História Veja o mundo com outros olhos. - Solangelo. - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Mitologia Grega, Os Heróis do Olimpo, Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Afrodite, Akhlys, Annabeth Chase, Apollo, Ares, Artemis, Atena, Atlas, Bianca di Angelo, Bóreas, Butch Walker, Calipso, Caronte, Charles "Charlie" Beckendorf, Chris Rodriguez, Cimopoleia, Clarisse La Rue, Connor Stoll, Cronos, Dakota, Dionísio, East, Éolo, Éris, Eros (Cupid), Febe, Frank Zhang, Frank Zhang, Frederick Chase, Geras, Gleeson Hedge, Grover Underwood, Gwendolyn "Gwen", Hades, Hazel Levesque, Hazel Levesque, Hefesto, Hera (Juno), Hermes, Hiperíon, Hylla Ramírez-Arellano, Íris, Jano, Jápeto, Jason Grace, Jason Grace, Júniper, Katie Gardner, Leo Valdez, Luke Castellan, Malcolm, Miranda Gardiner, Mitchell, Nêmesis, Nico di Angelo, Niké (Nice), Oceano, Octavian, Octavian, Paul Blofis, Percy Jackson, Perséfone, Personagens Originais, Phobos, Piper Mclean, Piper McLean, Pollux, Poseidon, Prometeu, Quíron, Rachel Elizabeth Dare, Reyna Avila Ramírez-Arellano, Sally Jackson, Silena Beauregard, Thalia Grace, Tique, Travis Stoll, Treinador Gleeson Hedge, Tyson, Will Solace, Zephyros, Zeus, Zoë Nightshade
Tags Escolar, Jasiper, Percabeth, Romance, Solangelo
Visualizações 31
Palavras 909
Terminada Não
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir culturas, crenças, tradições ou costumes.

Notas da Autora


Oi!
Aqui estou eu novamente!
Boa leitura 💙

Capítulo 17 - Uma alma que irá fazer falta. Parte 2



Nico agradeceu aos deuses, aquele espírito era um tanto burro. Caiu facilmente na sua armadilha mal elaborada. Agora tinha que correr, necessitava salvar sua irmã, senão ele nunca iria se perdoar.

Vê-la morta seria uma dor e tanta, e se ele falhar em sua missão, iria sofrer eternamente.

Sentiu um peso no coração apenas de pensar nessa possibilidade. Não, ele não iria deixar que isso acontecesse. 

Correu na direção da saída, aquele espírito poderia rapidamente sair da armadilha e Nico iria perder mais tempo.

Logo depois de fechar a porta que tinha achado uns segundos antes do monstro aparecer, se encontrou num corredor mal iluminado e um tanto assustador.

Andou cautelosamente, olhando sempre o ambiente, principalmente quando um ruído estranho ecoava pelo lugar. Ele sentia que Hazel estava por perto, necessitava salvá-la.

Correu quando encontrou algumas escadas, as desceu rapidamente, ainda receoso por causa do espírito de minutos atrás, confessou que já estava ficando com medo das luzes piscando naquele corredor estanho, apenas o fato de o Monte Erbott ser reconstruído novamente e de que sua irmã estava presa ali, já causava um arrepio em seu corpo.

Quando chegou no fim da escada, havia mais um corredor, dessa vez bem iluminado.

Andou por ele, suas paredes de pedra estavam cheias de desenhos.

Contava uma história um tanto macabra.

Uma criança que foi amaldiçoada por simplesmente nascer, seus pais morreram e ela vivia sozinha em sua tribo, Nico já sabia quem era aquele ser. 

Térlope.

Conta a história de uma gigante, que sempre foi excluída do mundo, por seres iguais e diferentes. Ela era uma criança normal, que apenas queria viver em paz. Porém, um dia, uma proposta foi feita, ela poderia viver do jeito que quisesse, no entanto, deveria guardar um morro, o qual hoje é conhecido como Monte Erbott.

Há vários desenhos da gigante matando inocentes, que apenas estavam aqui por turismo, ou semideuses em missões.

