História Veja o mundo com outros olhos. - Solangelo. - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Mitologia Grega, Os Heróis do Olimpo, Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Afrodite, Akhlys, Annabeth Chase, Apollo, Ares, Artemis, Atena, Atlas, Bianca di Angelo, Bóreas, Butch Walker, Calipso, Caronte, Charles "Charlie" Beckendorf, Chris Rodriguez, Cimopoleia, Clarisse La Rue, Connor Stoll, Cronos, Dakota, Dionísio, East, Éolo, Éris, Eros (Cupid), Febe, Frank Zhang, Frank Zhang, Frederick Chase, Geras, Gleeson Hedge, Grover Underwood, Gwendolyn "Gwen", Hades, Hazel Levesque, Hazel Levesque, Hefesto, Hera (Juno), Hermes, Hiperíon, Hylla Ramírez-Arellano, Íris, Jano, Jápeto, Jason Grace, Jason Grace, Júniper, Katie Gardner, Leo Valdez, Luke Castellan, Malcolm, Miranda Gardiner, Mitchell, Nêmesis, Nico di Angelo, Niké (Nice), Oceano, Octavian, Octavian, Paul Blofis, Percy Jackson, Perséfone, Personagens Originais, Phobos, Piper Mclean, Piper McLean, Pollux, Poseidon, Prometeu, Quíron, Rachel Elizabeth Dare, Reyna Avila Ramírez-Arellano, Sally Jackson, Silena Beauregard, Thalia Grace, Tique, Travis Stoll, Treinador Gleeson Hedge, Tyson, Will Solace, Zephyros, Zeus, Zoë Nightshade
Tags Escolar, Jasiper, Percabeth, Romance, Solangelo
Visualizações 34
Palavras 1.716
Terminada Não
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir culturas, crenças, tradições ou costumes.

Notas da Autora


Bem.... por favor, não me matem :P
Alguns de meus leitores já sabem o quanto eu sou má, então... em algum momento, iria ter uma cena dessas, não depende da fanfic ou do contexto, em minhas fanfics sempre terá.
Espero que gostem do capítulo e...
Boa leitura <3
E OBRIGADA PELOS 30 FAVORITOS! AMO VOCÊS MUITO :3 IREI ESCREVER UM ESPECIAL AMANHÃ Q-Q
Eu não sei porque estou tão feliz sendo que vocês vão me matar e me odiar daqui a cinco minutos.

Capítulo 18 - Uma alma que irá fazer falta. Parte 3.


POV Nico

Enquanto eu puxava Will pelo braço, pude ver que ele olhava meio confuso para o ambiente em seu redor, não que eu não esteja confuso, ele apenas está mais.

Observo seu rosto enquanto corremos pela ponte enorme que separa um lado do outro. No chão há lava, agora entendo o motivo de aqui estar tão quente assim:

- Você já esteve aqui antes? - perguntou Will.

O olho confuso, que tipo de pergunta é essa?

- Não. 

Continuamos a correr pela ponte, até chegarmos no final da mesma, essa sim foi uma corrida extensa. Ambos estamos ofegantes, Will está com suas mãos nos joelhos enquanto eu observo a porta trancada pelas correntes:

- Como vamos quebrar isso aqui? Claramente as bombinhas que seu pai te deu não irão funcionar, olha a grossura disso. - digo, pegando em uma das correntes, elas eram enormes e bem pesadas.

Will olha a porta com curiosidade, ele está pensativo, provavelmente deve estar pensando em algum plano ou algo do tipo... é incrível o modo de como ele fica focado nesses momentos, normalmente ele é assim nos hospitais que têm no Acampamento:

- Bem.... já que uma bombinha não vai funcionar, nós podemos fazer um amontoado de bombinhas. É uma ideia idiota, porém há uma Hazel que está na beira da morte ali dentro, então qualquer opção é aceita. - comentou Will, pegando umas 7 bombinhas de seu bolso. - Tem alguma coisa para prender.

Coloco minhas mãos no bolso de minha jaqueta, que estava amarrada em minha cintura, sinto algo estranho...

É claro! Os arames!

Os pego rapidamente e entrego para Will, ele os olha com curiosidade:

- Aonde você encontrou isso? 

