História Vestígios da Coragem - Capítulo 30


Escrita por: ~

Postado
Categorias Eldarya
Personagens Ezarel, Keroshane, Miiko, Nevra, Personagens Originais, Valkyon
Tags Amor, Drama, Eldarya, Romance, Valkyon
Visualizações 141
Palavras 1.649
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Fantasia, Hentai, Josei, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu estou muito ansiosa pelas reações hoje kkkk

Enfim, bora saber o que aconteceu com MellKyon? ♥

Capítulo 30 - EXTRA - 01 - Everyday Love


Fanfic / Fanfiction Vestígios da Coragem - Capítulo 30 - EXTRA - 01 - Everyday Love

"Me dá arrepios

O vento me faz tremer

O início da história começa"

 

A noite escura deixava Eldarya de uma maneira que o assustava, mas não era só aquilo... seu coração estava tão acelerado que achou que pudesse morrer. Respirou fundo enquanto olhava pela janela, quase não haviam estrelas no céu, a lua estava escondida atrás das nuvens. Fechou novamente os punhos com força, enquanto voltava a andar de um lado para o outro.

- Começou novamente - Nevra falou.

- Valkyon, pare! Vai abrir um buraco no chão! - o Elfo comentou da poltrona em que estava.

- Eu não consigo! - Valkyon falou, seus olhos dourados refletindo as chamas da lareira - Como querem que me acalme? É impossível!

- Homem, onde está sua calmaria toda? - O Vampiro sorriu.

- Sumiu, escafedeu-se! Certo, como conseguem pedir que me acalme, se ela está lá dentro sozinha?

- Ela está com as meninas, e o mais importante, Eweleïn está lá... - Ezarel falou calmamente.

- Eu vou lá!

Valkyon caminhou apressadamente até a porta, no entanto, Nevra parou entre ele e ela. Colocou as mãos em seus ombros.

- Se acalme, campeão! Está parecendo um leão querendo proteger sua manada...

- Alcateia... - Ezarel o corrigiu - Manada só é usada para bois, búfalos, zebras, vacas e elefantes...

- Cale a boca, orelhudo! - Nevra retrucou - Eu sei o que é uma manada! - voltou a olhar para Valkyon - Espere um pouco, com certeza a Eweleïn logo virá.

O homem de cabelos prateados fez que sim com sua cabeça, e passou uma das mãos pelo maxilar, cruzou seus braços, tentando permanecer calmo, o que era quase impossível.

Minutos longos e torturantes se foram enquanto os olhos de íris douradas estavam perdidos na vista bonita do jardim do palácio, o coração não estava calmo, e seu corpo queria se mover sozinho, queria andar por aquela sala até ficar cansado e suas pernas doerem. E foi quando Ykhar apareceu na porta.

- Valkyon, venha - ela sorriu.

Ele a olhou, o coração quase saltou pela boca. De repente, estava congelado no lugar em que estava, não sabia o que fazer, apertou as mãos com força.

- Venha, homem! - Ykhar o puxou - Não faça alarde, ela está cansada demais.

Valkyon foi puxado por ela, a Brownie não o soltou, pois sabia que se o fizesse, ele pararia de andar. Quando chegaram em frente a porta de seu quarto, ele a olhou.

- O que é, Ykhar?

- Veja com seus próprios olhos...

Ela abriu a porta, Valkyon olhou para o interior do quarto, viu Miiko sentada na poltrona, Eweleïn em uma cadeira próxima da cama... e ela... Mellindah estava sentada, na verdade, estava quase deitada entre os travesseiros, totalmente desgastada, pareceu tão cansada que ele sentiu o coração acelerar. Mas novamente, não era só aquilo, em seus braços...

Ele caminhou devagar, aproximando-se, viu Eweleïn se levantar, a mulher tocou seu ombro de forma carinhosa.

- Parabéns, papai. 

Valkyon sorriu ao olhar para Mellindah, direcionou seus olhos para o bebê, ele dormia tranquilo naqueles braços, como se realmente, ali fosse seu lar.

Calmamente, o homem se sentou na beirada da cama, passou a mão devagar pelo rosto dela, vendo-a sorrir, ajeitou seus cabelos para trás da orelha.

- Valkyon... é um menino.

Mellindah disse baixinho, ele voltou a olhar para o bebê ali, tão frágil, seu rostinho era tão pequenino. Direcionou sua mão para ele, colocando o dedo calmamente sob aquela mãozinha, o menino fechou seus dedinhos, quase segurando de verdade seu dedo.

- Quer segurá-lo? - ela perguntou.

- Não sei se devo... Acho que não sei fazer isso...

- Ele também é seu - ela sorriu, ajeitando o braço dele, e colocando calmamente o bebê ali - Seu instinto irá te guiar...

Olhou atentamente pra aquele serzinho que havia acabado de vir ao mundo, emocionou-se com o simples fato de saber que era dele, não só dele, da mulher que amava também. Sorriu quando a sentiu se encostar em seu ombro, os cabelos roçando de leve sua pele enquanto olhavam juntos para ele... o bebê que firmou seu amor em Eldarya.

- Bem vindo ao mundo... - Valkyon sussurrou - Thalion.

~~X~~

Bateu um dos pés de forma compassada no chão, não acreditava naquilo... Era surreal, massageou a região das têmporas com os dedos indicadores, tentando buscar uma paz interior que já não tinha.

- Você se colocou nessa, e agora fica da mesma forma... - Nevra riu.

- Cale a boca - ele o olhou com uma careta no rosto - eu estou muito feliz, só um pouco ansioso.

- Claro que está feliz... DOIS! - Nevra fez aquele número com os dedos.

- Você devia parar de contar meus filhos, e arrumar um para si próprio.

