História Verdades. - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Chouji Akimichi, Fugaku Uchiha, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Itachi Uchiha, Jiraiya, Kisame Hoshigaki, Kushina Uzumaki, Madara Uchiha, Menma Uzumaki, Mikoto Uchiha, Minato "Yondaime" Namikaze, Nagato, Naruto Uzumaki, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Suigetsu Hozuki, Temari, Tsunade Senju
Tags Akatsuki, Gaara, Kisaita, Lemon, Narusasu, Naruto, Sasodei, Sasori, Sasuke, Sasunaru, Temari, Yaoi
Visualizações 290
Palavras 2.633
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá amores tudo bem???

eu estou ^^ tava morrendo de saudades ^^

Ahhh por gentileza leiam todas as notas até o fim que vai ter muitas novidades boas e eu quero que todos fiquem cientes ^^

Não vou enrolar mais, boa leitura a todos^^

Capítulo 23 - Transições


Fanfic / Fanfiction Verdades. - Capítulo 23 - Transições

Capítulo vinte e três – Transição

Betado por Hyo_Hime


 


 


 

Eu te amo Naruto, com tanta intensidade e com tanto querer que não sei como será minha vida sem você!

Naruto entendeu o que Sasuke quis dizer e arregalou os olhos, não contendo as lágrimas que caíram pelo seu rosto com mais força.

Sasuke diz para mim que você não está terminando comigo da maneira mais suja…

Não fora assim que planejou, o Uchiha se sentiu um lixo, nem conseguira se declarar direito antes de partir e agora via o rosto que tanto amava desfigurado pela dor, que consumia a ambos por suas ações desesperadas e imprudentes.

— Fala, fala de uma vez Sasuke, fala... Naruto berrou, sentido a dor pesar em seu peito.

— Naruto... Eu não...

— Para de ser covarde! Ele bradou irritado.

— Naru..to... eu... preciso ir embora!

Naruto não precisou de muito para entender o que ele queria falar, mas ele não era uma garotinha para se debulhar em lágrimas, então viu Sasuke se afastar, sem querer voltar ao hotel, pois sabia que ver o Uchiha ir embora daquela forma acabaria com ele.

(...)

Tudo foi doloroso, chegar ao quarto de hotel e ver que realmente Sasuke havia o deixado para trás. Naruto sentiu como se seu mundo fosse desabar, quis gritar, quis arrancar aquele sentimento de dentro de si, mas Sasuke estava cravado dentro de si, não seria fácil apagar o que foi vivido naquele mês ao seu lado.

Tudo era tão cômico para ele, já que passou parte de sua vida odiando o Uchiha e agora se via em uma melancolia profunda pela partida dele, como num sonho. Naquela noite recebeu a visita de Itachi, e, como num pesadelo, voltou ao Japão, tudo que precisava era ter a família ao seu lado. Durante a viagem inteira sentiu o cheiro amadeirado de Sasuke impregnado em sua pele, agradeceu pela classe executiva que o dinheiro podia comprar, já que parte da viagem passou chorando. Queria tomar um banho e nunca desejou de maneira tão desesperada sua casa e sua cama.

E foi naquele misto horroroso de ódio e dor que o loiro voltou para o Japão, num voo de dezesseis horas, as quais ele passou lamentando por novamente ter sido um idiota apaixonado.

“Ohhhh, coração quando irá aprender a deixar de ser trouxa...”

Repetia várias vezes mentalmente.

E quando pensou que não aguentaria mais a dor, fora avisado que havia chegado, enfim, em terras japonesas.

Com o rosto baixo, triste, as marcas das lágrimas grudadas na bochecha, foi observado atentamente por uma Kushina destruída ao ver seu precioso tesouro daquele jeito.

Ela foi a primeira a alcançar Naruto, o envolvendo em seus braços e beijando com carinho o alto de sua testa, sentindo as lágrimas do menino encharcar sua camisa e ouvindo os soluços baixinhos do filho.

Como mãe, seu coração se quebrou em várias partes.

Minato encarou o filho, que levava em torno dos olhos manchas roxeadas. Queria tanto ver o sorriso de seu caçula e sentiu culpa pelo sofrimento que ele lhe causou.

— Meu menino... — Kushina falou, doce, enquanto afagava os fios louros — Vamos almoçar seu Rámen favorito.

Ele sorriu perante a tentativa de sua mãe, enquanto recebia um abraço forte de Menma.


 

(...)


 

Ao pisar no Japão, Sasuke não fora recepcionado por ninguém, mas de uma coisa ele tinha certeza, havia feito a maior burrada de sua vida ao deixar Naruto para trás.


