História Velha Infância - Capítulo 38


Escrita por: ~ e ~GN_001

Postado
Categorias Alexandre Nero, Giovana Antonelli
Personagens Alexandre Nero, Giovana Antonelli
Tags Colegial, Romance, Sexo
Exibições 345
Palavras 1.128
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura :)

Capítulo 38 - Fantasia


Alexandre e Giovanna saíram do cinema direto pra casa, estavam cansados o dia tinha sido animado, porem cansativo.

G – Lar, doce lar. Suspirou assim que entrou em casa.

N – nossa! A Amora sugou todas as minhas energias com aquelas compras. Alexandre largou as chaves e se jogou no sofá.

G – confesso que o cinema me deixou preguiçosa. Jogou-se ao lado dele no sofá.

N – você dormiu praticamente o filme todo piralha. Alexandre soltou uma gargalhada.

G – Foi só da metade pra frente... E você também não me ajudou muito, ficou passando a mão no meu cabelo, durmo mesmo. Disse com um sorrisinho de canto.

N – está com fome? Alexandre perguntou mudando de assunto.

G – sim... Respondeu com os olhos fechado, se deitando no peitoral de Alexandre.

N – Vou pedir uma comida para nós, hoje não estou afim de cozinhar. Disse envolvendo os braços no pequeno corpo da garota.

G – Eu também não... Sorriu.

N – você nem sabe cozinhar... Passou o indicador no nariz dela.

G – Não sou uma chefe de cozinha, mas sei fazer algumas coisas... Deu ombros.

N – um dia você mostra esse dotes, por que eu ainda não conheço.

G – tenho muitas qualidades meu querido, muitas. Falou em tom de brincadeira.

N – disso eu não tenho duvidas. Deu um beijo casto em sua testa.  

Os dois ficaram um tempo em silencio nenhum dos dois disseram nenhuma palavra a mais, não se ouvia barulho algum, Giovanna estava com os olhos fechados e Alexandre com a cabeça encostada no sofá e os olhos fixos no teto, pensando em algo. Olhou para Giovanna em seus braços passou a mão pelos cabelos dela, descendo para o ombro e braço, fazendo um carinho singelo. Ele poderia jurar que aquela sensação que estava sentindo com ela ali naquele sofá, era uma das melhores que já sentiu em toda sua vida, naquele momento ele estava convicto de que era ao lado dela que ele gostaria de construir uma vida, ter filhos, dividir os melhores e os piores momentos, ali ele descobriu que aquela que estava em seus braços era a mulher da sua vida.

G – esta tudo bem? Perguntou quando ouviu um suspiro longo vindo dele.

N – tudo ótimo... Falou a abraçando mais forte. 

G – eu Amo seu abraço se urso. O abraçou também.

N – Só o abraço? Fez graça.

G – do abraço e de algumas outras coisinhas também ... Sorriu ao falar o fazendo sorrir também.

G – vou tomar um banho, pede alguma coisa pra gente comer... Disse ficando em pé na frente dele.

N - Vou pedir e também vou subir tomar um banho... Levantou – se também, dando um selinho nela.

Giovanna foi para o quarto levando junto à sacola que havia ganhado de Amora, ao chegar jogou o presente sobre a cama e retirou sua roupa na intenção de tomar seu banho, quando Giovanna já estava enrolada em sua toalha pronta para entrar no banheiro, voltou e sentou-se na cama abrindo o pacote, para ver o que ganhará.

G – Veremos Amorinha o que tem dentro dessa sacola .... Pensou alto

G – meu Deus... Giovanna ficou de boca aberta quando retirou uma fantasia.

G – Amora você se superou... Giovanna estava com os olhos arregalados olhando todos os pertences que eram agregados aquela fantasia.

G – O Nero vai enlouquecer se ver isso ... preciso esconder... Giovanna falou sorrindo pra si mesma. Após esconder pegou o celular ligando para Amora em seguida.

