História Vidas trocadas - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Sense8
Personagens Personagens Originais
Tags Ação, Drama, Romance, Sense 8
Visualizações 0
Palavras 2.287
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Fantasia, Ficção Científica, Luta, Policial, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 11 - Encontros


Fanfic / Fanfiction Vidas trocadas - Capítulo 11 - Encontros



Autora

Primeiro encontro Vicente e Alice

Vicente que não estava tão afim de ir a festa agora sentia que iria se arrepender muito se estivesse em casa a música toca rapidamente e as luzes verdes e vermelhas piscam se alternando

- está gostando

Ela grita para que Vicente escute ele sorri e a beija no ritmo da música ele tem certeza que se não fosse álcool teria pensado até três vezes antes de fazer aquilo mas sinceramente que se foda enquanto isso na Austrália Alice que estava em bar que tocava uma música lenta conversava animadamente com seus amigos e familiares mas começou a sentir uma dor de cabeça horrível

- eu vou ao banheiro com licença

Ela vai até o banheiro no final do bar e ve que não tem ninguém então se abaixa e joga água no rosto porque a música está tão alta que merda e essa é porque está luz e tão forte ela começa a sentir um gosto forte de vodka na boca com alguma mistura que eu não consigo identificar quando ela vê  um homem lindo em um reflexo rápido no espelho beijando alguém mas não é possivil está  sozinha naquee banheiro fecha os  olhos e quando abre denovo parece que está em uma balada mas a música não é em sua língua   talvez espanhol ou português não consegue  entender quando vê  o  mesmo homem em sua  frente denovo eles se encaram e Vicente não consegue não olhar esquecendo de respirar por alguns segundos  mas Alice estava muito assustada porque estava lá como foi parar em qualquer lugar que aquele era e saiu correndo sem saber onde iria Vicente não podia deixar aquela mulher ir embora e larga sua amiga indo atrás da estranha quando ele chego perto agarra seu braço

- espera quem é você?

- quem é você?

Alice não sabe o que dizer apesar de sentir que ele não era um desconhecido ela consiga entender a pergunta mas na sabia como responderia Vicente entendeu e respondeu

- meu nome é Vicente

E Alice sentiu alguém a chamado de volta e derepente o homem a sua frente sumiu e viu sua prima do lado

- desde quando você fala português?

-eu

Ela não sabia o que responder nunca tinha falado português antes apenas conhecia e achava bonito mas nunca conseguiu aprender

- eu fiz algumas aulas na escola

- estranho nunca me contou

Ela balança os braços ainda bem não eram tão próxima se não saberia da verdade mas a verdade é que nem ela saberia o que acabou de acontecer e o resto da noite foi chata tanto Vicente quando Alice queriam se encontrar se ver novamente e entender melhor o que aconteceu naquela noite mas nem um dos dois obteve uma resposta satisfatória.

Rafael e safira

Rafael começa a se sentir triste e amargurado safira começa a se sentir sozinha e pouco abandonada o que entensifica seu choro Rafael quer chorar não sabe porque até então estava feliz com a festa ele fecha um pouco seus olhos para respirar e se controlar quando abre novamente se asusta primeiro ele sente calor e ve que está em um  lugar macio quando olho para o lado fica assustado ele não está mais no mesmo lugar parace outro apartamento só que menor que viajem essa ele choqualha sua cabeça e vê uma mulher com o rosto afundado em suas mãos magras safira estava com tanta coisa em sua mente que não reparou que não estava mais sozinha

- com licença

Ela se assusta com a voz rouca tão perto do seu corpo e cai no chão

- como caralhos você entrou na minha casa ?

Ela diz assustada se afastando de Rafael tentando pegar algo para se proteger não faz sentido Eu escutaria o som da porta

- olha eu também não sei como cheguei aqui vou do nada aliás Onde e aqui

- você está na angola

- meu deus não você está me zuando eu estava no Japão a 1 segundo atrás

- você mora no Japão?

