História Vida Real - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 5
Palavras 2.963
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Musical (Songfic), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 5 - Reencontro


“Ninguém merece ser só mais um bonitinho
Nem transparecer, consciente, inconsequente
Sem se preocupar em ser adulto ou criança
O importante é ser você

Mesmo que seja estranho, seja você
Mesmo que seja bizarro ….”

 

               - Máscara  ( Pitty )



 

[.....]
 

Segunda feira , 10:00 da manhã  .


 

Estava conversando com Anna sobre o que aconteceu ontem no show .

 

- Nossa , não acredito que eles se beijarem mesmo - falou Anna fazendo cara de nojo .

 

- Eu até esqueci de perguntar , seu pai está bem ? - perguntei  .

 

- Sim , foi apenas um susto - falou ela sorrindo .

 

Vou comprar meu lanche - falou ela a caminho da “ barraca da tia da cozinha “ , não sei o nome dela , só sei que ela vende todo tipo de lanche , mas eu amo a coxinha de frango que ela vende .


 

Sentei em um banco enquanto comia minha coxinha.

 

- Olha só , ela trouxe comida hoje - falou uma voz atrás de mim .

 

E adivinha só quem era ? ….

 

- Bruno ? - falei sem entender o que ele fazia na escola .

 

- O que você  faz aqui ? - perguntei.

 

- Oi para você  também - falou ele sentando no banco ao meu lado .

 

- Oi - respondi e esperei ele terminar de falar .

 

- Palestra depois do intervalo - falou ele .

 

- Olha , se vai falar de mosquito , é melhor você  ir para ….

 

- Não - me interrompeu ele sorrindo  - hoje não é sobre mosquito , e espero que você  assista .

 

- Você  é médico mesmo ? Ou é pago apenas para fazer palestras ? - perguntei e ele sorriu .

 

- Os dois eu acho - falou ele fazendo uma careta ao lembrar de algo .

 

- Aceita ? - perguntei  oferecendo minha coxinha mas ele negou .

 

Graças a Deus , detesto dividir comida .


 

- A sua boa saúde impede você  de comer besteira ? - alfinetei .

 

- Assim você  magoa Julianna , só porque eu sou médico não significa que eu não saía as vezes para comer besteira - falou ele sorrindo .

 

- Olá - falou Anna olhando para mim e para Bruno .

 

- Bruno , está é minha amiga Anna , Anna , este é Bruno - falei apresentam e os dois .

 

- Ei , eu lembro de você,  Você  é aquele médico Gatin... o médico - gaguejou ela .

 

Quem te viu quem te vê Anna , o Menino Gabriel e agora o Bruno ? Menos né amiga ? Menos !


 

- Vai ser sobre o que a palestra ? - perguntei .

 

- Shiu é Segredo - falou ele sorrindo de lado e roubou meu refrigerante e bebeu .

 

(N/A: ah essas piadinhas internas )

 

- Nossa , você como médico deveria saber que milhões de germes meus foram passados pra você  , pode ficar não vou querer mais beber - falei fazendo careta e ele sorriu pensando em algo até que arrotou .

 

- Eca Bruno que nojo , sai daqui - falei empurrando ele que saiu sorrindo .

 

- Melhor pra fora do que para dentro - falou ele e saiu do pátio entrando no auditório .

 

Sorri e terminei de comer minha coxinha , Anna olhava para mim de uma forma estranha .


 

Eu ia questionar o motivo , mas o sinal tocou indicando que o intervalo havia terminado .

 

Fomos para o auditório e Bruno estava o tempo todo me olhando e sorrindo , sabe aquele sorriso que quer dizer “ ah , você veio , vou encher você  de perguntas estúpidas “.

 

Sentei na primeira fileira junto com Anna enquanto Bruno ainda me olhava com aquele sorrisinho .

 

Vem merda por aí !

 

- Muito bem alunos , chamamos vocês  aqui , para conversar sobre o futuro - falou porco aranha ...ops Diretora Fani .

 

- Chamei aqui , três jovens , que já passaram por nossa escola , hoje exercem a profissão que sonharam , por favor , uma salva de palmas para Sabrina Milan , Anderson Soares e Bruno Marthiello  - continuo ela .

