História Vida Real - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 7
Palavras 1.689
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Musical (Songfic), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 4 - Novos desconhecidos


Fanfic / Fanfiction Vida Real - Capítulo 4 - Novos desconhecidos

“Quando eu era jovem, eles me disseram, eles disseram
Nós faremos a sua cama, você vai deitar na cama
Um rei só pode reinar até
Chegar aquele dia do "cortem a cabeça dele"

A noite fica mais escura pouco antes do amanhecer
O que não te mata te faz mais forte
Você terá minha misericórdia, quando você tiver ido embora

As noites continuarão
À espera de uma luz que nunca vem
Eu persigo o sol
À espera de uma luz que nunca vem …”

 

A Light That Never Comes   


 

[.....]



 

Domingo , acordei com meu humor gótico , alguns falam que tenho múltiplas personalidade …


 

Eu não acho isso , sou apenas uma garota que muda de humor com facilidade ( N/A : grandes merdas ‘-’ )

 

Depois do almoço , resolvi tocar teclado trancada no meu quarto .

 

E a música escolhida ?  

 

Lithium da Amy Lee ( N/A : Evanescense )

 

Até que Anna entrou no meu quarto e se jogou na minha cama .

 

- Sabia que existe uma porta nesse quarto ?  - falei irônica .

 

- To nem ai - falou ela .

 

- O que aconteceu ? - perguntei sentando na cama .

 

- Tem um show da piranha hoje - falou ela direta .

 

- E ? -perguntei sem entender .

 

- "E" , que se o Ben viajou com ela - falou Anna sugestiva e então eu entendi .

 

- O Ben vai estar no show - falei e pulei entusiasmada .

 

- Onde vai ser ? Quanto custa o ingresso ? - perguntei e Anna abriu a bolsa tirando dois engressos .

 

- Em um bar/restaurante no Centro da cidade . ( N/A : não vou mencionar o nome até porque não estou sendo patrocinada para divulgar )

 

- Que horas ? - perguntei olhando para Anna que usava uma blusa de manga comprida Branca e uma calça preta .

 

- Daqui a pouco falou ela olhando no relógio .

 

- Quem vai levar a gente ? - perguntei  .

 

- Pegamos um táxi - falou ela .

 

- Ok , vou me arrumar .

 

[....]


 

- Isso aqui vai ficar lotado - falou Anna .

 

Tínhamos chegado no tal bar/restaurante  , e escolhemos uma mesa perto do palco onde os musicos afinavam seus instrumentos .

 

O local estava fechado apenas para quem pagou o ingresso , e muitas pessoas estavam chegando para ver a piranha de perto .

 

- Veja pelo lado bom , essa noite ela não vai fazer nenhum programa - falei baixo apenas para Anna escutar .

 

O telefone de Anna toca e ela vai a um lugar afastado atender , e quando volta , não tem notícias boas .

 

- Não vou poder ficar - falou ela pegando a bolsa .

 

- O que houve ? - perguntei .

 

- Meu pai sofreu um acidente , desculpa amiga , vou ter que ir para casa - falou ela .

 

- Quer que eu vá com você  ? - perguntei levantando da mesa .

 

- Não precisa , pode ficar e curtir o show , mas , você  tem como voltar para casa ? - perguntou  ela .

 

- Eu ligo para o meu pai - falei abraçando ela .

 

- Tira uma foto do Ben pra mim ? - perguntou.

 

- Pode deixar - falei e ela sorriu e saiu do local me deixando sozinha .

 

Em poucos minutos aquele local encheu e o show começou .

 

Passei a maior parte do tempo nas redes sociais , postando Snaps , olhando o Face , Twitter , Whats App , até que então aquilo que eu queria aconteceu , mas não da forma que eu esperava .

 

- Agora eu quero chamar aqui no palco , uma pessoa que disse que não poderia vir , mas no fim das contas apareceu , quero que vocês me ajudem a chamar ele - falou Luana - no três todo mundo grita “ Benjamim  vem a mim “ .

 

Que rima mais tosca .

 

no fim todas as fãs berradoras  gritaram junto com a piranha e o Ben subiu ao palco , lindo como sempre .

 

Tirei algumas fotos para passar na cara das inimigas e outras para enviar para a Anna .

 

- Vamos cantar uma música ? - perguntou  Luana abraçando ele e entregando um microfone .

 

Ele falou alguma coisa no ouvido dela fazendo ela rir .

 

- As vezes você  esquece a voz linda que você  tem - falou ela sorrindo para Ben e deixando ele sem graça .

 

A maioria dos berradores , vulgo fãs , ficaram “ comovidas “ e fazendo especulações de quanto os dois são fofos juntos .

 

Nossa , quanta melação , alguém pode me dar um pouco de insulina ? Acabei de ficar diabética.

 

Eles cantaram Just give me a reason da Pink .

 

E sabe a parte que eu falei que não saiu como eu esperava ?

 

No final da musica eles ficaram se encarando por um tempo em quantos as fãs gritavam “ beija “ .

