História Vendetta - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Katekyo Hitman Reborn!
Personagens Byakuran, Chrome Dokurou, Colonnello, Dino Cavallone, Gokudera Hayato, Haru Miura, I-Pin, Kyoya Hibari, Lambo, Personagens Originais, Reborn, Rokudo Mukuro, Ryohei Sasagawa, Tsunayoshi "Tsuna" Sawada, Verde, Viper "Mammon", Xanxus, Yamamoto Takeshi
Tags 1827
Exibições 48
Palavras 2.108
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Lemon, Luta, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


DESCULPA!! Desculpa mesmo gente, eu demorei né? Mil desculpas, tive uns problemas pessoais e tals e ainda teve a semana de prova :'v OH GOD

Mas enfim, cá estou eu... Era pra eu ter postado meia hora atrás mas vamos relevar :P O que o whatsapp não faz né ? :')

Apreciem esse cap! U3U

Capítulo 22 - Capítulo XXII


   Praticamente a cidade inteira fora vasculhada à procura do moreno petite, e infelizmente, Hibari não o encontrou em lugar algum. Dedicou-se à horas de buscas, em vão. A azulada lhe ajudou junto à Frankie, e em meio a seu desespero, ela recorreu à Heyoshi. Não sabia onde era a casa dos Sawada's, mas então lembrou-se de que Frankie levara o gêmeo de seu mestre para a casa dele uma vez. Implorou-o, mesmo que não fosse necessário, por ajuda. Reborn também prontificou-se a ajudá-los, mesmo que a princípio tenha se surpreendido com a presença de Hibari ali, pedindo mutuamente por qualquer tipo de ajuda. Podia-se ver a angústia em seus olhos e o esforço que fazia para não demonstrar isso. O Arcobaleno já imaginara que ele e Tsuna tivessem criado algum tipo de ligação, porém não deixava de ser surpreendente a seus olhos.

   Mais uma vez, eles saíram à procura de Tsuna. Reborn achara melhor não avisar Gokudera ou Yamamoto, para que estes não ficassem preocupados, entretanto, imaginava que eles iriam desconfiar de alguma coisa. Heyoshi os disse que Tsuna havia marcado o seu treinamento, e de Gokudera, para o sábado, e como sempre, Yamamoto estaria presente.

   Os dois perceberiam algo de diferente ao não constarem a presença de Heyoshi e Reborn na casa, automaticamente iriam para a mansão de Tsuna, onde não encontrariam ninguém também. Ficariam preocupados, e com razão. Mas Reborn não pensou nisso de imediato, apenas quando, horas depois, ainda em meio à procura por Tsuna, encontraram Yamamoto e Gokudera pelo caminho.

   -- Yoo minna! -- Yamamoto foi o primeiro a pronunciar-se, alegre como sempre mas a sua alegria foi se esvaindo pouco a pouco ao perceber a presença de três pessoas que jamais esperava ver ali.

   -- Oe, o que esse bastardo faz aqui?! -- Gokudera indagou olhando para o prefeito. -- Tsc...

   Hibari não deu ouvidos à Gokudera, apenas virou a cara e procurou olhar para qualquer coisa que não fosse o prateado; ele já estava no limite, mais alguma gracinha e Hibari partiria para a agressão física para descontar toda a sua frustração do tempo que passou sem seu moreno.

   -- Gokudera... -- Reborn chamou-lhe a atenção calmamente, olhando de soslaio para o garoto gélido.

   O prateado, só então, percebeu a tensão que estava no ar, olhando para o rosto de Aki e vendo seus olhos avermelhados por causa das lágrimas que ela não conseguira segurar durante o caminho, os rostos sérios do tal Frankie e de Hibari, e a visível preocupação no rosto de seu querido Juudaime. Aquilo foi o suficiente para se preocupar também.

   -- O... O que está acontecendo? -- Perguntou meio vacilante.

   E Aki contou-lhes tudo, desde o momento em que o moreno saíra até à provável carta falsa que haviam mandado para a mansão, ela apenas ocultou a parte em que quase todo o tempo daquele noite, o moreno petite estava com Hibari na casa do mesmo.

   Embora ela tivesse tido bastante cuidado ao contar os relatos, Yamamoto conseguiu ligar cada detalhe e deduzir que Tsuna estava com o prefeito àquela noite, se não fosse por isso, por qual motivo Hibari estaria ali? Não via outra suposição. Ficou feliz momentaneamente por isso, entretanto voltou à realidade em que se encontrava e isso o deixou cabisbaixo novamente.

   -- Ele não deu notícias nem mesmo para o próprio pai?! -- Yamamoto exaltou-se um pouco por causa do nervosismo, murmurando um "desculpe" logo depois.

   -- Não... Eu perguntei à Byakuran-sama mas ele disse que não havia o visto desde sua última ida até Veneza.

   Saber de todas aquelas coisas não estava ajudando ninguém a se acalmar. Parecia que cada minuto que passava tornava a situação mais complicada ainda.

