História Video Call (Imagine Jungkook) - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook
Tags Bangtan Boys, Bts, Jhope, Jimin, Jin, Jungkook, Min Yoongi, Rap Monster, Suga, Tae, Yoongi
Exibições 1.563
Palavras 2.197
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Hentai, Romance e Novela, Seinen
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Self Inserction, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


PRIMEIRO IMAGINE!
Por favor, sejam legais comigo e apreciem o meu primeiro one shot aqui :)
Boa leitura.

Capítulo 1 - One shot


Fanfic / Fanfiction Video Call (Imagine Jungkook) - Capítulo 1 - One shot

A minha vida não podia estar mais tediosa. Todo dia era a mesma rotina: acordar, escola, interagir socialmente, casa, dormir. As pessoas ao meu redor não me divertiam mais, todo dia a mesma conversa furada e desinteressante.

Eu precisava de alguém para me divertir.

Então eu me cadastrei em um website chamado Online sex. É tudo em anônimo, você apenas conecta com algum estranho e... bom, se divertem. De início era meio chato, os caras que apareciam para mim eram todos velhos e grosseiros, não tinha nem como ficar excitada. Estava prestes a deletar a minha conta quando ele apareceu.

Confesso que apenas de olhar o físico dele mesmo por debaixo do moletom me deixou com tesão.

^ Olá, yummy~ass. ^

^ Olá, sweet.cockie! ^

Conversávamos pelo chat e a webcam não mostrava os nossos rostos. Afinal, qual seria o sentido do anonimato? Mas em compensação eu podia ver todo o quarto dele.

^ Vejo que você é um fã do homem de ferro. Eu gosto dele. ^

^ Bom, acho que você também vai gostar de ver outra coisa... ^

^ Haha e o que seria? ^

Ele se aproximou mais da câmera e eu pude ver o sorriso dele. Ele mordeu os lábios e digitou a próxima mensagem.

^Não sei, princesa. Quem sabe você me dá um motivo pra eu te mostrar? ^

Sorri por trás da câmera com a provocação. Ele se recostou na cadeira novamente e pôs uma mão no queixo. Os dedos dele eram longos e ossudos, as veias estavam pulsando sob a pele. Só com aquela visão eu já teria perdido o equilíbrio, mas eu já tinha entendido o joguinho dele e posso dizer com toda a certeza, eu estava ficando molhada.

^ Talvez... você possa dizer o que eu preciso fazer. ^

^ Tira a blusa. ^

Mordi os lábios e ajeitei a postura na cadeira. Levantei devagar o pano fino da camisa que estava usando com os dois dedões. Ele ficou um pouco inquieto, apertava o saco de vez em quando e amassava os lábios. A minha blusa subiu até um pouco acima do sutiã e então eu a desci de volta para o lugar.

^ O que foi? Por que parou? ^

^ Vamos fazer um trato. Eu tiro a minha e você tira a sua. ^

^ Okay então, bebê. Se você acha que é melhor assim. ^

Ele soltou um riso soprado enquanto escrevia. O rapaz levantou da cadeira e oh merda... O volume na calça dele era enorme. Eu levantei também, já que íamos fazer isso juntos, porém ele nem sequer contou ou disse ‘Já’, ele simplesmente arrancou o moletom, me deixando completamente em choque com a visão que tive.

Ele era completamente gostoso e seus músculos se destacavam em todo o seu corpo. A sua calça ficava um pouco abaixo da cintura, deixando amostra não apenas uma parte da sua cueca, como também a V line do seu abdome.

A cena foi tão chocante que até o meu computador travou.

O que?! Não acredito! ” Falei correndo para ver o que aconteceu com o computador. Apertei inúmeras vezes a tecla enter, mas a imagem continuou congelada. “MERDA! ”

“MENINA, NÃO ME FAZ IR AI E FAZER VOCÊ CALAR A BOCA. ” Minha irmã gritou do outro quarto e eu revirei os olhos.

Tentei mais uma vez recuperar a minha conversa com o gostosão, mas o computador começou a atualizar e eu perdi todas as esperanças. Caí na cama e coloquei o travesseiro na minha cara para cobrir minha frustração.

“Droga...”

 

.

.

.

 

Dormir não foi fácil naquele dia, a imagem daquele deus grego ficou na minha cabeça a noite inteira e eu não conseguia parar de imaginar como deve ser o membro dele por fora daquela calça.

Levantei da cama com o barulho irritante do despertador e comecei o ritual de preparação de mais um dia de aula no ensino médio. Tomei café, um banho, escolhi a minha roupa e fui escovar os dentes. Estava com uma camisa que me orgulhava muito, apesar das minhas amigas rejeitarem completamente. Só porque estava escrito ‘pegue aqui’ bem em cima dos meus peitos. Elas são tão inocentes...

