, Clara. — ele a cumprimentou também.

— Toma, prova um pouco. — Ashley foi até ele com uma colher, e a colocou na boca de Justin. — O que você achou?

— Hmmmmmm…. — o garoto disse degustando o conteúdo.— Está ótimo. — sorriu

— Você gostou mesmo? — Ashley perguntou e esse assentiu. —  foi eu que fiz. — falou sorrindo.

— Hm.. então já pode casar. — ele sorriu de lado e puxou-a pela cintura, a beijando logo em seguida.

Clara os olhou rapidamente, riu e balançou a cabeça.

— Bieber. — A voz de Jacob soou perto deles, os fazendo separar rapidamente.

— Sim, senhor Johnny. — o garoto arrumou a postura.

— Vem me ajudar. — Jacob jogou um rolo de fita, e Justin a pegou rápido.

— Eu vou lá, amor. — o garoto deu um selinho na namorada e saiu da cozinha.

Justin seguiu Jacob até a parte de trás da casa, onde seria montado todas as coisas para a festa de amanhã.

— Pegue a lona, Bieber. — Jacob pediu.

Os dois montaram, praticamente, tudo para a festa no dia seguinte. Não haveria nada demais e poucos convidados viriam. A festa aconteceria a noite, uma tenda foi armada no fundo do quintal, onde ficariam a mesa com o bolo da garota , poucas mesas para os convidados que viriam, e lugar para DJ.

Levando em conta a popularidade da garota, que não era muita, poucas pessoas iriam. Os convidados se resumiram em seus pais, os pais de Justin, o namorado, lógico, os amigos, do mesmo e seus amigos denominados nerds. Ah, provavelmente os avós da garota também iria.

Depois de tudo pronto os quatro jantaram, logo depois Ashley e Justin foram para o jardim ficar conversando, eles deitaram no gramado e se põem a admirar o céu estrelado.

— Ash, fica aí que eu vou pegar uma coisa no carro. — Justin falou levantando rápido e correndo até o carro.

Ele pegou, no banco de trás do carro, uma sacola preta de uma loja, e voltou para onde a namorada estava sentada e o olhava meio desconfiada.

— O que é isso? — ela perguntou assim que Justin sentou ao seu lado.

— Esse é um dos meus presentes pelo seu aniversário. — riu maroto. — toma.— a entregou. — quero que você use amanhã.  

Ashley o olhou mais uma vez com uma expressão desconfiada e colocou a mão dentro da sacola, pegando o conteúdo e trazendo para fora, olhou e ficou surpresa.

— Justin, o que é isso? — perguntou olhando para Justin, que riu de lado.

— Uma lingerie, bobinha. — respondeu rindo.

Que era uma lingerie Ashley sabia, o que ela não sabia era o que o namorado pretendia com aquilo. Bom, passando a surpresa o inicial ela encarou a lingerie, a mesma era de renda e da cor roxa, super sexy. Encarou o namorado novamente.

— O que você pretende com isso,Justin? — perguntou desconfiada.

— Só use-a amanhã, e depois você verá o que eu estou falando. — ele deu-lhe um beijo rápido.

—  Já prevejo confusão. — ela falou desconfiada.

— Está prevendo errado, muito errado. — Justin a puxou e beijou os lábios macios da garota. — Amanhã será perfeito. — se afastou e a encarou. —em todos os sentidos. — sorriu.  

No dia seguinte….

 

17 horas e 45 minutos, sábado.

( Casa dos Butler )

 

Ryan acabava de ajeitar os cabelos em frente ao espelho, assim como a roupa. O garoto vestia uma calça jeans escuro, uma blusa social azul escuro, com a manga dobrada até o cotovelo, e sapato social. O garoto passou seu perfume predileto e foi até a cama pegar o presente de Ashley. O mesmo estava dentro de uma bolsa de uma das boutiques mais caras da cidade.

O presente era uma blusa social de seda fina que a própria senhora Butler havia comprado, a pedido do filho, que não tinha a mínima experiência com esse tipo de coisa. Pegou e saiu do seu quarto, indo em direção a sala, para pegar as chaves do carro.

Chegando a sala deu de cara com sua irmã Kimberly que o olhou de cima a baixo e sorriu de lado.

— Está gostoso, irmãozinho.— falou em um tom indecente. — isso tudo para o aniversário da ratinha?

— Não começa, Kim. — ele falou olhando para os lados procurando as chaves de seu quarto.

— Está procurando isso daqui? — Kimberly falou, levantando as chaves e as balançando.

— Me dê isso aqui. — foi até ela e pegou as chaves da mão da irmã.

— Ryan, faz um favor para mim? — ela perguntou com voz meiga.

— O que você quer dessa vez? Da última vez que me pediu um favor desse jeito foi para fazer sexo com você. Mas fique sabendo que isso não vai acontecer. —a encarou.

— Não é nada disso, bobinho. — ela riu e caminhou até a poltrona e pegou uma pequena caixinha de presente. — entrega isso para a ratinha, fala que é um presente meu para ela. — a entregou a Ryan. — é para ela saber que eu também sou importante.

— O que tem dentro dessa caixa, Kim? — Ryan perguntou desconfiado. — colocou alguma bomba aqui?

Kimberly riu alto.

— Não, seu idiota, é só uma correntinha de ouro, que mamãe comprou. — deu de ombros.

Ryan a olhou desconfiado, mas também não era para menos, Kimberly nunca gostou de Ashley e de uma hora para outra compra presente caro para dar de presente, sendo que a mesma nem havia sido convidada. Muito estranho, mas como já estava atrasado o irmão ignorou e aceitou levar o presente.

Péssima coisa que Ryan fez, pois mal ele sabia que estava levando o estopim para a separação de Justin e Ashley.

