História Vidas Entrelaçadas - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Academia de Vampiros (Vampire Academy), Big Time Rush, Liv & Maddie, Originais, The Vampire Diaries
Personagens Adrian Ivashkov, Christian Ozera, Damon Salvatore, Dimitri Belikov, Logan Henderson, Madison "Maddie" Rooney, Olivia "Liv" Rooney, Personagens Originais, Rosemarie "Rose" Hathaway, Tasha Ozera, Vasilisa "Lissa" Dragomir
Tags Academia De Vampiros (vampire Academy), Alexandra Udinov, Big Time Rush, Dove Cameron, Lissa Dragomir, Liv, Logan Henderson, Maddie, Nikita, Policial, Rose Hathaway, The Vampire Diares
Exibições 38
Palavras 11.575
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


DESCULPEM, sabemos que temos atrasado BASTANTE, e sentimos MUITO por isso. Tivemos uma pequena falta de imaginação, mas ela voltou e o capitulo está PRONTINHO.
Obrigada pelos comentários e por continuarem lendo.
Esperamos que gostem, bjs.
Até lá embaixo.

Capítulo 22 - "Passado, Presente e Futuro".


Fanfic / Fanfiction Vidas Entrelaçadas - Capítulo 22 - "Passado, Presente e Futuro".

KATYA ON

Levantei cedo da cama, acho que nunca vou conseguir acordar tarde como nos velhos tempos.

Fui até a cozinha, estava tudo quieto. Alex ainda deve estar dormindo, pensei indo preparar o café da manhã. Frutas, suco, torrada integral, e o mais importante... café.

Quando termino de colocar a mesa o telefone começa a tocar.

- Alô?

- Alô, mãe?

- Oi James, tudo bem?

- Olha comigo acho que sim, mas com Alex acho que vai de mal a pior... Já viu o jornal?

- Jornal? Não, acabei de acordar... James o que está acontecendo?

- Ligue a TV no canal 44.

- Está a maior confusão aqui em casa... os reportes estão em tempo de derrubar os portões.

- Como Alex está?

- Não sei ainda, está dormindo ainda... James quero que cuide de tudo por mim, Alex está precisando agora de apoio.

- Pode deixar, liga depois para dizer como ela estar e manda um beijo pra ela também.

- Pode deixar... tchau.

- Tchau.

A notícia que estava passando no jornal era que uma jovem chamada Makenzie Vega estaria grávida e que o pai era Logan... Já consigo até imaginar o estado que Alex está.

Caminho em direção ao seu quarto, bato uma vez na porta e ela não responde, espero um pouco e entro no quarto. Cortinas fechadas, cama toda bagunçada, bolsa e sapato jogado no quarto do quarto e Alex sentada na poltrona toda encolhida, encarando a parede. Ela ainda estava com o vestido e o cabelo um pouco bagunçado.

- Alex? - Falo me aproximando da poltrona. Percebo que ela está enxugando o rosto.

- Já está sabendo da notícia? - Alex fala com a voz embargada, sua maquiagem estava toda borrada, olhos inchados, visíveis olheiras... ela estava sofrendo da mesma forma quando Nikolai faleceu.

- Não... quero que minha filha diga qual é a notícia... não preciso ficar ouvindo aqueles que só sabem inventar histórias tem a dizer. - Falo sentando em sua frente.

Alex respirou fundo e disse tudo que estava lhe deixando assim. Dói ver ela passando por isso... passou a noite toda chorando sentada nessa poltrona.

- Por que você não descansa um pouco... Tome um banho para relaxar e deite para dormir... Isso vai fazer se sentir um pouco melhor.

Ela levantou e caminhou em direção ao banheiro. Aproveitei para arrumar a cama. Quando Alex saiu do banheiro, vestida com uma roupa bem confortável, caminhou direto pra cama. Enrolei ela e depositei um beijo na sua testa.

Volto para a sala, liguei para James e falei como Alex estava. Iria tomar café da manhã só eu e a apresentadora do programa de culinária... era um dos meus programas favoritos.

 

MAYA ON

Abri os olhos lentamente tentando me acostumar com a claridade, apesar de todas as minhas preocupações consegui descansar graças ao conforto que os braços do Mason me proporcionam, nós dormimos abraçados a noite toda.  É tão boa sensação de estar ao lado da melhor pessoa do mundo, é como se aquilo já bastasse para me fazer feliz!  Pena que essa não é a realidade, tenho que acordar para mundo, preciso realmente saber se estou grávida!!!

- Mason... -Sussurrei acariciando seus cabelos ruivos -.

-May... já acordou? - Ele indagou sonolento ainda com os olhos fechados.

-Está na hora... -Balbuciei essas palavras sentindo um aperto no coração, não me sinto preparada para ver o resultado -.

-Vou pegar o teste. - Mason afirmou levantando lentamente e caminhando até a sala, eu deixei o exame em cima da mesa ontem à noite -.

 Enquanto ele não voltava fechei os olhos e automaticamente minha mente foi tomada por um turbilhão de indagações, e se eu estiver grávida do Dylan? O que vai acontecer com meu futuro? Eu estou preparada para ser Mãe?

“Não, não, não, não “respondi balançando a cabeça tentando afastar todos os pensamentos mas não adiantou, lágrimas começaram a escorrer pelas minhas bochechas vermelhas.

-May não chora! - Mason falou aparecendo no quarto, ele me envolveu em seus braços e beijou o topo da minha cabeça -.

Não respondi nada, apenas encarei seus olhos azuis implorando por ajuda, Mason entendeu porque me pegou no colo e me levou até o banheiro.

- Aqui está o exame, estarei aqui no quarto lhe esperando, ok? - Exclamou ele com um sorriso de lado, assenti e fechei a porta -.

  Respirando fundo sentei no vaso para fazer o teste.  Assim que terminei respirei fundo novamente e pisquei várias vezes os olhos, minha visão está embaçada por causa do choro.

  Uma onda de tranquilidade e alívio tomou o meu corpo quando percebi que deu NEGATIVO!  Não estou grávida!!!!

-Mason!!! - Gritei saindo do banheiro e me jogando em seus braços -.

-E aí?  Deu positivo? -Ele exclamou segurando minha cintura contra o seu corpo -.

- Não! - Falei com um sorriso enorme, eu quero ter filhos mas não agora, sou muito nova... e não amo o Dylan! -.

- Que bom May, eu iria matar o Dylan de porrada se você estivesse grávida!!! - Ele disse me girando no ar, encarei ele fazendo uma cara séria, não acredito no que acabei de escutar.  

- É brincadeira Margarida!!!! Só ia bater um pouquinho!

 -Vou fingir que nunca escutei isso! - Afirmei entrelaçando minhas pernas em sua cintura e apoiando meus braços em seu pescoço -.

- A hora certa vai chegar May, tenho certeza que um dia você vai carregar um bebé unicórnio em sua barriga! - Ele falou com um sorriso fofo me fazendo rir-.

Depois disso um silêncio estranho tomou o quarto, eu esqueci completamente que estava pendurada na cintura dele.  Mason está olhando fixamente para meus lábios como se estivesse hipnotizado, isso está me deixando sem reação, encarei seus olhos azuis e o tempo parou, meu coração começou acelerar e inconscientemente nossos rostos foram se aproximando até que senti seus lábios sobre os meus.

 Fomos tomados por um beijo lento, ele pediu passagem com a língua e eu permiti. A sensação de beija-lo é tão maravilhosa, é como se fosse uma droga, apesar de tentar evitar eu sempre baixo a guarda. 

Quando o beijo foi se transformando eu já estava totalmente fora de mim, não consegui mas pensar em nada, apenas eu e o Mason, só nos dois! Pena que a realidade chegou como sempre me puxando para o chão, a campainha tocou e eu me separei do Mason confusa, meu Deus o que eu estava fazendo???

- Eu atendo.  - Falei saindo correndo do quarto, se essa campainha não tivesse tocado acho que eu teria feito besteiras!!! -.

-Bom dia loirinha! - Dylan falou quando abri a porta, não pude evitar minha expressão desorientada, ainda com a respiração acelerada respirei fundo tentando forçar um sorriso -.

- Oi.  -Foi a única coisa que saiu da minha boca, estou completamente transtornada com o que acabou de acontecer, foi como uma chama de sentimentos que consumiu todo o meu corpo e depois se apagou -.

- Eu sei que cheguei sem avisar, e que está cedo, mas quis fazer uma surpresa para minha namorada! - Ele disse dando ênfase a palavra "namorada " e em seguida entrou me dando um beijo -.

Com certeza o Dylan beija bem mas não se compara ao Mason, é como se essa "chama " não estivesse com ele!

-Surpresa? - Indaguei ainda tentando entender direito o que está acontecendo -.

