História Vermelho e preto - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias 50 Tons de Cinza, Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Alya, Chloé Bourgeois, Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Plagg, Sabine Cheng, Tikki, Tom Dupain
Exibições 262
Palavras 667
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


escrevi escutando a música é muito top, sim sou super fã de fifity shades of gray. Espero que gostem

Capítulo 11 - Sinal vermelho


Fanfic / Fanfiction Vermelho e preto - Capítulo 11 - Sinal vermelho

Mari on
Fiquei olhando para ele por um momento tentando decifrar o seu olhar  , a pupila dilatada e íris mais verde do que o normal.
- Pra onde vamos ? Perguntei para quebrar o silêncio.
Ele nada respondeu , à penas avançou né mim me fazendo deitar no banco do carro.
- Adrien o Taylor está aqui também  esqueceu ....meu deus que vergonha claro que ele já deve ter sacado qual são as suas intenções.
Ele segurou os meus pulsos com força , olhei para ele que tinha um sorriso sádico no rosto.
Ele segurou minha nuca me puxando para um beijo feroz , e cheio de desejo. Nossas línguas estavam em uma disputa por espaço,  uma guerra total.
Suas mãos entraram na pequena abertura do vestido.
- Adrien anh. ...
Eu só visto as roupas erradas , esse vestido facilitou muita coisa, tipo a mão dele na minha bunda.
Ele deslizou a mão vagarosamente pela minha perna , fez o mesmo procedimento com a outra .
Vi ele tirar sua gravata cinza e me dar um sorriso de canto.
- Estenda as mãos . Ordenou.
Coloquei as mãos na frente do meu corpo , elas foram enlaçadas pela gravata , não consegui conter o sorriso.  Estávamos dentro de uma limousine , que tinha um pouco do necessário para essesjoguinhos. Meus braços ficaram a cima da minha cabeça, em quando ele pegava alguma coisa dentro do bolso do paletó.
- Uma bolinha de menta?
- Shiiu...fica quietinha e não tire as mãos aí . Falou com voz rouca extremamente sexy.
Seus lábios esmagaram os meus numa certa velocidade , pude sentir o gosto da bala em sua boca, que abandonou a minha antes do que eu esperava.
Vi ele descer com seus lábios para o meu decote , e depois mais em baixo.
Ele levantou o meu vestido até minha cintura , e minha calcinha deslizou sobre minhas pernas .
Sua boca veio para minha intimidade , senti a ardência da menta da balinha.
Joguei a cabeça pra trás , aquilo doía mas era prazerosa ao mesmo tempo. Gemi alto .
Em quanto ele tinha sua boca em mim. Suas mãos apertavam minhas pernas fortemente .
- Adr. .Ahnn...eu. .annnh
Minhas pernas ficaram bombas e o meu corpo amoleceu .
- Nossa que rápido.  Falou.
Apenas mordi o lábio inferior , com certeza eu era masoquista por querer mais daquilo.
Ele pegou um chicote e começou a passear com ele pelas minhas , ele bateu perto da minha perna. Mordi o lábio .
- Doeu?  Perguntou com aquele sorriso sádico.
- Isso é minha punição , por mim não ter te escutado?  Provoquei.
Seus lábios vieram para minha orelha. O que fez um arrepio percorrer minha espinha.
- Apenas uma amostra .
Adrien on
A expressão que ela tinha era de puro prazer e seus gemidos , concluíam minha teoria.
Passei o chicote em meios as pernas dela , e bati. Ela gemeu. Cada gemido , uma prova do prazer que ela estava sentindo.
Joguei o chicote de lado e tomei seus lábios , soltei seus braços que rodearam meu pescoço , eu simplesmente estou submisso aos seus toques.
Puxei sua cintura colando nossos corpos , fiquei de joelho em meio suas pernas e tirei minha calça,  ela deu um jeito na camisa.
A penetrei fortemente , ela se agarrou aos meus cabelos , acelerei os movimentos , que iam mais fundo , ela intrelarçou as pernas em volta de mim . Os nossos corpos colavam com as estocadas violentas.
Os gemidos da Mari saiam abafados pelo Beijo , necessitado.
Ela jogou a cabeça pra trás , vi que a mesma ia atingir ao apice novamente .
Chegamos ao ápice juntos , cai sobre que tinha a respiração descompassada .
- O que você achou?  Perguntei.
Ela gargalhou , e me olhou nos olhos .
- Foi ótimo , mas posso te ensinar a fazer melhor.  Falou com a sombracelha arqueada.
- Então me mostra.

CONTINUA








Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...