***

 

18 horas e 10 minutos

( Casa da Ashley)

 

Ryan estacionou seu carro em frente à casa de Ashley, de lá dava para escutar o som da música, não muito alta, que vinha do jardim. Antes de sair do carro olhou mais uma vez para a caixinha que Kimberly havia mandado entregar para Ashley. O garoto ainda estava confuso com a reação da irmã.

De Kimberly podia esperar de tudo, disso que o garoto sabia, então, para tirar essa dúvida ele pegou a caixinha, que estava no banco do carona, e resolveu abrir. Dentro dela ele encontrou um envelope, e dentro do mesmo havia várias fotos. Ele as pegou e começou a folhear.

Ryan ficou boquiaberto, as fotos que estavam ali era do dia da pool party do Toddy e nela estavam Justin e Kimberly se beijando na cozinha, se Ashley visse as fotos ela piraria e seria o fim do namoro do amigo.

— Kimberly você não presta. — ele recolocou as fotos na caixa, mas colocou uma no bolso, para mostrar a Justin, e deixou a caixa.

Ele saiu do carro e caminhou na direção da música, quando chegou na parte de trás da casa, onde todos estavam e procurou por Justin, mas não achou.

— Ei, Ryan. — Chaz o chamou. — pensei que não viria. — o amigo se aproximou dele.

— Onde Justin está? — Perguntou.

— Ele está com a Ashley lá dentro. — O amigo respondeu. — porquê?

— Preciso falar com ele. — Ryan falou meio impaciente.

***

 

— Justin, ele é muito lindo. — Ashley falou pela milésima vez enquanto acariciava os pelos do cachorro.

— Ele também gostou de você, não é garotão. — Justin também acariciou os pelos do cachorro e beijou a namorada. — ele será como um filho para nós. — a olhou. — temos que treinar, não acha?

— Claro. — Ashley concordou e beijou-lhe. — Temos que dar um nome para ele. — olhou para o cachorro.

— Fique a vontade…. — Justin falou.

— Que tal Spike? — Olhou para o namorado.

— Spike! Bonito nome. — sorriu. — Você gostou de Spike? — Justin acariciou o cão, que latiu abanando o rabo.

— Ele gostou! — A garota falou animada. — então, esse será o seu nome. Spike!

— Ashley, você fez o que eu te pedi? — Justin a olhou.

— O que seria? — perguntou confusa.

— Espero que por baixo dessa roupa esteja uma linda lingerie roxa que eu te dei ontem. — a encarou.

— Não coloquei. — ela retorceu os lábios. — está muito cedo, não acha? — ela o encarou.

— Ok! — ele sussurrou. — mas antes de apagar as velinhas você sobe para o seu quarto e coloca, Ok? Já tenho tudo nos esquemas para te levar para um lugar.

— Ok, mas agora vamos voltar para a festa, os convidados devem está a nossa procura. — Ashley falou e voltou para o jardim.

A festa corria bem, Ashley cumprimentava todos os presentes, e também apresentava Justin para alguns de seus familiares, que a elogiavam por ter um namorado tão formoso, e por esta muito formosa.

As horas foram passando e já eram quase nove horas da noite. Para Ryan, Chris e Chaz ainda estava cedo, ambos já estavam acostumados a ir para festa a essa hora e só sair ao amanhecer. E como em pleno sábado eles não voltariam para casa, os três já haviam planejado de sair da festa e ir para uma boate qualquer.

Os planos já estavam programados, mas Ryan estava inquieto, pois até aquele momento não conseguirá falar com Justin sobre as fotos. Quando o garoto viu Justin sozinho viu aí uma oportunidade para conversar.

Ryan se aproximou de Justin, o amigo estava encostado na grade na varanda e segurava um copo de refrigerante.

— Preciso falar com você. — Ryan sussurrou e Justin o olhou confuso. — me acompanhe.

Os dois seguiram disfarçadamente para a cozinha, onde certificaram de que não havia ninguém ali.

— O que você quer falar comigo? — Justin cruzou seus braços e encarou o amigo.

— Quero te mostrar uma coisa. — Ryan tirou a foto que estava em seu bolso. — da uma olhada nisso aqui. — entregou a foto para Justin.

Assim que Justin olhou a foto seu rosto ficou pálido, o garoto não estava acreditando no que via, em suas mãos estava uma foto, na qual mostrava Kimberly e ele se beijando.

— Aonde você conseguiu isso? — O garoto falou com voz falha.

— Kimberly pretendia dar essa, e muito mais, de presente de aniversário para Ashley. Só que eu fui mais rápido e vi, e é claro que não irei entregar.

Justin ainda estava estático e somente assentiu.

— Pelo amor de Deus, de um fim nisso. — o garoto pediu.

— É claro que sim, irmão. — Ryan pegou a foto das mãos de Justin. — e com toda certeza vou chegar em casa e dar uma dura na Kimberly. — Justin somente assentiu. — não fica assim, aproveita a noite, você tem muitos planos para hoje. — deu tapinhas nas costas do amigo e saiu da cozinha, voltando para o jardim, onde todos estavam.

 

21 horas e 30 minutos.

 

Ashley já havia voltado do quarto e todos nesse momento se reuniram em torno da mesa para cantar parabéns para a garota. Todos aplaudiam e cantavam alegres, enquanto Justin estava aéreo, e só voltou a si quando Ashley assoprou as velinhas.

— ASHLEY! ASHLEY! ASHLEY! — todos gritaram e aplaudiram mais uma vez.

Todos comeram bolo e festejaram mais um pouco. O relógio já marcava dez horas da noite, o que significava que ja estava na hora de Justin. o garoto já havia inventado uma desculpa para Clara, para que ela autorizasse Ashley passar a noite fora. Ele havia dito  que faria um jantar romântico, só Ashley e ele, no jardim da casa de seus pais, Clara achou aquilo o máximo, e lógico que autorizou. Mal ela sabia que os planos do garoto eram outros totalmente diferentes.

