História Vidas Opostas (Camren) - Capítulo 1


Escrita por: ~ e ~Vpontte16

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Amor, Camila, Camren, Lauren, Paixão, Voldemort
Visualizações 246
Palavras 1.180
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, FemmeSlash, Festa, Ficção, Fluffy
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hahahahahahahahahahhaahhaah
Reescrevendo minha história fav ♥
Espero que gostem bolinhos :)

Capítulo 1 - Camila Cabello


Fanfic / Fanfiction Vidas Opostas (Camren) - Capítulo 1 - Camila Cabello


                Camila Cabello Pov


- Se você realmente me amasse, iria aceitar isso, mãe.

- Que droga Camila.

Sinu gritou me dando um susto, eu neguei com a cabeça andando de um lado para o outro. Revoltada.

- Eu amo você, mas não aceito o fato da minha filha, do meu bebê, ser isso. Ser uma lésbica nojenta, você não pode. Entendeu? 

- Para com essa porra de preconceito, século vinte e um mãe, acorda.

Gritei de volta, eu estava prestes a sair de casa, não era obrigada a ouvir todas aquelas merdas que saia da boca da minha própria mãe. 

- Não aumenta a voz pra mim, Karla. Você não é assim, você não tem que ser assim.- Ela disse com uma cara de nojo.

- Eu sou assim sim, mãe. Já é a terceira vez que eu tento conversar contigo, eu to cansada de sempre discutimos. 

 Sinu balançou a cabeça com uma cara de poucos amigos, ela não conseguia aceitar, seu preconceito era maior. 

- NÃO CAMILA, EU NÃO VOU ACEITAR UMA LESBICA NOJENTA DENTRO DA MINHA CASA! 

- LESBICA NOJENTA? QUE TIPO DE MÃE VOCÊ É? EU TENHO NOJO DE VOCÊ, EU QUERO APENAS QUE A MINHA MÃE ME ACEITE, E CONSIGA ENTENDER QUE EU NÃO SINTO NENHUMA ATRAÇÃO POR GAROTOS.

Assim, recebi um tapa na cara. Doeu, de verdade. Eu dei uma risada irônica, apenas peguei minha bolsa que estava jogada na cama e sai do quarto correndo, ouvi ela me chamar mas ignorei. 

Sai de casa correndo, parando no meio da rua, de noite, com toda a vizinhança dormindo. Peguei meu celular e liguei para a primeira pessoa que veio em minha mente. 

- Camila!

- Mani, me ajuda.

- O que foi? Mila?

- Eu briguei de novo com a minha mãe, e dessa vez ela passou dos limites, eu preciso de um lugar para dormir! Eu posso ficar ai?

- Oh, claro que pode. Aonde você ta? Eu te busco.

- Estou a duas quadras da minha casa, vem logo ok?

- Eu to chegando!

Assim que vi Normani buzinar, entrei no carro vendo a morena me olhar preocupada, dei um sorrisinho e me encostei no banco cansada. Suspirei. Minha mãe me ligava toda hora, não atendi nenhuma vez. Normani sem dizer nada, apenas acelerou o carro. 

Estacionou o carro dentro da garagem de sua casa, aonde ela morava sozinha. Normani era mais velha do que eu, tinha vinte e dois anos, e já era idenpendente, seus pais moravam na Califórnia, ela é a minha melhor amiga, a que eu posso confiar de olhos fechados, aquela que eu posso contar todos os meus segredos, ela nunca os falará, nunca irá me decepcionar. 

- Já pode começar a falar.- Ela disse assim que me joguei no seu sofá.

- Ela me deu um tapa na cara! - Disse fitando o teto, Normani ficou quieta, sabia que ela edtavar de boquiaberta. 

- O que? - Ela deu um grito, eu assenti fechando meus olhos.

- Pois é, Mani. - Pus meu braço encima de minha testa bufando.

- Mila, eu realmente me sinto muito mal em ver o que você tem que aguentar. Ainda mais da sua mãe, que não consegue aceitar isso. Quando nem tinha que "aceitar" porque não tem nada de errado, é normal, hoje em dia ainda existe pessoas assim e realmente é triste ver sua própria mãe lhe causando tão mal. - Mani sentou ao meu lado acariciando meus cabelos.

