História Verdades obscuras - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 4
Palavras 1.063
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Mistério, Romance e Novela
Avisos: Estupro, Linguagem Imprópria, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oie! Só passei para dizer que as imagens que eu utilizo não são de minha autoria,obviamente. São meramente ilustrativas,mostrando como eu imagino meus personagens...

Capítulo 3 - Capítulo 3


Fanfic / Fanfiction Verdades obscuras - Capítulo 3 - Capítulo 3


O honda Fit de Fernanda entrou na rodovia movimentada às 16:57, daquele mesmo dia. Abri o vidro do carro para que o ar fresco entrasse. O rádio estava ligado numa estação Pop. Fiz uma careta. Não gostava muito de Pop, preferia muito mais o bom e velho Rock’n Roll. Virei-me para Fernanda que observava a paisagem atentamente.

-Preferia dirigir o HR-V da Sofi... –murmurei, pensando alto. Fernanda me olhou cautelosa e em seguida, disse:

-Você queria estar de vela? – Fiz uma careta e fiz que não com a cabeça. Ela riu. – Então, não reclame. Nem todos podem comprar um carro de cem mil reais. Por que não compra um carro, Alice? Já que gosta tanto de dirigir... – Não respondi. Meus olhos fixos no HR-V que estava mais a frente. Lou se inclinou para frente se debruçando no meu banco.

- Não acredito que estamos indo para um show do Coldplay! Eu não vou saber cantar nada, mas nem quero saber... AHHHHHHHHHH EU ESTOU ANSIOSAAAA – Ela gritou no carro, o que me fez perder o controle por um segundo e o carro desviar alguns metros para a pista da esquerda.

Levamos uma buzinada e eu consegui voltar para a nossa pista. Fernanda virou-se irritada para Louise dizendo:

-Se você fizer isso mais uma vez, juro que te jogo pela janela com o carro andando! – Lou ficou apreensiva e nosso olhares se encontraram no retrovisor. Eu ri, mas a garota de cabelos longos e loiros não fez o mesmo. Provavelmente, com medo.

Não a culpava. Fernanda sempre foi a mais irritadinha de nós quatro e tudo o que ela prometia, ela cumpria.
Eu acelerei o carro e troquei de pista para que pudéssemos ficar lado a lado com o HR-V. Começava a garoar, mas não diminui. Tínhamos ainda um longo percurso até o local do show.



-Não acredito que você está grávida! – Fernanda disse enquanto retocávamos a maquiagem. Já estávamos no Citibank Hall, apenas esperando para o show começar. Olhei as duas, curiosa. – Você sempre foi a mais responsável!

-Acontece em todas as famílias gente! Tudo bem que eu tenho vinte anos, mas já sou maior de idade! Eu sou responsável por mim! Apesar dessa gravidez não ter vindo em um tempo melhor... Eu vou amar essa criança com todo o meu coração!
Suspirei, olhando Louise. Sempre achei que a primeira a ter filhos fosse ela, por ser um pouco mais relaxada e amar crianças. Mas, pelo jeito, me enganei redondamente. Terminei de passar o batom e acabei entrando na conversa.

-Mesmo assim, seus pais não aceitaram de primeira Sofi! O Miguel faltou cuspir o peixe que mastigava! Imagina ser tio aos dezoito anos! – Eu ri, nervosamente. Enquanto Sofia olhava tristemente para a imagem de seu reflexo. Ela já estava de dois meses e sua barriga ainda não tinha aparecido.

-Eu sei... Ele ficou mais nervoso que o papai. Juro que se fosse menor de idade e ainda morasse com eles, quem iria me colocar no olho da rua seria o Miguel. Ele sempre foi muito protetor e muito mais responsável que eu.

-Verdade, não sei o porquê a gente te chama de responsável. O Miguel ganhava de dez a zero de você. Poxa, o cara limpava a casa e fazia todos as suas tarefas domésticas. Enquanto, você ficava por aí, vadiando... Não, literalmente, claro! – Fernanda comentou, arrancando risadas.

-Maasss... – Lou se pronunciou, estendendo a palavra “mas”. – Sempre vamos estar do seu lado! Mesmo eu não gostando da ideia de ser tia com vinte anos! Vocês não podiam esperar não? Esqueceram-se de usar camisinha? – Nós rimos, enquanto Sofia ficava vermelha de vergonha. É, pelo jeito, esqueceram mesmo. Eu ri, internamente.




Fernando já se encontrava em seu lugar, conversando com um garoto loiro que se encontrava todo vestido de preto. Quando retornamos aos nossos lugares, os olhos de Fer se iluminaram ao ver Sofia. Ela sorriu e ele sorriu. Dava para perceber que estavam muito apaixonados. Todos se acomodaram e eu olhei para a minha poltrona, a que estava ocupada pelo completo estranho. Puxa, por que isso só acontece comigo?

Aproximei-me do garoto, que já se encontrava conversando com uma loira linda, alta, de corpo esbelto e com um decote maior que o mundo. Fiquei olhando para aquela cena, sem saber o que fazer. Procurei ajuda nos meus amigos, porém todos já estavam imersos em algum assunto. Então, acabei por pigarrear. Eu sei, parece meio infantil, mas era a única forma de chamar a atenção.

Os olhos azuis do homem se encontraram com os meus e ele deslizou o olhar sobre o meu corpo. Só esse ato, me fez arrepiar e ficar nervosa. Sentia-me nua e era como se meus segredos mais obscuros estivessem expostos para esse completo estranho. Seus olhos me lembravam do mar e seus cabelos... Pareciam que eram feitos de alguma espécie de...

-Alice? –Louise murmurou enquanto estalava os dedos na minha frente. Droga, devo ter ficado muito tempo encarando o sujeito de cabelos meio encaracolados e louros.

-Ahhh, me desculpa! – Desviei meu olhar, rapidamente, só para encontrar quatro pares de olhares curiosos na minha direção. Sério, meus amigos não tinham o que fazer?- Desculpe... Hã... Você está no meu lugar!

-Ohh, perdoe-me! – O loiro me olhou divertidamente, enquanto pulava para a poltrona bem do lado da loira gostosona e ao lado da minha.

-Hã... Tudo bem! –Sorri e me voltei para os meus amigos, que já tinham uns olhares maliciosos. Revirei os olhos e mudando de assunto, perguntei:- Que horas são?

Eles riram e Sofia trocou de lugar com Louise, rapidamente, olhando para mim e apertando as minhas bochechas fortemente, ela respondeu:

- Mas que coisa mais fofaaa, Liliii! – Eu mereço! Qual é o problema dos meus amigos? Envergonhando-me na frente de tantas pessoas... – São quase nove , meu amor, espere mais um pouco. – Ela disse apertando ainda mais  minhas bochechas.

- SOFIA, se você não tirar as mãos de mim, agora, eu juro que esse seu filho vai sofrer muito em minhas mãos! – Fechei a cara, arrancando mais risos do pessoal. Menos de Sofia, claro, que me deu um tapa de brincadeira na cabeça e voltou para o seu lugar fingindo estar brava. É como minha mãe dizia, nunca mexa com a cria dos outros... Mães podem ser assustadoras quando querem!


Notas Finais


E aí? O que acharam? Por favor, comentem! :) :D Vejo vocês por aí! Bjsss


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...