— Ashley, vamos? — Justin chamou Ashley.

— Sim, eu só vou falar com minha mãe. — a garota falou e saiu de perto do namorado.

Ashley caminhou até a mãe, que estava despedindo dos convidados, assim que viu a filha se aproximando parou para dar atenção

— Mãe, eu já estou indo. — Ashley falou rápido.

— Vá com Deus filha. — Clara, falou sorridente e deu um beijo nos cabelos da filha.

— Tchau.

A garota caminhou rapidamente para fora do jardim e foi de encontro do namorado, que estava encostado no carro só esperando por ela.

— Vamos? — Justin abriu a porta, para que ela pudesse entrar. A garota somente assentiu e entrou, o garoto não fez diferente e assumiu seu lugar no volante. — Preparada?

— Ainda acho você está aprontando algo. — o encarou.

Justin riu fraco e acelerou ainda mais, ele estava ansioso para chegar logo ao local.

— Ash, abre o porta luvas, por favor. — Justin pediu. Assim ela fez. — Pega essa carteira de identidade, por favor. — Ashley pegou. — É sua.

A garota olhou confusa e encarou o papel, onde estava sua foto, uma assinatura muito parecida com a dela e atras várias informações.

— Justin, como assim?  — o encarou.

— Para o lugar onde vamos você necessita desse documento. — ele olhou rápido e sorriu.

— Já estou sentindo cheiro de confusão. — ela o encarou.

— Relaxa! — Justin sorriu e fixou seu olhar na estrada.

****

 

— Chegamos! — Justin exclamou assim que estacionou o carro.

— Onde estamos? — Ashley perguntou enquanto saiam do carro. A garota olhava tudo a sua volta.

— Vem comigo! — o garoto segurou na mão dela e a seguiu para fora do estacionamento.

A rua estava deserta, afinal, o lugar era afastado da cidade, como já era de se esperar. Justin segurava a mão de Ashley, que olhava tudo ao seu redor, e caminhou na direção do letreiro. Quando a garota focou no mesmo tomou um susto.

— Justin, o que estamos fazendo aqui? — perguntou ainda com os olhos vidrados no letreiro.

— Viemos pelo mesmo motivo que todos vem a um motel. — respondeu rindo.

— Eu não quero entrar aí, Justin. — ela parou, fazendo Justin olha-la.

— Amor, vamos, vai ser legal! — o garoto segurou o rosto dela com delicadeza. — eu preparei várias coisas para essa noite, já está tudo arrumado. — deu-lhe um selinho.

— Mas se alguém nos vê e contar para minha mãe? — questionou preocupada.

— Ninguém vai nos ver. Eu lhe asseguro. — o garoto sorriu transparecendo confiança.

— Ok! — ela cedeu.

Ambos voltaram a caminhar, de mãos dadas, até a recepção do Motel. O lugar tinha uma iluminação baixa e em tons de vermelho, tudo lá era bem luxuoso, o que fez Ashley chegar a uma conclusão, aquele deveria custar bem caro.

Justin se aproximou do balcão, onde havia duas recepcionistas e pediu as chaves do quarto que já estava reservado para eles. O garoto já poderia ser considerado cliente vip, levando em consideração as vezes que já foi lá. Mas dessa vez estava sendo diferente, além de está levando sua namorada, e não uma vadia qualquer, ele havia escolhido o quarto mais caro do Motel. Coisa que poucos tinham condições.

— Último andar, quarto presidencial. — a mulher loira falou entregando as chaves.

— Obrigado! — Justin agradeceu pegando as chaves.

— Tenham uma boa noite. — a morena desejou entanto os dois iam na direção no elevador.

— Elas não pediram minha identidade? — Ashley perguntou, assim que entraram no elevador.

— Não foi necessário. — Justin deu dd ombros.

O elevador subiu até o último andar, o que  não demorou, levando em consideração que o motel só tinha quatro andares. A porta se abriu e eles caminharam por um pequeno corretor, na qual havia apenas duas portas, uma de cada lado.

— A nossa é a da esquerda. — Justin falou tirando Ashley  de seu pequeno transe.  

A garota assentiu e caminhou com ele até a porta da esquerda, ele a abriu e deu passagem para que Ashley pudesse entrar.

Assim que a garota entrou abriu sua boca, expressando sua surpresa. O quarto era enorme, as paredes pintadas de preto e algumas de vermelho aveludado, a luz também era vermelha, deixando tudo com um toque sensual.  

Ela caminhou mais para o meio do quarto e rodou em torno si mesma, para ver tudo. No canto direito, olhando da porta principal, havia uma pequena saleta, onde tinha um cano de pole dance, uma cadeira e um sofá vermelho e aveludado. No lado oposto havia  um mini bar, com bebidas de vários tipos, assim como frutas e chocolates.

Havia outra porta , além da que saia do quarto, a mesma era pintada de preto e dava para um banheiro imenso, que a garota não se atreveu  verificar. Um detalhe que não pode deixar despercebido o quarto era cheio de espelhos. Mas o ápice do quarto estava na parede oposta a porta principal, onde ficava a cama, a mesma era enorme e redonda, os lençóis de cetim brilhoso, nas cores preto e vermelho, e um imenso espelho no teto, no qual podia se ver todas as posições.

A garota estava deslumbrada, primeiro, por nunca ter visto um lugar daquele, segundo, por estar em um lugar daquele. O chão estava coberto de pétalas de rosa, de várias cores, e havia velas aromatizadas no quarto, o que dava um cheiro ótimo ao ambiente.

