História Vende-se Um Véu de Noiva - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Luna Lovegood, Neville Longbottom, Rolf Scamander
Tags Anna Abbot, Casamento, Harry Potter, Luna Lovegood, Neville Longbottom, Rolf Scamander, Romance, Suspense
Visualizações 11
Palavras 1.045
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Adultério, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Capítulo novo, espero que gostem <3

Enfim, qualquer erro, sugestão, ideia, elogio, crítica construtiva, dúvida, opinião, etc., podem deixar nos comentários. Livro de visitas e Inbox sempre abertos, EXCETO para divulgação.

Beijos, amo vcs <3

Capítulo 4 - As chegadas


Fanfic / Fanfiction Vende-se Um Véu de Noiva - Capítulo 4 - As chegadas

 

(...)

 

Alguns dias depois

 

Já passava das sete horas de uma nublada e cinzenta manhã de segunda-feira quando Neville chegou ao Hospital St. Mungus para Doenças e Acidentes Mágicos. Não queria se dar ao luxo de chegar atrasado, já que era curandeiro naquela instituição e realmente queria ser promovido a medibruxo ali. Passando pela recepção, ele cumprimentou a funcionária de plantão nesse setor, como era de praxe e subiu a escadaria que dava acesso a todos os andares do prédio apressadamente, indo em direção ao vestiário masculino e ao guarda-volumes dos funcionários sem nenhuma demora.

 

Depois de ter vestido o uniforme que devia usar, Neville se encontrava em frente ao armário que lhe era destinado, dando uma última arrumada em seus pertences antes de ir começar o expediente. Então, do nada, ele começou a escutar um barulho bem familiar de passos se aproximando, vindos dos lados de fora da área onde se achava, e esperou para ver se conseguia adivinhar quem estava chegando. Poucos segundos depois, a porta do espaço foi escancarada escandalosamente e uma voz muito animada para uma segunda-feira de manhã exclamou ao longe:

 

— Bom dia, Neville!

 

Ao perceber quem era o proprietário de voz, Neville respondeu com um tom matreiro e uma expressão de divertimento no rosto para que não ficasse um silêncio estranho no ar:

 

— Bom dia!

 

Dentro de pouquíssimo tempo, uma Anna Abbott completamente extasiada estava por perto, dando a entender que se jogaria em cima dele se ninguém a contivesse logo.

 

— Fala sério, quem fica assim numa segunda-feira de manhã? — Neville se manifestou.

 

Ela de uma risada notavelmente espontânea e ele ficou apenas a observá-la com um sorriso contido nos lábios. Aquela era Anna Abbott, que atualmente se encontrava na condição de noiva de Neville e de curandeira chefe recém promovida no St. Mungus, sentindo-se absolutamente realizada pelas duas coisa.

 

— Eu fico. — Anna respondeu, convicta, e aproximou-se ainda mais dele, chegando por detrás para apoiar a cabeça em seu ombro.

 

— Por que sua resposta não me impressiona? — Neville comentou retoricamente, revirando os olhos numa falsa expressão de irritação enquanto Anna ria um pouco mais e fazia uma careta brincalhona.

 

— Sabe o que mais eu fiz nesse fim de semana? — Anna perguntou depois de recuperar o fôlego por conta das gargalhadas, com o objetivo de arranjar algum assunto, e mostrou o quanto achava aquilo importante usando um tom de voz cheio de significado.

 

— O que poderia ser tão sério a ponto de te deixar assim tão eufórica?

 

Ela se afastou, dando vários pulinhos seguidos e soltou um grito estridente antes de dizer em altíssimo e bom som:

 

— MARQUEI A DATA DO NOSSO CASAMENTO!

 

Neville virou-se, parecendo infinitamente animado com o que acabara de ouvir, para olhar bem fundo nos olhos dela na mesma hora e confirmar:

 

— Você disse o quê?!

 

— Ora, não havíamos combinado? — relembrou-o Anna. — Eu fiquei responsável por escolher o local da cerimônia, marcar a data e organizar a festa. A sua parte é comprar as alianças, fazer a lista de convidados e arranjar a lua de mel. — ao terminar, deu-lhe um leve toque com o dedo indicador na ponta do nariz.

 

— Ah, sim, sim. Claro — ele retorquiu ao mesmo tempo em que a pegava nos braços e a girava numa sensação de puro êxtase, como se comemorasse algo pelo qual estava esperando a vida inteira. — Três meses para eu casar com a mulher da minha vida! — falou graciosamente enquanto a via sorrir como se escutar aquilo a acendesse por dentro e a fizesse se sentir viva.

 

— Três meses! — ela acrescentou ao que estava sendo dito em tom de ansiedade. — Três meses até a gente comemorar a nossa felicidade da forma mais plena, meu amor.

 

Neville pensou um pouco e logo em seguida fez uma cara de pura preocupação quando se atentou a algo que lhe passou pela cabeça.

 

— Daqui a três meses também é quando saem os resultados para os curandeiros que estão concorrendo às vagas de medibruxo em cada setor, Anna! — exclamou como se tudo estivesse indo por água abaixo. — E se eu não...

 

Antes que pudesse continuar, Anna o interrompeu com um ávido e tenro beijo, envolvendo-o o máximo que podia em seus braços. Neville, ignorando tudo o que quer que estivesse à sua volta, devolveu o beijo com a mesma intensidade, puxando-a para que ficassem colados um ao outro. Quando se desvencilharam, ela o olhou com uma expressão de companheirismo misturado a compaixão e afagou-lhe os cabelos.

 

— Não importa o que aconteça — Anna afirmou, exalando cada singela gota da confiança que sentia no próprio noivo. — Vamos comemorar a sua felicidade também. — dirigiu um sorriso cúmplice a ele que, quando entendeu a mensagem que ela estava querendo passar, olhou-a com nostalgia e saudosismo.

 

— Bem, entendo que você esteja animada. Eu também estou, mas... — disse Neville ao retomar a conversa, receoso, escolhendo bem as palavras. — ...você não acha três meses muito pouco tempo para cuidar de todo o resto?

 

— Ah, amor, a festa não vai ser tão grande assim — Anna esclareceu e, após isso, adicionou à sua resposta num ar de travessura: — Sem falar que eu não quero passar mais nenhum minuto longe de você.

 

— Como você quiser — ele respondeu, sorridente e solícito. — Agora, eu preciso mesmo ir ou vou me atrasar.

 

— Ah, eu também tenho que me arrumar, porém, se eu fosse você, iria mesmo — ela o alertou. — Seu chefe pediu para avisar que você fosse vê-lo imediatamente.

 

— E você só me diz isso agora?! — Neville ficou desesperado, conferindo o relógio de pulso que estava usando e fechando o seu armário ainda aberto com um forte tapa.

 

— Fala sério, que bom funcionário em sã consciência obedece ao próprio chefe? — Anna revirou os olhos, fingindo falar sério.

 

— Ha ha, palhaça. — Neville comentou, zombeteiro, colocando uma falsa carranca na cara.

 

— Bem, meu curandeiro favorito, vai lá — ela deu mais um beijo nele para se despedir. — A gente se vê depois.

 

— Tchau, meu doce — despediu-se também, bagunçando carinhosamente os cabelos dela. — Juízo, hein?

 

— Não. — afirmou Anna num tom de que achava aquela resposta óbvia.

 

Os dois riram juntos e depois Neville começou a se afastar, saindo dali com um pouco de pressa para ir encontrar o seu superior. Ele sentia que, não importava o que fosse ouvir, seria algo importante, capaz de mudar sua vida.

 

(Continua...)

 


Notas Finais


Obrigada por lerem até aqui <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...