 

Era só burrada atrás de burrada e tudo sua culpa, Naruto nunca descobriria de sua bissexualidade se ele não tivesse tentado por diversas vezes, ele era o único culpado daquilo tudo, culpado da morte de seu pai, do sofrimento de Naruto.


 

Ele era as trevas, e Naruto, seu doce Naruto, era a luz, enquanto seus olhos eram insossos e negros como a escuridão, o Uzumaki possuía belos olhos azuis como o céu de manhã, Sasuke vivia numa revolta habitual com o mundo, Naruto era a alegria intensa, ele era água e Naruto o óleo, nunca daria certo, o relacionamento deles estava fadado ao fracasso desde o início, era um fato.

E foi com toda aquela depressão que o moreno alcançou o último degrau do andar de seu quarto no dormitório da faculdade, orou para Kami que seu colega de quarto não tivesse voltado de férias mais cedo. Felizmente o furacão Chouji não estava, mas o quarto estava tão bagunçado que denunciou que o grandão havia estado lá. O Uchiha respirou fundo e o fedor pavoroso invadiu suas narinas, sentiu o estômago revirar, apoiou suas malas em sua cama intocável, abriu algumas gavetas e colocou algumas peças numa mochila, perfeitamente alinhadas, e sentou encarando a porta. Não iria para onde quer que fosse sem antes fazer algo que julgou importante e não demorou dez minutos que sentara para ouvir o trinco da porta e ver, logo em seguida, um Chouji surpreso com a presença de Sasuke ali.


 


 

O Akimichi abriu a boca algumas vezes, mas não pareceu formular nada para dizer, e o silêncio se instalou entre os dois até que Sasuke, com uma fúria repentina que o havia atingido puxou colchão cheio de lixo, acertando com força no grandão, que se não fosse pelo tamanho teria sido empurrado para trás.


 

— Seu gordo do caralho, porco, nojento... — Sasuke encarou friamente um Chouji atônito, pegando a mochila e, ao passar pelo mesmo, finalizou — Se quando eu voltar o nosso quarto estiver assim, se prepara para morrer!


 

Lançou um olhar mortal para o Aikimichi e sumiu de vista, deixando para trás um rapaz sem entender nada.


 

(...)


 

Naquele dia parecia que Tóquio estava de brincadeira, o céu nublado, fazia com que todos naquela pequena capela tremessem de frio.


 

O local, por mais que fosse pequeno, demonstrava luxo nos móveis que o decorava. Desde os detalhes dourados do teto, às grandes janelas de cristal que cercavam a cerimônia, o luxo do local, junto ao cheiro de cravo que invadia o dominava, o serviço de buffet que servia finos canapés com as mais caras especiarias, as taças eram enchidas com os melhores vinhos e champanhe, os casacos de pele e tecidos caros eram vistos por todo o salão.

Tudo alinhado em perfeita ordem, ao fundo mãe e filho estavam lado ao lado, Sasuke mantendo uma falsa serenidade, enquanto Mikoto não desgrudava um momento sequer de perto do cadáver do ex-marido.


 

Um nó na garganta de Sasuke se mantinha, ser forte era a única solução, o tio ao seu lado tentava o consolar com palavras gentis e Mikoto chorava profundamente, algo abatia o peito do Uchiha por causar tanto sofrimento a todos.


 

Itachi acompanhava tudo de longe ao lado de Kisame, esperando a poeira baixar para se aproximar do corpo do pai, queria evitar ao máximo os escândalos desnecessários para a família naquele momento delicado, já não bastava o nome de Minato ser citado numa notícia sensacionalista do jornal de Tóquio, aonde dizia claramente que o Namikaze estava envolvido diretamente na morte de Fugaku. Não queria ser a ovelha negra veado, que se arrependera dos pecados no leito da morte do pai e agora buscava reconhecimento como um Uchiha. A Akatsuki havia desmarcado todos os shows agendados para aquela semana por conta da morte do pai do baixista.


 

Mikoto por vezes falava para o mais novo que não foi por sua causa, mas o jovem sabia que o pai se suicidara por conta de seu namoro com o Uzumaki, precisava passar por aquilo sozinho.


 

O rapaz pediu licença de sua posição e caminhou despreocupado até alcançar o bar que estava próximo, pediu uma dose de uísque e virou goela abaixo sem cerimônia.