— Está gostando do que vê? — Justin  o, aproximando-se de Ashley com dois copos de vodka na mão.

— Isso aqui é magnífico. — ela respondeu aérea, fazendo o garoto ri.

— Toma, vamos deixar as coisas mais animadas. — Justin entregou um dos copos para ela, que aceitou sem relutar.

Os dois deram um gole e Justin foi até uma mesinha, onde havia uma aparelhagem de som, na qual ligou e começou a tocar a música. Logo de cara Ashley reconheceu, era Bruno Mars — Gorilla.

— Eu amo essa música. — Ashley falou depois de tomar o terceiro gole da bebida.

— Então por que não dança para mim? — Justin sugeriu, bebericando a bebida. — É super sensual. — ele sorriu de lado.

— Será que devo? — Ela perguntou confusa.

— Só tem eu e você. — o garoto abriu os braços e olhou para os lados. — que mal há de ter?

— Ok! — ela cedeu e tomou o resto da bebida, que desceu queimando pela garganta abaixo. — Vem comigo.

Ashley puxou Justin até o canto onde encontrava-se o pole dance. O garoto se surpreendeu, tudo estava saindo melhor do que ele imaginava, e a bebida estava mexendo com Ashley ainda mais rápido.

— Tira a camisa; — Ashley ordenou, o garoto sorriu com a atitude autoritária da namorada e se livrou da camisa que estava vestindo. — Os sapatos também. —assim ele fez. — é para as coisas ficarem mais realistas. —ela tentou se justificar.

—Ok! Vamos, gatinha, dança para mim. —recomeçou a música.

Ashley se aproximou do cano de pole dance e o segurou. A música começou a tocar e a garota dançava sensualmente agarrada com o cano, jogava seus longos cabelos de um lado para o outro olhando para Justin, que fitava tudo hesitado. O som selvagem que saia do aparelho de som invadia todo o quarto, as luzes deixavam tudo mais sensual.

Quem visse de fora não dizia que aquela era Ashley, pelo jeito que se esfregava no cano, de uma forma desinibida.

 

You and me, baby, making love like gorillas

(Você e eu, querida, fazendo amor como gorilas)

 

Ashley passou as mãos pelo corpo descendo até o chão, como os olhos fixos em Justin, enquanto sua bunda roçava no cano. Como é incrível o efeito que a bebida tem sobre as pessoas, em especial, Ashley. Ela jogou o cabelo para um lado e para o outro e foi subiu olhando para Justin, que mordeu os lábios hesitado. Virando-se de costas para o namorado ela foi abrindo o vestido, de maneira lenta e sensual, até que o mesmo caiu aos seus pés, dando a visão de uma bela lingerie da cor roxa, cor favorita de Justin.

 

You got your leg up in the sky. With the devil in your eyes.

(Você está com suas pernas para cima no céu. Com o diabo em seus olhos)

 

A garota foi andando sensualmente até o namorado que se despojou na cadeira e mordeu os lábios. Ambos estavam com os olhos negros de prazer. Ashley colocou sua perna direita em cima da coxa esquerda de Justin, o fazendo passar a mão por toda a extensão e distribuir beijos. Ela agarrou  nos cabelos dele e afastou a cabeça de suas pernas o fazendo olhar em seus olhos, e deu uma risada sensual. O cabelo dos dois estavam desgrenhados.

 

Let me hear you say you want it all. Say it now, say it now.

( Me deixe ouvir vocÊ dizer que quer tudo. Diga isso agora, diga isso agora)

 

—Eu quero tudo. - Ashley sussurrou, jogando a cabeça para trás.

Aquilo foi o ápice para Justin, que estava se segurando para não puxa-la e beija-la por completo. E foi isso que ele fez, a puxou, segurando nos cabelos da mesma com brutalidade a beijou com volúpia. Com as pernas uma de cada lado do corpo do garoto, ela se remexia, roçando sua intimidade a dele fazendo com que ambos soltasse gemidos.

 

Yeah, I got a fistful of your hair. But you don’t look like you’re scared. You’re smiling tell me “Daddy it’s yours”

(Sim, eu tenho um punhado de seu cabelo. Mas você não parece estar assustada. Você está sorrindo  e me dizendo “ Papai, isto é seu” )

 

Ashley puxou os cabelos de Justin fazendo com que ele se afastasse de seus lábios e a encarasse. Ele pegou as pernas dela e as ergueu, fazendo com que ficasse em torno de sua cintura e ambos sentissem cada centímetro do corpo um do outro. Os beijos do garoto desceram para o pescoço dela, a fazendo jogar a cabeça para trás e arquear as costas. As mãos ágeis de Justin foram acariciavam as costas de Ashley e desabotoou sutiã, deixando, rapidamente, os seios da garota a mostra.

—Lindos! — Justin elogiou os seios da namorada antes de abocanhá-los. Ele os sugava e mordiscava como se fosse um animal faminto. Ashley não poupava os  gemidos. - GOSTOSA! — rosnou de maneira selvagem e apertou as nádegas de Ashley com força, a fazendo gemer.

 

I bet you never ever felt so good, so good. I got your body trembling like it should, It should. You’ll never be the some baby once I’m done with you.

( Aposto que você nunca se sentiu tão bem, tão bem. Eu faço o seu corpo tremer como deveria, deveria. Você nunca vai ser a mesma, querida, depois que eu tiver acabado com você. )

 

Justin agarrou as coxas dela com força e levantou, sustentando o corpo de Ashley com força para não cair e foi caminhando até a cama, onde ele a colocou com delicadeza e entreabriu as pernas dela e se pôs entre elas. Ele a analisou por completo e agradeceu mentalmente por tê-la só para ele. Pegou  a perna esquerda e a beijou da ponta dos pés até o joelho e voltou aspirando o cheiro inconfundível da pele macia que ela tinha. O garoto fez a mesma coisa com a outra perna.      

