História Video Game - Park Jimin - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin
Tags Bangtan Boys, Bts, Jimin, Milenanugget, Oneshot, Park Jimin, Projeto32
Visualizações 371
Palavras 1.601
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drabs, Ecchi, Hentai
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


oi rs

Capítulo 1 - Único.


Fanfic / Fanfiction Video Game - Park Jimin - Capítulo 1 - Único.

Era umas 20h quando cheguei em casa. Hoje o dia foi tão estressante e cheio de coisas pra fazer que eu só queria uma coisa: jogar vídeo game. Entrei em casa, tirei o sapato e acendi a luz. Andei até meu quarto e percebi que Jimin não havia chego ainda. Melhor ainda, a tevê da sala é toda minha. Na verdade, eu gostaria que Jimin estivesse aqui. Ele é um amor e sempre faz chás gostosos. 

Eu e Jimin somos amigos e dividimos um apartamento. Ele é um coreano lindo, devo admitir. Tenho sorte de chegar todo dia e o ver deitado no sofá sem camisa, com seu abdômen definido e seus cabelos levemente baguncados e ouvi-lo dizer "Oi noona!" quando passo pela sala. 

Temos um relacionamento aberto, onde nós pegamos, mas podemos pegar outras pessoas sem problemas. Ele não sente um pingo de ciúmes, já eu tenho que me segurar as vezes pra não dar uma de namorada ciumenta. Quando ele não chega antes, significa que saiu com os amigos ou foi encontrar alguém. 

Entrei no quarto, tirando todas as peças de roupas do meu corpo e fui tomar um banho quente rápido. Quando eu estou na sala (ainda mais jogando vídeo game) o Jimin nem exita, a sala é minha. Por isso que eu tenho que estar lá antes dele chegar. 

Terminado o banho, coloquei um pijama curto e larguinho, fui até a cozinha e peguei uma lata de batatas e fui até a sala, ligando o videogame e sentando no sofá com o controle na mão. Geralmente eu ficava jogando GTA, Mario Kart ou algo do tipo, nunca foi do tipo muito gamer que joga todos os jogos do mundo. O jogo iniciou-se, e eu joguei enquanto devorava a lata de batatas, até parecia uma adolescente. Cada curva do jogo, eu me jogava pro lado, parecia uma retardada. 

Park Jimin

Eu sai da empresa um pouco mais cedo, e os meninos me chamaram pra ir a um bar que eu gostava bastante aqui na cidade, não pude recusar. 

Espero que a noona não ligue de eu chegar um pouco tarde. Ela deve estar um pouco estressada por conta da suas provas na faculdade, o seu trabalho exaustivo, e chega em casa e vai direto pra cama ou pra sala assistir tevê ou jogar videogame. Tadinha. 
Sentei em uma das mesas do bar, com alguns amigos do serviço. Cervejas e drinques foram pedidos, mas prometi a mim mesmo que ia tomar só uma cerveja e pronto. 

A conversa fluía, junto com a música baixa que tocava no bar. Eu bebericava minha cerveja, observava o lugar e conversava com os meninos, até que Namjoon me fez uma pergunta. Eu nunca me dei muito bem com Namjoon, mas dei atenção a ele como fosse qualquer um que estivesse na mesa. 

- Jimin, como vai sua noona? -ele perguntou um pouco alterado do álcool. 

Todo mundo sabe que eu sou um idiota apaixonado pela minha noona que tem medo de pedir para fechar o relacionamento aberto. 

- Está bem -sorrio. 

- Você tomou coragem de a pedir em namoro? -Jungkook, o maknae do nosso grupo de amigos perguntou baixinho. 

- Ainda não kook... -suspirei. 

- Meu Deus Jimin, para de ser frouxo! -Yoongi resmungou já bêbado. 

- Nunca nem fodeu ela? -Namjoon perguntou e eu neguei com a cabeça, fazendo o mesmo rir fraco. 

É. A gente nunca transou. Não me falta vontade, pra ser sincero, mas, pra parar pra pensar, quando nossos beijos esquentavam, ou eu parava com alguma desculpa mentirosa ou algo atrapalhava. Yoongi tem toda razão: eu sou um frouxo. Eu morro de prazeres por ela, mas nunca tomo uma iniciativa.

Suspirei, e decidi que hoje eu vou fazer o que ela quiser. Deixar fluir até ver no que dá. 

- Gente, não to me sentindo muito bem, eu vou pra casa... -Disse, me levantando e me despedindo, e saindo do bar. 

O bar não ficava muito longe de casa, então andei rápido até em casa. Chegando lá, eu tirei os sapatos e entrei. Ela estava no sofá, de pijama e jogando videogame, como eu imaginei. 

- Oi noona! -me aproximei dela, olhando o jogo que ela estava jogando. 

- Oi. -ela disse fixada no jogo. 

- Tudo bem? -me aproximei dela e dei um beijo em sua bochecha. 

- Você bebeu cerveja né? - Ainda atenta no jogo, ela nem olhava pra mim.

- Sim, nós fomos no bar quando saímos do serviço. -Eu falei, sentando do seu lado.

- Vai tomar um banho que você tá cheirando a alcool. -Ela falou sem dar a mínima pra mim, toda concentrada no jogo.

