História Vegeta - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Dragon Ball
Tags Bulma, Dragon Ball, Vegeta
Visualizações 47
Palavras 1.266
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Lírica, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Visual Novel
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 3 - A responsabilidade de ser um irresponsável


Fanfic / Fanfiction Vegeta - Capítulo 3 - A responsabilidade de ser um irresponsável

— Não acredito que agora a sua vida se resuma a ser a empregada do príncipe Vegeta - Yamcha frisou bem a palavra " príncipe" em um tom carregado de ironia -  e digo mais com direito a comidinha na boca e tudo.

— Não seja ridículo Yamcha, será que não percebe que Vegeta é de grande ajuda se não essencial na luta contra os androides! - Bulma respondeu tentando manter a calma porque sabia que se perdesse a cabeça as coisas so tendiam a piorar.

— Bulma eu te conheço e não é de ontem você e eu sabemos muito bem que isso não passa de uma desculpa! uma desculpa idiota para ficar ali rodeando ele igual uma mosca de padaria!

— GRR Mosca de padaria? é essa a visao que você tem de mim Yamcha? - Bulma vociferou trêmula de ódio como ele ousava falar com ela daquela forma.

— Não fique se fazendo de ofendida sabe muito bem que é verdade, você fica o dia inteiro inventando e concertando mil robôs em prol do prazer do Vegeta, nunca vi voce fazer nada parecido por mim.

— Nao seja ingrato. Se eu faço isso é porque pelo menos ele valoriza as minhas invenções e o meu trabalho! - Yamcha gargalhou não era possível que Bulma estivesse mesmo dizendo aquilo "Vegeta valorizar alguém?" so podia ser piada - É verdade sim que o Vegeta sempre me procura e quer SIM cada vez máquinas ainda mais poderosas, me desafiando a cada dia como cientista! ja você nao, você sempre se isolou em desertos para treinar preferindo lutar em qualquer lugar menos aqui, então não me venha reclamar de atenção sobre isso.

— Ah então deixa eu ver se entendi, agora a culpa é minha, é isso?

— Exatamente, se você fosse determinado e forte como Vegeta talvez não estivessemos nessa situação.

— Quer saber Bulma fica ai defendendo e endeusando aquele maldito assassino. Mas saiba que isso so vai durar até o momento em que ele precisar de você, porque a partir do momento que não precisar mais Booooow ele vai te matar assim como fez com Nappa e todos os seus comparsas, eu tenho pena de você!

Bulma estava cada vez mais assustada com os gestos e sobretudo com as palavras de Yamcha, ele parecia um louco e o pior de tudo suas últimas palavras faziam total sentido. Seus olhos arderam um pouco mais, e dessa vez ela percebeu quando algumas lagrimas escorreram e molharam o rosto alvo.

A discussão entre Bulma e Yamcha era tão alta que era capaz de ser ouvida por quem se aproximasse especialmente Vegeta que estava ao pé da escada, ouvindo e assistindo a tudo de camarote com um sorriso torto nos lábios, ficando envaidecido a cada palavra que ouvia.

Yamcha era um verme um ser fraco e inferior que conseguiu a proeza de ser morto por um saibaman. Bulma ja deveria ter aprendido como um macho de verdade deve agir e mesmo que de um jeito primitivo o próprio Vegeta ja havia feito questão de demonstrar a ela quando massacrou Zarbon em sua frente.

Forte, impiedoso, um vencedor...

Tudo o que Yamcha não era. O sorriso nos lábios de Vegeta so desapareceu quando seus olhos enxergaram de relance uma Bulma destroçada e chorosa passar batida por ele como um raio, indo em direção a o quarto.

Naquele momento Vegeta não soube bem porque mas sentiu uma imensa vontade de matar Yamcha da maneira mais dolorosa possível, e pior ainda sentiu uma estranha vontade de consolar Bulma.

 De repente se viu bem ali, parado, estatico em frente a porta do quarto de Bulma totalmente sem reação ou sem saber o que fazer.