O quarto estava em silêncio, até que começou a tocar outra música, essa, o contrário da outra, era mais lenta. O nome da música era Lazy Love - Ne-Yo. As batidas começaram, e Justin se inclinou e a beijou com calma, em seguida foi descendo dedilhando o corpo de Ashley enquanto distribuía beijos pelo mesmo, a fazendo arfar.

 

That sexy body, oh so nice and curvy. I’m reminiscent on the last night. Wake up and let me get it one more time. Before, before, before.

( Seu corpo sensual, oh tão belo e cheio de curva. Lembro-me da noite de ontem. Acordei e deixe-me lembrar mais uma vez. Antes, antes, antes.)

 

Ele ergueu o quadril de Ashley e começou a puxar a calcinha dela, a tirando lentamente até os pés e depois jogando-a em qualquer parte do quarto. Antes de fazer alguma coisa ele encarou o corpo dela, com luxúria.

—Tão linda! - ele falou em um sussurro.

—E toda sua! - exclamou sorrindo.

—Toda minha. - ele respondeu sorrindo, puxou-a pelas pernas, fazendo com que suas intimidades se chocarem e os corpos ficarem colados.

Justin se inclinou e a beijou de forma intensa, Ashley agarrou os cabelos dele e começou a beijar com fervor. Os quadris remexiam em sincronias deixando ambos excitados, a ereção de Justin aumentava a cada movimento, e a intimidade de Ashley pulsava e se alto lubrificava.

Eles se afastaram e ficaram se encarando, com a respiração ofegante, os olhos de ambos esbanjam desejo. A garota arranhou o abdômen do namorado de forma lenta fazendo ele jogar a cabeça para trás e gemer rouco. As mãos dela pararam no cós da calça e começou a abrir o botão e o zíper. Justin a encarou e ela sorriu, e puxou a calça para baixo, revelando a cueca dele, mas antes que ela pudesse puxa-la ele a parou.

— Não, não, gatinha. — o garoto tirou a mão dela do cós de sua cueca. — eu tenho outros planos para nós. — sorriu de lado e levantou da cama.

Antes de ir onde pretendia, ele tirou a calça jeans que estava vestindo, e a jogou no chão. Virando de costas para a cama ele caminhou até o bar que havia no quarto, onde pegou o balde de gelo, com uma garrafa de champanhe e  um recipiente que continha o morango, caminhou até a cama novamente e parou no começo, e sorriu de lado.

— Preparada para a brincadeira, baby? — Justin perguntou, com um sorriso nos lábios.

Justin colocou o balde de gelo, com champanhe, e os morangos na cama e ficou de joelhos mesma. Antes de fazer qualquer movimento ele mediu Ashley com os olhos e fez um movimento leve, de pegar uma pedra de gelo dentro do balde e voltar a encara-la parado.

— O que você pretende fazer com isso? — Ashley  perguntou, em um tom sensual.

— Isso você vai ver agora. — Justin respondeu, inclinando-se.

Ele a beijou com calma, enquanto tocava a pele quente da garota. Ashley se arrepiou de imediato.Os beijos foram descendo pelo pescoço até os seio esquerdo, onde ele rodeou o mamilo com a pedra de gelo, que ja havia derretido parcialmente, o fazendo se contrair, e chupou, sugando o peito e a pequena quantidade de água. Assim ele fez com o outro, com o restante da pedra de gelo, rodeou e sugou com força, fazendo Ashley gemer alto, mais uma vez.

O garoto ficou de joelhos novamente e pegou outra pedra de gelo, dessa vez ele fez uma trilha de entre os seios dela, até o umbigo, onde passava o gelo e lambia, causando arrepios contínuos a garota. Ele parou no umbigo, onde o sugou e beijou.

Empurrando-a um pouco para cima o garoto pôs o rosto entre as pernas da dela, ficando bem próximo da intimidade de Ashley, ela fechou os olhos e pode sentir a respiração do namorado entrando em contato com a pele quente da parte íntima, fazendo comprimir e se alto lubrificar.

Justin riu ao ver o quão necessitada de tê-lo Ashley estava, sua vagina ja babava e ansiava por ele, isso fazia seu  instinto animal aflorar. Ele ficou de joelhos na cama, mais uma vez e pegou outra pedra de gelo, e voltou a posição anterior. Devagar ele passou o gelo pelos lábios vaginais da garota, a fazendo arrepiar, arfar e contrair o corpo.

 O garoto riu. Continuando seu plano ele começou a introduzir o gelo na entrada da garota, que engoliu a pedra em uma contração. A pedra, em contato com o interior quente, fez com que ela derretesse e escorrer a água do gelo, molhando os lençóis. Ashley soltou um suspiro de alívio e prazer, Justin repetiu o ato mais uma vez, proporcionando a experiência nova para a garota.

Sem esperar ela relaxar, após o espasmo, ele tocou os lábios vaginais da garota com a língua, introduzindo-a no interior da intimidade, o mesmo encontrava-se um pouco gelado, por conta da pedra de gelo que derreterá a alguns segundos atrás. Ele chupava com força, enquanto rodeava sua língua no interior. Ashley gemia obsessivamente, enquanto seu corpo sofria espasmos e mais espasmos. Justin se afastou um pouco e introduzindo dois dedos, e a fazendo gemer. Ele a encarou e a mesma estava com os olhos fechados e a carreira de dente superior castigava seu lábio inferior. Ele riu.

— Aqui você não precisa segurar, babe. — Justin deu uma risadinha. — Você pode gritar o quanto quiser. — passou a língua pelos lábios, sentindo o gosto da garota. — Eu quero ouvir você gritando o meu nome, Ash.