A – fala deusaaaaa. Amora gritou do outro lado da linha

G – Amora sua pervertida, que presente é esse que você me deu? Giovanna soltou uma alta gargalhada do outro lado da linha.

A – gostou né safada... Amora também riu

G – Amora, estou chocada com a sua ousadia – Giovanna falou como se a fantasia fosse coisa de outro mundo.

A – para de ser freira mulher ... aquilo ali vai enlouquecer o Nerinho pode confiar...

G – não tenho duvida disso, mas Amora eu nunca usei uma fantasia antes... Giovanna sentiu o rosto ficar vermelho de vergonha, e agradeceu mentalmente por estar conversando pelo telefone..

A – NUUUUUUUNCA? Amora como sempre escandalosa gritou.

G – pode falar mais baixo, ou vai me deixar surda. Giovanna repreendeu a amiga.

A – Giovanna você já fez boquete? Amora perguntou sem papas na língua.

G - .... Giovanna ficou em silencio, ao ouvir a pergunta.

A - Giovanna ta ai? Amora perguntou.

G – Não.... respondeu

A – não o que?.. Amora ficou confusa.

G – nunca fiz boquete... Giovanna afundou o rosto no travesseiro

A – Meu Deus Giovanna você ainda é virgem...

G – Claro que não ... Suspirou.

A – Eu vou te ajudar com isso, nada que umas boas dicas não te ajude...

G – Eu tenho medo de você as vezes... Giovanna falou rindo, estava mais aliviada.

A – não tenha deusa ... essa fantasia não poderia ter vindo em melhor hora ... depois que usar uma vez vai querer comprar outras sempre... Falou e sorriu no final.

G – Você não presta... Giovanna balançou a cabeça.

A – presto sim, e como presto, quer provar? Amora gargalhou do outro lado da linha.

G – Cala boca .... Giovanna também gargalhou.

A – Até mais ... Amora mandou um beijo estralado.

G – até mais maluca. Giovanna desligou o celular e foi para o banheiro tomar seu banho.

Não se prolongou muito no quarto e logo desceu para encontrar Alexandre, que já havia tomado seu banho e estava na cozinha arrumando a mesa para que pudessem comer, ao chegar escorou na porta e ficou o observando ele estava com uma bermuda de dormir e sem camisa, Giovanna achava ele lindo de todas as maneiras, mas assim natural aos olhos dela ele era irresistível. Ela se aproximou lentamente e o abraçou por trás colocando as duas mãos em seu peitoral.

G – huuuuum .... Cheiroso... Deu um beijo nas costas dele.

N – Eu ou a comida? Perguntou colocando suas mãos por cima das dela.

G – os dois ... Giovanna riu

N – Pedi uma comidinha japonesa, sei que você gosta. Os dois ainda estavam na mesma posição.

G – Eu amo... falou novamente deixando a frase no ar, Alexandre se virou ficando de frente pra ela e enroscando uma das mãos em seu cabelo e outra e seu rosto acariciando sua bochecha com o polegar.

N – Eu ou a comida? A encarou nos olhos com um leve sorriso nos lábios, Giovanna olhou pra cima como se estivesse pensando, se aproximou e deu um beijo em seu queijo...

G – os dois ... sorriu lindamente.

N – Eu também te amo... Sussurrou no ouvido dela, selando seus lábios em um beijo doce entre muitos sorrisos.

Comeram em uma conversa descontraída e animada, o cansaço estava visível nos olhos de ambos, que pareciam estar implorando para fechar... sem mais demora subiram de mãos dadas para o quarto de Giovanna onde se deitaram, abraçados e felizes dormiram. 


Notas Finais


E ai qual sera a fantasia que Amora deu pra Giovanna??? palpites???
kkkkkkkkkkkkkkk
Aguardem o próximo capitulo.
comentem ... amamos ler os cometários de vocês


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...