- Para que fazer um, se tenho os seus? Já estão prontos... posso ensinar para Thalion como ele deve se esconder nas sombras, ou como matar um BlackDog, e depois te devolver... Você dá o banho, põe para dormir, educa... Veja que beleza?! - ele sorriu.

- Você não precisa ensinar nada disso para ele, eu vou ensinar.

- Poxa... 

Nevra fingiu estar decepcionado. A porta se abriu, e Mellindah calmamente passou por ela, segurava a bebê em seus braços.

- Vamos? Estou ansiosa...

- Eu também estou - ele pegou Thalion, o menino se agarrou à ele - não é longe, mas se preferir, posso trazer algo para levá-los.

- Não precisa - Mellindah sorriu - depois de quase quatro meses de molho no QG, eu quero realmente andar. E esse sol vai ser bom para Fanie, não acha?

- Acho que está certa.

Eles seguiram calmamente pelo corredor, até chegarem no salão de entrada. Lá, encontraram com Miiko, a Kitsune estava calmamente sentada em um dos degraus da escada. Levantou-se de pronto.

- Já vão? - perguntou.

- Sim, estou ansiosa para saber onde vamos morar - Mellindah sorriu.

- Poxa, nem acredito que vai tirar os dois de mim... - Miiko tocou a mãozinha de Fanie com seu dedo - Vai sentir falta da tia Miiko, pequena estrela?

- Nós vamos vir todos os dias para cá, Miiko, não seja dramática - Valkyon comentou calmamente.

- Não seja tão direto quanto seu pai, Thalion... Ele as vezes é um ogro sem coração - Miiko direcionou o olhar para Valkyon, e depois para o menino, que sorriu - Venha me ver amanhã, está bem?

- Tá...

Thalion respondeu, e os três sorriram. Mellindah segurou a bebê de forma mais confortável, e suspirou.

- Vamos, Valkyon? Pode não parecer, mas ela pesa. 

- Posso carregar os dois, se quiser.

- Eu sei que pode - Ela sorriu - mas eu prefiro carregá-la... além de forte, as vezes você pode ser desajeitado. - Viu o rosto dele se contorcer com uma careta, então tocou de leve seu rosto - não é uma critica.

~~X~~

Estavam parados diante da casa, ela tinha dois andares, o de baixo tinha o pé direito bem alto. As paredes eram levemente desgastadas, e eram de cor bege, também haviam janelas verdes de madeira.

- Oh... - Ela murmurou.

- Teremos de fazer algumas missões extras, mas acho que podemos reformá-la com calma...

- É perfeita - Ela sorriu - Quero dizer, está judiada, mas podemos deixá-la bonita.

Mellindah tocou de leve seu braço com sua mão, enquanto segurava Fanie com o outro, o viu sorrir.

- Vamos entrar, Mell... o interior é bem melhor.

E foi o que fizeram, seguiram para dentro da casa.

...

Os olhos lilás e de formato amendoado observaram a visão além do mercado, realmente, Valkyon estava certo... o interior da casa era aconchegante e destoava de seu exterior. Mas bem, estava tão feliz de terem um lugar só deles, que as paredes do lado de fora não eram nada.

- Sabia que estava aqui.

Ela se virou e o viu se aproximar, o olhou com uma cara de enfezada.

- Onde estão as crianças? Eu as deixei com você...

- No quarto ao lado. Fanie no berço, Thalion no chão com os brinquedos... deixe-os respirar.

Mellindah respirou fundo, encostando-se no parapeito da janela, cruzou seus braços, olhando diretamente para ele.

- Obrigada...

- Pelo o quê? - Valkyon sorriu, aproximando-se dela.

- Pela casa.

- Aqui também tem ouro seu...

- Você me entendeu, eu acho. - Ela o olhou de forma carinhosa - Você sabe o quanto isso significa para mim...

- Sei... - ele segurou as mãos dela - Ter uma casa é ter um lugar, um lar, uma família... Era o que faltava para preencher o vazio que sente. Sabe em que eu estava pensando mais cedo?

- Não? - Mellindah sorriu.

- No dia em que Thalion nasceu... quando Fanie nasceu eu estava tão tranquilo que não me veio em mente...

- Fanie é calma desde o dia em que foi concebida.

- Pelo o que me lembre, o momento do concebimento não foi calmo. - Ele sorriu.

- Cale a boca... - Ela deu um tapa leve em sua mão.

- Eu fiquei angustiado mais cedo, porque íamos sair do QG e voar com nossas próprias asas... Eu sei o quanto você queria um lugar só nosso.

Ela sorriu em resposta, desencostando-se da parede, levantou uma das mãos, tocou o rosto dele com as pontas dos dedos.

- Também sei que é o mesmo para você. - Aproximou-se, abraçou sua cintura, enquanto sentia uma das mãos dele em seus cabelos - Sei como queria uma família, e uma vida longe de todo mundo se metendo... - Suspirou - Eu te amo, Valkyon.

- Eu também, Mell... Eu também te amo.

Os braços dele a envolveram, enquanto fechou os olhos, sentindo o perfume dos cabelos dela, e o calor amoroso que o corpo dela emanava. Estava feliz e satisfeito, finalmente, podia se sentir completo.


Notas Finais


OOOH NANA (E NÃO É KARD, ALIÁS, OUÇAM KARD ♥) POR QUE O CAPÍTULO ESTÁ EM ITÁLICO?

Simples queridas... ele é só um prologo. Os extras se passam anos mais tarde ♥

No próximo teremos um possível motivo para tudo que vai acontecer... e o Marilene ( ͡° ͜ʖ ͡°)

Eu não sei mais o que faço da minha vida, estou ociosa... e cabeça vazia, é morada para Marilene kkkk

BEIJINHOS ♥♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...