   Eles estavam em frente à algumas lojas de conveniência, embora um pouco mais afastados do restante das pessoas que por ali passavam, todos estavam um pouco mais próximos um do outro com exceção de Hibari, que mesmo em meio a tantas coisas ruins, ainda preferia ficar sozinho em um canto qualquer, apenas ouvindo fatos que ele já deduzira e os quais não queria ouvir novamente; estava doendo, mesmo que ele não deixasse transparecer tanto... estava doendo muito; seu coração, que antes estava regado de alegria, agora se encontrava tomado pela angústia de não saber onde seu pequeno estava. Tentava ao máximo afastar pensamentos ruins de sua mente, mas isso era impossível com todo mundo ali, falando sobre o desaparecimento de seu moreno petite. Saiba que estava sendo difícil para todo mundo mas mesmo assim... ele nunca sofreu tanto... Não sabia lidar com aquilo e tinha certeza de que o único que poderia fazê-lo lidar com isso seria Tsuna e ele não estava ali... na verdade, parecia não estar em lugar algum...

   -- Mukuro não tem nada a ver com isso, não é? -- Reborn indagou, de repente, como se lembrasse de algo.

   Se Rokudo Mukuro tivesse feito qualquer coisa com seu moreno petite... ele pagaria com a morte.

   Sem ao menos perceber, Hibari já adquiria uma expressão aborrecida. Por que raios não pensou naquele ser abacaxi antes? Claro, ele poderia estar envolvido no desaparecimento do menor, levando em conta de que Mukuro não era uma pessoa de confiança. Não se podia confiar em alguém como ele, e era exatamente por isso que Reborn indagou aquilo, ele sabia que Mukuro poderia ser capaz de tudo quando queria algo. Para Reborn a situação já estava resolvida, ele só não esperava ouvir as seguintes palavras:

   -- N-Não... -- Aki começou um pouco trêmula. -- Mukuro-sama nunca faria nada de mal para o meu mestre.

   -- E como pode ter tanta certeza? -- Perguntou curioso.

   -- Mukuro-sama... ele gosta muito de meu mestre.-- Aquela frase ficou cravada na cabeça de Hibari por algum motivo obscuro. Não era o momento ideal para sentir ciumes mas fora impossível ao ouvir aquelas simples palavras.

   Aki as disse sem querer, ela não sabia sobre extrema possessividsde de Hibari, não tinha como ela saber. Por conta disso, Aki não percebeu a aura sombria que rondava o prefeito, embora ela realmente tivesse sentido o clima tenso que se formara quando os olhares de Reborn e Yamamoto decaíram sobre Hibari, que em primeiro momento fitava qualquer coisa que não fosse a azulada; saber daquilo era como se alguém cravasse uma faca em suas costas. Hibari sentia ciúmes, sentia raiva, sentia raiva de Mukuro, de tudo; tudo estava lhe deixando nervoso, aquela situação... ele não podia fazer nada, apenas ficar de braços cruzados esperando que algo de bom acontecesse, pelo menos por enquanto. Aquilo estava o matando pouco a pouco! Ficar de braços cruzados sem fazer nada não era de seu feitio, mas quando se tratava de Tsuna... Hibari esquecia de todas essas coisas, ele se deixava levar e se tornava outra pessoa sem perceber; Tsuna o desconcertava de tal maneira que ele não sabia explicar...

   -- Huh? Minna-san?

   A ruiva se aproximou vagarosamente do grupinho afastado das pessoas. Kyoko achara estranho e ao mesmo tempo surpreendente encontrar seus amigos ali, junto de Hibari e de duas pessoas que ela não se lembrava de já ter visto algum dia. Chegando perto o suficiente ela recebeu um sorriso de Yamamoto, este mesmo sorriso que vacilou por um instante e fez o cenho da ruiva franzir por meros segundos.

   -- Olá. -- Disse para Aki e Frankie com um sorriso gentil, eles a retribuiram, de modo cansado. -- O que estão fazendo aqui?  -- Perguntou para os demais com inocência.

   Eles se entreolharam, nenhum deles querendo dizer a verdade para a garota, não podiam desmanchar o sorriso bonito que se formava no rosto dela, e acima de tudo não queriam a preocupar.

   -- Só... passeando, Kyoko. -- Antes que ela dissesse mais alguma coisa, Yamamoto se pronunciou. -- E você, Kyoko?

   Ele observou um pequeno bico se formar em seus lábios.

   -- Onii-chan está no hospital.

   Hospital... Isso chamou a atenção de Hibari.

   -- O que aconteceu com ele?

   -- Ele se machucou durante um treino... Já o disse para não se esforçar demais!

   Conhecendo Ryohei como Yamamoto conhecia apostava que o pugilista não tinha se machucado em treino algum, provavelmente tinha se envolvido em alguma briga para defender Kyoko de alguma coisa sem que ela soubesse. Apenas a ruiva acreditava nas histórias contadas pelo irmão, algumas até absurdas.

   -- Ah, Kyoko... ele está bem?