-Trouxe o nosso café da manhã, pensei que seria legal comer aqui com você, já que ontem a gente nem se viu! - Ele explicou mostrando as sacolas que estão em suas mãos -.

-É legal da sua parte, eu só preciso ir ali rapidinho.  Pode me esperar aqui na sala? - Perguntei com a mão na testa -.

-Claro linda! - Ele disse com um sorriso enorme no rosto e em seguida se jogou no sofá -.

  Caminhei novamente até o quarto do Mason, encontrando o mesmo sentado na cama com um olhar distante.

- Oi. - Falei sentando ao seu lado -.

-Desculpa May, eu falei que aquela vez lá na van seria a última, falei que não sentia nada por você... - Ele parou por um minuto e apenas me olhou, pude perceber lagrimas escorrendo pelo seu rosto-.

-Tudo bem, eu não vou mentir, naquele dia você me magoou muito, aquelas palavras foram como facas cravadas bem no meu peito mas... mas por algum motivo eu parei de acreditar nelas, talvez porque lá no fundo eu sabia que não seria o último. - Confessei abraçando ele, Mason afundou seu rosto em meu ombro-.

-Tudo que eu desejo é tê-la ao meu lado, mas como amiga May... nada mais... eu te amo... mas não assim! - O ruivo falou cheirando o meu pescoço, eu tive a impressão de que essas palavras não são verdadeiras -.

- Certo, eu... eu também - Gaguejei enxugando minhas lágrimas com as costas da mão - Dylan está me esperando na sala, ele trouxe café da manhã.

- Ah vai lá então, eu vou sair para correr. - Ele levantou esfregando os olhos e em seguida se trancou no banheiro -.

- Mason tem certeza? - Perguntei batendo na porta, eu conheço meu amigo, e sei que ele gosta de sair para correr quando algo o perturba -.

-Tenho sim, pode ir May.  - Ele confirmou um pouco seco, respirei fundo e voltei para sala -

-Cadê aquele seu amiguinho ruivo? - Dylan indagou ao me ver -.

- Lá no quarto, ele vai sair para correr.  - Respondi pegando as sacolas que ele trouxe, arrumei a mesa e assim começamos a tomar café -.

 

MASON ON

Entrei no banheiro para não chorar na frente da Maya, caramba eu sou o cara mais covarde desse mundo!!!!

Pensei batendo a cabeça na parede, por que tudo tem que ser tão complicado?  Por que eu beijei ela? Estava indo tão bem me segurando esses dias todos!  Qual o meu problema?  Por que agora é tão difícil simplesmente pensar em perde-la para um babaca?

  Levantei do chão e encarei meu reflexo no espelho, eu não posso estragar o meu plano, não agora que estava indo bem! Tenho que trazer o Eddi logo para a Rússia, mas primeiro ele tem que assumir para os pais que é homossexual!!!

Sentindo raiva de mim mesmo soquei a parede enquanto as lágrimas escapam dos meus olhos, preciso correr, isso vai me fazer bem, o ar da manhã talvez me faça esquecer por alguns segundos esse turbilhão de sentimentos confusos que me atormentam!

  Sai do banheiro para tirar o meu pijama, coloquei uma calça preta, um casaco cinza e para finalizar um ténis branco, estou pouco me fudendo para a roupa, desejo apenas sair o mais rápido possível do apartamento. Antes de sair do meu quarto coloquei um óculos escuro, não quero que o babaca do Dylan tenha o prazer de me ver com os olhos inchados por causa do choro.

-Você vai correr sem comer nada Mason? -Maya perguntou ao me ver -.

-Estou sem fome.  - Falei passando rapidamente a mão no cabelo dela e em seguida saí batendo a porta com força, não gosto de imaginar a Maya sozinha com ele mas infelizmente essa é a escolha dela!

 Antes de começar a correr coloquei meus fones de ouvido, escolhi escutar Ed Sheeran, se é para ficar na bad vou ficar em grande estilo!!!

Enquanto corria pelas calçadas escutando música as lágrimas deslizavam com velocidade pelo meu rosto, as lembranças dos lábios carnudos da May sobre o meu me fazem ter vontade de voltar no tempo e não deixar ela abrir a porta.

 Para piorar ainda mais minha situação emocional a música que eu estava escutando acabou e a próxima se encaixava perfeitamente na minha relação com a May, parece que foi feita exatamente para nós dois!

 

(... )

Eu poderia escolher um caminho mais fácil

 Mas os seus olhos me guiam direto para casa

E se você me conhece, como eu te conheço

Você deveria me amar, deveria saber

 Amigos dormem em camas separadas

E amigos não me tratam como você me trata

 Bem, eu sei que há um limite para tudo

 Mas meus amigos não me amam como você

 Não, meus amigos não me amam como você

Mas então, nós não somos amigos

Pode ser que outra pessoa também te ame

E aí então, se não somos amigos

Não há nada que eu possa fazer

E é por isso que amigos devem dormir em camas separadas

E amigos não deveriam me beijar como você me beija

E eu sei que há um limite para tudo

Mas meus amigos não me amam como você.

(... )

 

Com essas sábias palavras do maravilhoso Ed Sheeran eu desmoronei completamente, não aguentando mais correr sentei em um banco tentando voltar ao normal. Sinto um aperto tão grande no peito que por uns minutos esqueci como se respira!

Minha única vontade é gritar bem alto até essa sensação desaparecer por completo. Estou me afogando no mar da desilusão!!!

 

ROSE ON

Não é impressionante como nossas vidas mudam de uma hora pra outra? Semanas atrás eu estava em um furacão com Adrian, e olha agora... eu Rose Hathaway namorando o camarada mais gato do mundo, Dimitri Belikov. Estou tão feliz com o rumo da minha vida, que as vezes para pensar se tudo não passa de um sonho.

Mas não é nada de sonho... enquanto eu vivia um conto de fadas, minha melhor amiga vivia o pior pesadelo da vida dela. Precisava saber como ela estava, Alex está precisando disso.

Enquanto minha mente se ocupava em conversar comigo mesma, sinto um hálito quente e casual pousar na minha nunca. Não era preciso nem adivinhar quem era.

 - O que você tanto pensa Roza? - pergunta com a voz extremamente sexy e eu não me impedi de sorrir.

- Em como minha vida mudou. - respondi me virando e passando os braços por seu pescoço.

- Pra melhor espero? - brinca sorrindo.

- É, pra melhor. - murmuro beijando ele.

- Você está de bom humor, isso é porque eu estou aqui? - questiona apertando os abraços na minha cintura.

- Não seja tão convencido! - exclamo rindo.

- Eu não sou, você é! - retruca sorrindo de lado.

- Se você não fosse incrivelmente lindo eu tiraria esse sorrisinho da sua cara. - comento e ele ri.

- Naaaão, você não iria estragar esse rostinho. - fala fazendo um gesto exagerado com as mãos.

- Convencido! - cantarolei me soltando de seus braços.

- Vamos comer minha namorada. - diz sentando na mesa e eu sorri.

- Você quer leite, café ou suco? - pergunto antes de sentar.

- Café.

- Ok.

Depois de comermos e brincarmos um pouco um com a cara do outro, eu disse que precisava ver a Alex.

- Tudo bem, mas nós vamos sair à tarde. Prepare seus patins senhorita. - fala parado na porta.

- Certo, te vejo mais tarde. - falo o puxando para um beijo calmo.

- Tchau Roza, eu te amo. - murmura beijando minha testa.

- Eu também te amo camarada. 

Depois disso eu coloquei um rob por cima da camiseta e fui para o Ap da Alex.

- Rose querida! - tia Kathy exclama me abraçando.

- Tia! - digo dando um beijo em sua bochecha.

- Então... Como ela está? - pergunto olhando na direção do quarto dela.

- Agora está dormindo, mas ela chorou a noite e está muito triste. - murmura com o olhar pesado.

- Posso? -

- Claro! Vá cuidar da minha menina. - diz e vai para a cozinha.

Chego no quarto e vejo ela dormindo tranquilamente, ainda tinha algumas marcas de lágrimas em seus olhos.

Devagar eu sentei em sua cama e fiz um leve carinho em seus cabelos, eu odiava ver minha amiga triste.

- Ross? - murmura esfregando os olhos.

- Oi Lex, como você está? - pergunto baixinho e ela deita a cabeça no meu colo.

- Péssima, eu não entendo. Por que tudo de ruim tem que acontecer comigo?

- Eu sinto muito. - digo e ela começa a chorar.

- Eu queria que fosse tudo um pesadelo. - ela diz em meio ao choro.

- Sabe, a culpa não foi totalmente dele. - ela ergue a cabeça um pouco surpresa e confusa.

- Quer dizer, claro que ele podia ter usado camisinha ou então ter mantido o zíper da calça fechado, ....

- Rose você não está ajudando. - ela interrompe fungando.

