História Vendetta - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jin, Rap Monster
Tags Bts, Namjin, Namjoon, Seokjin, Vendetta, Yaoi
Exibições 153
Palavras 3.970
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo-Ai, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OLÁAAAAA
Olha, como eu amo vocês! Se vocês soubessem o quão feliz eu tenho ficado com cada favorito e cada comentário! É tão bom e isso tem me animado tanto e de uma maneira! Eu só agradeço <3
Mas saindo dessa chatice, veremos o que aconteceu entre SeokJin e NamJoon. Esses dois estão prometendo para o cap de hoje.
He he he...
Eu amo tanto minha vida...

Capítulo 4 - O cavalo vermelho da guerra


Fanfic / Fanfiction Vendetta - Capítulo 4 - O cavalo vermelho da guerra

゚・.゚ NamJoon Pov’s ゚・.゚

 

-“NamJoon? Você dormiu desse jeito?” Hoseok me perguntou, assim que eu cheguei na mesa do café, a minha blusa toda amarrotada e minha calça jeans não deveria estar longe disso.

Eu sei que havia falado que não iria mais dormir, mas acabei caindo no sono de repente, isso sendo que eu fui me deitar de calça jeans e camisa. Quando me levantei, simplesmente fiquei com preguiça, ou talvez raiva demais, para trocar de roupa e acabei indo assim mesmo para mesa, onde agora todos me encaravam, como se vissem a um zumbi diretamente saído de The Walking Dead, e sinceramente, até aqueles zumbis deveriam estar sendo mais bem tratados do que eu.

Eu não queria estar me fazendo de pobre coitado, mas... Caramba! Será que eu havia passado por pouca coisa? Eu merecia mais?

-“Ele dormiu com essas roupas, Hope.” Yoongi me poupou do trabalho “Acho que ele teve um acidente com o pijama dele na noite passada.” Voltou a rir debochado.

Olhei o metralhando com os olhos no mesmo instante. Caramba Yoongi! Será que esse garoto não sabia ficar de boquinha fechada não? Já não bastasse tudo que havia acontecido eu tinha que aguentar risada debochada para cima de mim?

Por sorte, a maioria não notou a malícia na frase de Yoongi, mas quem não devia notar, notou. SeokJin olhou para mim, depois para Yoongi e depois para a máquina de lavar, ainda ligada. Como se fosse um estalo, eu o vi abrindo a boca espantado, e de pouco em pouco suas feições ganhavam aquele tom de deboche.

Eu merecia, não merecia?

O que será que eu precisava para ter a minha vida de volta? Mágica, só pode!

Universo, por favor, me dê ao menos um dia bom!

Mas é claro que ele não me daria. As coisas provavelmente só piorariam.

 

゚・.゚ SeokJin Pov’s ゚・.゚

 

Aposto que ele estava pensando nas dançarinas seminuas dele! Aposto!

Filho da mãe, metido, desgraçado... Ele deveria era estar batendo uma debaixo dos lençóis, imaginando a queridinha dele vir o beijar. Aquele cínico, dissimulado, ridículo!

Na real, eu não me importaria em dizer que estava com uma pontinha de ciúme, mas no meio de toda essa guerra, no meio de todo esse ‘cada um por si’, eu não queria admitir, apesar de manter em meu coração o fato de que eu ainda amo o NamJoon.

Na hora eu ri, mas depois eu fiquei extremamente bravo com ele. Admito eu fiquei curioso para saber o motivo da “lambança”. O que será que NamJoon estava vendo ou pensando para chegar ao ponto de ter que tirar toda a sua roupa de cama e pôr para lavar? Quem sabe um dia eu descobrisse.

Ai SeokJin, você é tão idiota! Parecia que eu nunca decidia qual lado era o meu. Às vezes eu queria matar a NamJoon, mas foram muitas que eu pensei em desistir e voar em seu pescoço para o beijar. Ao mesmo tempo em que haviam todas essas mini vinganças, eu também era obrigado a viver um conflito interno, conviver com o meus desejos e vontades, e principalmente com o dia em que ele perceberia tudo e me pediria desculpas.

Todos os meninos começaram a colocar a louça suja na pia, e com isso, cada um ia para seu quarto terminar de se arrumar, ou iam para sala esperar que todos já estivessem prontos e eu ficava lavando a tudo, escutando ou assoviando alguma música. Ouvi o som da máquina de lavar, e simplesmente não acreditei que NamJoon se quer havia se dado o trabalho de ir lá ver as próprias roupas uma única vez. Ele era tão idiota a esse ponto? Essa deveria ser a terceira vez que a máquina as lavava.