 

E sabe o que aconteceu ?

 

O Ben se afastou dela ? …

 

Minha mão decolou e pousou na cara dos dois ? ...

 

Não !

 

Ele continuou parado em quanto a Luana abraçava ele e tascava um beijo de cinema ( N/A : também conhecido como “ beijo desentupidor de privada )  .

 

Quer saber mais ? Para mim já deu toda essa palhaçada .


 

Sai do bar/restaurante com um peso nas costas , não gosto de ficar assim , mas sei que se ele continuar com ela , ele vai acabar se ferrando .

 

Mas lá no fundo , sinto que alguma merda vai acontecer .


 

[....]


 

Caminhava pelas ruas do Recife Antigo sem rumo .

 

Várias pessoas estavam se divertindo com seus amigos , eu apenas caminhava e pensava bobagens .

 

Até que avistei várias pessoas perto de um palco onde “ Quase sem querer “ do Legião Urbana , era tocada por uma banda desconhecida .

 

Fiquei lá escutando eles tocarem várias músicas do Legião Urbana até que eu percebi que ja estava ficando tarde .

 

Fui me afastar daquele local e acabei esbarrando em três pessoas .

 

Uma caiu no chão quase me derrubando também ,  e a outra pessoa derramou algo que eu acho que era água em sua própria camisa  .

 

- Me desculpem -falei reparando nas pessoas que eu havia esbarrado .

 

Uma garota , alta , magra , cabelo castanho , e está quase escrito na testa que ela é um imã  para situações constrangedoras como essa que acabou de acontecer .

 

O outro ….

 

Bom , pele branca , cabelos pretos cortados em forma e um “ topetinho” , aparentava ser boa pessoa , mas ao mesmo tempo , poderia virar seu pior inimigo .

 

Gostei deles .

 

- Não tem problema - falou a garota sorrindo tímida e eu ajudei ela a se levantar .

 

- Essa água custou cinco reais - falou o garoto pegando a garrafa e jogando em uma lixeira próxima - sem contar que vou todo molhado para casa .

 

- Acho que minhas roupas não serve em você  - falei sarcástica

 

- Haha , engraçadinha - falou ele fazendo careta em quanto a outra garota tentou segurar o riso .

 

- Ei, vocês  ai , passa o celular - falou uma alma sebosa se aproximando ( Alma sebosa é uma gíria usada em Recife para pessoas ruins , no caso , um bandido ) .

 

- O que a gente faz ? - perguntou  a garota .

 

- CORRE NEGADAAAAA- gritei e nos três saímos correndo em quanto o ladrão corria atrás da gente .

 

- PEGA LADRÃO - gritei quando passamos perto de uma viatura policial indicando com o dedo o garoto que queria nos roubar e o bandido passou a correr na direção contraria fugindo da policia .


 

Continuamos correndo pela rua ate que chegamos ao Shopping Center Paço Alfândega e entramos correndo .

 

- Mas nem fudendo com a Bete Faria Samara no poço que eu dou meu celular - falou o garoto fazendo eu e a outra menina sorrir .

 

- Essa foi por pouco - falou a garota .

 

- Vocês  não são de Recife não é ? - perguntei para os outros dois lembrando que eles dois tinham o sotaque diferente do meu , em quanto nos entrávamos no shopping e sentamos em um banco para descansar .

 

- Não - falou os dois .

 

- Meu nome é Julianna , eu nasci aqui em Recife , mas cresci em Olinda , na cidade vizinha , voltei a morar aqui de novo - falei estendendo a mão e cada um apertou e falou seu nome e onde morava .

 

- Bruna , sou de Campinas interior de São Paulo -falou a garota .

 

- Rodrigo ,sou de Teresina Piauí - falou o garoto .

 

Ficamos em um silêncio constrangedor , até que Bruna se pronunciou .

 

- Acho melhor ir para casa , está tarde e o shopping vai fechar -   falou ela .

 

- É , eu também vou -falou o garoto .

 

- Vocês  topam dividir um táxi ? - perguntei  e eles olharam para mim - É um pouco difícil arrumar táxi , e não quero esperar muito .

 

- Tá mas , cada um paga a sua corrida - falou Rodrigo .

 

- Justo - falei e Bruna confirmou com a cabeça .

 

Ficamos na frente do shopping e demorou um pouco mas finalmente pegamos um táxi.

 

E para a minha surpresa , a Bruna morava duas ruas depois da minha .

 

- Eu vou ficar por aqui , minha rua é aqui perto - falei descendo do táxi .

 

Eu e Bruna dividimos nossa grana e cada uma pagou a metade .

 

Rodrigo seguio no táxi , provavelmente ele mora em outro bairro .

 

- Até outro dia Bruna - falei acenando para ela em quanto seguia meu caminho para casa .

 

- Até Jú - respondeu ela é entrou em sua residência .


Notas Finais


Não sou boa descrevendo a fisionomia de alguem , por isso coloquei as fotos do Rodrigo e da Bruna .


Espero que tenham gostado e ..... Até o próximo Cap o/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...