- Ok, o que eu quero dizer é que ele não te conhecia, ele namorava a vaca, era normal. - explico e por um segundo ela sorri.

- Eu nunca imaginaria que você um dia o defenderia.

- Ele não é tão ruim, só é irritante e tem um pouco de mal gosto quanto às exs dele, mas fora isso ele até que é legal. - respondo e ela sorri e depois ne abraça.

- O que eu faria sem a minha Rose Hathaway? - pergunta colocando o rosto no meu pescoço.

- Com certeza uma besteira, assim como eu faria sem a minha Alex Udinov. - falo e ela sorri.

- Obrigada, por estar sempre aqui. - agradece limpando as lágrimas.

- Você não precisa agradecer, só precisa pensar sobre o que eu disse, ok? - questiono olhando seriamente em seus olhos.

- Ok. Agora eu vou dormir e a senhorita vai me deixar em paz. - diz e depois ri com a minha cara de ofendida.

- Você está me expulsando? -

- Não, quer dizer, tô, eu preciso ficar um pouco sozinha, mas obrigada por tudo. - fala me dando um beijo na bochecha.

- Ok, mas se precisar eu tô na porta do lado. - sussurro tapando ela e dando um beijo em sua testa.

- Tia estou indo pro meu ap. - falo chegando na cozinha e dando um abraço nela.

- Como ela está?

- Mal, mas, ela vai ficar bem. - digo dando um sorriso triste a ela.

- Tudo bem, obrigada Rose, se cuida. - fala me abraçando.

Uma das coisas que eu mais gostava na tia Kathy era o seu carinho e preocupação, ela era como uma mãe pra mim. Já que a minha estava ocupada demais trabalhando.

 

PRESLEY ON

Acordei com Logan meio que discutindo com alguém pelo telefone, e pelo tom de voz dele não era nada bom.

Levanto da cama, prendo meus cabelos e vou andando para a sala (meio sonolenta ainda).

- Já percebeu que você só sabe jogar na minha cara isso? - Logan grita no telefone.

- Eu sei quais são as minhas responsabilidades... Acha que eu não sei? ... Quando você estiver mais calmo nós conversamos.

Logan desliga o celular e joga em cima do sofá. Acho que ele ainda não percebeu que eu estava na sala.

- Logan, estar tudo bem? - Pergunto fazendo ele levar um leve susto.

- Tudo não... Desculpe pelo barulho, eu lhe acordei?

- Não, já estava acordada. - Nossa como eu sou cara de pau.

Logan ficou um bom tempo sentando encarando o nada, sua aparência não era uma das melhores, parecia que um caminhão atropelou e depois o jogaram no lixo.

- Onde você vai? - Pergunto acompanhando com o olhar ele pegar o casaco em cima do sofá, as chaves do carro e caminhar para a porta de entrada.

- Resolver minha vida.

- Não vai nem tomar café? - Pergunto. Ele volta pega uma maçã e sai.

É as coisas não estavam nada bem. Preparei algo para comer e depois fiquei assistindo seriado.

 

MAKENZIE ON

Estava no hospital, depois que contei pro mundo todo que estou "grávida", eu e meu pai brigamos feio... não entendi o porquê e nem quero entender o fato é que consegui fazer a vadia da Alexandra ficar longe do meu caminho.

Vocês devem estar se perguntando o que eu estou fazendo em um hospital logo cedo... Deixa eu explicar o que aconteceu.

1 hora antes...

- Makenzie vamos no hospital, assim seu pai para de ficar falando isso pra você. - Mamãe fala andando de um lado pro outro.

- Mas o que custa ele uma vez na vida acreditar em mim? Se fosse a Nina ou a Késia ele estaria pulando de alegria.

- Se você não for só vai fazer ele acreditar que você está mentindo. - No fundo mamãe tinha razão, tinha que fingir pra todos que realmente estava grávida.

- Diga a ele que eu vou... mas não porque ele obrigou, mas porque eu quero saber como MEU filho está.

Mamãe saiu do quarto e eu tinha que preparar tudo. Liguei para Marcus (meu detetive)

- Preciso de um favor seu... pra AGORA!!

- Diga.

Expliquei tudo que eu precisava e ele me garantiu que nada daria errado.

- Mande sua amiguinha ficar pronta, assim que vocês saírem eu pego ela e sigo vocês pro hospital.

- Certo.

Expliquei tudo que iria acontecer para Giulianna e depois fui me arrumar.

Quando desço as escadas acabo tendo uma enorme surpresa.

- Loggie querido que surpresa. - Falo sorrindo. Estava ele e alguns empregados curiosos ouvindo a conversa.

- Está feliz em saber que vai ser papai? - Falo colocando meus braços em seus ombros.

- Acha mesmo que eu estou acreditando que você está grávida? Até que tenha documentos afirmando essa sua história não irei acreditar em nada do que você está falando! E principalmente - Logan fala tirando meus braços do seu ombro e caminhando para fora da saída. Ele entrou no seu carro e saiu logo atrás da gente.

Mandei uma mensagem avisando para Marcus qual seria o hospital.

Momento atual....

- Senhorita Vega? Por favor me acompanhe. - Uma enfermeira me chama para sua sala.

Assim que ela fecha a porta (e tranca) vejo Giulianna dentro da sala com um médico.

- Vocês são os contratados de Marcus? - Pergunto encarando a enfermeira e o médico.

- Sim... Então está precisando fingir uma gravidez? - O médico fala anotando alguma coisa na prancheta.

- Isso, e espero que saia tudo como combinei com o chefe de vocês.

- Não se preocupe somos ótimos atores... Ela está grávida? - O médico pergunta apontando para Giulianna.

- Sim.

- Ótimo... você fará alguns exames, nada que demore. E logo terá os resultados.

Foram exatamente 30 minutos para fazer todos os exames ficarem prontos.

- Aqui está... parabéns futuros mamãe. - O médico fala entregando um grande envelope branco.

Giulianna não estava mais na sala só eu e o médico.

Saio da sala segurando o envelope, estava confiante em esfregar na cara do meu pai os exames.

- Parabéns, vocês acabam de receber um novo membro na família. - O médico fala encarando todos que estavam na sala de espera.

Meu pai simplesmente se levantou de onde estava sentando e saiu. Minha mãe levantou e me abraçou... Já Logan não expressava reação.

- Loggie está fel... - Quando ia terminando a frase ele levanta bruscamente.

- Não! Isso não pode estar acontecendo, não pode! - Ele sai falando alto.

- Loggie! Logan volta aqui! - Falo caminhando na direção que ele estava indo.

- Makenzie deixe ele, depois vocês conversam... você precisa descansar agora, pelo bem estar do seu bebê. - Mamãe fala segurando meu braço.

Voltamos pra casa, Giulianna já tinha chegado como prometido por Marcus.

Falando em Marcus mandei ele fazer uma cópia dos exames e mandar para uma certa pessoa.

 

LISSA ON

Ainda estou na ala medica da Interpol, só não estou enlouquecendo aqui por dois motivos: 1° Pela televisão no quarto, que por incrível que pareça estou viciada em novela. 2° Christian sempre que podia vinha fazer companhia. Eu gostava quando ele ficava comigo... Me sentia completa com ele.

- Bom dia... Ainda viciada em novelas? - Christian aparece encostado na porta do quarto. Ele está impecável, e o cheiro de seu perfume já estava por todo quarto. Isso me deixava nas nuvens.

Foco Lissa!

- Ah, sim... ainda viciada. - Aposto que minha cara está de boba, só por causa daquele cheiro maravilhoso de perfume.

- Tem uma surpresa pra você.

- Sério? O que é?

- Oiii! - Nathalie aparece sorrindo na porta do quarto. No mesmo instante fiquei feliz, era bom rever minha irmã.

- Vou deixar vocês a sós. - Christian fala saindo do quarto e fechando a porta.

Assim que Christian fechou a porta Nathalie pulou em cima de mim com aqueles abraços carinhosos dela. Sentia falta daquilo.

- Ai, ai...

- Ai desculpas Lis, mas não pude evitar. - Nathalie diz sentando nos pés da cama.

- Como você e papai estão? - Assim que toquei no nome de "papai" a expressão alegre de Nathalie passou para séria.

- Naty aconteceu alguma coisa?

- Não... estar tudo bem... e você como estar? - Percebi que ela mudou de assunto.

- Nathalie Dragomir me conte o que aconteceu.

Ela suspirou profundamente, segurou minhas mãos e.... e uma pequena lágrima já descia pelo seu rosto.

- É o papai Lissa...

- O que tem o papai? - Pergunto aflita, meu coração já estava disparado.

- Antes de você vim pra cá ele fez alguns exames... de rotina sabe... e nesses exames... - Nathalie não conseguiu terminar várias lágrimas descia de seus olhos.

Segurei as mãos dela, passando força.