-“NamJoon!” O chamei, ainda sem o olhar “Você já viu suas roupas?”

-“Hãm? Minhas rou-... Caralho, as minhas roupas!” Ele deu um berro, correndo em direção a lavanderia. Não se passou nem dois minutos e eu já ouvia a sua voz novamente “NÃO! Não, não, por favor, não!”

Imediatamente um sorriso me moldou os lábios, e eu mal sabia o que havia acontecido, mas se ele já gritava ‘não’ e ‘por favor’, aquilo era bem melhor do que música para meus ouvidos.

-“Olha isso!” Ele veio como louco na minha direção, uma três camisetas em mãos, todas manchadas, e essas manchas bem difíceis de se tirar “Meu deus, SeokJin me ajuda! Se eu colocar no cloro, isso sai?”

Não sei se ele entendeu minha resposta, mas só pelo ‘Pffff...’ que soltei e o riso que não consegui conter, ele já deveria imaginar o quão besta esta pergunta havia sido.

-“Caramba! A minha cueca branca está rosa!” A cada uma nova peça que ele tirava da máquina, mais ele sofria e mais eu ria.

Tsc, tsc, ele ainda tinha muito o que aprender mesmo. Bem que eu senti uma dó de vê-lo tão atrapalhado, mas quando lembrei que eram roupas baratas, de ficar em casa e dormir, nem liguei muito.

Deixa ele se virar, é bom que ele usa a internet para aprender a tirar mancha de roupa, em vez de ficar vendo aqueles vídeos ridículos que provavelmente o fizeram causar acidentes na cama e colocar a roupa para lavar. Tudo se iniciou por uma culpa dele, viram? Agora bem feito!

Enquanto eu estava voltando para o quarto, pronto para me arrumar, uma mensagem chegou no meu celular, que vibrou em meu bolso, o que também fez lembrar que eu tinha de devolver a bateria do celular de NamJoon, mas isso poderia ficar para depois.

Peguei meu celular e abri um sorriso quando vi que a mensagem era de Kyungsoo.

[07:47] Kyungsoo: Sei que você já sabe do lançamento do filme, pois já te mandei os convites, mas vai ter uma festa em comemoração antes disso no mês que vem. Venha, vai ser importante para mim!

Olhei a mensagem. Li e a reli com calma algumas vezes.

Festa...

Interessante...

Isso viria bem a calhar.

Muito bem a calhar...

 

゚・.゚ NamJoon Pov’s ゚・.゚

 

"Como todas as músicas do mundo conseguiram se tornar horríveis?" Foi a primeira coisa que pensei quando ouvi o despertador tocando estrondosamente alto. Mesmo depois de duas semana e um dia – Pois eu havia cronometrado a cada segundo de minha tortura –, eu ainda não tinha me acostumado com o toque do celular.

Yoongi me encarou feio, e vi a minha vida passando como um filme em minha cabeça.

-"Por que não faz como qualquer outro ser humano normal e acorda com o Jin chamando?"

-"Por que ele agora contraiu um ódio mortal por mim, e se ele te pedir para não me acordar você não vai, seu amigo da onça."

-"Tem razão, mas não ouse me chamar de amigo da onça de novo, ouviu?"

Apenas revirei meus olhos e comecei a procurar alguma peça de roupa no meu armário, tirando aquele pijama – multicolorido, pois além de não conseguir tirar a mancha, eu tive a capacidade de o manchar ainda mais – e achando algo decente.

Esse tipo de convivência ainda terminaria em morte, mais especificamente a minha, certeza.

Eu já sentia que aquele dia não seria nada bom.

Eu sei que só as princesas da Disney acordam bonitas, de bom humor e cantando para os animais que magicamente fazem tudo para si, mas até mesmo para uma pessoa normal, eu estava o cão. Eu estava com dor de cabeça e extremamente nervoso por tudo que havia acontecido comigo naqueles últimos dias.

Já não era fácil para mim ter que ir trabalhar, passar por todo estresse de um dia normal, redobrar toda essa porcentagem de estresse por eu ser obrigado a ficar mais tempo que os outros para terminar todos os detalhes mais burocráticos dos meus singles, juntando tudo aquilo a uma péssima alimentação - pois eu faria jus a todo meu orgulho e me recusaria a ir para o fogão enquanto ele quisesse preparar algo para mim, mesmo que fosse essas malditas panquecas -, mais toda essa revolta de Kim SeokJin. Ele deveria estar se achando o todo poderoso, aquele cínico!

