História ViewFinder - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Rap Monster, Suga
Tags Bts, Gangster, Jimin, Jin, Minjoon, Namjoon, Rap Monster, Seokjin, Suga, Viewfinder, Yaoi, Yoongi
Exibições 66
Palavras 1.886
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


ALO ALO ALO VOCES SABEM QUEM SOU EU?
PRIMEIRAMENTE, EU QUERIA AGRADECER AOS FAVS DE TODO MUNDO ACHEI QUE NINGUEM IA LE, ENTAO MT OBROGADO DE CORACAO AMO VCS.
POIS EEEEEEE GALERO, VOCES PEDIRAM PARA EU CONTINUAR E EU AMEI TANTO ESCREVER ESSA BELEZINHA, QUE CA ESTOU EU REALIZANDO O DESEJO DE VOCES.... ESPERO QUE VOCES GOSTEM CLARO.
QUERIDA AGRADECER A LINDA DA @missrightx QUE ME AJUDOU A BETAR O CAPITULO PRA VOCES, SUA LINDA TE AMA ❤

SEM MAIS DELONGAS, BOA LEITURA ESPERO QUE GOSTEM SEUS LINDOS.

Capítulo 2 - Quando acordei...


Depois daquela noite de sexo incrível, Park não aguentou e acabou se entregando ao cansaço que consumava seu corpo, e adormeceu. Logo depois, ao acordar, a primeira coisa que viu, quando abriu os olhos, foi a claridade invadindo sua vista, de repente lembrou da noite anterior de puro prazer com o mafioso. Seu coração gelou.  

 

 

Onde estava? 

 

 

Estava morto? 

 

 

Não reconhecia o lugar onde se encontrava, não era seu apartamento. Que lugar era aquele? Além de ser submetido a uma noite de prazer com um mafioso sádico, fora raptado. "Muita sorte para uma pessoa só", pensou Jimin. 

 

 

Se levantou, mas fora impedido pois sentiu uma dor forte na sua bunda, resolveu então ficar sentado e tentar pensar em alguma coisa. Enquanto pensava, foi analisando o local onde estava. Era um apartamento de luxo, com uma cama grande de casal com lençóis de pura seda, em um andar muito alto, com uma vista panorâmica de tirar o fôlego. Quando finalmente conseguiu se levantar, andou até a porta para tentar abrir, mas a mesma estava trancada, já esperava por isso. Notou um vento frio invadindo o quarto, indo direto em seu corpo que só agora, devido ao vento frio que lhe atingiu, percebeu estar sem roupas, corou por um momento indo atrás de suas roupas as quais logo as avistou no sofá que havia na frente da cama. 

 

 

Terminando de vestir sua cueca boxer preta, ouviu um barulho de uma porta sendo destrancada, se assustou e virou-se na direção de onde veio o barulho. E, então, o viu. Kim Namjoon estava na sua frente novamente. Seu corpo inteiro pareceu fraquejar quando seus olhos se encontraram com os olhos do mafioso sádico – que noite passada havia lhe tomado para si. 

 

 

O mais velho, percebendo a atitude do fotógrafo, resolveu se aproximar para o provocar em suas reações. Não foi preciso muito esforço para que Jimin sentisse seu rosto inteiro tomar um tom avermelhado e sentir suas bochechas ferverem devido a aproximação repentina do Kim. 

 

 

Seu corpo tinha reações inesperadas, sentia seu baixo ventre formigar; como se pedisse por mais contato. Era incontrolável e forte. Além de ter tido relações forçadas com esse sádico, ainda tinha que aguentar suas provocações e gostar disso ao mesmo tempo em que odiava saber que estava gostando. 

 

 

Sim, muito confuso até para Jimin essa coisa toda, era tudo muito novo. Ele não era nenhum santo, mas era preservado e procurava sempre focar em sua carreira do que sua vida pessoal; nunca fora um jovem de muitos relacionamentos – apesar de chamar atenção devido a sua beleza única. Seus cabelos pretos, que contrastavam com sua pele branca, e sua boca um tanto carnuda num tom rosado, chamavam demasiada atenção para si. Mas, Jimin nunca fora uma pessoa de se relacionar com os outros. Todos que chegavam perto dele, era apenas por ser um homem de beleza única e nunca por envolver sentimentos – por causa disso, se fechou para todo e qualquer tipo de relacionamento. Porém, o que acontecerá ontem, fora inexplicável. Nunca havia sentindo um prazer daquele jeito antes. As sensações que seu corpo produzia, apenas por sentir o olhar do mais velho em si, eram anormais. Apenas um olhar já lhe causava todo aquele alvoroço. 

 

 

O que, de fato, seria isso que estava sentindo? 

 

 

E, então, seus pensamentos foram interrompidos pela voz grave de Namjoon. 

 

 

– É melhor você vestir algo. – dizia, com um olhar provocativo e cheio de intenções. 

 

 

Jimin correu atrás de suas roupas e logo vestiu sua calça. A dor que sentia em sua bunda era horrível, não só em sua bunda, mas pelo corpo inteiro. Estava dolorido, marcado, a culpa era desse gângster desgraçado. 

 

 

Tomando coragem resolveu falar. 

 

– Porque não me matou? - percebendo que o Kim segurava sua blusa.