- Nesses exames os médicos acharam um tumor no cérebro. - Nesse momento uns flashes de memórias passaram pela minha cabeça.

- E por que ele não me contou?

- Ele não queria atrapalhar a sua vida Lis... Eu só vim descobrir duas semanas atrás, o médico ligou pra casa para saber porque ele não estava indo nas sessões de quimioterapia.

- E como estar o estado da doença? - Pergunto.

- Está avançada... Ele estar fazendo o tratamento em casa, se recusa a ir no hospital ele diz hospital é lugar para gente doente e que ele não está doente.

- Ele sabe da minha situação?

- Quando eu soube do seu acidente eu pensei em contar a ele, mas o médico recomendou em não contar... era muita informação e emoção ao mesmo tempo entende?

- Sim.

- Eu pensei em pegar o primeiro avião e vim correndo pra cá, mas... mas quem ia ficar com papai... os empregados não iam da conta... fiquei completamente sem saber o que fazer, até que seu médico ligou para mim e me explicou todo o seu estado. Ele me mantinha informada de tudo que estava acontecendo, mandava seus exames, e suas melhoras... isso me tranquilizava um pouco.

- Christian fez tudo isso? - Pergunto surpresa.

- Fez sim e ainda foi pessoalmente me buscar no aeroporto... Ele estar caidinho por você... Oh, já tem minha benção pro namoro.

- Oi?

- Vai me dizer que não percebeu? Caras assim são difíceis de se encontrar hoje em dia.

- Ah desculpa se eu não percebi isso, mas eu estava em coma todas essas semanas. Acho que é um pouco difícil perceber isso quando se estar em coma.

- Mas agora você não estar... Vou deixar você descansar, mais tarde eu venho novamente. - Nathalie levanta dá um beijo na minha testa e caminha lentamente pra porta.

- Naty... Manda um beijo pro papai, e diz eu amo muito.

- Pode deixar... tchau.

- Tchau.

Nat saiu e minutos depois Christian apareceu no quarto. Precisava conversar com alguém sobre o que tinha ouvido da Nat, e Christian era a melhor pessoa.

 

MAYA ON

São exatamente 14:30 e Mason ainda não voltou para casa, estou preocupada com ele.  Passei fisicamente a tarde toda assistindo filme abraçada com o Dylan mas minha mente só consegue pensar no meu amigo.  Onde ele está? Será que está bem?

-Dylan eu acho melhor você ir. - Afirmei levantando do sofá, ele me encarou confuso -.

-O que foi loirinha? Fiz alguma coisa errada?

- Não, apenas.... Preciso ficar sozinha, tenho que terminar um relatório sobre a missão passada. - Menti inventando qualquer desculpa plausível -.

-Tem certeza que é isso? Estou achando você tão estranha hoje! - Ele afirmou levantando do sofá e acariciando minha face delicadamente -.

- Não estou estranha, é que ontem foi um dia bem difícil, e estou cansada... ainda tenho que terminar um relatório.... São tantas coisas... - Explodi colocando a mão na cabeça -.

-Ei calma, isso vai passar... - Dylan tentou me acalmar, coitado nem imagina que isso tudo é uma desculpa só para fazê-lo ir embora -.

- Eu sei, apenas deixe-me um pouco só. -Pedi e ele assentiu caminhando na direção da porta -.

-Tenha um bom dia loirinha, a gente se vê outra hora.  - Sorri de lado e observei ele sumir no corredor, quando finalmente não estava mais em meu campo de visão fechei a porta e fui direto pegar meu celular -.

Disquei o número do Mason e esperei ele atender, mas sempre cai na caixa postal! Caramba Mason cadê você?

MENSAGEM ON

 

 Mason me liga por favor quando escutar essa mensagem, estou preocupada com você!!!

 

MENSAGEM OFF

 

Insatisfeita tentei ligar mais umas cem vezes, nenhuma ele atendeu.

 -Atende o celular por favor... - Pensei em voz alta andando de um lado para o outro, agora o que me resta é esperar -.

 Agoniada me joguei no sofá e fiquei tentando assisti algum programa para dispersar meus pensamentos, nada adiantou. Estou nervosa demais, eu conheço ele muito bem, e quando sai para correr sempre está perturbado com algo ou alguém!

Depois de quase meia hora escutei um barulho de fechadura e logo Mason entrou em casa, não pude conter meu sorriso de alegria e corri lhe dando um abraço apertado.

-Nunca mais suma desse jeito!!! - Afirmei encarando seus olhos azuis que estão vermelhos, ele estava chorando -.

-Foi mal, perdi a noção do tempo. - Ele disse colocando uma mecha de cabelo atrás da minha orelha -.

- Eu liguei tanto, pensei... que tivesse acontecido alguma coisa... -Confessei com sinceridade, ele me lançou um sorriso doce-.

-Desculpe se não atendi, precisava ficar um pouco só.

- Está com fome? - Indaguei mudando de assunto, ele não tomou café da manhã e pelo jeito não almoçou também -.

-Morrendo! - Respondeu fazendo uma pequena careta.

- O que tem de bom para comer nesse apartamento?

-Sinceramente nada, que tal a gente fazer um bolo? - Exclamei me apoiando no balcão da cozinha, ele confirmou com a cabeça -.

- Só vou tomar um banho rápido, me espera, e vê se não coloca fogo na cozinha! - Afirmou ele caminhado para o quarto -.

Me joguei no sofá para esperar e quando ele finalmente voltou começamos a fazer o bolo de chocolate.

Quando estávamos colocando a farinha eu tive a brilhante ideia de jogar nele, o cabelo vermelho ficou todo branco de tanta farinha.

-Maya! - Ele gritou sério mas logo riu jogando em mim também, e assim começamos uma guerra de farinha, no final acabou que a cozinha ficou toda suja e o bolo queimou-.

-Vou pedir uma pizza! - Falei gargalhando, parecemos duas crianças irresponsáveis, eu não sei que está pior eu ou ele! -.

-É melhor! - Mason concordou tentando levantar do chão mas acabou escorregando -.

Depois de praticamente meia hora a pizza chegou e a gente "almoçou" na varanda já que estamos muito sujos para sentar no sofá!

- Isso está uma delícia! - Afirmei de boca cheia dando mais uma mordida -.

-Sabe eu sempre quis saber por que a caixa da pizza e quadrada, a pizza é redonda e os pedaços triangulares? -Ele perguntou curioso me encarando, apenas dei de ombros, não faço a menor ideia-.

 -Acho que estou precisando de um banho. - Falei ao acabar, comi quatro fatias de pizza em dez minutos! -.                        

- Eu também, que tal maratona de filmes? - Ele perguntou com uma expressão irrecusável -.

-Certo. - Concordei saindo da varanda e indo na direção do banheiro, ainda estou de pijama -.

 Tomei um banho rápido e coloquei um suéter cinza do Mason que fica parecendo um vestido no meu corpo, nele está escrito "Ed Sheeran is my boyfriend ". Penteei os cabelos e voltei para sala onde ele já estava deitado no sofá.

-Você tomou banho rápido - Afirmei me aconchegado em seus braços.

-Eu sei... -Ele deu de ombros e em seguida colocou um filme de ação.

 

ALEX ON

Acho que são umas 14:15, não sei muito bem acabei de acordar. Minha cabeça dói muito, todo o meu corpo estava dolorido e também estava com muito frio.

Minha mãe me obrigou a comer alguma coisa, mas nada descia, é como se tivesse um nó na garganta.

O quarto estava todo escuro, a única fonte de luz era da TV que passava algo qualquer, acho que era algum filme de ficção cientifica.

- Alex? - Minha mãe entra devagar no quarto.

- Oi. - Respondo sem ânimo.

- Chegou esse envelope para você. - Ela diz entregando um grande envelope branco. Logo em seguida mamãe sai do quarto, dizendo que deixou a água do chá esquentando.

Abro o envelope e retiro algumas folhas. Começo a ler.

Eram exames e era da Makenzie. " A paciente se encontra grávida de 4 semanas" "TESTE POSITIVO".

Então era verdade, ela está realmente grávida e ainda tem a coragem de mandar uma cópia para mim.

Jogo o envelope para algum canto do quarto, uma mistura de raiva, ódio e frustação tomavam conta de mim.

De repente começo a lembrar o sábado passado, estava em Vladimir toda feliz, flashback de tudo que já aconteceu quando estive com Logan volta como uma explosão na minha mente.

(...)

- Querida... Logan está aqui. - Mamãe fala com a porta do quarto meio aberta.

Pensei comigo mesma, melhor encarar agora os fatos do que mais tarde. Uma hora ou outra teremos que ter essa conversar.

Mandei ela permitir a entrada dele.

Levantei da cama e fiz um coque folgado no cabelo. Quando estava indo pra sala escuto mamãe conversando algo com Logan. Não deu para escutar nada.