Eu não entendia o porquê raios todos ficavam ao lado de Jin, sendo que eu não era todo esse monstro que tanto pintavam. Tudo bem que eu sei que SeokJin era a personificação da graça na Terra, mas... Acho que foi nesse ponto que eu comecei a notar como todos amavam a Jin, quase que uma preferência especial por ele, e isto era plausível já que Jin fazia praticamente tudo para todo mundo. Ele realmente era um amorzinho nesse sentido já que sempre fazia tudo que lhe pediam com o maior sorriso no rosto e também era uma fábrica de distribuir afagos e carinhos.

Vejamos bem: Ele era o visual do grupo e fazia jus a toda sua fofura, beleza e educação, como se fosse um príncipe, e realmente era esse o apelido que ele ganhava: Jin Princess. Ele gostava de quando elogiavam a sua beleza e nunca deixava de ficar extremamente agradecido, tanto quanto corado quando o faziam, sempre cobrindo as bochechas que se avermelhavam, ou tentando esconder o sorriso imensamente belo com as mãos.

Mas o pior era que SeokJin não era apenas bonito externamente. Ele conseguia ser belo por dentro e por fora. Nunca havia visto SeokJin em um ápice de destruição em massa, como muitas vezes eu ficava quando estava irritado - como hoje -, nem mesmo no dia em que nós brigamos, apesar dele ter ficado bem alterado, eu sabia que ele não havia ficado bravo por completo. Na real, até as suas expressões de raiva conseguiam ter um "Q" de fofura.

Ele também era gracioso em seus gestos de afeto e carinho, que constantemente eram distribuídos a todos os dongsaeng. Talvez por isso, em muitas vezes, eu tenha me sentindo muito mais o seu hyung do que vice versa. Realmente eu deveria admitir que SeokJin tinha esse talento de encantar as pessoas, mesmo com poucos segundos em que ele conseguia manter uma conversa com alguém.

Talvez fossem as suas feições faciais que encantavam e prendiam a atenção das pessoas, ao talvez fossem todos apenas sendo "possuídos" pela voz doce do garoto e todas suas demonstrações de carinho. Queria saber por que ele tem esse dom, e o que podia se fazer para bloqueá-lo. Jin tinha todo esses gracejos, mas ele não era uma pessoa burra. Longe disso, eu sabia que ele tinha essa consciência de que todas as pessoas, de alguma forma, estariam do seu lado e por consequência, contra mim. Era exatamente isso que aconteceria, quando eu menos esperasse sabia que uma horda viria para cima de mim.

Kim SeokJin, como eu te odeio!

 

。・°.・。◕.゚。・ ° 。°. ・。◕。°・ °.

 

Cheguei um pouco mais cedo que o normal em casa. Depois de ter me estressado por toda uma tarde, brigado com não sei quantas pessoas, eles brigarem de volta comigo, e eu ainda perder um disquete de mixagem que eu tinha certeza que havia guardado no meu bolso, tudo que eu queria era chegar em casa, tomar um banho e cair na cama. Por que eu tinha que passar por tanto nervoso no trabalho e em casa? Eu queria descanso! Só um mísero e merecido descanso! Era pedir demais não ser apedrejado de 10 em 10 minutos?

Quando cheguei, todos estavam sentados na sala, vendo um filme qualquer que estava passando pela televisão e eu, obviamente, só passei direto dando um discreto oi para todo mundo e indo para meu quarto.

Algumas roupas minhas ainda estavam manchadas e tingidas de multicores, mas ainda eram usáveis. Havia aprendido, em uma rápida pesquisa no You Tube, que não deveria se misturar roupa branca com colorida, principalmente peças escuras e novas, que ainda poderiam estar soltando tinta, e eu havia comprado uma blusa largona maravilhosa, na cor vermelha, e ela tinha ido junto com várias camisas brancas, ou seja, toma-lhe blusinhas rosa bebê. Pelo menos agora eu tinha aprendido e começado a lavar algumas peças e aprendido também a ler a etiqueta para não lavar errado.

Enquanto eu me enfiava no guarda roupa, procurando algo descente para eu vestir, vi alguém parando na porta. Respirei fundo, sem o olhar, enquanto ele entrava e se sentava na minha cama, cruzando as pernas em cima dela. O que é que ele queria?