- bom sim não fique surpresa e impossível eu estar na angola então safira irritada liga a TV e ele vê o jornal que não falava japonês e sim português

- que porra e essa

- eu que te pergunto você que está na minha casa

- eu não sei como

Ele sai e vai até a varanda e ve que realmente não estava mais na casa de seu amigo os prédios coloridos deram espassos para casas simples as avenidas deram espaço a ruas

- acredita em mim agora

- acredito por mais incrível que pareça, porque você estava chorando antes

- eu não estava chorando

- não precisa se fazer de durona eu acho que senti como você estava triste e foi sufocante não sei como aguenta sentir tudo isso

- escuta você envadiu minha casa não sei como é vem querendo bancár o pisciologo

- eu não envadi sua casa

- a não

Agirá safira que antes estava calma começa a aumentar seu tom de voz e pela primeira vez Rafael reparou em seus olhos que tinham um tom de verde tão lindo que o ipinotozaram por alguns estantes e ele sem pensar muito bem se Aproximo dela sem entender se ela era uma ilusão ou não quando safira sente a mão do estranho em seu rosto ela leva um choque e Rafael deu um sorriso ela não era fruto da sua imaginação mas mesmo tendo a sensação de que ela era real não deixou escapar o fato de que sua beleza parecia não feita para esse mundo quando sem entender ele simplesmente voltou ao banco na varanda que estava viu os prédios coloridos a sua frente e as pessoas conversando ao seu redor e derepente procurava o par de olhos verdes que o haviam enfeitiçado mas não achava nada o que será que tinha nessa bebida o choro de safira parou mas ainda contava com suas dúvidas do mesmo jeito que o estranho apareceu ele foi embora mas a sensação de abandono sai e na sua ausência veio a felicidade.

Julho e Miguel

Miguel não aguentava o falatório do pai e sempre a mesma coisa ele não se lembrava porque tinha aceitado estar ali olhava para ju que tentava ser educada Miguel sabia do esforço que ela fazia para não deixa lo sozinho naquela enrascada quando acaba espirando

- saúde filho

- Obrigado mãe

Que cheiro de areia e esse respirou fundo e sal também aspirou denovo

- você está resfriado

- não só estou sentindo um cheiro estranho

Mas uma lufada de areia veio em sua cara não é possivil ia espirar denovo

- me dão licença

Sai dali e voi para fora sente  o vento que parecia ser de chuva e começa a vislumbrar o mar a sua  frente vê dois caras se pegando coloco a mão na testa não eu não estou com febre então o vento fica mais forte e vê a areia em seus  sapatos não é possivil eu estou na praia balança  a cabeça e vê o portão da casa de seus pais  depois a praia caminha um pouco incerto e se aproxima do casal

- Olá vocês conseguem me ver

Julho escuta uma voz baixa e receosa e olha para cima e tem a visão do paraíso que homem lindo seu amigo estranha ele ter parado de se beijar

- julho cara você está olhando para o que

Miguel ficou parado encarando aquele par de olhos castanhos tão lindos

- julho foi só um beijo não precisa ficar em choque

- você não consegue ver ele

- ele quem só vejo você

- você não pode ser cego olha esse homem a minha frente

Porém seu amigo não via ninguém

- se você não gostou do Beijo não precisa dar uma de louco

E sai, nessa hora tanto Miguel quanto julho se encaram curiosos

- você se veste estranho para praia

Miguel lembra que está de terno enquanto julho está somente de bermuda sem uma camiseta espondo seu abdômen trabalhado que Miguel encarou por alguns segundos desconcertado

- meus planos não eram vir a praia

- como seus planos não eram vir para a praia então porque viajou para o havai

- aqui e o havai ?

- até onde eu me lembro sim

- mas eu não viajei para cá eu estou em um jantar no México

- então  você mora no México

- essa não é a questão eu quero saber como vim parar aqui

- não tenho a menor

- eu vi que estava ocupado com um amigo

Julho da um pequeno sorriso

- ele é só um amigo

- não parecia um amigo

- você acabou de me conhecer e já está com ciumes

- eu não estou com ciumes

- sei porque não me conta mais do lugar que você mora

- não sei muito bem o que te falar quando os dois saem da praia e tem a visão de uma mansão