Ele não perdeu tempo e voltou sua atenção para o oral que estava fazendo na namorada, ele a estocava com dois dedos, fazendo movimentos fortes, enquanto chupava e beijava o clitores dela. Ashley não poupava os gemidos, que transformaram em gritos. Os olhos dela reviraram de tanto prazer a medida que as investidas iam aumentando.

—JUSTIN! — um grito, em êxtase, saiu da boca de Ashley. —MA-MAIS! — implorou.

Justin, como não gostava de fazer desfeita atendeu ao pedido da namorada com prazer e intensificou as entocadas. Ashley agarrou os cabelos de Justin e prensou contra sua intimidade. Os movimentos ficaram ainda mais intensos fazendo a garota ir do céu ao inferno. As paredes de sua intimidade já pulsava implorando para libertar o líquido que estava guardado. E foi isso o que aconteceu, Ashley gritou e sentiu sua intimidade liberar o líquido viscoso na boca de Justin, que sugou tudo.

— Você não sabe o quanto amo esse seu gosto.— Ele falou, já de joelhos na cama.

— Agora me deixa sentir o seu? — Ashley pediu, manhosa.

— Você quer? — ele perguntou enquanto apertava seu membro, por cima do pano da boxer. Ashley assentiu. — Então vem aqui, bebê. — ele a chamou com o indicador.

Ashley ficou de joelhos na cama e foi se aproximando de Justin, que a olhava com os olhos transbordando de luxúria. A garota jogou seus cabelos para o lado e beijou Justin, com delicadeza, enquanto segurava o rosto do mesmo.

— Você promete deixar eu fazer? — ela se afastou e perguntou.

— Depende, gatinha. — o garoto sorriu de lado.

— Eu vou fazer uma coisa que você vai gostar. — ela riu e empurrou Justin, que caiu deitado, com uma parte do corpo pra fora da cama.

— Wow, gatinha, calma aí! — ele falou rindo.

— Você vai gostar, eu prometo. — Ashley sorriu e o encarou.

A garota puxou a boxer de Justin, até tira-la, rodou nas pontas do dedo e atirou longe.

— Não precisamos disso, não é?

— Não mesmo. — ele confirmou.

Depois de sorrir maliciosa, Ashley se abaixou, ficando com o rosto bem próximo do pênis de Justin, o segurou, com força, pela base e começou a punheta-lo lentamente, enquanto Justin gemia.

― Coloca a boquinha, vai. ― ele pediu com os olhos fechados.

Ashley sorriu e abocanhou o membro do garoto e começou a chupa-lo. Ela fazia isso com rapidez, colocando até onde conseguia entro da boca e punhetava o restante. Justin gemia de olhos fechados e controlava-se para não agarrar os cabelos da namorada e faze-la engoli sem membro por completo, ou impulsionar o quadril para frente, para que a mesma coisa acontecesse. Ela o estava castigando, olho no olho, tudo ficava mais insano.

― Mais, amorzinho. ― o garoto pediu, enquanto acariciava o rosto da garota.

Ashley o tirou da boca e encarou o pênis de Justin, sorriu e olhou para o garoto, que a encarava.

― Não para não, baby, eu já to quase lá. ― ele implorou.

A garota riu e apertou o pênis com força, fazendo o namorado gemer de dor e prazer, não demorou e ela voltou a abocanha-lo, ela fazia movimentos rápidos e quando sentiu as veias engrossarem e a respiração do garoto acelerar, parou, mas não o tirou da boca. Justin deu um gemido de frustração. Ashley foi afundando mais a boca no membro, e assim alcançava lugares que antes não ia, parava e relaxava a garganta, e continuava, até que chegou a base. Ashley parou e começou a massagear os testículos até que os sentiu inchados. Ela tirou o membro totalmente da boca e o massageou, fazendo o garoto atingir o seu ápice e começar a gozar.

Um, dois, três jatos saíram e começaram a escorrer pelo membro e lambuzar as mãos de Ashley, ela as encarou e tomou coragem para leva-las até a boca e lambe-las. A garota pensou em cuspir, pois a textura era “nojenta” ao seu ver, mas engoliu tudo e encarou o namorado com um sorriso malicioso nos lábios.

― Essa, com toda certeza, não é a Ash que eu conheço. ― Justin falou, encarando Ashley com um sorriso malicioso. ― Mas eu amei essa sua versão safada. ― mordeu os lábios. ― e pode apostar. ― sentou-se na cama. ― ela será de grande valia essa noite.

Em um movimento rápido ficou de joelhos na cama e jogou Ashley na mesma, Ele a encarou, e abriu as pernas dela, para ficar entre as mesmas, encarou a intimidade e a viu molhada. Sorriu.

― Hoje eu quero ouvir seus urros... ― Justin se curvou um pouco e colocou uma das pernas de Ashley em seu ombro. ― ... de prazer. ― introduziu seu membro lentamente, a fazendo gemer.

Os movimentos começaram lentos, enquanto ele acariciava o corpo da garota, a fazendo arfar, mas logo aumentou as entocadas, pois ambos estavam afim de uma coisa mais selvagem. Justin colocou as duas pernas de Ashley em seus ombros e começou a dar entocadas fundas, fortes e rápidas.  

Os corpos suados, as respirações se misturando e os gritos de prazer ecoando por todos os lados, essa era a cena. As pernas de Ashley não mais se encontravam nos ombros de Justin, mas eram “castigadas” pelo garoto, que as apertava e dava tapas, enquanto as unhas, de cumprimento médio, de Ashley arranhava as costas de Justin , com toda força.  O garoto passou uma das mãos por debaixo da nuca de Ashley e agarrou os cabelos dela com força, afastando-os do pescoço, deixando assim livre, para que ele desse um chupão, fazendo Ashley dar mais um grito e arquear suas costas.