Caminho até a sala e vejo Logan em pé do lado de mamãe.

- Eu vou deixar vocês a sós. - Ela diz caminhando pro quarto. Sento na poltrona de frente pro sofá, Logan caminha até o sofá sentado na minha frente.

- Alex você está bem? - Logan pergunta me encarando.

- Claro que estou não está vendo? Eu estou pulando de alegria. - Falo com ironia. É claro que ele sabe que não estou bem.

- Lexy por favor me desculpa, eu não tinha ideia, eu ainda não acredito que o filho seja meu... O bebê não muda a nossa relação, o que eu sinto por você continua o mesmo. - Ele diz com os olhos marejados.

- Logan, o bebê é seu filho com outra, a propósito a mulher que você estava beijando na sua sala, então por favor você, não me diga que o bebê não muda nada! - Me esforço o máximo para conseguir dizer aquilo.

- Alex nós podemos encarar isso... Juntos, por favor acredite em mim, acredite no nosso amor. - A cada palavra que ele diz fica mais difícil segurar as lágrimas.

- Logan eu acredito em você, mas eu não sei se eu aguento tudo isso, você mais que ninguém sabe que aquela mulher é uma vadia manipuladora! Eu acho que é melhor tanto pra você quanto pra mim que a gente de um tempo. - Quando digo isso Logan levanta de uma vez do sofá e se ajoelha na minha frente segurando minhas mãos.

- Lexy! não, por favor não faça isso, eu te amo! - Ele fala implorando, algumas lágrimas escorriam no seu rosto.

- Logan, eu também te amo, mas eu preciso de um tempo para pensar. Por favor aceite minha decisão. - Digo suspirando tentando conter o choro, mas foi em vão.

- Lexy... Eu te amo.

- Eu sei... Você pode ir embora agora? Por favor?

- Alex não...

- Por favor, Logan!? - Falo fechando os olhos e segurando o choro.

- Está bem. - Ele se levanta e caminha até a porta.

- Não esquece nem por um minuto sequer que eu te amo. - Logan fecha a porta e eu desabo nas lágrimas, por que não podemos viver felizes, por que a vida sempre faz isso comigo.

Mamãe apareceu no corredor da sala e logo veio me abraçar.

Aquela seria a mais difícil decisão da minha vida... e eu nem sabia qual caminho escolher.

 

ROSE ON

Depois de sair da casa da Alex eu voltei pra casa e fui tomar banho, quando estava saindo do chuveiro meu celular apitou mostrando que uma mensagem havia chegado. Era de Dimitri e dizia que ele chegaria aqui em mais ou menos meia hora e que era pra mim não esquecer os patins.

Respondi sua mensagem rapidamente e comecei a me arrumar. Coloquei uma calça Jeans azul, uma camiseta branca de manga comprida, um blusão de lã claro, uma touca e uma bota marrom cano longo sem salto. Peguei meu par de patins branco e esperei por ele.

Alguns minutos depois a campainha tocou, eu levantei em um pulo do sofá, olhei meu reflexo no espelho e abri a porta me deparando com um deus russo. Dimitri vestia uma calça Jeans escura, uma camisa de manga comprida de linha listrada de azul, vermelho e branco, um tênis preto e um óculos de sol.

- Camarada você está lindo! - exclamei e ele riu diante do meu olhar.

- Você é quem está Roza. - murmura me puxando pra um beijo que como sempre era incrível.

- Então, nós vamos patinar? Ou algo assim? - questiono um pouco sem ar, tanto pelo beijo quanto pela sua proximidade.

- Ou algo assim.- responde com um sorriso torto.

- Pegou os patins? - pergunta passando a mão em uma leve carícia no meu rosto. Eu me inclinei pra o seu toque e assenti com a cabeça.

- E onde ele está? - pergunta olhando para as minhas mãos.

- Na sala. - respondo me soltando dele indo buscar os patins.

- Pronto. - murmuro e ele sorri passando o braço pelo meu pescoço.

- Então vamos nos divertir. - fala com animação e ri como uma criança. E ele ficava lindo rindo.

- Pra onde você vai me levar? - pergunto colocando o sinto de segurança.

- Um lugar onde eu costumava ir quando era pequeno. - responde e bufo.

- Dimitri eu quero saber onde é que você ia. - digo com curiosidade e um pouco irritada por ele rir logo em seguida e piscar pra mim.

- Segredo! - exclama me dando uma olhada de canto de olho.

- Você faz de propósito! Sabe que eu sou curiosa. - reclamo e ele sorri assentindo.

- É divertido ver você inquieta. - ele murmura e pega minha mão e entrelaça nossos dedos.

- Um dia, eu vou aprontar com você. - resmungo e ele ri ainda mais.

- Não duvido nada. - responde apertando de leve minha mão.

- Chegamos! - fala estacionando o carro.

O lugar era lindo, tinha um lago congelado cercado por neve e algumas árvores brancas pelo gelo, o sol brilhava e refletia no gelo quase como um arco-íris. Tinha alguns bancos com neve em cima e o lugar estava vazio a não ser pelos pássaros que voam a todo instante.

Eu nem tinha percebido que já tinha descido do carro e agora admirava o lugar com um sorriso idiota nos lábios. Me virei e vi Dimitri com uma cesta na mão sorrindo.

- Gostou? - questiona um pouco inseguro se aproximando.

- Não! - exclamo e ele arregala os olhos.

- Eu amei! - grito me jogando em seus braços. Ele suspira aliviado e me aperta com um braço só já que o outro segurava a cesta.

- O que tem ai? - pergunto curiosa tentando olhar pelas frestinhas.

- Comida! - exclama e me puxa até os bancos. Ele tira o excesso de neve do banco e coloca a cesta em cima.

- Coloque os patins. - ordena colocando os seus. Obedeci e quando terminei ele me estendeu a mão e me puxou.

- Vêm! - exclamou enquanto íamos para o lago.

- Você sabe patinar não é? - questiona antes de entrar e começar a ir de um lado para o outro com perfeição.

- Claro que sim! - respondo e começo a acompanhá-lo.

Nós patinamos e nos divertimos muito, entre apostas, beijos e algumas quase quedas... foi incrível.

Agora nós estávamos sentados no banco comendo sanduíche com suco de morango.

- Acho que vou contratar você como meu cozinheiro particular. - murmuro com a boca cheia e ele ri.

- Eu já sou seu cozinheiro. - retruca com um olhar malicioso e eu sinto minhas bochechas queimarem enquanto ele ri.

- Você fica tão fofa corada. - fala passando os dedos em meu rosto.

- Eu sei! - exclamo e depois rio.

- Rose o que você está fazendo além de se congelar e congelar o seu sanduíche? - perguntou quando eu me deitei da neve, fria, MUITO fria.

- Anjos de neve. Você sabe o que é isso, não é? - questiono sorrindo Começando a mexer meus braços e pernas.

- É claro que eu sei! - exclama indignado.

- Você já fez um né? - pergunto de novo e ele revira os olhos.

- Claro, mas eu não sou mais criança para continuar a fazer. - murmura ironicamente.

- Outh! Magoou camarada. Por causa disso você vai fazer um anjo da neve comigo, ou eu vou ter obrigar. - falo com a voz ameaçadora e ele joga a cabeça para trás gargalhando.

- Eu gostaria de ver você tentar. - desafia parando de rir e no mesmo momento eu estou de pé indo em sua direção com uma bola de neve em mãos.

- Camarada, é melhor você deitar e fazer um anjo bem bonito! - exclamei e ele negou. Eu mirei e atirei a bolinha nele.

- Roza você não deveria ter feito isso. - diz vindo em minha direção. E eu faço o que qualquer pessoa sensata faria: corro.

- Você não vai fugir! - exclama me alcançando e passando seus braços pela minha cintura.

Eu tentei me soltar, mas eu não conseguia parar de rir e acabei nos desequilibrando causando uma queda na neve fofa.

- Eu não acredito que você fez isso! - exclama fingindo estar bravo e eu só consigo rir.

- Agora já está aqui, então faça um anjo de neve. - murmuro saindo de cima dele e deitando ao seu lado.

Achei que teria que insistir mais, mas logo ele começou a mexer seus braços e pernas e então quando eu menos esperava ele riu e me roubou um selinho.

- Só você Rosemerie Hathaway para me fazer deitar na neve e fazer um anjo. - fala e eu sorrio.

- Eu sempre consigo o que eu quero, seja por bem ou por mal. - falo com a voz misteriosa e ele sorri.

- Vêm! - fala erguendo seu corpinho lindo e me estendendo a mão.

A diferença de tamanho entre os nossos anjos era grande, mas tinham um contraste tão bonito lado a lado que eu não resisti e tirei uma foto deles com os raios de sol.