- Eu me teletransportei para uma sala, que era bem fria e escura por sinal, e apareceu um espírito do vento por lá, então eu fiz uma armadilha com isso aí. - digo, apontando para o arame. Will acena com a cabeça e começa a amarrar uma bombinha na outra. Ele faz com cuidado, porém rapidamente, isso é bom:

- Tcharam! - ele me mostra as bombinhas, todas juntas, formando uma esfera. 

- Acho melhor a gente se afastar, se não quisermos morrer. - digo, apontando para as bombinhas.

Will concorda com a cabeça:

- No 3. - diz. Eu olho para a porta. - Um, dois , três! Corre!

Nós dois corremos o máximo que podemos enquanto Will ativa as bombinhas e em questão de segundos uma enorme explosão é feita.  A fumaça consegue nos pegar e caímos no chão. Uma dor percorre meu corpo e ouço Will soltar um gemido de dor, bem, vamos ligar os fatos, cair num chão completamente duro quando você está sem armadura não deve ser muito confortável, não é?

Tusso por causa da fumaça, seguido de um ataque de gritos de Will:

- Você está bem? Se machucou? Não está doendo nada? - grita, se aproximando de mim.

Ele me senta no chão e me toca no rosto e na barriga:

- Eu estou bem, agora pare de me tocar! - digo, inclinando meu pescoço para olhar melhor a porta.

- Certo, fique aqui, eu vou ver se conseguimos. - disse, se levantando. 

Seguro seu pulso e ele olha para mim, confuso:

- Eu vou com você. - digo, decidido.

Antes que Will possa abrir a boca para reclamar, já estou a uns cinco metros na frente dele. Tudo o que eu queria era ter uma vida normal, é pedir muito? Coloco minha jaqueta, não ligando para o calor que se manifestou ali e caminho pela fumaça, abanando meu rosto e deixando escapar algumas tosses, tirando isso, está tudo bem. Apenas o fato de que minha irmã está a beira da morte numa sala que eu nem sei se consegui abrir, e o pior, deve ter uma gigante assassina se assegurando de que ela não vai sair dali, o que é meio óbvio:

- Volte aqui Nico! - grita Will, correndo para me alcançar, ele está ofegante.

Eu paro de andar, enquanto ele se aproxima de mim e coloca as mãos nos joelhos:

- Da para ver se a porta se abriu? - comentou, sua respiração um tanto acelerada, e , por incrível que pareça, consigo ouvir seus batimentos cardíacos.

- Não. Vamos. 

Continuo minha caminhada, com um Will tentando recuperar sua respiração logo atrás, estou com receio de encontrar a porta aberta e aparecer uma gigante com um facão vindo nos matar:

- Acho que daqui da para ver. - disse Will, apontando para um muro que há ali. - Eu posso pegar um ventilador que Apolo também me deu, eu também fiquei confuso na hora, - ele comenta ao ver minha expressão. - mas agora eu entendo o motivo, e se Térlope nos ver, estaremos ferrados, temos que recuperar pelo menos um pouco de nossa energia, senão nós não vamos conseguir salvar Hazel e os outros.

É verdade! Como eu pude esquecer dos outros? Minha mente estava tão focada em proteger minha irmã a todo custo, que eu acabei esquecendo que temos outras pessoas para salvar:

- E, deixe-me adivinhar, você claramente se esqueceu que há os outros. - comenta Will, decidido. Bem... minha poker face não é as das melhores.

Engulo em seco antes de me sentar ao lado de Will. Coloco minha cabeça em seu ombro enquanto ele procura um ventilador dentro duma bolsa, que eu chuto ser a que Apolo deu para ele:

- Achei! 

Olho para ele pelo canto do olho enquanto liga o ventilador, a fumaça começa a sumir, cada vez mais rápido.

Observo o ar, parece que a atmosfera ficou mais calma agora, uma paz se instala no lugar e eu até penso em fechar meus olhos, com Will fazendo cafuné na minha cabeça não dá para não relaxar, porém um estrondo vindo, provavelmente, de onde a porta estava , ecoa pela sala vazia. 

Eu e Will nos olhamos ao ouvir um grito de guerra, não de um gigante, mas sim, de uma garota, a qual eu acredito ser Hazel.

Sinto a determinação fluir em meu corpo, a esperança se torna mais forte. Ela está viva:

Vamos. - disse Will, me puxando pelo braço enquanto pega uma flecha e coloca no arco. Saio de meu transe e brando minha espada, temos que ajudar uma irmã que está sã e salva, pelo menos é o que eu espero.