   -- Sim...  É bem provável que agora ele esteja tentando fugir de lá. -- E riu soprado ao imaginar a cena de seu irmão andando de fininho pelos corredores do hospital. Todos que conheciam o pugilista sabiam que provavelmente ele estaria mesmo tentando fugir. Ficar parado sem fazer nada não combinava com o de cabelos brancos. -- Eu já vou, Minna-san, antes que Onii-chan fuja.

  Acenou para todos eles e seguiu caminho.

   Eles deveriam seguir caminho também porém... para onde iriam? Vasculharam todos os cantos possíveis de Namimori-Chuu, e nada. Não havia muito o que fazer no momento.

   -- O que faremos agora? -- Heyoshi perguntou. Ele parecia o mais despreocupado dali, mas não era bem isso, ele estava preocupado também, mas não com toda a intensidade que os outros.

   Ele esperou por uma resposta mas esta não veio quando Reborn percebeu o sumiço de certa pessoa. Hibari não estava mais ali.

   -- Aonde Hibari foi? -- Ele perguntou olhando para os lados.

   Todos automaticamente olharam também, sem sinal do prefeito. Como ele sumiu sem eles verem? E o mais importante, para onde foi?

                                 OoO

   Quando ouviu a ruiva dizer hospital, Hibari se repreendeu na hora por não pensar em procurar por Tsuna lá, não que ele quisesse que o moreno estivesse mesmo naquele lugar, longe disso. Talvez sua mente apenas tivesse bloqueado este pensamento, porque ele não queria, de nenhuma maneira, encontrar seu pequeno lá, mas ao mesmo tempo torcia para que ele estivesse, para que toda aquela angústia sumisse, mesmo que uma outra surgisse caso ele se deparasse com alguma cena horrível de Tsuna machucado.

   Então, logo após ouvir sobre aquele lugar, ele saiu de perto de todos sem deixar que percebessem, não queria que soubessem onde ele estaria indo, apenas... apenas não podia deixá-los mais angustiados por nada caso Tsuna não estivesse realmente no hospital. Ou talvez devesse tê-los dito porém isso não passara em sua mente no momento.

   Chegou às pressas no lugar. Tudo estava tão silencioso... Não havia muita movimentação no recinto. Pelo menos não teria trabalho ao pedir informações para uma enfermeira que por ali passava. Deu todas as descrições de Tsuna para a mulher, e ela confirmou levemente com a cabeça.

   -- É algum parente dele?

   -- Um amigo próximo.

   Não era isso que ele queria dizer... mas não podia simplesmente dizer que eles namoravam, ainda por cima para uma pessoa desconhecida. Após isso o rosto da jovem mulher mudou a feição alegre para uma triste.

   -- Ah, sim... Ele deu entrada no hospital hoje de madrugada... Seu estado não era bom... -- Ela olhou para um ponto fixo no chão, como se relembrasse de algo. -- Suas roupas estavam sujas e ele parecia abatido, e bem ali... -- Ela apontou para o chão. -- ... ele desmaiou bem ali.

   Hibari não esperava ouvir aquilo. Por vários segundos ele se sentiu sem chão, tonto, angustiado... ele se sentiu sem o seu céu. Tsuna era o seu único céu e saber daquilo lhe causava uma dor tão grande em seu interior... Nunca sentiu tanta vontade de chorar como agora, na verdade, nunca teve vontade. Respirou pesado e fundo para que conseguisse falar novamente.

   -- Ele... está bem?

   -- Felizmente, sim. -- E lhe sorriu com um pouco de esperança.

   Foi um alívio imenso ouvir aquilo... Seu pequeno estava bem.

   -- Posso vê-lo?

   -- Sim, só precisa preencher uma ficha...

   E Hibari fez toda aquela porcaria o mais rápido possível. Quando terminou de preenchê-la, foi lhe colocado um papel em seu corpo, para sinalizar que ele estava indo visitar um paciente.

   A enfermeira foi para acompanhá-lo até o quarto onde o moreno estava mas o prefeito recusou isso, preferindo ir sozinho. Ela não o contrariou de maneira alguma, informou-o sobre onde o moreno petite estava e lhe tocou o ombro, sorrindo gentilmente antes de sumir.

   Foi apenas alguns segundos até Hibari chegar em frente ao quarto 6-B, mas ele sentiu como se o tempo tivesse se prolongado demasiadamente até ele encostar levemente na maçaneta e girá-la devagar.

   Esperava ver de tudo naquele quarto, seu pequeno machucado... tudo, menos Rokudo Mukuro ali, debruçado levemente sobre Tsuna adormecido, bem próximo ao rosto sereno do moreno, pronto para beijá-lo.

   Uma corrente de raiva percorreu seu corpo ao presenciar tamanha audácia daquele ser arroxeado.

   Rokudo Mukuro definitivamente era um homem morto.


Notas Finais


Relevem qualquer erro que tiver, gente :'v

Gostaram? Me doeu o coração escrever esse cap então espero que sim kkkkkjjjj vai doer mais ainda no próximo '3'

Lembrando que vocês podem me mandar mensagens, pedir meu número, me pagar um açaí.... só dizendo sabem? :'v Desculpa, eu tô muito sinistra hoje kkkkkjjjj

É isso amoras U3U Bjs

Bye~~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...