História Verdade Ou Consequência - Capítulo 59


Escrita por: ~

Postado
Categorias Teen Wolf
Personagens Aiden, Allison Argent, Bobby Finstock, Derek Hale, Erica Reyes, Ethan, Isaac Lahey, Jackson Whittemore, Lydia Martin, Malia Tate, Mieczyslaw “Stiles” Stilinski, Personagens Originais, Scott McCall
Tags Martinski, Scallison, Stydia
Exibições 196
Palavras 846
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Ei pessoal como estão todos neste quarta feira??
Não, vocês não estão a ter visões eu estou bem aqui nesta quarta feira e como podem ler como o título do capitulo trago-vos um novo bónus.
Antes de irem lendo o capitulo eu queria dedicar este capitulo para a Beatriz Gonzaga que foi quem pediu para a existência desse capitulo, graças a ela vocês estão prestes a ver um pouco do que se tem passado na cabeça da Lydia depois de descobrir a verdade, a outra dedicação que quero fazer é a Larybarg, até agora ela tem comentado em todos os capitulos e eu não posso deixar isso de lado.
Mas todos vocês são uns amores, aguentam ler cada novo capitulo que posto deixando a vossa sincera opinião que eu não posso ignorar em nenhum momento e que eu respeito cada palavra escrita no comentário, por isso fica aqui um grande agradecimento para cada um de vocês que já tenha deixado um comentário nesta fic ou um favorito.
Espero que gostem deste capitulo mesmo que ele seja pequeno.
Kiss, bea

Capítulo 59 - Capitulo Bónus


POV Lydia

-A minha mãe vai dar uma festa.

Os olhos observadores do vendedor que se mantinham em cima de mim enquanto registava as bebidas na caixa estreitaram-se mais na minha direção como se não acreditasse em nenhuma das minhas palavras.

Não consegui evitar de xingar-me mentalmente por ter aberto a minha boca e dito algo que levantou ainda mais suspeitas para cima de mim quando na verdade eu tentava que acontecesse o contrário.

Deixei um suspiro escapar de mim antes de colocar um caracol rebelde, que se soltara do meu rabo de cavalo trouxa, atrás da orelha para logo de seguida entregar o dinheiro que eu trouxera comigo para o homem atrás do balcão.

O que estava feito estava feito e agora eu só podia rezar para que não fosse detida pelo homem e que este me pedisse a minha identidade coisa que eu nem se quer tinha comigo.

Uma vez lá fora abracei o meu corpo com os meus braços não deixando de apertar o saco com as bebidas contra o meu peito ao mesmo tempo em que começava a sentir a minha garganta seca, tentava proteger-me do vento gelado que se levantara cedo naquele dia.

Xinguei o meu carro por ter escolhido aquele dia para avariar, xinguei o Stiles por ter se aproximado de mim naquele dia, xinguei-me a mim mesma por ter sido fraca o bastante para ter aceitado ouvi-lo, por ter aceitado dar lhe uma segunda oportunidade ainda que não tenha sido propriamente aquelas as minhas palavras.

Apressei o meu passo no momento em que começou a chover, não tendo outro remédio se não abrigar-me devido à chuva intensa que surgira sem qualquer aviso deixei as minhas costas encostarem-se na parede duma loja abandonada tendo a varanda do apartamento em cima como teto para me abrigar da chuva que caía no momento.

Sob aquele abrigo vi a minha oportunidade para acabar com pelo menos uma daquelas garrafas.

Deixei as minhas pálpebras caírem sobre os meus olhos no momento em que senti o primeiro gole a deslizar pela minha garganta deixando para trás aquele ardor estranho e ao qual eu não estava habituada.

Aquela ideia tinha me surgido mais cedo naquele dia, tinha sido algo que me invadiu a cabeça assim sem mais nem menos e a única coisa que eu precisava era de um pequeno empurrão para eu conseguir ganhar a coragem que precisava.

O empurrão? Stiles Stilinski.

Não consegui tira-lo da cabeça desde do momento em que eu concordei em dar-lhe uma segunda chance, senti-me estúpida por lhe ter concedido assim com tanta facilidade mesmo depois daquelas últimas semanas serem um inferno para mim.

Chorar foi talvez uma das coisas que mais fiz naquelas últimas semanas, chorava sempre de noite quando tinha a certeza que ninguém me era capaz de ouvir, chorava até cair no sono enquanto aquela dor no meu peito me assombrava com uma força sobrenatural.

Durante o dia eu fingia-me de forte, tentava manter-me o mais longe possível do Stiles, mas os meus olhos pareciam sempre procurar pela sua figura em todos os cómodos em que ia, perto do Scott eu obrigava-me a manter um sorriso nos lábios sabendo que ele me conhecia o bastante para saber que algo estava errado no mínimo sinal.

Deixei o gargalo da garrafa encontrar-se os meus lábios antes de beber um pouco mais daquele líquido ardente, fechei os meus olhos com força quando comecei a sentir o chão por baixo de mim a fugir-me dos pés.

O intenso desejo de sentir os lábios do Stiles sob os meus fez-se presente a cada minuto dos dias que se passaram desde que eu descobrira a verdade, e o pior? O pior é que eu ansiava por toda a extensão do seu corpo mesmo sabendo que tudo o que nós tínhamos vivido no passado tinha sido uma completa mentira.

Stiles tinha conseguido arrasar comigo duma forma que nenhum outro tinha feito, ele conseguiu fazer-me colocar nas nuvens, fazer-me sentir a mulher mais amada no mundo especialmente depois dele ter sido capaz de declarar o seu amor por mim e depois, num piscar de olhos, tudo isso foi destruído por uma única conversa.

Ele conseguiu destruir aquilo que tínhamos fazendo-me duvidar de mim mesma em resultado.

Despejei um pouco mais do conteúdo da garrafa dentro da minha boca ainda sem saber distinguir qual seria o nome daquela bebida.

No passado eu já tinha bebido bebidas alcoólicas, mas essas bebidas foram sempre ingeridas perto dos meus pais e oferecidas pelos mesmos ou pelo meu irmão Isaac. Geralmente as bebidas variavam entre vinho ou até mesmo cerveja, e mesmo vinho eu bebia muito pouco devido à fraqueza que eu ainda tinha com o álcool.

O objetivo naquele dia era eu beber até esquecer, esquecer da segunda oportunidade que dei para o Stiles, esquecer o coração quebrado que eu sentia todos os dias ali a palpitar bem no meu peito, esquecer-me da noite em que eu decidira ir à minha primeira festa e acabara por descobrir a verdade.

Por isso eu ia beber.

Eu ia beber até esquecer!


Notas Finais


Que acharam??? Como eu falei lá em cima o capitulo era bem pequeno porque a verdade é que não quis revelar muito mais, teremos algumas conversas entre o Stiles e a Lydia que se irá descobrir o que aconteceu mais nestas últimas semanas.
Não sei se deu para perceber ou se vocês notaram, mas se não a Lydia neste capitulo esta a ficar bebêda e o próximo capitulo irá partir não deste preciso momento, mas iremos ainda encontrar a Lydia bêbeda e de como o Stiles vai reagir à figura da ruiva neste estado.
Acho que vocês se vão surpreender um pouco.
Espero que tenham gostado.
Espero os vossos lindos comentários.
Kiss, bea
GRUPO DO FACE: https://www.facebook.com/groups/1438260709818530/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...