 

Os três foram ao centro do palco , todo mundo aplaudiu menos eu e o grupinho rebelde .

 

Somos divos , os diferentões , rei da cocada preta , mentira , somos apenas os estranhos da escola .

 

- Primeiro vamos começar com Sabrina Milan , que foi minha aluna - falou Porco aranha .

 

A garota era muito inteligente , Sabrina contou toda a sua história , de quando entrou na escola , até o dia que se formou em engenharia , quem diria que essa escola poderia dar um futuro a alguém , isso significa que eu posso continuar sonhando .

 

Muitos fizeram perguntas a ela e depois de responder todas , foi a vez do Anderson .

 

Assim como Sabrina , ele contou toda sua história de vida , e eu cheguei a uma conclusão.

 

O cara é um gênio da matemática , ele resolve problemas em apenas segundos , coisa que nem em uma eternidade eu poderia resolver .

 

Fizemos perguntas e esclarecemos algumas dúvidas .

 

Até que chegou a vez do nosso querido Doutor Bruninho .

 

- Bom dia a todos , como a Diretora Fani mencionou , meu nome é Bruno Marthiello , eu estudei nessa escola , desde a oitava série , até  o terceiro ano do científico , me formei cedo na faculdade de Medicina , e hoje estou trabalhando e usando todo o meu conhecimento - falou Bruno e as pessoas aplaudiram .

 

Agora , podem fazer as perguntas ao Bruno - falou porco aranha .

 

Assim como fez com Sabrina e Anderson , a diretora também desceu do palco segurando o microfone e foi até uma garota que tinha levantado a mão .

 

- Doutor Bruno , o senhor trabalha em qual área na Medicina ? - perguntou  a garota .

 

- Sou clínico geral - falou ele .

 

Porco aranha passou o microfone para outra garota .

 

- O senhor pode me consultar ? Acho que estou apaixonada - falou ela mandando uma cantada para o Bruno .

 

Patética .

 

- Sou médico não cupido - falou ele fazendo todo mundo rir , inclusive eu .

 

HAHAHAHAHAHAHAHAHA já estou percebendo que vou virar Harley Quinn .

 

- Seu sonho sempre foi ser médico ? - perguntou  um garoto da minha sala .

 

- Não , eu queria ser piloto , mas esse plano está na gaveta , posso realizar ele um dia - falou Bruno e o garoto sorriu .

 

Ele olhou para mim , na certa esperando que eu fizesse alguma pergunta .

 

Show Time Julianna .

 

Levantei a mão surpreendendo porco aranha que me passou o microfone .

 

- É verdade que para ser médico ou médica precisa ter um estômago forte ? - perguntei e ele parou para pensar na resposta .

 

- Talvez , as vezes não é o seu paciente , mas dentro de um hospital e dependendo do hospital vemos coisas “ horríveis” e de certa forma , precisa ter um estômago forte - falou ele .

 

- Mais alguma pergunta ? - perguntou  Porco aranha .

 

Demorou um pouco e um garoto zoeiro da turma do Fundão levantou a mão .

 

- DC ou Marvel ? - perguntou  ele fazendo Bruno rir .

 

- Pergunta interessante até eu quero saber - falei sorrindo .

 

- “ MarvDcMarDc “ - falou ele sorrindo - impossível escolher .

 

Concordo !

 

- Quanto você  ganha de salário ? - perguntou  uma piranha da Sala essa meninas perguntou  a todos três quanto cada um ganhava .

 

Querida , na profissão que você  quer exercer você  não vai precisar fazer faculdade , ser puta já está no seu sangue.

 

- Em média 12.000 por mês , e quando fico de plantão e faço palestras , eu ganho mais  - falou ele dando de ombros e a garota sorriu de lado .

 

- Isso explica o carro dele - falei baixinho mas Anna escutou .

 

- Você  entrou no carro dele ? - perguntou  Anna em voz baixa chocada .

 

- Shiu , depois eu explico - falei para ela mas porco aranha se aproximou da gente .

 

- Alguma das duas quer fazer perguntas ?  - perguntou ela e eu peguei o microfone fazendo Anna soltar a respiração que estava prendendo .

 

Ela detesta falar em público , quer matar a menina joga um microfone na mão dela e sai correndo , com toda certeza ela cai morta em menos de 5 segundos .

