História Veja o mundo com outros olhos. - Solangelo. - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Mitologia Grega, Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Annabeth Chase, Apollo, Bianca di Angelo, Calipso, Hades, Hazel Levesque, Jason Grace, Leo Valdez, Nico di Angelo, Percy Jackson, Piper McLean, Rachel Elizabeth Dare, Reyna Avila Ramírez-Arellano, Thalia Grace, Will Solace
Tags Escolar, Jasiper, Percabeth, Romance, Solangelo
Visualizações 31
Palavras 954
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Crossover, Escolar, Ficção, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir culturas, crenças, tradições ou costumes.

Notas da Autora


Decidi colocar essa imagem só porque ela é perfeita mesmo.
Já aviso que o capítulo de hoje será impactante e também triste.
Por favor não me matem e


AI MEU KOKORU! NÃO ACREDITO!
800 EXIBIÇÔES?! EU ESTOU MUITO FELIZ!
OBRIGADAAAAAA! :3

Boa leitura <3
Será dividido em duas partes.

Capítulo 16 - Uma alma que irá fazer falta. Parte 1.


Fanfic / Fanfiction Veja o mundo com outros olhos. - Solangelo. - Capítulo 16 - Uma alma que irá fazer falta. Parte 1.

Nico sabia que Will iria ficar uma fera com ele, porém ele sentia, no fundo de seu peito, que precisava salvar sua irmã. Tirando Bianca, Hazel era a única pessoa viva de sua família mortal, não poderia deixá-la morrer sem fazer nada, seria muito egoísta de sua parte e não seria Nico.

O moreno se teletransportou para um lugar completamente escuro, se sua irmã não estivesse correndo perigo, poderia jurar que a escuridão lhe trouxe uma paz, porém a mesma nem foi notada por causa do pânico do garoto. Nico olhou em sua volta, um tanto confuso, que sala era aquela? Ele não sentia mais a presença de Hazel, porém ele sabia que estava viva. Ela precisava estar viva.

O impacto seria muito forte e, provavelmente, Nico não iria conseguir viver.

O garoto andou rapidamente pela sala escura, tateando com as mãos cada canto do lugar, na esperança de encontrar uma saída ou alguma luz. Parece que está começando a ficar sufocado e mais frio. O moreno começou a tremer, os olhos semicerrados, já que se deixasse eles completamente abertos, uma dor de cabeça forte se surgiria.

- O que está acontecendo? - perguntou para si mesmo, com as mãos em torno de seu corpo, na tentativa de esquentá-lo e com uma fumacinha saindo de sua boca. Seus passos estavam cada vez mais fracos, não escutava nenhum ruído ou sinal de vida.

Nico ouve um barulho, como se fosse um estrondo, atrás dele. Seu subconsciente dizia " Corra! ", porém Nico queria saber o que tinha ali, o que estava ocorrendo. 

O garoto se virou um pouco, afim de ver de onde veio o barulho ou quem o fez. 

Um vulto passa correndo por ele, Nico , automaticamente, puxou sua espada. Não estava afim de morrer, aliás, tinha uma irmã para salvar.

Olhou em sua volta, ainda com os olhos semicerrados, ele sentia o frio dominar seu corpo, cada vez mais. Será que esse é o seu fim? Morrendo congelado numa sala completamente estranha, numa missão que ele mesmo propôs? Vamos lá, esse não é o Nico que conhecemos.

O moreno balançou sua cabeça, afim de diminuir o frio, não podia deixar o mesmo dominá-lo por completo, tem, deve , se controlar e tomar o total controle de seu corpo e suas ações. 

Olhou em sua volta, completamente focado em matar aquela silhueta, nem que se fosse preciso morrer para fazer isso, esse sim é o Nico que conhecemos, não um qualquer que desiste facilmente. 

O barulho ecoa novamente pela sala fria e obscura, Nico sente um arrepio percorrer pelo seu corpo, e uma respiração gelada contra seu pescoço, rapidamente se vira e acerta em cheio em alguma coisa dura como pedra:

- Quem é você? - diz o filho de Hades, com um pouco de raiva dominando seu corpo, é melhor isso do que o frio, não é?

Nico vê melhor a coisa que acertou e se depara com uma armadura, está estranhamente quieta, ele consegue sentir a presença de um monstro no ambiente:

- Responda! - gritou, autoritário e com a espada apontada para o peito da armadura.

De repente, a mesma começa a se remexer e um frio, um tanto ruim e desconfortável, se instala no lugar.

Espíritos do vento. Pensou.

Nico, enquanto se concentra em encontrar um plano decente, já que não é tão fácil matar esse tipo de monstro. Quem será que mandou eles aqui? Talvez Éolo, mas até onde o filho de Hades saiba, não tinha nenhuma dívida com o deus.

A armadura começa a se remexer mais e mais, enquanto o frio fica mais forte, Nico começa a senti-lo novamente. Se concentrava em apenas duas coisas: Não deixar o frio dominá-lo e matar aquele monstro, assim ele poderia salvar sua irmã, conseguia, novamente, sentir sua presença, apenas alguns andares mais abaixo.

Observou em sua volta. Cordas, arames, gaiolas... Gaiolas! 

Uma ideia surgiu na pequena mente do garoto, sabia que não era muita coisa a se fazer, porém era a única coisa que conseguiu pensar sob pressão. 

Correu na direção de uma das gaiolas, jogou sua espada e derrubou algumas cordas e pulou numas caixas, para pegar alguns arames. Tudo isso demorou alguns minutos, o monstro já estava quase saindo de seu esconderijo. Alguém provavelmente o prendeu ali. Mas... quem?

Nico desviou seus pensamentos e se concentrou no plano, que seria o seguinte: Amarrar uma das gaiolas em cima duns ganchos que havia ali, com um pedaço de corda, logo iria prender um tufo de arame dentro da gaiola, assim o monstro iria se machucar com tantos arames o perfurando e Nico não precisaria lutar, precisava apenas atrair o espírito para a armadilha. 

Nico não conseguiu pensar em nada, então decidiu usá-lo como isca. Fazer o que, o monstro já estava saindo dali.

De repente, com um movimento brusco, o espírito saiu do seu esconderijo e voou loucamente pela sala, a procura de Nico, o mesmo estava ao lado da gaiola, apenas esperando o momento certo. O risco era grande, as cordas não iram aguentar muito tempo, ainda mais com o peso do garoto, então rezou para os deuses, para que aquele espírito fosse rápido o bastante para perceber que o que estava procurando estava bem na sua frente.

O monstro parou de se mexer, e se virou lentamente na direção do garoto e da armadilha, Nico achou melhor descer, senão o espírito poderia derrubar a gaiola e ele iria se machucar, e muito. 

Se soltou de sua armadilha e correu na direção oposta do monstro, o mesmo rapidamente voou em sua direção. Nico conseguia sentir o frio se aproximando, então se virou rapidamente, e correu na direção da gaiola.

Agora é uma questão de vida ou morte.


Notas Finais


Eu irei postar mais um capítulo, agora mesmo, só que meu irmão precisa usar o computador, então...
Vejo vocês daqui a pouco <3
Comentem :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...