-“Boa noite.”

-“Boa por quê?” Perguntei já cruzando os braços e o olhando de cara feia.

-“Calma! Quanta raiva menino!” Ele riu de lado, me olhando “Seu dia deve ter sido bem estressante, já que você está com essa tromba amarrada.”

-“É o rei da leitura corporal!” Debochei “E você sabe o que significa isso aqui significa?” Lhe apontei o dedo do meio, e aos poucos aquele sorriso que Jin levava se transformava em uma cara séria.

-“Depois você me pergunta o porquê de eu fazer todas as coisas que estou fazendo, seu imbecil.”

-“Imbecil é você, SeokJin!”

Provavelmente ele havia ido lá afim de rir da minha cara e me zoar, como todas as outras vezes ele fez ou tentava fazer, no entanto eu não estava com paciência para diverti-lo no dia de hoje e sabia que dali não sairia boa coisa. Era uma guerra séria e Jin estava mexendo com a pessoa errada, no dia errado.

O vi caminhando em direção a porta, como se já houvesse acabado sua cota de palavras comigo em um só dia. Coitado! Mas não tinha acabado mesmo! Eu não deixaria ele sair de nariz empinado nem que me pagassem.

Fui grosso e o segurei pelo braço, o jogando para trás e fechando a porta com força. Ele cambaleou até a minha cama e depois, quando conseguiu se segurar, me lançou um olhar de ódio, quase mortal.

-“O que pensa que está fazendo, NamJoon?” Esbravejou comigo, no entanto eu não me cedi, nem deixei de descruzar meus braços o de desfazer minha cara de mal.

-“Você quer me odiar, quer me transformar num vilão? Ótimo! O faça! Me transforme e me odeie, mas ao menos me deixe dar o motivo.”

-“Nam-NamJoon? O que é qu-...”

Não deixei que ele terminasse a frase. Quando dei por mim, eu já estava a segurá-lo pelo braços e empurra-lo para cima da minha cama, o fazendo cair sentado ali. Ele pareceu um pouco assustado, mas sinceramente, não me importei. Eu estava alterado demais para me importar.

-“Nam-...”

-“Agora é NamJoon? Agora é Nam? Não foi assim tão carinhoso quando começou a fazer suas coisas!”

-“NamJoon, você não está be-...”

-“Só agora que você nota que eu não estou bem!? Qual o seu problema em, SeokJin? Eu só queria saber que problema que você tem comigo? Você quer me ver arrastado a seus pés? Quer me ver me estirando pelo caminho onde você passa?”

-“Idiota!” Senti suas mãos sobre o meu peito, me empurrando para trás, enquanto ele levantava. Ele não era o maior exemplo de força, mas fez com que eu ganhasse distância suficiente para que eu me separasse dele e para que ele se levantasse.

Nós iriamos começar a discutir feio.

-“Idiota, eu? Bem, eu só acho que não sou eu que estou fazendo coisas idiotas por aqui!”

-“Qual é o seu problema, em NamJoon!? O que é que precisa para colocar nessa sua cabeça que eu não quero você se arrastado a meus pés, ou te ver se estirando pelo caminho onde eu passo? Desde o começo, tudo que eu queria era um pouquinho de amor! A-M-O-R! Você sabe o que significa essa palavra?”

-“Ah! Então é assim!? Então agora eu sou o vilão, que nunca te dei amor, que nunca disse eu te amo?”

-“Garoto! Você está ouvindo a suas próprias palavras? Eu te chamei de vilão? Eu falei que Kim NamJoon nunca me deu amor e que eu não gosto dele? O que eu estou pedindo NamJoon, é o MÍNIMO de amor, o MÍNIMO de atenção! Você até pode ter me dito um eu te amo, NamJoon... mas você lembra quando foi? Você lembra a última vez que me disse isso?”

Fiquei um tempo encarando a seus olhos. Era óbvio a nossa troca de ódio, quase que uma conversa ocular. Era sério? Ele estava falando que eu não dou amor para ele? O que SeokJin está pensando? Alguém já lhe contou que príncipes só existiam nos contos de fada?! Ele achava o que? Que estava vivendo em um?

-“Olha aqui, Jin, eu não sei se tem ciência disso, mas contos de fadas são para criancinhas. Cresça!”