- Camarada! Olhe pra mim! - ordeno e bato uma foto dele.

- Ficou lindo! - admiro em voz alta.

- Vai ficar mais lindo se você estiver comigo. - diz puxando meu braço para o seu lado. Eu bati algumas fotos, uma nós dois olhávamos pra câmera sorrindo, na outra eu dava um beijo em sua bochecha, e a outra nós nos olhávamos profundamente.

- Ficaram perfeitas! - falo e ele sorri concordando.

- Não querendo cortar o clima, mas o que você acha da gente ir pra casa, tomar um chocolate quente e depois conversar sobre a sua ex? - pergunto brincando com os seus cabelos. Ele suspira.

- Vamos, mas o que eu tenho para falar na verdade é bem simples. - murmura e eu concordo.

Arrumamos as coisas no carro e fomos para minha casa, chegando lá fomos para a cozinha e ele me colocou sentada no balcão.

- O que está fazendo? - pergunto quando ele para entre as minhas pernas.

- Beijando você. - fala e depois me beija. Foi impossível não sorrir durante o beijo.

- Você está tentando me distrair. - murmuro o afastando e ele resmunga.

- Bom, eu e a Tasha namorávamos e então acabamos porque ela é uma psicótica, toda a minha família odeia ela, e bem, eu também a odeio. Ela nunca era educada com a minha família, só fingia na minha frente, ela era possessivamente ciumenta e queria sempre me afastar da Vika, elas sempre discutiam e ela se fazia de vítima. Então eu percebi que não dava mais e acabamos tudo. - fala respirando fundo.

- Ual! Eu imaginava que ela era uma vadia, mas não pensei que fosse tanto. - murmuro e depois sorrio ao notar a tensão em seu corpo e o receio em seus olhos castanhos.

- Então, está tudo bem? - ele questionou apertando minha coxa. Ele estava nervoso, muito nervoso eu diria.

- Claro! Eu só não garanto que se ela aparecer novamente na minha frente eu não vou dar uma bela surra nela. - falo e ele começa a rir aliviado.

- Você não tem jeito mesmo. - murmura e me dá um selinho.

- Agora que o papo chato e sério já acabou eu quero chocolate quente. - peço juntando as mãos.

- Ok! Vamos fazer chocolate. - concorda começando a se mexer pela cozinha.

- Sabe, o segredo é colocar dois pacotes. - murmura concentrado e eu somente sorrio.

- Pronto! - exclama ne entregando uma xícara cheia.

- Que delícia. - falo ao provar.

- A Alex iria adorar. - murmuro e então faço uma careta.

- Ela não está muito bem. - digo a ele.

- Por que você não sai com ela? Ou algo que vocês gostem de fazer. - fala e eu sorrio animada tendo uma ideia.

- Você é perfeito! - grito o abraçando e sinto seu peito tremer mostrando que ele ria.

- De nada, bom então eu acho que vou indo pra você sair com ela. - fala me dando pequenos selinhos, primeiro na testa, depois na bochecha, então na ponta do nariz e finalmente na boca.

- Eu te amo Camarada. - digo quando nos separamos em busca de ar.

- Eu também te amo Roza, muito. - responde sorrindo.

- Vou com você até a porta. - falo e vamos de mãos dadas até lá.

- Até de noite? - questiono e ele sorri.

- Sim, até de noite. - afirma me dando mais um beijo e indo.

- Bom, vamos descansar um pouquinho e depois ligar pra Maya. - falo pra mim mesma.

 

MAYA ON

O filme que o Mason colocou para assisti já acabou a quase meia hora ele decidiu ver agora um programa sobre fatos assustadores, eu não estava gostando muito, confesso que me assustei um pouco então preferi ir cochilar no meu quarto.

 Quando estava deitada na minha caminha enrolada no edredom fofinho meu celular começou a tocar.

 

LIGAÇÃO ON

-Alô, Maya? - A voz da Rose surgiu em meus ouvidos, passei uns segundos para raciocinar direito -.

- Ah! oi Rose. - Falei sonolenta esfregando os olhos -.

-Você estava dormindo? - Ela indagou um pouco desanimada -.

-Não só cochilando. Por que? -Exclamei curiosa, o que será que ela quer? -.

- Vamos ter uma noite só de garotas? Pensei na gente ir jantar juntas. - Ela explicou me fazendo lembrar da última vez que saímos só as meninas, e a Lissa estava junto! -.

-Vamos sim! Quando? Onde? - Questionei animada levantando rapidamente da cama -.

-Nossa calma.... Vai se arrumar e depois vem me encontrar aqui em casa, nós vamos convencer a Alex!

- Certo! Já já chego aí!!! - Afirmei desligando o celular, em seguida coloquei a primeira roupa que vi no closet, uma calça jeans rasgada, uma blusa Rosa um pouco transparente e para finalizar um casaco metálico da Adidas.  Peguei uma bota branco com um salto super alto e passei um brilho labial.

 Pronta saltitei até a sala e fiquei bem na frente da TV.

- Ah não May, sai daí por favor, está na melhor parte do documentário! - Mason reclamou fazendo uma careta de cachorro sem dono-.

- Eu vou sair com a Rose e a Alex, então cuidado aqui em casa sozinha para nenhum "fantasma" te matar!!! - Falei sentando no seu colo.

- Eu vou demorar, então não precisa me esperar.

-Você vai sair e nem me chamou? - Ele indagou arqueando as sobrancelhas e me encarando -.

-Sinto muito meu ruivo, noite das garotas.  - Respondi depositando um beijo na sua bochecha que está com a marca da almofada do sofá -.

-Tudo bem, aproveita... e juízo ok? - Mason disse alisando minhas costas -.

-Ok, eu prometo me comportar "papai"! - Afirmei rindo e em seguida peguei a chave da van que estava em cima da mesa-.

-Cuidado com o Mayon-móvel!!! Não mate meu filho!!!!

- Não vou matar o NOSSO filho!!! - Falei dando uma piscadela e depois sai de casa na direção do prédio da Rose -.

Quando enfim cheguei ela me recebeu em seu apartamento e disse:

- Vamos convencer a senhorita Udinov!

-Claro!!! Se ela não aceitar a gente leva ela a força! - Afirmei rindo e em seguida tocamos a campainha do apartamento da Alex -.

 Depois de alguns segundos uma mulher abriu nos recebendo com um enorme sorriso.

- Olá tia Kathy! -Rose disse a cumprimentando com um abraço apertado.

- Essa aqui é a Maya, uma amiga minha e da Alex.

-Olá Maya. É um pra ser conhece-la. - A senhora disse estendendo a mão -

- Igualmente, pode me chamar de May, todo mundo me chama assim. - Afirmei entrando junto a Rose no apartamento -.

-Onde está a Lex? - Rose indagou vasculhando com o olhar toda a sala-.

-No quarto, é melhor vocês terem alguma ideia genial para anima-la.

-Nós temos! - Respondi batendo palmas, é assim entramos em seu quarto avistando logo a Alex deitada na cama toda enrolada no edredom -.

-Amiga nós vamos sair para jantar, então levanta daí agora! Se não vou ser obrigada a arrastar você pelos cabelos!!! - Rose falou sentando na cama e puxando o pé da Alex -.

- Eu vou escolher uma roupa pra você! - Disse animada dando pulinhos, nesse momento Alex arregalou os olhos-.

-Melhor não Maya, eu faço isso pra ela, nós temos gostos parecidos.  - Rose falou rindo-.

  - Nenhuma das duas vai escolher roupa pra mim, eu não vou sair de casa porque estou cansada e além disso não posso deixar minha mãe aqui sozinha! - Lex afirmou sentando na cama e nos olhando firmemente -.

- Nada disso, não me use como desculpa, eu vou ficar bem sozinha! - Katya falou aparecendo na porta -.

  -Vai Lex por favor! -Rose pediu fazendo uma cara de cachorrinha sem dono -.

- Por favor, por favor, por favor!!!! - Implorei com biquinho encarando profundamente os olhos da Alex -.                         

-Está bem, vocês me convenceram! - Disse ela bufando.

- Vou trocar de roupa, me esperem na sala!

-Tem certeza que não quer que eu escolha seu look? - Indaguei com um sorriso esperançoso -.

-Tenho absoluta certeza Maya! - Ela respondeu entrando no banheiro -.

 Os minutos foram passando quando finalmente Alex surgiu na sala enfim pronta, nós resolvemos ir todas no mesmo carro com a Rose dirigindo.

 Depois de alguns minutos na estrada chegamos na conclusão que iríamos jantar em uma pizzaria, por consciência escolhemos a pizzaria onde jantamos a alguns dias atrás, quando chegamos na Rússia!

- Eu quero pizza de calabresa. - Rose pediu ao garçom que por sinal é um gatinho! -.