 

- Você  já participou de alguma cirurgia ? - perguntei  .

 

- Sim - respondeu ele .

 

E a garota ao meu lado levantou a mão e eu passei o microfone para ela .

 

- Se você recebesse uma proposta de emprego , mas você  teria que sair do Brasil , você  aceitaria ? - perguntou  Ela .

 

- Óbvio - falou ele .

 

- Mas se fosse para ganhar o mesmo salário e ainda por cima você teria que ficar longe da família , o que você  faria ? - perguntou  um garoto .

 

- Bom, eu fico no Brasil mesmo , não pelo fato do salário , mas sim por minha família - falou sorrindo .

 

A piranha levantou a mão e quando pegou o microfone e começou a falar merda .

 

-  Se eu fosse você  , não perderia a oportunidade por conta de família , família serve apenas  para atrapalhar - falou ela .

 

- Fale por sua família , a minha não é assim - falou ele sério .

 

Ai , doeu até em mim .

 

Comecei a rir ao lado de Anna .

 

- Ela é filha de chocadeira doutor - falou um garoto e todo mundo começou a rir .

 

Ai meu Deus ,  quem diria que a escola seria tão legal hoje ?

 

- Escuta aqui Marcos , cala a boca que você  não está  condições de falar de família sendo filho daquele bêbado idiota e drogado - falou a puta .

 

- Sua mãe aquela puta - respondeu Marcos .

 

Chamou a mãe de puta ?

 

- Se fosse eu não deixava - gritou um garoto da turma do Fundão levantando a briga .

 

Gente  , sou um imã para treta , garanto que se eu não tivesse aqui , essa treta não estaria acontecendo .

 

- Escuta aqui seu ….- começou a piranha mas foi interrompida pela diretora .

 

- Quero os dois na minha sala assim que todos saírem - falou porco aranha e levou o microfone subindo novamente no palco enquanto eu e outras pessoas rachavamos de rir .

 

Aos poucos a turma foi parando mas eu continuava tendo pequenas crises , olhava para a cara de Anna e sorria dela , ela sorria de mim .

 

Sabe aquele riso infinito ?

 

Então , até Bruno tentava segurar o riso .

 

A diretora falou algumas coisas como “ a família é importante “ ou “ temos que respeitar nossos colegas “ .

 

O sinal tocou e esperamos o povo sair .

 

Por mais que eu queria chegar logo em casa , a preguiça me impede de sair empurrando as pessoas ….

 

Mentira , eu estava no meio da turma ajudando eles a empurraram a piranha , porque sou dessas .

 

Quando chegamos ao pátio esperei Anna e a multidão sair primeiro .

 

Anna vinha andando no passo da tartaruga de pata quebrada .

 

E parou no caminho para falar com outra amiga dela .

 

Sentei no banco esperando ela chegar mas foi Bruno que se aproximou .

 

- Já sentiu minha falta ? - perguntei.

 

- O que aconteceu lá dentro ? - perguntou  ele se referindo ao fato da briga .

 

- Sou um ímã para treta , onde eu estiver , sempre vai ter uma treta acontecendo , mesmo que eu não esteja envolvida - falei dando de ombros .

 

Ficamos em silêncio até que olhei para Anna e a outra garota que estavam em uma conversa infinita .

 

- Pega aquela pedra ali - falei apontando para um pedaço do piso que estava solto e ele me olhou desconfiado .

 

- O que você  vai fazer ? - perguntou  ele sem entender mas ainda não pegou a pedra .

 

- Vou jogar na Anna e na amiga dela - falei dando de ombros e fazendo ele rir .

 

- Você  é maluquinha - falou ele sorrindo

 

- Harley Quinn , Nice to meet you* - falei imitando a Harley e estendendo a mão para ele .

 

- Nice to meet you too Harley, I'm the joker, but you can call me Mr J* - respondeu ele .

 

( tradução :  Julianna -Harley Quinn prazer em conhecê-lo  )

( tradução : Bruno - prazer em conhecê-la Harley , sou o Joker=Coringa , mas pode me chamar de Mister / senhor J )

 

- pudding* - falei sorrindo ele ele sorriu também .

 

( Tradução : Pudim )

( referência : Suicide Squad )

 

- Você  sabe falar inglês ? - perguntou  ele .