Eu nada disse, apenas ouvia minha melhor amiga dizer. Eu só tinha ela como amiga, só Normani me entendia. Ela era o meu porto seguro, eu desafava tudo a ela. Não consigo imaginar eu sem ela, apenas tenho ela com quem conversar, com que dividir um segredo, com quem tenho um grande laço de amizade verdadeira!  

- Porque não sairmos? - Perguntei mudando de assunto, abri meus olhos e me sentei.

- Sair? Jura? - Mani perguntou e eu assenti.

- Esquecer dos nossos problemas e da merda da nossa vida por uma noite, que tal? - Perguntei segurando sua mão, ela sorriu assentindo.

- Se isso lhe fazer bem, eu topo! 

Sorri me levantando do sofá junto com Normani.


                   (...)

 Entrei dentro da boate logo vendo uma cena com tanto normal, para quem frequenta esses lugares sempre. Muitas pessoas se comendo, tanto gays quanto lésbicas ou heteros, havia uma roda de duas garotas e um cara se pegando, super normal aos meus olhos. Também uma fumaça, aonde tinha gentr que tragava o cigarro, drogados. Aqueles eram as pessoas que eu andava. Fumava sempre, podia dizer que era um vício. 

 Comecei a andar até o grupo de pessoas drogadas mas Normani me puxou, eu a olhei e ela negou com a cabeça. 

- Hoje não, Mila. Vamos nos divertir ok? Você precisa parar de fumar. 

 Dei uma risada alta, era impossível eu parar de fumar, eu não conseguia parar. Me sentia meio mal as vezes mas, a raiva era mais alto.

- Você é nova demais pra isso, eu sou mais velha, to aqui me responsabilizando por você. Não vai sair do meu lado essa noite! - Normani disse séria, eu odiava ser menor de idade, tinha que sempre estar ao lado de Normani, se não eu iria me fuder com os seguranças. 

 - Aff! Tá.- Reclamei bufando, sabia que ela só queria o meu bem, as vezes eu via Normani como uma irmã mais velha.

Fomos entrando mais no local, encontrei Alexa, uma das minhas ficantes, ela me lançou um olhar malicioso, ela é loira, bem bonita, com um corpo magro mas ainda sim muito bonito. Conheci ela numa casa noturna, ficamos sem compromisso, nunca namorei para falar a verdade, comigo sempre foi sexo sem compromisso. Nunca tive vontade de ter esse laço tão forte com alguem. Alexa é uma delicia de pessoa, podemos passar anos sem se ver, sempre que nos reencontrarmos, iremos ter essa incrível vontade de sexo uma com a outra.

Eu sou interssexual, eu tenho um pênis, sim, sou bem diferente das outras garotas, graças a um problema na gravidez da minha mãe eu nasci com um amiguinho no meio das pernas, meus pais já até me perguntaram se eu queria fazer a cirurgia mas eu não quis, causando nervos na minha mãe. Ela nunca me aceitou de verdade, tanto na minha opção sexual quanto eu em pessoa. Eu sou como o resultado de um grande erro da família. 

- Oi, Camila.- Ela disse entre sorrisinhos já me dando um breve beijo. - Sentiu saudades? 

- É... - Menti, queria uma distração hoje e ela veio até mim num piscar de olhos.  

- Eu também senti sua falta, amor.- Ela entrelaçou suas mãos em meu pescoço me dando um selinho, sorri colocando minhas mãos sobre sua cintura.

 Normani estava ao meu lado conversando com alguém, bem distraída. Puxei Alexa pra longe, acendendo meu cigarro, ela sorriu mas depois fechou a cara ao me ver fumando.

- Isso não te faz bem.- Ela disse e eu dei de ombros. - Se você não largar isso, não me terá essa noite.

 Eu a olhei rápido, assenti jogando meu cigarro fora. Ela sorriu e se jogou encima de mim, assim teriamos uma noite bem prazerosa!





Notas Finais


Como eu disse, vou reescrever, e prometo que vocês vão amar essa nova versão.

se tiver algum erro me perdoe, depois eu arrumo!!

Camila Tops, foi eu que pedi sim.

Próximo cap é da Lauren, sai ainda hoje.

Comentem!!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...