-Então metade calabresa e Marguerite. -Alex complementou batendo levemente na mesa com a ponta dos dedos -.

-E três Bloodys Marys Por favor! - Afirmei recebendo olhares sugestivos das duas -.

-Qual é Maya eu não quero ficar bêbada hoje! - Rose falou com um sorriso de lado-.

- Não vamos ficar bêbada só com isso, na verdade depois daqui estava querendo conhecer mais a cidade. -Confessei respirando fundo.

- Desde que cheguei nem tive tempo para passear, a gente trabalha tanto!

- Certo, podemos andar um pouco pelas ruas, sempre é bom aproveitar um pouco a luz da lua. -Alex concorda dando de ombros, em seguida nossos pedidos chegaram e assim começamos a devora-los -.

 Quando finalmente acabamos de comer pagamos a conta e saímos sem presa andando pela calçada conversando sobre assuntos variados, estava legal fazer isso, faz um bom tempo que não ficávamos assim!

-Meninas olhem isso! - Rose chamou nossa atenção apontando para um poste, nele está pregado um anúncio de Tarô!!! -.

-Madame Thifany...  Descubra o seu futuro... - Li em voz alta me embaralhando um pouco com as palavras -.

-Parece tentador, o que acham? - Alex indagou revessando o olhar entre eu e Rose -.

- Acho uma ótima ideia! - Rose respondeu animada e eu comemorei acenando positivamente dando alguns pulinhos animados -.

- O endereço não é tão longe daqui, vamos retornar para o carro. - Alex falou e assim caminhamos com passos longos até o automóvel que ainda estava parado no estacionamento da pizzaria -.

Rose dirigiu seguindo as coordenadas do folheto e do GPS, depois de quase meia hora finalmente encontramos esse lugar.

É um pequeno prédio de apenas três andares feito de tijolos, tem apenas um poste iluminando o lugar e isso me causa um frio estranho na barriga, juro que por alguns minutos me senti em um filme de terror! Ou até dentro de uma história do próprio Stephen King!!!

-Então nós vamos mesmo? - Exclamei ainda dentro do carro-.

-Claro, Estou curiosa para saber o que o destino me reserva! - Rose afirmou descendo seguida por Alex, engoli em seco e fiz o mesmo acompanhando os passos das duas -.

  Elas bateram na porta várias vezes mas ninguém respondeu, quando estávamos quase desistindo uma senhora que aparentava ter mais ou menos 40 anos abriu a porta chamando nossa atenção.

-Olá jovens, estão perdidas? - ela perguntou analisando cada uma com seus olhos cor de âmbares semicerrados-.

- Não, estamos aqui para uma consulta no Tarô. - Respondi enfiando as mãos dentro dos bolsos do casaco, estou congelando de frio -.

-Queremos ver o nosso futuro. - Alex completou encarando a senhora que logo sorriu ao escutar suas palavras -.

-Entrem, sejam bem vindas!  Sou a madame Thifany! - Ele disse abrindo passagem para adentrarmos o local -.

  Percebo que o lugar cheira a incenso, o chão é cheio de tapetes estampados, nas paredes a luzes amarelas e quadros que me lembram um pouco a pintura renascentista.

- Lá fora está muito frio, vocês aceitam uma xícara de chá? - A senhora indagou e nos três respondemos um "Não obrigada " em uníssono -.

  Em seguida ela mandou a gente sentar em uma mesa redonda, obedecemos e claro observando cada detalhe, confesso que estou um pouco abismada e ao mesmo tempo hipnotizada, nunca fui em um lugar parecido!!!

-Qual das três será a primeira? - Thifany perguntou sentando na nossa frente, em sua mão a um bolo de cartas -.                        

-Acho que eu... - Rose falou animada colocando algumas mechas do seu cabelo atrás da orelha.

- Certo, vamos ver o que o futuro lhe aguarda! - A Madame começou distribuindo as cartas pela mesa, Rose olhou pra Alex e depois pra mim, em seu rosto a uma expressão de expectativa.

- Você vai perder algo que valoriza e ama muito. Então aprecie enquanto pode! - A senhora falou apontando para a carta de uma roda, nesse momento os olhos de Rose se arregalarem e suas sobrancelhas franziram em uma expressão confusa.

- A roda está girando, sempre girando.

-Como assim?  O que isso quer dizer? - Ela perguntou com a voz falhada engolindo em seco com a informação -.

-Eu não sei, apenas lhe disse o que as cartas me falaram, você logo saberá do que se trata !!! - Madame Thifany concluiu juntando novamente as cartas.

- Quem é a próxima?

- Eu... - Sussurrei mordendo com força meu lábio inferior, ela assentiu e em seguida começou novamente o processo até retirar uma única carta -.

- A carta os Enamorados representam a necessidade de aprender a ouvir a voz da intuição, encontrando dentro de nós a resposta numa situação de dúvida ou de confusão. - Prestei atenção em cada palavra que sai de sua boca.

- Geralmente, quando esta carta surge num lançamento ela anuncia que terá de ser tomada uma decisão importante, pois a pessoa encontra-se entre dois caminhos.

-Como assim? - Interrompi confusa encarando a mulher, tentei me imaginar nessa situação, e logo um nome veio em minha mente, “Mason "! -.

- Pode ser uma dúvida relacionada com dois parceiros amorosos.  Pode, ainda, indicar que é necessário deixar para trás o passado para iniciar uma nova fase na vida. - Ela afirmou e no mesmo momento coloquei a mão sobre meus lábios incrédula em como tudo que ela me disse faz sentido! Estou dividida entre "Mason " e " Dylan "!!! -.

-O que você sugere? - Indaguei esperançosa estufando o peito com indagações -.

- Aconselho que tenha calma e prudência, para saber escolher. - Thifany falou com um sorriso de lado e em seguida juntou mais uma vez às cartas.

- Agora você é a próxima.

Ela apontou para Alex que parecia um pouco perdida em seus pensamentos.

- Certo estou pronta. - Lex falou fitando a mulher de olhos cor de âmbar -.

- São duas cartas pra você! - A Madame falou intrigada encarando o rosto da Alex.

- Carta A Temperança indica equilíbrio... Não tenha medo em decidir as escolhas da vida, ouça seu coração... Você tem equilíbrio na sua vida, permaneça com ela...

-Qual a outra? - Lex indagou apreensiva respirando fundo, o clima no local está pesado, e sinto que todos estão presos em seus próprios pensamentos -.

 - Carta... O Diabo!  - Ao dizer isso a cartomante ficou tensa e semicerrou os olhos enquanto Alex fez uma expressão assustada.

- Esta carta sinaliza o perigo que pode estar à espreita... você deve ter muito cuidado, às forças negativas não querem que seu ciclo recomece, proteja com todas as suas forças essa nova vida, ele é o fruto da sua vida passada. Proteja-o!!!

Madame Thifany levantou bruscamente da mesa quase gritando, e nesse momento um vento gelado surgiu na sala fazendo as cartas voarem na direção do chão e eu percebi uma singela lágrima escorrendo pelo rosto da Alex.

- Está na hora de vocês irem embora! - Ela afirmou estendendo a mão.

- Apenas me paguem e saíam!

 Engoli em seco sem entender, cada uma pagou sua "consulta" e em seguida saímos do prédio assustador de volta para o carro da Rose.

 -Ok confesso que esse final foi muito estranho! - Rose disse ligando o carro e saindo dali o mais rápido possível -.

-Verdade! - Afirmamos em uníssono, depois de um tempo na rua finalmente elas chegaram no meu prédio, despedi delas com um beijo na bochecha e um "até logo " e depois adentrei a portaria -.

Ao abri a porta do meu apartamento senti um pesar forte do corpo, meus músculos implorando pela minha cama quente e confortável!  Mas por obra do destino a primeira coisa que avistei foi Mason adormecido no sofá todo torto com a TV ligada.                        

-Depois diz que sou quem durmo vendo TV... - Sussurrei baixinho para não acordá-lo e delicadamente aproximei pegando sutilmente seu braço e apoiando em meu ombro para leva-lo ao seu quarto, por incrível que pareça ele não acordou, andou junto comigo como se fosse um sonâmbulo-.

Ao chegar ajudei ele a deitar na cama e cobri seu corpo com o edredom até o peito, quando estava prestes a sair escutei ele sussurrar meu nome com um sorriso amável no rosto.

-Boa noite meu ruivo.  - Falei depositando um selinho em seus lábios e em seguida sai na direção do meu quarto. -.

Tirei toda a minha roupa e coloquei uma camisola bem confortável me jogando enfim na minha cama que tanto desejei!  Adormeci em questões de segundos com a voz da mulher metralhando meus pensamentos.

" Necessidade de ouvir a voz da intuição, encontrando dentro de nós a resposta numa situação de dúvida ou de confusão."