 

- Inglês  - respondi e ele deu um tapinha na testa .

 

- Estou falando sério - falou ele .

 

- E eu também , consigo entender algumas coisas em inglês e pronunciar algumas coisas , mas nunca consegui aprender - falei dando de ombros .

 

- Olhei para Anna que olhava para mim e ainda conversava com a outra garota .

 

- Porque você  quer jogar uma pedra na sua amiga ? - perguntou  ele .

 

- Porque quero ir para casa - falei o óbvio .

 

- Quer que eu te leve ? - perguntou  ele .

 

- Melhor não - falei desconfortável .

 

- É pelo seu pai ? - perguntou  ele .

 

- Também , e porque na minha rua é cheia de câmera de segurança criada pela Nokia - falei revirando os olhos .

 

- Não entendi - falou ele .

 

- Vizinhas fofoqueiras - falei revirando os olhos e ele entendeu .

 

- Qual o lance do seu pai contra médicos ? - perguntou  ele .

 

- Você  percebeu né ? - falei sorrindo amarelo .

 

- Sim - falou ele , podia sentir sua curiosidade .

 

- Ele não gosta de médicos , acho que ele sofreu algum trauma quando criança , e esse trauma gerou uma raiva -falei dando de ombros .

 

- Mas você  nunca foi a um hospital ? - perguntou  ele chocado .

 

- Bom , eu nasci em uma maternidade , desde criança sofro com crises de asma , passei uma boa parte da minha vida tomando nebulização na parte infantil de um hospital público , o problema dele é com médicos homens , ele não tem raiva das médicas - falei dando de ombros .

 

Bruno me olhava chocado .

 

- Então ele só tem raiva da parte masculina - falou Bruno ainda chocado .

 

- Quando eu era criança , acho que de um até meus três anos , o meu pediatra era um homem , meu pai só deixava eu ir as consultas , porque eu ia com minha tia e meu primo que é apenas um ano mais velho do que eu - falei sorrindo - eu me lembro de tirar todos os brinquedos da prateleira , e ele deixava eu e meu primo brincar com o termômetro .

 

Sorri com a lembrança .

 

- Isso significa que eu devo me afastar de você  ? - perguntou  ele sério .

 

- Se não quiser levar um soco de graça , a resposta é sim - falei sorrindo .

 

- Você  já quis ser médica ? - perguntou  ele .

 

- Quando criança , eu queria ser pediatra , quando fui começando a me entender por gente , eu queria ser veterinária - falei sorrindo .

 

- E agora ? O que você  quer ser ? - perguntou  ele .

 

- Estou tentando a carreira de atriz, mas ainda quero escrever alguns livros - falei sonhadora .

 

Verdade , sou “ Atris-teza “ da familia , meu maior talento ? Saber atuar nos até nos comentários .

 

- E o que seu pai falava sobre você  ser “médica” ? - perguntou ele .

 

- Nada , como eu falei , ele não gosta de Médicos , ele disse até que iria se consultar  comigo - falei sorrindo com essa lembrança .

 

- E você  não gostaria de tentar ? - perguntou  ele .

 

- Não tenho estômago para isso - falei piscando um olho e ele entendeu .

 

- Um segredo ? Não conta para o meu pai , mas admiro sua profissão , só que nem todo mundo sabe dar valor , e outras pessoas apenas não sabem cumprir o seu dever de médico - falei e ele sorriu .

 

- Me senti importante agora - falou ele sorrindo .

 

- Vamos Jú ? - perguntou  Anna olhando sugestivamente  para mim e para Bruno .

 

- Sim , até outro dia Bruno - falei para me despedir .

 

- Espera - falou ele pegando um papel e uma caneta do bolso do jaleco e escreveu algo .

 

- As vezes vale a pena levar um soco para se manter esperto - falou ele me entregando o papel , piscou um olho e saiu .

 

No papel tinha um número , o número do celular dele .

 

- O que foi isso ? - perguntou  Anna me olhando com um sorrisinho de lado .

 

- Não enche - falei guardando o papel no bolso e sai daquela escola .


Notas Finais


Referências , referências , referencias , como amo essas referências hehehehehe .


Gostaram ? Me jogo na calçada ? Ou me jogo do oitavo andar ?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...