Enquanto terminava de arrumar o meu cabelo observei o computador pelo espelho. Eu ainda tinha uns quinze minutos antes de sair para a escola. E se ele estivesse online? Bom, não custa nada arriscar a sorte. Mordi os lábios e fiz o login na minha conta. Quase cai da cadeira após ver umas quinhentas mensagens dele.

^Ei! Cadê você?!^

^Você está tentando me provocar??^

^Você só pode estar brincando comigo. ^

^Vai se foder! ^

Eu tive de rir dessa última frase, porque talvez ele não saiba, mas era exatamente isso o que eu ia fazer! Até o computador bugar de vez. Não me ofendi com o xingamento e mandei uma mensagem, afinal ele valia a pena. MUITO a pena.

^Você está aí? ^

Esperei alguns minutos e logo o ícone piscou com uma nova mensagem.

^Você me deixou com muita raiva ontem, garotinha. ^

^Sim.... Prometo te compensar dessa vez. ^

Ligamos a câmera e foi um alivio ver que ele estava sorrindo, ele estava com uma blusa branca por baixo de um casaco vermelho quadriculado. Consegui ver também o seu piercing na orelha pela luz do sol que iluminava o quarto dele.

^Ótimo, agora seja uma boa menina e faça tudo o que eu mandar. Aliás, bela camisa.^

^Haha obrigada, mas eu acho que eu fico melhor sem ela. ^

^Você acabou de ler os meus pensamentos. ^

Ele não precisava fazer muita coisa para me deixar excitada, mesmo estando do outro lado do computador. Ele tinha os dedos das mãos apoiados um nos outros, perto da boca. Eu podia imaginar os olhos deles devorando cada detalhe dos meus movimentos. Porém dessa vez, eu era a submissa e não ia mais enrolar como no outro dia. Tirei a blusa sem demora.

Meus peitos ficavam destacados pelo sutiã escuro que usava.

^Você gosta disso? ^

^Continua, por favor ^

Achei tão fofo ele pedir com educação para que eu continuasse o que estava fazendo e como ele tentava de todas as formas manter a compostura, mas eu via como ele agarrava o braço da cadeira e como coçava o queixo a cada momento em que eu apertava os meus seios, fazendo eles pularem por baixo da peça intima.

^Sabe, hoje é um dia especial para mim. Faça ele valer a pena. ^

^Como você quiser, baby ^

Levantei da cadeira e soltei o cabelo que estava preso em um coque, balançando um pouco. Virei de costa e tirei a calça que estava usando. Minha calcinha era igualmente escura, porém com uma diferença, era de renda, ou seja, era possível ver por através a minha pele.

Ele tirou o casaco quadriculado e ajeitou a tela do próprio computador para poder me ver melhor, ele se abanava com as próprias mãos. Sorri e me apoiei na cadeira, ainda de costa para ele, mostrando mais de perto a minha bunda para ele. Abri um pouco a perna e passei os dedos sobre o tecido na minha parte intima. O meu cabelo cobria o meu rosto então não me preocupei muito.

^Você está fazendo um ótimo trabalho.^

^Está tão chato fazer tudo sozinha.^

Então ele finalmente tirou o pano que cobria o seu abdome definido e a calça que cobria o seu membro rígido, ficando apenas de cueca. Ele apertou algumas vezes enquanto mordia os lábios.

^A última peça você tem de fazer merecer. Me mostra o que você tem de melhor^

Então as coisas iriam finalmente esquentar. Sorri e comecei a dar o meu melhor. Tirei o sutiã, exibindo os meus seios, eles já estavam bem rígidos a essa altura. Passei a mão por eles e então me aproximei mais da câmera para  ele poder ver melhor eu massageando os. Apertava toda aquela região carnuda e então ia em direção ao mamilo, fazendo movimentos circulares neles.

Não era mais possível segurar os gemidos, a minha respiração já estava arfante e eu suava. Chupei dois dedos, deixando os bem molhados e levei os em direção a minha intimidade, sem tirar a calcinha, ainda. Ela já estava bem úmida e eu não aguentava mais de tesão. Eu queria terminar logo aquilo, porém não queria começar a melhor parte sem que ele tomasse partido também. Que aliás estava fazendo um grande esforço para não arrancar a cueca, o peito dele subia e descia, devia estar com falta de ar também, sem falar que os lábios deles já estavam inchados de tanto que ele mordia.

Entre os gemidos baixinhos e a falta de ar que sentia, não aguentei e falei no microfone.

“Awn por que você tem que ser tão tímido?!”

Ele parou por um instante e se inclinou um pouco mais para frente.

“Okay, você ganhou.” O rapaz misterioso falou no microfone também.