Ri fraco e fui pro banho. terminei rápido e vesti apenas um shorts de pano. Hoje eu quero a provocar ao máximo. Sento do seu lado e passo a mão em suas grandes coxas, sentindo ela se arrepiar e quase errar uma curva no jogo.

- O que você quer Minnie? -Ela perguntou, ainda atenta no jogo.

- Noona... Eu quero atenção... -Falo e acaricio o meio das coxas dela, indo mais pra cima um pouco.

- A-atenção...? -Ela gaguejou, arrepiando cada vez mais.

- Sim noona, eu tô muito carente hoje... -Faço carinho na barriga dela por baixo da blusa do pijama e ela arfa baixinho.

- Só mais uma partida minnie... -Ela falou num fio de voz.

- Ah, mas eu queria tanto sua atenção... -Beijei seu pescoço de novo. 

Fui deixando chupões em seu pescoço, e descendo a mão pra dentro de sua calcinha. Passei o dedo entre seus lábios vaginais, e ela estremeceu, quase deixando o controle do videogame cair. 

Comecei a masturbar ela lentamente, vendo que ela estava arfando e errando tudo no jogo do videogame. Ela pausou o jogo que rodava no videogame com o controle, e jogou o mesmo no outro sofá, fazendo com que ele quase caisse no chão, porém ignorou completamente isso, vindo pro meu colo e me beijando ferozmente. Alisava e apertava seu corpo entre o beijo, e ela arfava baixo, rebolando em meu colo. Suspirei e parei o beijo mordendo seu lábio carnudo. 

- Noona... Eu te desejo tanto... -falei e mordi seu pescoço. 

- A-ah minnie, eu também... -ela gemeu baixo, rebolando em meu colo, fazendo-me arfar. 

Voltamos a nos beijar ferozmente, ela forçava seu quadril contra meu colo, onde os dois sexos se chocavam, fazendo ambos arfarem entre o beijo. 

Levei minhas mãos para sua cintura, porém dentro da blusa. Seus peitos não muito fartos não estavam cobertos pelo sutiã, o que só adiantou meu lado. Fiz carinho neles, apertando e puxando os mamilos durinhos, fazendo a mais velha gemer baixo. 

A deitei no extenso sofá da sala, puxando seu shorts pra baixo, juntamente da pequena calcinha que vestia. Noona sempre usou calcinhas pequenas e provocantes, dava pra notar das roupas dela, aquilo me deixava louco. 

Eu passei o dedo em sua intimidade, e ela estremeceu. Sorri com o ato e comecei a estimular seu clitóris bem devagar, observando ela suspirar e morder seu lábio. 

- Tão molhadinha... -mordo meu labio e afasto mais ainda, deixando um beijo em seu ventre e começando a passar a língua por sua intimidade gordinha. 

Comecei a lamber e a chupar seus grandes lábios, fazendo a noona gemer baixo e agarrar o encosto do sofá. Parti pro seu clitóris, dando uma sucção forte e o soltando com força, logo voltei a mamar seu pequeno pontinho. A mesma se contorceu toda, e soltou um gemido alto quando penetrei um de meus dedos gordinhos em sua entrada, que estava muito úmida. Sorri e voltei a chupar seu pontinho com força e vontade, enquanto penetrava meu dedo em sua intimidade. 

Ao sentir que ela ia gozar, parei, fazendo a mesma me olhar um pouco confusa e descabelada. 

- Quero que goze em meu pau, amor. -disse rouco, me livrando da bermuda que estava, fazendo minha ereção pular. 

Ela olhou meu membro completamente ereto e molhadinho de pré-gozo. cuspi em minha mão e espalhei minha saliva pelo meu membro, fazendo uma masturbação lenta e me tirando gemidos involuntários. 

Segurei uma de suas pernas pra cima e penetrei meu membro em sua intimidade lentamente, ela gemeu baixo. Eu já sabia que noona não era mais virgem, apenas sensível. Desci um pouquinho até ela e a beijei, mordendo seu lábio e penetrando devagar. Ela gemia baixo e abafado entre o beijo. 

Continuei a estocando, dessa vez mais rápido. Seus gemidos finos e roucos entravam pelos meus ouvidos e só me deixavam com mais tesão ainda. 

Gemi rouco e baixo, aumentando a velocidade da penetração. Os peitos da noona balançando enquanto a penetro poderia ser a melhor visão que eu veria hoje. 

Levei meu dedo até o clitóris da noona, ainda penetrando bem rápido, e o massageei rapidamente. Ela gemeu alto e tremeu, quando senti seu melzinho envolver meu pau. Ela havia gozado. Retirei meu membro de sua intimidade e ela se sentou no sofá, segurando meu membro e o masturbando rápido. Eu gemia rouco, sentindo o orgasmo próximo. 

Começou a chupar só a cabecinha e a masturbar o resto, até que gozei em seu rosto gemendo arrastado, enquanto o líquido escorria lentamente pelo belo rosto da noona.

Ela sorriu, vendo-me ofegante. Passou meu membro em seu rosto, onde estava o líquido e chupou novamente, provando de meu líquido e limpando seu rosto, também me tirando outro gemido baixo. 

Deitei com ela no sofá, ofegante e levemente suado. Olhei pra ela que me encarava e fazia carinho em meu peito. 

- Que tal um round 2? -ela sussurrou em meu ouvido, e riu maliciosa

 


Notas Finais


eita caraio
gostaram?
quero a opinião de vocês nos comentarios
amo v6


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...