-“Eu? Eu tenho que crescer? Você me prende nessa droga de quarto, você me empurra só me provando o quão ogro e sem educação é, e agora quer ficar pagando de coitado!?”

-“Nem se compara a você, que acha que eu sou um príncipe e fica colocando expectativas em cima de mim!”

-“Expec-... NamJoon? Você está se ouvindo? Para um minuto para pensar no que está falando! Ninguém aqui acha que você é um vilão, então para de pagar de coitado! Para de descontar em todo mundo as suas frustrações! Desconta no travesseiro, caramba!”

-“A minha única frustração desse dias tem sido você!” Berrei como nunca, avançando ainda mais para perto de si “Frustrado por você só pensar no seu estado de carência e me prejudicar por causa disso, porque você prefere que eu perca meu tempo te falando algumas inutilidades românticas ao pé do ouvido!”Gritei alto, colocando de uma vez todas as minhas amarguras para fora.

SeokJin me olhava estático e surpreso, enquanto eu respirava profundamente, sentindo cada veia do meu corpo pulsar como nunca.

-“I-inutilidade...?” De repente minha atenção foi atraída aos olhos de SeokJin. Eu via as lágrimas se formando nos olhos, não demorando a cair. Suas mãos tremiam, mesmo que fechadas em um punho, e sua voz, ela havia ficado falha “Meu estado de carência?” Ele de repente mordeu os lábios, olhando para o chão “Como você pode ser tão insensível? Pior! Como eu posso ter me apaixonado por você um dia?” A sua voz estava carregada. Ele parecia estar se controlando para explodir em lágrimas. “NamJoon... EU TE ODEIO!”

Lembra que disse que SeokJin era uma flor, um príncipe, a personificação da calma? Esqueçam! Ele era o capeta em forma de gente! No que pareceu um único movimento, SeokJin disparou contra mim, me jogando no chão e saindo correndo, fazendo com que minha cabeça batesse na parede. O acompanhava, mesmo que atordoado, com o olhar, e qual foi minha surpresa quando ele abriu a porta e todos os garotos estavam ali, nos olhando.

-“Jin hyung? Aconteceu alguma coisa?” TaeHyung perguntou, visivelmente preocupado.

-“Tudo, Tae! Aconteceu tudo!” E depois disso ele explodiu em lágrimas de vez e correu para o quarto batendo a porta.

Foi fato que, depois desse estouro, como se todos houvessem ensaiado, eles vagarosamente começaram a olhar na minha direção, e obviamente todos com o ódio no olhar.

-“Você pegou muito pesado, NamJoon! Sério isso?” Hoseok foi entrando no quarto.

-“Quê?” Indaguei “Vocês estavam ouvindo a nossa conversa?”

-“O bairro ouviu a conversa, NamJoon hyung” Jeon fez bico, entrando no quarto junto de Hoseok.

-“Chamar de conversa é pegar leve!” Jimin olhou bravo na minha direção, estendendo o braço para eu me levantar do chão “Parecia que a terceira guerra mundial iria estourar.”

-“Não exagera...”

-“Não exagera?” Yoongi falou, olhando cínico na minha direção “Cara! Você ouviu o que você disse para o Jin?”

-“Vocês ouviram?”

-“Eu já disse, o bairro inteiro ouviu.” Jeon repetiu, enfatizando.

-“Vocês falam como se houvesse sido a pior coisa do mundo...” Fiz bico, coçando atrás da nuca.

-“NamJoon... Foi a pior coisa do mundo!” TaeHyung falou, olhando bravo para mim. Eu já estava farto disso.

-“Por que vocês estão falando essas coisas para mim? Caramba! Por que vocês não vão falar essas coisas com Jin?”

-“Porque dessa vez você errou!” Hoseok me repreendeu.

-“É! E que história é essa de você ser o vilão?” Jimin batia o pé no chão, bravo “Ninguém te acha um vilão, Joonnie, mas você está se empenhando a ser um!”

-“Você fez o Jin sair correndo e chorando.” Tae começou.

-“E disse que ele era criança, e que ele só jogava expectativas em cima de você.” Jeon, a criança do grupo, ironicamente completou.

-“E falou também que ele era sua frustração e o chamou de carente.” Hoseok me olhou de cara feia. Caramba! Eles tinham realmente ouvido tudo.

-“Falando assim, desse jeito, até parece que eu sou o único errado.” Virei a cara. Qual é! Realmente ninguém sentia um pinguinho de piedade de mim? “Eu estava tendo dias tão difíceis ultimamente e Jin só os piorou! Por que isso ninguém vê?”