Nico decidiu sair rapidamente daquele lugar, não o deixava muito confortável saber que estava no lugar aonde a gigante, mais conhecida como matadora de inocentes, morava.

Logo ele chegou num lugar completamente quente, havia uma ponte, aonde levava para o outro lado. Nico conseguia ver vários monstros guardando aquele lugar, tinha uma enorme porta, que estava fechada por correntes. 

O calor começou a se instalar pelo ambiente, e o garoto precisou tirar a jaqueta. Por que Hades estava tão quente ali? Alguns minutos atrás ele se encontrava num local completamente frio.

Agora ele pode realmente comprovar que o Monte Erbott é estranho. Há Hazel como testemunha, pelo menos é o que Nico pensa.

Provavelmente, está meio óbvio, se ele passar pela ponte aqueles monstros irão atacá-lo, porém ele conseguia sentir que Hazel estava atrás daquela porta, só há uma coisa que precisa ser feita.

Nico brandiu sua espada negra, e foi se locomovendo lentamente, sempre se encolhendo atrás de paredes completamente quentes quando algum monstro olhava em sua direção, todos estavam desconfiados. 

É estranho eles não sentirem a presença do filho de Hades, talvez sejam projetados para proteger apenas aquela porta, nada mais. Isso fez um peso sair das costas de Nico, porém, se ele se arriscar sair matando todos, ele vai acabar bem cansado e machucado, não teria mais forças para salvar Hazel, teria alguém ali para observá-la, é esse alguém com certeza seria Térlope.

Nico franziu a testa, ele não consegue pensar em planos quando está sob pressão.

De repente ele ouve um ruído na direção dos monstros, uma explosão e só sobrou poeira para contar história.

Nico arregalou os olhos, quem fez isso? Não é normal que tenha alguém aqui:

– Agora eu sei porque meu pai apareceu para mim e me entregou essas bombinhas. 

O moreno deu um mini pulo e soltou um grito ao ouvir isso bem atrás dele:

– Acalme-se, sou eu, Will. - diz o loiro, colocando a mão no ombro do outro. 

O garoto olha imediatamente na direção de Will, claramente surpreso:

– Sim, eu sei que você está confuso para saber como entrei aqui, mas... - antes que o loiro pudesse terminar, foi interrompido por alguém pulando em seus braços.

Ele conseguia sentir o choro de Nico, suas lágrimas molhando sua camiseta. Porém nem ligava, apenas abraçou o menor com força, afim de passar carinho, e mostrar de que ele estava aqui por Nico:

– Eu estou inseguro quanto a Hazel.... é de ela morrer? Eu irei me sentir muito culpado por não fazer nada! - susurrou, ele está chorando muito, Will conseguia sentir suas fungadas daqui.

– Shhh... vai ficar tudo bem, nós iremos salvá-la. - Nico levanta seu olhar rapidamente para o loiro, que abriu um enorme sorriso para o menor. Ele limpou uma lágrima que escorria por sua bochecha e fez carinho na mesma com o polegar. - Sabe que sempre estarei aqui para você. 

Nico abriu o sorriso mais radiante e feliz que Will já viu na face da terra, aquilo aqueceu seu coração de um modo inexplicado:

– Agora vamos. Temos uma irmã para salvar. - diz Will, levantando e esticando a mão para o menor, que pegou a mesma sem pensar duas vezes. 

– Certo, seja lá quem fez isso, irá se arrepender de mexer com a dupla Solangelo! - diz Nico, motivado e determinado. Por algum motivo, quando ele se sentia triste, sempre que Will, seu raio de sol, chegava, trazia consigo mesmo uma paz , que era instantâneamente passada para o menor. Isso fez o mesmo sorrir.

Nico puxou Will pelo braço e correu na direção da ponte, o seu modo de batalha voltou, porém dessa vez, mostrando um di Angelo mais feliz.


Notas Finais


Bem...
Terá uma parte três.
E a parte três que vocês vão querer me matar mesmo.
Já aviso para se prepararem! Hoje terá mais um capítulo.
Comentem :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...