Ele encarou as pessoas que lançavam rápidos olhares em sua direção, sabia muito bem o que pensavam: o pai havia se suicidado por conta do desgosto do filho. Ia voltar para o lado de sua família quando seus olhos se perderam nas pessoas que estavam entrando. Naruto, acompanhado de sua família, a visão do loiro ali fez o moreno sentir um soco na boca do estômago. Naruto se encontrava triste e de cabeça baixa, e ver o seu Naruto tão imerso a tristeza partiu ainda mais, se é que isso era possível, o coração do Uchiha. Realmente ele era um inútil, nem foi capaz de cumprir com o que cantou para o loiro, alguns dias atrás, quando aceitou seu pedido de namoro ele cumpriu, deixando o loiro abandonado em outro país. Pensou que choraria quando Shisui se aproximou dele e por fim falou:


 

— Mikoto pediu que eu lhe entregasse, ela me disse que não teve coragem de fazer isso! Madara defendeu a entrega em suas mãos disse que era importante para seu crescimento, Sasuke.

— Humm — O mais novo encarou o envelope que, sabendo muito bem o que era. Segurou-o entre os dedos e guardou no bolso do smoking que estava usando — Não sei se quero ler!


 

— Realmente isso fica sob sua decisão — O primo sorriu — Assim como terminar com o Naruto!


 

— Não sei se este é o lugar ou o memento certo para falar disso! — Sasuke encarou pela última vez o ex-namorado e por fim fez um sinal de dedo apontando para o copo que estava em sua frente, que logo foi preenchido por mais líquido de tonalidade marrom — Sabe Shisui, a partir de amanhã eu serei o novo presidente dessa maldita organização! Eles não vão querer um veado como líder!

O mais velho encarou Sasuke por alguns segundos e, por fim, disse:

— Sasuke, não se puna por isso. Obito e Madara fazem parte da comissão.

— E de que adianta? Todos esses velhos malditos estão me encarando como uma aberração!

— Você não é! Conversa com o Uzumaki, não precisa sacrificar seu futuro pelo bem da empresa, Obito e Madara podem muito bem cuidar disso, pelo menos enquanto você não se formar!

— E depois que eu me formar nada terá mudado, Naruto uma hora ou outra terá de ser dispensado!

— Sasuke, você vai realmente abrir mão da sua felicidade por uma merda de tradição cheia de preconceitos?

Sasuke fitou profundamente os olhos tão pretos quanto os seus, logo em seguida permitindo-se se perder no rosto triste de Naruto ao fundo.

Era realmente isso que ele queria? Magoar quem ele realmente ama, por conta de algo que nunca escolheu?

Mas era tarde de mais, já havia magoado o loiro com suas palavras duras e tê-lo abandonado longe de casa foi só o estopim do término, ele sabia muito bem que Naruto não o perdoaria.

Tudo que Sasuke queria naquele momento era que aquele dia acabasse, junto ao próximo e ao próximo e ao próximo.

(...)

Uma vez fora dito que tudo na vida passa, inclusive um coração partido se cura com o passar do tempo. Então porque era tão difícil esquecer Sasuke?

Os dias se passavam numa lentidão absoluta, o tédio invadia seu coração, estava infinitamente cansado e, mesmo que as aulas estivessem próximas a recomeçar, ficar o restante das férias no campus ao invés de estar em casa era cansativo de mais.

Mesmo com as tentativas nada eficazes de Gaara de o tirar do quarto, utilizando das artimanhas mais absurdas, a melancolia não o deixava em paz, nem por um segundo que fosse.


 

E, conforme as aulas se aproximavam, mais estudantes babacas retornavam, Naruto passou a se manter preso no quarto após virar motivo de chacota por todo o campus, ele não se importava com sua sexualidade, mas aquilo o magoava ao saber que todos sabiam do fora que levou, pouco depois de começar um namoro que agora era um erro na visão do Uzumaki.

E, mesmo daquele jeito, ainda tentava arrumar forças para mover o polegar de um lado ao outro no Joy stick do Nintendo à sua frente, enquanto via um Shikamaru ‘super animado’, algo que definitivamente não combinava com ele, falando com uma animação tão falsa quanto o sorriso largo que invadia seus lábios.


 

— Naru, você vai ter que ir para essa festa!


 

— Essa animação não combina com você, Shikamaru! — Naruto falou sem o menor ânimo.

— Disse para vocês que o Naruto não era burro! — O rosto falsamente animado deu lugar ao desinteresse de sempre.

— Humm, já sei, podemos arranjar um namorado para você! — Gaara falou simples — Qualquer coisa se não arrumarmos um a tempo de irmos para está festa, talvez o Kankuro tope ir com você!

Pera lá ele já havia visto essa história e, antes de questionar quem era Kankuro, Naruto se contentou em apenas mover os braços e colocar um fim de uma vez por todas nós planos mirabolantes do amigo ruivo:

— Gaara, não fode! Da última vez não deu muito certo!

— Para você não, mas para o Maru deu! — Chouji falou, vitorioso.