-“Sinceramente... vocês dois são muito idiotas” Yoongi soltou. Ele começou a fazer um sinal para todo mundo começar a sair do quarto e todos o obedeceram. Todo mundo notou que ele queria conversar a sós comigo.

Após todo mundo ir embora, ele fez um sinal para que eu me sentasse na cama, enquanto ele encostava na parede. Seu olhar, como todas as outras vezes, não tinha nenhum tipo de julgue ou qualquer expressão do tipo.

-“Você é maluco de querer conversar comigo hoje. No estado em que eu estou é capaz de eu mandar você ir numa viagem só de ida para o inferno.”

-“É, eu sei, e eu estou vindo aqui hoje tentar te acalmar porque você acabou de brigar com a pessoa que fazia o trabalho de te acalmar nesses dias.”

Me joguei em minha cama e coloquei meu travesseiro sobre o rosto, deixando apenas uma pontinha dos meus olhos descobertos para que eu pudesse vê-lo.

-“O que quer dizer com isso?”

-“NamJoon” Ele começou “Você não gosta de ouvir a verdade, mas é bem melhor do que mentir. O SeokJin pode ter piorado e muito a sua situação, mas descontar o seu estresse nele é errado. Eu não estou aqui para julgar quem está sendo o certo e o errado, eu não vou tirar a sua parcela de razão, mas também não vou tirar a de Jin.” Me olhou e eu apenas revirei os olhos. Odiava ele ser o neutro da situação. “Cara... olha bem o que você disse para o garoto que te disse um milhão de vezes que te ama. Você disse que o estado de carência dele te prejudica, sendo que quem era o namorado dele era você. Não acha que isso foi meio errado da sua parte? Não acha que quem deveria dar o mínimo de ajuda sobre o ‘estado de carência’ do menino é você?”

Eu fiquei quieto por alguns segundos, analisando a frase até mergulharmos em um silêncio tortuoso, como se eu fosse mesmo usar do meu tempo para refletir ou eu o fosse responder. Ele notou que eu não falaria nada, assim como eu já estava de cabeça cheia. Em meio a nossa comunicação por suspiros e bufares, coisa já transformada em uma artes por nós dois, ele foi saindo quarto, até parar na porta e me olhar.

-“Eu não vou ficar te enchendo. Você deveria ir dormir, NamJoon. Você teve um dia cheio e deve estar esgotado com isso agora.”

Após ele dizer isso, Yoongi fechou a porta. Ele sempre foi muito bom na hora de aconselhar, e o legal é que ele dava privacidade e não ficava rodeando muito, mas dessa vez eu não posso dizer que gostei muito de tudo que ele disse, principalmente por ele não escolher um lado. Principalmente por o lado não ser o meu! Ao menos não era o de SeokJin...

Passei a mão pelo rosto e bufei, olhando minha imagem refletida na tela do meu celular. Eu estava acabado! Será que SeokJin também estava assim?

Drogra...

Por que eu estava pensando em SeokJin agora? Eu deveria estar excluindo ele da minha mente!

Se os vilões eram poderosos, por que eu me sentia assim, tão fraco e vulnerável?

O que foi que eu fiz?


Notas Finais


゚・.゚ Dicas da Tia Gohan~ Nunca discuta de cabeça quente e leiam as etiquetas das brusinha antes de enfiá-las na máquina de lavar :)

Eu juro que eu gosto da minha vida! HUASHUSAHSUAHSUAHUHSAUSAUSUAHSAUH

E com imenso prazer eu lhes apresento Gohan, a divisora de Teams! É lógico que eu vou continuar perguntando #TeamSeokJin ou #TeamNamJoon, principalmente depois desse cap!

Mas e ai pessoas? Vamos fazer uma brincadeirinha? Na verdade é mais uma opinião que eu queria. Estava pensando em um shippie aqui para o próximo cap, que não fosse NamJin e achei que nada era mais justo que pedir opinião para quem está lendo. A quem for comentar, dá a ideia de um shippie ai para mim por favor! Queria fazer algo legal, mas é claro que o shippe não pode ser nem com o NamJoon e nem com o Jin. Vocês podem opinar pelo menos isso? Me ajudaria para caramba!

Muito obrigado a todo mundo que leu, eu espero que vocês tenham gostado! <3 Os verei nos próximos caps? Espero que sim <3 Thauuuuuuu!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...