 

LOGAN ON

- O exame é verdadeiro... Ela não estar mentindo. - Kendall fala analisando os exames.

- Você conversou com Alex? - Carlos pergunta dando um gole na sua bebida.

- Nós conversamos e... e ela pediu um tempo.

- Vocês vão se acertar... eu acredito em vocês. - Carlos diz suspirando.

- Parece que todos os problemas resolveram cair tudo de uma vez... e o que me deixa com mais raiva é que Alex esteja passando por tudo isso... meus erros só prejudicam as pessoas que eu amo.

- Continuar pensando assim não vai levar a nada. - Dimitri volta pra sala segurando uma garrafa de água.

- Ele tem razão cara... Você tem que pensar no futuro agora, querendo ou não você será pai e essa criança vai precisar de uma figura paterna. - Kendall diz colocando aqueles exames na mesa de centro.

- A primeira coisa que irei fazer quando essa criança nascer é pedir a guarda.

- E como você vai cuidar da criança Logan? - Ian também estava na sala.

- Você mesmo sabe que seu trabalho querendo ou não é perigoso e você não tem um lugar fixo para morar, você anda viajando de um lugar pro outro... E se algum dia algo acontecer com você Logan? Como a criança fica? - Kendall fala e todos da sala concordam.

- Jurei a mim mesmo que quando casasse ou principalmente quando eu fosse pai, eu vou me aposentar da Interpol... iria trabalhar na companhia... família em primeiro lugar.

- Mesmo que você faça isso, a justiça não vai ceder a guarda pra você... querendo ou não Makenzie é a mãe, ela tem condições de cuidar da criança.

- Tem condições, mas não tem juízo! - Falo caminhando de um lado pro outro.

- Ok, digamos que você ganhe a guarda da criança, com isso você deixa de trabalhar na Interpol certo? - Ian pergunta me encarando.

Assenti com a cabeça.

- Você iria voltar pro Estados Unidos? - Ian pergunta novamente.

- Sim.

- E como Alex fica na história? - Kendall fala e nesse minuto eu percebi que de todos os envolvidos Alex era a única que estava mais sofrendo por isso.

- Você não pensou nisso não foi? - Dimitri pergunta me encarando.

- Não.

- É... eu não queria dizer isso mais, Logan você estar em uma baita confusão. - Carlos fala colocando a mão em meu ombro.

- O pior de tudo é que não tenho nenhuma solução... para nada do que está acontecendo.

- Pense com calma no que você vai fazer... uma hora ou outra você vai achar uma solução. - Ian diz e todos na sala concordam.

(...)

Depois que todos foram embora eu fui dormir, ou tentar, mas não conseguia. Estava a horas encarando o teto do quarto na esperança de achar pelo menos uma solução para minha vida.

 

ROSE ON

- Roza? Tudo bem? - Dimitri perguntou pegando minha mão.

Nós estávamos no sofá vendo TV, quer dizer, ele estava assistindo, eu estava pensando sobre o que a cartomante tinha falado. Quando eu cheguei em casa tomei um banho rápido e liguei pra ele pedindo que viesse pra minha casa.

- Está. - murmurei forçando um sorriso.

- Rose, você não sabe mentir. - diz virando meu rosto para encara-lo.

- Isso é mentira! Eu já contei muitas mentiras boas, e todos acreditam. - retruquei e ele balançou a cabeça.

- Sim, mas você não consegue mentir pra mim. - fala me olhando profundamente e eu suspiro.

- Então, vai me dizer o que houve? Porque você estava bem antes de eu sair. - murmura com o olhar preocupado.

- Ok, é que as meninas e eu fomos até uma cartomante. - disse e ele ergueu as sobrancelhas confuso.

- E ela me disse: "Você vai perder algo que ama e valoriza muito. Aproveite enquanto pode. A roda está girando, sempre girando". Eu perguntei a ela o que isso queria dizer e ela simplesmente disse que era o que as cartas diziam pra ela. - bufei irritada e vejo o olhar dele ficar preocupado.

- Rose...

- Não, escute, isso não foi o pior. Pior foi o que ela disse pra Alex, foi algo como se ela estive correndo muito perigo, e ainda por cima começou a ventar e as cartas voaram. Você não imagina como foi. Fora que tudo o que ela disse pra Maya fez sentido. Agora pra mim? Eu não vejo sentido algum nisso! Eu amo muitas coisas e valoriza muitas outras. Eu não consigo imaginar à que ela se refere. - disse rapidamente e quando terminei ele me olhava com seus belos olhos arregalados.

- Roza, nada vai acontecer com você. Eu estou aqui. Sempre vou estar. - murmura me abraçando forte.

- Eu sei, mas eu não quero perder ninguém que eu amo, eu não sei quem pode ser. Ian, Alex, Você, James, Oliver, Sean, Maya, Mason, Lissa, Hans, minha mãe. - suspirei e fiz uma careta ao mencionar a última.

- São tantos. - sussurrei aspirando seu perfume.

- Vai ficar tudo bem. - fala beijando o topo da minha cabeça.

- Eu espero. - Retruquei baixinho.

- Vamos dormir? - pergunta e eu concordo.

Ele me pega no colo e eu começo a rir.

- Boa noite Roza. - fala ao me deitar na cama e nos tapar.

- Boa noite Camarada e obrigada. Eu te amo. - sussurrei beijando seu pescoço.

- Eu também te amo Rose. Muito. - disse apagando a luz do abajur.

Depois disse eu apaguei me sentindo bem e segura nos braços do meu Deus particular.

 

OLIVER ON

Eu estava na minha casa correndo em uma esteira, o suor escorria pelo meu corpo e minha respiração está acelerada. Eu tentava não pensar em nada, só na minha respiração, mas como nos últimos tempos algo sempre me faz lembrar dela. Agora um arco e flecha na parede a minha frente fez esse papel. Sempre em meus pensamentos.

- Droga! - xingo parando a esteira e pegando meu celular e uma toalha branca.

 - Ela deve estar dormindo... Quer saber, foda-se. - murmuro pra mim mesmo.

《 LIGAÇÃO ON》

- Oi Rose! - exclamo e escuto um resmungo.

- Olie? - questiona com a voz grogue.

- Desculpa por ter te acordado, mas eu não estava conseguindo dormir e então pensei em você e quiser ligar. - disse rapidamente e ouvi uma pequena risada dela.

- Espera um pouco. - Ela sussurra. Alguns segundos depois escuto Passos e então ela volta.

- Então você estava pensando em mim? - brinca e eu sorrio ao imaginar seu sorriso brincalhão.

- Eu venho fazendo muito isso. - retruco baixo e ela suspira.

- Você está bem? - questiona com preocupação na voz.

- Estou bem, mas eu sinto saudades de você, da Alex, do Ian, de todos. Então eu acho que vou me mudar pra Novosibirsk. Quer me ajudar a procurar um Ap? - falei animado e ouvi ela murmurar sozinha.

- Claro que eu ajudo, eu também tenho saudade de você Olie. - diz e eu não contenho o sorriso ao ouvir isso.

- O que você está fazendo acordado às duas e meia da manhã? - questiona curiosa.

- Treinando, mas ai eu vi o arco e flecha e lembrei de você. - expliquei e ela riu e então bocejou.

- Você está cansada vá dormir pequena e me desculpe de novo.

- Olie você sabe que sempre pode me ligar, quando você acha que vem? - questiona parecendo ansiosa e eu sabia que ela estava mordendo o cantinho do lábio e batendo suas unhas.

- Ainda não sei, mas eu vou te ligar assim que souber. Obrigada por me ajudar. - falo me referindo ao acordá-la e o Ap.

- De nada Olie, agora eu quero que você vá tomar um banho, descanse e sonhe com os anjos. - Ela fala com sua voz mandona e eu sorrio.

- Ok mandona. Vou sonhar com você, meu anjo. Boa noite e eu te amo. - falo e escuto seu pequeno riso.

- Eu também te amo Olie. - murmura docemente.

- Tchau pequena. - digo desligando o celular.

《 LIGAÇÃO OFF》

Agora eu estava leve e mais tranquilo, me dirigi ao banheiro e depois de um banho relaxante fiz o que Rose mandou.

Fechei meus olhos e vi lindos olhos castanhos antes da escuridão me levar.


Notas Finais


Então? O que acharam??? Gostaram???
Comentem e deixem sugestões e se tiverem alguma dúvida podem perguntar que nós iremos esclarecer.

OBS.: Nós podemos demorar para postar, mas NUNCA vamos abandonar essa fic.

Lembram que nós temos uma página no Facebook, bom agora temos uma no Instagram também, deem uma olhadinha lá.

Facebook:
https://www.facebook.com/Vidas-Entrelaçadas-1654405058169934/?ref=bookmarks

Instagram: vidas_entrelacadas

Até o próximo capítulo.
XOXO


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...