— Pera aí, Shikamaru e Temari? — Naruto se levantou animado — Então talvez se eu arrumar um "Namorado" o Chouji se arrume!

— Nem pensar, quero distância de namorados por hora!

— Talvez tenhamos que mostrar para o Naruto o plano B, pelo visto ele está alienado nesse quarto pelo último mês e nem sabe o que o Sasuke fez na última coletiva.

— Gaara, nem em sonho quero saber do Sasuke!

— Acho que o Gaara está certo, você deveria dar uma olhada no vídeo Naruto! — Shikamaru concordou.

— Até você!

— Só veja!

Gaara deu o notebook com o vídeo carregado para Naruto, que clicou no play e lá estava Sasuke vestido de terno preto e gravata.

— Uchiha-sama – um repórter levantou a mão — Porque recusou a presidência das organizações?

— Como dito pelo meu tio, Madara, mais cedo, não foi apenas eu que recusei, os demais membros da corte chegaram a um consenso, eu vou prosseguir com meus estudos e Uchiha Obito está mais preparado para isso agora do que eu!

— Uchiha Sasuke, o término de seu relacionamento com Uzumaki Naruto deve ao fato das suas responsabilidades com a empresa de sua família, ou é porque Minato foi o principal suspeito pela morte de seu pai?

Sasuke encarou com ódio o repórter a sua frente antes de proferir as palavras:

— Namikaze-sama foi um dos homens mais bondosos e mais justos que eu já tive a honra de conhecer, ele nada tem haver com a morte do meu pai, com foi provado pela Polícia desde o início, a única ligação que possuiu com o fato de Uchiha Fugaku se suicidar foi justamente pelas palavras do Namikaze, que tocaram no coração do meu pai. Eu sei porque ele me deixou uma carta, onde se desculpava pelo que fez à mim e ao meu irmão quando toda essa confusão nos envolvendo chegou a mídia.

— Então, por você ter terminado com Naruto, essa seria uma aliança valiosa?

— Pera aí, alguém pelo amor, expulsa esse bastardo! O que a merda da minha vida pessoal tem haver com esse caralho todo? Até porque amor verdadeiro não é medido por alianças valiosas!

Naruto encarou as palavras do ex sobre amor verdadeiro e, por um segundo, sentiu seu coração bater mais rápido.

Obito, que estava ao lado do Uchiha, tocou no ombro do mais novo.

— Uzumaki Naruto — ele olhou para a tela — É a pessoa mais importante para mim, se não estamos mais juntos, isso só quer dizer ao meu respeito e ao dele, eu cansei de toda essa tradição de que devemos construir uma família com bases em conceitos antigos, e Obito só está aqui por este motivo, porque ele vai fazer das organizações Uchiha's o que eu e Itachi presamos, o respeito ao próximo independente de sua sexualidade. Essas visões antiquadas deixaram de existir para nossa família e só assim a morte do meu pai terá valido de alguma coisa! — Completou.

Naruto, de olhos arregalados com tudo que vira e ouvira de Sasuke, ficou sem reação. Então ele era importante para o Uchiha.

— Chouji?

— Oi?

— Sasuke estava no quarto de vocês quando você veio para cá?

— Sim! Por que?

— Já volto!

Os três se entreolharam, vencedores. As palavras do Uchiha haviam tocado o coração do loiro.


 

"..."


Notas Finais


Ahhhh como sou má T.T ….


Pessoas e lá vem a novidade, eu Niccax abri uma lojinha com vendas de bonecos e chaveiros no facebook, e não é qualquer chaveiro são chaveiros chibi de cultura pop e eles estão lindos *-*, e como o pessoal da fic me da muito apoio vou fazer uma promoção para vocês e sortear 3 chaveiros e um boneco, a promoção só será válida para as pessoas que favoritaram a fic independente de número de comentários e tudo mais, se quiser participar, já favotira a fic e curte a página da minha lojinha no facebook, que o sorteio ocorrerá por lá:

https://www.facebook.com/Cantinhodosbonecoss2


Será um chaveiro do Naruto, um Do Sasuke um chaveiro Love Akatsuki e um boneco do Itachi

E lógico que as regras para o sorteio e os chaveiro e boneco eu vou postar primeiro no face das leitoras e tudo mais quem ainda não me add no face dos leitores add lá:

https://www.facebook.com/profile.php?id=100013762814221



Eu realmente estou muito feliz pelos números da fic, cara atingimos o número de 10k de visualizações isso é muito gratificante e só por isso resolvi presentear meus amados leitores, próximo cap dá inicio a promoção não se esqueçam, amo todos e até mais ;***


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...