Ambos pareciam ser somente um, naquele momento. Os corpos pareciam ter nascidos um para o outro, pela forma perfeita na qual se encaixavam. A cada entocada parecia que os corpos entrariam em combustão, o ar já não fazia o devido trajeto, por causa da respiração cortada, ambos já sentiam seu ápice aproximando.  Justin apertou as coxas de Ashley com força e deu uma entocada forte, fazendo o ápice chegar para os dois. O liquido dos dois escorram molhando os lençóis.

Olho no olho por alguns segundos, até que os dois se beijaram, um beijo atrapalhado por causa da respiração ainda, e depois de afastaram.

― Eu te amo. ― Ashley falou olhando nos olhos de Justin, que sorriu de imediato.

― Eu também te amo, nunca se esqueça disso. ― o garoto falou.

― Como esquecer o que está acontecendo hoje, aqui. ― ela sorriu e abriu os braços.

Seus cabelos longos e de corpo castanho claro estavam esparramados pelo lençol da cama, enquanto seus olhos fechavam e um sorriso se abria em seus lábios. Justin saiu de dentro dela, e a mesma gemeu de olhos fechados, pois o queria para sempre dentro dela.

― Pensa que acabou? ― Ele questionou, de joelhos na cama e a encarando.

Ashley abriu os olhos  e o encarou da mesma forma.

― Quero você de quatro, agora! ― ele ordenou.

A garota piscou duas vezes e começou a fazer o que ele havia pedido, rolou na cama, para ficar de bruços, e lentamente foi ficando de gatinho na cama. Para provocar ela empinou o bumbum, recebendo logo um tapa estalado.

― Você não sabe  como eu gosto desse seu traseiro. ― Justin deu mais um tapa, a fazendo gemer. ― ele é tão redondinho. ― o alisou. ― e fica a marca tão fácil, deu outro tapa, deixando a marca dos cinco dedos certinhos.

Justin alisou as nádegas de Ashley de forma lenta e começou a subir uma das mãos pelas costas da garota até chegar aos cabelos, os puxando e apertando firme a cintura da mesma.

—  Implora pelo meu pau, baby. — Justin falou com uma voz rouca, enquanto roçava seu membro na bunda da garota.

— Eu quero…. — Ashley gemeu.

— Quer o que? — o garoto provocou.

— Seu pau… — respondeu em um gemido.

— Boa garota. — o garoto sorriu e soltou o cabelo dela.

Ele alisou mais uma vez as nádegas e deu dois tapas, ela gemeu. Justin segurou seu membro e começou a esfregar na bunda de Ashley, a fazendo gemeu e remexer o quadril.

— Shiuuuu…. Calma bebê. — ele riu baixo e posicionou o membro na entrada da garota. — Eu sei que você o quer. — esfregou a glande na superfície molhada da vagina da garota. — e você sabe que eu não vou negar. — continuou provocando.

— Oh, baby, não me tortura. — Ela gemeu e impulsionou as nádegas para trás fazendo o membro de Justin entrar com força nela. Ambos gemeram.

— Garotinha má. — Justin deu um tapa estalado na bunda da garota. — agora eu vou ter q te castigar.

Ele segurou a cintura dela com as duas mãos e começou a dar bombadas fazendo o corpo de Ashley ir para frente e para trás rapidamente. Ambos gemiam enquanto palavras sujas saiam  da boca dos dois.

Tapas, palavrões, puxões de cabelo e gemidos não faltavam. O corpo da garota já suava e as costas doíam, por causa dos puxões de cabelo, e suas nádegas, por causa dos inúmeros tapas que já havia recebido.

— Oh, baby, eu tô quase lá. — Justin alertou, Ashley também já estava quase explodindo de prazer, as paredes de sua intimidade já pulsava e aquela sensação de alívio estava próxima.

Depois de três entocadas a garota alcançou seu ápice e gozou, a ponto de escorrer pelas suas pernas. Justin saiu de dentro dela, segurou seu pênis e libertou quatro jatos de gozo nas costas de Ashley. Logo depois respirou aliviado.

Ambos se jogaram na cama e ficaram encarando o espelho no teto, onde viam o estado que estavam. Os corpos suados, respiração ofegante, cabelos desgrenhados e pele em uma tonalidade avermelhada.

— Você é linda. — Justin falou, fitando a imagem no espelho. Ashley riu. —eu tenho muita sorte de ter você só pra mim. — ele virou para Ashley e a puxou pelos braços para que ela  deitasse em cima do seu peito. — você fica tão sexy assim. — ele a beijou com calma.

Justin beijava Ashley enquanto suas mais escorriam pelas costas da garota até as nádegas, onde ele deu um tapa. A garota resmungou. A boca deixou de receber atenção e ele começou a beijar o pescoço, enquanto ia na direção dos seios da garota. As mãos foram para os mesmos e os apertaram. O garoto começou a suga-los, fazendo Ashley gemer.

— Eles tem um gosto bom. — Justin se afastou e encarou Ashley olho no olho.

— Vai ficar vermelho. — ela olhou para seus seios.

— Tenho que marcar meu território. — o garoto riu sacana.

— Wow! Ele já está querendo mais. —Ashley se afastou um pouco e olhou para o membro de Justin, que estava ereto outra vez.

― Lógico! Com uma mulher gostosa assim, tão perto e se esfregando nele, o que você acha que vai acontecer? ―O garoto usou de ironia, fazendo todos rirem.

― Você não cansa? ― Ashley questionou rindo.

― Com você? Não! ― Justin respondeu rindo.

―  Quer mais uma? ― Ashley apoiou suas mãos no peito de Justin e se ajeitou no colo do mesmo.