- caralho você tinha falado a verdade como eu sai da minha casa

- eu não sei como fui nem como voltei com você

- olha você é gato e tudo mas isso está muito estranho eu quero voltar

- eu não sei como voltar mas agradeço o elogio

Julho faz uma cara de agora não é hora e vê uma menina correndo na sua direção

- Miguel você está louco de me deixar na mesa com seu pai

- ju eu tenho uma pergunta para você

-fala

- você consegue ver um moreno malhado do meu lado

- não Mas seria muito bom

Então Miguel e julho chegaram a uma conclusão eles eram ambos fruto da imaginação fértil dos dois quando julho desaparece e Miguel não o vê mais a impressão de que aquilo foi um sonho ficava nos dois mas o cheiro de colônia que julho sentiu não podia ser imaginação e aquele cheiro bom de frescor que Miguel sentiu também não podia ser imaginação.

Isabella e Atena

Atena joga lua na parede beijando seu pescoço e decendo até a clavícula quando escuta um gemido da ruiva

- amor por favor

Atena começa a descer sua boca devagar pelo corpo da ruiva beijando cada ponto até chegar no umbigo ela procura o zíper da saia e baixa revelando duas coisas grossas que estavam apertadas na saia volto ela volta para cima juntando seus labios novamente quando lua pula e prende suas pernas na cintura de Atena que é beijada calorosamente enquanto isso na Itália um  elevador se torna cada vez mais quente Isabella estava feliz mas estava ficando Feliz demais derepente o elevador estava tão quente quando finalmente chegou abriu logo a porta de seu apartamento quando senti uma fisgada no meio da sua perna

- que merda e essa

Vai até a cozinha e pega um copo com água tira sua blusa ficando com sua calça e sutiã quando começa a escutar gemidos

- ok eu estou definidamente louca

- você o que ?

Isabella olha para os lados sabendo que escutou uma voz mas não vi a dona dela quando vê duas mulheres na cama uma e ruiva e está gemendo um nome parece Atena a loira de cabelo curto em cima está fazendo um oral na ruiva pegarreio para ver ser alguém me escuta

- gente isso é real

- e muito real lua

Espera essa não é a voz da lua eu já escutei esse voz

- mais rápido amor

- Isabella

Quando Atena olha para o lado e ve sua ex amiga fica parada sem reação enquanto sua namorada pergunta quem diabos é Isabella

- Atena que porra você está me traindo quem essa tal de Isabella

Atena se levanta ficando cara a cara com Isabella a falta de roupa das duas não ajuda muito

- como você está aqui ?

Ela está sem ar não sabe se é devido a cena que acaba de ver ou devido reencontrar a menina que partiu seu coração na adolescência

- eu não faço idéia eu só estava sentindo muito calor e comecei a ver você transando

Por uma força que era maior que Atena ela olhou para o corpo de Isabella e esses anos fizeram muito bem para ela quando percebe que ficou tempo demais olhando enquanto sua nova namorada está na cama  sem entender nada

- desculpa lua está e Isabella

- que Isabella não tem ninguém aí

- claro que não quer saber perdi o clima

Ela começa a colocar sua as roupas

- acho que só você pode me ver

- então você é fruto da minha imaginação

Ela estica a mão e coloca no cabelo enrolado de Isabella se aproxima mais um pouco sentindo o cheiro que vem dela Isabella por sua vez começa a desenterrar sentimentos que mão achou que tinha mas

- você tem que ser real

Atena diz em um sussurro indo beijar Isabella

Quando ela volta a si volta para trás

- você está louca

Diz Isabella sem reação

- não eu só senti sua falta todo esse tempo e não sei explicar como você está aqui eu só queria...

Antes que Atena terminasse sua frase Isabella some do mesmo jeito que Atena sentia necessidade de falar Isabella tinha De escutar mas não seria naquela noite.

Daniel

Eu já consegui sentir alguns deles pelos meus cálculos são 8 senti alguma coisas intensas acho que eles começaram a se encontrar não entendo porque eu não consegui visitar nem eu apenas sentir e horrível ficar no escuro mas estou descobrindo as habilidades que eles tem eu me sinto forte mas também deprimido com medo e com intusiasmo curioso é assustado e difícil descrever a bagunça que está se formando mas creio que vou descobrir mais





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...