Então ele se levantou e seu membro pulsante saltou quando abaixou a cueca com certa pressa. O menino caiu de volta na cadeira e começou a se masturbar com as mãos habilmente. Já eu também tirei a última peça e me posicionei com as pernas abertas para maior prazer possível.

Ele apertava a extremidade do seu membro enquanto eu brincava um pouco ao redor da minha intimidade. Foi quando ele começou um movimento repetidamente em si que eu penetrei dois dedos e quase tive um choque de êxtase. A minha mão deslizava pela minha vagina e apenas com a visão daquele corpo todo sarado e nu na minha frente me deixava mais molhada ainda.

Ele se levantou da cadeira abruptamente e começou a se masturbar com mais força. Os gemidos roucos dele se misturavam com os agudos meus, tudo isso enquanto nossas mãos faziam um belo trabalho. Eu apertava os meus mamilos e penetrava mais profundamente imaginando aquele homem dentro de mim.

Foi quando eu senti uma onda de prazer subir por todo o meu corpo, fazendo os meus gemidos crescerem a medida que chegava em meu ápice. Uma sensação de relaxamento veio, fazendo com que eu gozasse logo em seguida.

Enquanto eu continuava com movimentos leves e suaves para prolongar o prazer, vi ele ejacular e sujar-se um pouco. Ele caiu exausto na cadeira e jogou a cabeça para trás, arfando. Gotículas de suor escorriam pelo o seu pescoço e peito.

Eu definitivamente queria repetir a dose com ele, mas todos os meus pensamentos foram cortados assim que ouvi batidas frenéticas na minha porta.

“ANDA, VOCÊ VAI ATRASAR TODO MUNDO!” Minha mãe gritou do outro lado, tentando inutilmente abrir a porta trancada “O QUE VOCÊ ESTÁ FAZENDO QUE TANTO DEMORA?!”

Assustei-me um pouco, mas logo em seguida revirei os olhos. Comecei a me vestir apressadamente, quase chorando por não poder ao menos molhar o corpo. O menino ainda estava na câmera me observando.

^Você já vai? Vamos nos encontrar.^

^Adorei te conhecer lindo, quem sabe na próxima?^

^Espera, quando vai voltar?^

E então eu o bloqueei.

Ah qual é? Ele podia ser o deus grego que fosse, mas não ia ficar insistindo em figurinha repetida. Aliás, eu acho que ele viu mais do que devia. Então melhor mantê-lo afastado, mas não que eu não quisesse encontra-lo por ai mundo afora...

Terminei de me vestir e abri a porta.

“Pronto. Precisa gritar?!” falei para a minha mãe que estava bem puta comigo.

Fui junto com a minha irmã para escola e confesso que foi bem difícil andar até o portão da instituição logo após todo os acontecimentos anteriores. A minha perna ainda estava bamba de tão grande que foi orgasmo que eu senti.

Consegui chegar em segurança na sala e tive que aturar os comentários das minhas amigas santinhas sobre a minha blusa ‘pegue aqui’.

“Nossa, você quer chamar a atenção de quem, menina.”

“Se apenas olhar para os meus seios me incomoda, imagina pegar neles!”

“Bom se vocês já tivessem experimentado alguma coisa não estariam reclamando da camisa dos outros, suas virgenzonas.” Falei seca para cortar aquele assunto entediante.

“Uau como ela está de mau humor!”

Revirei os olhos para as brincadeirinhas delas e dei graças a deus quando a professora passou pela porta.

“Turma hoje nós temos uma novidade.”

Comecei a imaginar que seria mais um dos trabalhos sem noção dela quando um garoto novato entrou na sala logo em seguida.

“Um aluno novo!”

Ai meu deus....

Seria apenas mais um dia normal se o menino não estivesse com a mesma roupa que o cara com quem tive um sexo virtual!

Nossos olhares se encontraram e eu tive de respirar fundo para manter a compostura.

Calma... qualquer um pode ter um casaco quadriculado. É só mais uma coincidência.

Ele desviou o olhar e não pareceu se importar muito com a minha presença. Respirei aliviada, pois ele definitivamente não me conhecia.

“Pode se sentar e seja bem vindo, Jungkook.”

Ele caminhou na mesma fileira de cadeiras em que eu estava e sentou bem atrás de mim. O ar no meu pescoço estava pesado, mas eu já não estava mais dando a mínima para o novato.

Entretanto, foram duas palavras que conseguiram me tirar o chão.

“Bela camisa.”

 

Ah meu deus...


Notas Finais


kkkkk Se isso aqui atingir pelo menos uns 50 favoritos eu juro que faço um segundo capitulo.
Enfim, o que vocês acharam suas lindas?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...