― Não  uma, como varias. ― sorriu de lado. ― a noite é uma criança. ― a encarou. ― agora é sua vez de ficar no controle.

 

***

 

Justin e Ashley estavam na banheira, a garota sentada entre as pernas do garoto, tendo suas costas encostada no peito dele.

— Eu pensei que dormiríamos depois que fizemos amor no sofá. — Ashley suspirou.

— “Fizemos amor” — Justin riu. — Nós fodemos, Ash.

— Mas eu gosto de falar assim. — ele a encarou. — Fazer amor é mais bonito.

— Ok! — o garoto concordou. — Mas não vamos dormir nem tão cedo, ainda vamos fazer muito “amor”. — ele a beijou no pescoço.

— Você não está cansado? — A garota riu.

— Não. — riu. — Nunca me canso de te dar prazer, se eu pudesse faria isso vinte e quatro horas por dia. — beijou o pescoço da garota. — você não aguentaria andar. — a garota se arrepiou.

— Já perdi as contas de quantas vezes eu gozei. — a garota sorriu.

— Wow! Alguém aqui está aprendendo o vocabulário proibido. — Justin apertou as bochechas da garota.

— Para! — ela bateu na mão dele.

— Eu já perdi as contas de quantas vezes gozei. — o garoto riu alto. — pretendo te fazer gozar e gozar muito mais. — ele passou as pernas dele em torno da cintura da garota por debaixo d’agua. — Você tem tomado seu anticoncepcional?

— Sim, tomo injeção. — ela o encarou. — é para eu não esquecer de tomar. — mordeu os lábios.

— Espera, hein! — ele deu-lhe um selinho. — vamos fazer uma coisa nova?

— E o que seria?— Ashley perguntou curiosa.

— Que tal uma foda dentro da banheira? — O garoto a olhou com um sorriso malicioso.

— E como é isso? — a garota saiu dos meios das pernas do garoto, ficou de joelhos e virou para ele encarando-o.

Justin fechou as pernas e as encolheu, deixando um certo espaço entre seu peito e suas pernas, era o suficiente para acolher Ashley.

— Vem aqui. — Justin a chamou.

Ashley ficou de pé e posicionou suas pernas nas laterais do corpo do garoto. Justin mediu o corpo, molhado, de Ashley e mordeu o lábio, pegou em uma das mãos da garota e foi puxando para que ela senta-se, a garota sentou no joelho do namorado e escorregou ate suas intimidades se chocarem. Ambos gemeram.

Justin desceu um pouco as pernas para que a garota encaixasse perfeitamente em membro, assim ela fez. Ele sorriu e beijou entre os seios da garota, suas mãos ágeis acariciava a pele da garota por debaixo d’agua.

— Você não sabe o quanto eu gosto dessa sensação, de estar dentro de você. — Justin gemeu enquanto.

 

 

10 horas e 45 minutos,  domingo

( Casa dos Butler)

 

Era uma manhã tranquila na casa da família Butler, a casa estava em silencio, o senhor  e a senhora Butler tomavam seu dejejum conversando sobre coisas banais, até que um barulho forte e vozes quebra o silencio da casa.

― Kimberly, abre essa porta, temos que conversar. ― Ryan esmurra a porta e tenta manter seu tom de voz baixo, mas sem esconder a raiva que nele há.

Não demora e ouve-se o barulho da porta sendo destrancada. Logo em seguida a mesma é aberta e Kimberly encara o irmão com uma cara nada boa.

― Que porra é essa, Ryan? ― A garota pergunta com raiva.

― Eu que te pergunto. ― Ryan dá uma risada debochada. ― você poderia me explicar o que significa isso? ― Ryan jogou as fotos em cima dela, e Kimberly, como reação somente revirou os olhos.

― Não sei do que está falando. ― se fez de sínica.

― Sínica! ― Ryan rosnou e a empurrou para dentro do quarto, entrando rapidamente e trancando a porta.

― O que você está fazendo? Está maluco? ― ela perguntou com raiva.

― Escuta aqui. ― ele a segurou com o braço com força. ― eu acho bom você não arrumar mais problemas...

― Ryan, você está me machucando. ― Ela rosnou.

― E você não sente dó das pessoas que você machuca? ― o garoto apertou ainda mais os braços a irmã. ― Escuta aqui! ― ele a soltou com brutalidade. ― se você ferrar com o namoro da Ashley e do Justin outra vez você vai se ver comigo. ― ele apontou o dedo indicador para a face da irmã. ― pelo amor de Deus, tenta aceitar que ele está feliz com outra e tenta arrumar um outro alguém.

―NUNCA! ― ela gritou. ― Ele é meu, Ryan, e o que é meu ninguém tira. ― encarou o irmão com fúria.

Sem pensar duas vezes Ryan descarregou um tapa na face de Kimberly, que a fez bambear. Incrédula com tal ato do irmão a garota levou uma de suas mãos até o rosto e encarou o irmão com ira.

― Não se atreva a separa-los, esse é meu ultimo aviso. Ele é como um irmão para mim, então, não quero vê-lo sofrendo, outra vez.

Sem dizer mais nada Ryan saiu do quarto e bateu a porta. Kimberly ainda encarava o nada e uma lágrima de ódio escorreu pelos seus olhos, ela a limpou rapidamente, com ira.

― Você me paga, Ryan! ― rosnou. ― é agora que esse namoro não fica de pé, e dessa vez será definitivo. ― ajeitou seus cabelos e arrumou a postura. ― eu juro!   


Notas Finais


Releiam esse cap muitas vezes, porque hot como esse não vai acontecer por um bom tempo. Emfim, a parada das fotos vai se desenrolar e é no proximo capitulo.

Bom, comentem bastante, lembre-se isso é um incentivo.,

bjs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...