Corremos, pelo menos eu corri enquanto Will se certificava de que tinha flechas o suficiente. Conseguia sentir a adrenalina percorrer por todo meu corpo, a esperança de que Hazel estava bem me deixava tão feliz, mais do que tudo nessa vida. 

Ao alcançarmos a porta, damos de cara com minha irmã se desprendendo de correntes, é impressionante o modo de como ela ficou tão forte, apenas para se salvar:

- Hazeeeeeeeeel! - gritei ao ver ela. A mesma me olha rapidamente, e lágrimas se surgem em seus olhos âmbar, como eu senti saudade daquele sorriso, daquele cabelo, como eu senti saudade dela.

Will acena para ela com a cabeça, de repente sua expressão se torna séria ao notar uma gigante pegando um facão e uma seringa e vindo em nossa direção:

Merda. - digo baixinho, Hazel olha para o monstro com um pouco de medo, mas logo conjura uma enorme pedra e joga na direção da gigante, que , como estava focada em nós, acabou não percebendo que iria ser atingida por uma rocha.

Nem deu tempo do monstro se desviar, quando vimos, a mesma já estava no chão, com a cabeça sangrando.

Hazel desce por umas escadas que havia ali e pula de bloco em bloco para não cair na lava. Abro meus braços para recebê-la, porém ela passa correndo por mim e grita:

- VENHAM LOGO! 

Antes que eu possa reclamar, sinto um braço ( enorme ) me puxando e me erguendo no ar:

- NICO! - gritaram Hazel e Will ao mesmo tempo, eles me olharam aterrorizados e depois se encararam, deram um aceno de cabeça e correram em direção opostas.

Eles por acaso fizeram telepatia?

Agora não é hora, eu interior. Sorte minha que a gigante era bem lerda, porém era bem forte também.

Ela me puxou e me jogou bem alto, logo me pegou com a outra mão e começou a fazer uma espécie de malabarismo comigo. Qual é! Eu odeio circos!

Sinto meu estomago se revirar, eu não comi nada... e não estou afim de vomitar nada também.

Ouço sons de passos e me deparo com mais um grito de guerra, dessa vez masculino, e um som de espada fazendo um corte numa carte. Will conseguiu usar uma espada... pela primeira vez... estou pasmo!

Logo vejo mais uma pedra voar em nossa, ou melhor, minha direção:

- Abaixe-se Nico! - gritou Hazel, que vinha correndo, conjurando pedras para andar no ar e vindo em nossa direção, posso ver algumas gotas de sangue em sua testa e ela está se esforçando muito para se manter acordada.

Obedeço seus comandos e a pedra passa raspando pela minha cabeça, batendo com tudo no nariz na gigante, a fazendo tropeçar e cair, com um Will segurando sua orelha e um Nico ( eu ) preso em seus braços:

- Se segurem! Agora teremos que fugir, é meio impossível matá-la! - gritou Hazel. Por algum motivo, consigo sentir sua respiração ofegante daqui.

O monstro solta um gemido alto de dor, sua mão que estava me segurando se solta e eu caio de cara no chão:

- Ai... - resmungo me levantando. Will corre em minha direção e simplesmente pula em mim.

- Você está bem? Se machucou?

- Sim, estou bem e não, não me machuquei, obrigado. - resmungo, colocando a mão em minha bochecha, não está sangrando porém está doendo.

- NICO! QUE SAUDADE! - gritou minha irmã, se preparando para pular em meus braços.

Porém antes de que ela possa fazer essa ação, uma mão ( enorme, sim , de novo. ) a ergue no ar, enquanto ela grita, provavelmente a gigante a pegou num ponto fraco. 

E antes que eu possa fazer algo, o monstro a joga na lava, com uma força incrível. Só pude ouvir um grito de  " eu te amo " vindo dela.

E esse sou eu, vendo minha irmã morrer sem poder fazer nada.

 


Notas Finais


NÃO ME MATEM! * desvia de balas *
Amanhã eu vou fazer um capítulo especial, comemorando as 800 exibições e os 30 favoritos :3
Muito obrigadaaa!
Comentem <3
Eu sei que a partir de hoje, vocês me odeiam..


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...