Vegeta fechou os olhos pressionando-os com força tentando resistir a tentação de entrar naquele quarto e tomar aquela terráquea em seus braços, impedindo-a que derramasse mais lágrimas, sentiu-se um fraco so por cogitar tal possibilidade.

 E ainda tomado por um impulso Vegeta deu algumas batidas na porta, entretanto se arrependeu de imediato.

— Vegeta é você? - disse Bulma choramingando.

 Quando Bulma abriu a porta e não viu ninguém olhou para os lados procurando a pessoa que tanto queria que fosse, sentiu-se uma boba, por pensar que poderia ser Vegeta, sorriu forçosamente acenando negativamente com a cabeça, era obvio que era mais uma vez sua mente lhe traindo e forçando-a a acreditar em sonhos impossíveis, ou que Vegeta fosse capaz de se importar com mais alguém que não fosse ele.

Que idiotice a dela

*

Goku havia acordado bem tarde aquela manhã, era quase 12:00 e so se lembrava de ser acordado a os gritos por Chichi que lhe reclamava sem parar sobre o fato de Gohan estar treinando e não estudando e tambem por ele sempre fazer corpo mole para não trabalhar.

— Mas Chichi por favor se acalme eu prometo que depois do almoço, eu vou me empenhar e vender todos os nossos legumes...

— Ja era pra você ter feito isso a muito tempo Goku que exemplo você quer dar pro Gohan hein? - Chichi gritava a plenos pulmões ficando vermelha de tanta raiva - não é atoa que por sua culpa e daquele homem verde o menino está se tornando um delinquente!!

— Não Chichi por favor, não chore, eu vou agora, eu estou indo... - Goku gaguejou e sem mais delongas colocou dois dedos sobre a testa e fez o teletransporte.

O que deu meio errado. Primeiro que Goku estava sozinho e acabou esquecendo do mais importante, os vegetais! segundo que Goku não estava no meio de uma feira de tão atrapalhado que saiu de casa Goku não se deu conta para onde a técnica do teletransporte o estava levando até ouvir vozes.

— G-Goku o que faz aqui - perguntou Yamcha se assustando ao se deparar com a presença do inusitado sayajin em seu quarto.

— Yamcha? Lunch? o que fazem aqui... e vocês estao PELADOS!! - perguntou Goku calmamente até que seu tom oscilou e ficou mais alto ao pronunciar a última palavra, fazendo com que o próprio esbugalhasse os olhos ao se dar conta do que via.

— E-Eu posso explicar.

— Não é para tanto o Goku tem esse jeito de lerdo mais ele é homem, sabe bem como essas coisas funcionam.

Lunch cerrava as unhas e mantinha a sua postura frívola e calma, enquanto o atrapalhado Yamcha se atrapalhava cada vez mais em se explicar.

— Goku amigão, você não vai falar nada para Bulma nao é? a situação entre nós ja não anda boa se você contar pra ela nós terminamos de vez.

 — Você ainda gosta da Bulma? - Goku perguntou estranhando a atitude do amigo.

— Eu amo a Bulma! - Yamcha praticamente sussurrou para não ser ouvido por Lunch.

— Entao porque está traindo ela, isso é errado, eu nao posso compactuar com isso a Bulma é minha amiga - Goku agora não tinha a melhor das feições e o seu tom de voz ja não era tão amigável.

— Mas eu também sou seu amigo e pensa bem, se você contar isso a ela, Bulma vai ficar muito triste, é capaz até de te odiar pior é capaz com que ela morra de tristeza Goku e se isso acontecer a culpa vai ser toda sua.

Yamcha dava soquinhos nos ombros o encorajando-o a tomar a melhor decisão, a melhor decisão para o bem estar dele é claro.E dizendo isso, Yamcha por estar atrás de Goku acabou perdendo a súbita expressão de confusão que estava estampada no rosto do bondoso sayajin que chegava a suar e sentir seu cérebro fumaçar em pensar no que seria melhor a se fazer... era de fato uma responsabilidade muito grande.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...