 

– Ora, ora. Qual seria a graça em lhe matar, se você me proporcionou tanto prazer em uma noite? - disse o mafioso enquanto jogava a blusa de Jimin longe.

 

O frio que sentiu na barriga, quando o mais velho havia pronunciado aquelas palavras, lhe atingiu em cheio. Nunca mais poderia sair dali, seria seu prisioneiro para sempre! Eram tantas as dúvidas que se passavam pela cabeça do mais novo, que não reparou quando o Kim havia chegado a sua frente, e agora pegava em sua cintura e a segurava com força, o puxando para mais perto de si. Suas respirações estavam muito próximas, as testas coladas e os narizes de ambos raspando um no outro. Jimin estava sem reação, queria tanto aquilo, mas era errado, não havia sentimento ali, ele fora obrigado a fazer sexo com o gângster. Com uma imensa força – que não sabia que existia –, se afastou do mais velho. 

 

 

– Fique longe de mim. Não ouse me tocar de novo. – Park falava com a respiração descompensada. 

 

 

Namjoon ficara surpreso pela atitude repentina do mais novo ali, porém não mostrou tal expressão em seu rosto. Uma reação normal depois do que aconteceu noite passada, o medo e desconforto pela aquela situação no olhar de Jimin era visível – depois de proferir tais palavras –, ele tinha razão por se sentir assim. A noite passada não passou de uma diversão para o Kim, então porque estava mantendo o Park preso? 

 

 

Tirando o fato de que o mais novo havia fotografado seu encontro com Min Yoongi, poderia saber demasiado sobre isso, melhor assim. Mas, matar seria uma ótima opção, simples e eficaz, algo nele deixava o Kim interessado. "Ele fez meu coração bater como se eu estivesse caçando um animal selvagem… eu acho que quero brincar com ele um pouco mais… vai ser divertido." Pensou, achando graça. 

 

 

– Você é muito fofo. Quando vejo um garoto tão audacioso e sensível como você, eu tenho vontade de tortura-lo. 

 

 

Se aproximando, Namjoon segurou os braços de Jimin, o atracando na parede do quarto em que estavam; o impacto da parede gelada – com as costas nuas do menor –, o fez arfar devido a sensação gélida que tomou aquela região de seu corpo. Com as mãos erguidas e presas pelas do mais velho contra a parede, a respiração quente do mais velho se fez presente nos mamilos de Jimin, o fazendo estremecer por inteiro.  

 

 

Percebendo onde Namjoon queria chegar com aquelas carícias, foi tentando se debater contra o mais velho, gritando com ele para se afastar dele. Mas tudo isso, só serviu para deixar o mesmo com mais vontade de fazer o que planejava. 

 

 

– Hmph, você é realmente adorável. Vamos nos divertir um pouco agora, sim. 

 

 

 

Após pronunciar tais palavras, Namjoon atacou o pescoço do menor, dando mordidas e chupões por toda aquela parte. Vezes ou outra, intercalava entre lamber e mordiscar o lóbulo de Jimin, sua mão apertava cada vez mais as mãos do mais novo, com a mão livre; aproveitou para invadir a pele por baixo da blusa do garoto ali, indo de encontro aos mamilos duros e rijos do menor. Logo apertando um deles, foi possível escutar o gemido abafado que o jovem segurava. Aquilo só incentivou o Kim ao que queria. Tirando suas mãos do mamilo de Jimin, foi descendo a mão até chegar ao cós da calça do moreno, sentindo que esta não estava abotoada, já invadiu a cueca do mesmo, apertando o membro já duro e com respingos de pré gozo. 

 

 

– Mas já está duro para alguém que não queria o meu contato. Está rápido demais. 

 

O aperto no membro de Jimin fez com que o mesmo soltasse um gemido arrastado e sôfrego. 

 

 

– Hmmm, Nam... Namj... Namjoon, pare,por favor. 

 

 

Aquilo foi o limite para o Kim, sua mão apertou ainda mais o membro do menor e começou, ali, uma masturbação rápida e certeira. Os movimentos de sobe e desce levavam Jimin a loucura. Tomando uma velocidade maior, este apertava a glande e a segurava e voltava com aqueles movimentos. Não demorou muito para que Jimin sentisse seu orgasmo chegar. Então, Namjoon largou as mãos do mais novo, e abandonou o membro do menor, para virar o mais novo de costas para a parede e, assim, aproximar os lábios da orelha do menor. Dizendo: 

 

– Jimin, não se esqueça que a dor que eu te dou é a dor do prazer. 

 

 

Após tais palavras, saiu do quarto. Deixando o mais novo, que logo após ser solto pelo Kim caiu devido ao movimento súbito. Havia sido deixado sozinho de pau duro pelo mais velho. Seu ódio pelo Kim só aumentava. 

 

 

– Eu te odeio, Namjoon. – murmurou.

 

*** 

 

 

 

Três dias após seu sumiço, os homens de Kim Namjoon largaram Jimin em frente ao seu local de trabalho. Depois de um tempo, ele acordou de seus pensamentos, quando ouviu um barulho de passos. Além de ouvir passos, acabou ouvindo vozes desconhecidas por ele. Se aproximando para ouvi-las melhor, constatou que uma delas era a de seu informante e detetive, Seokjin. Estranhou de imediato, mas decidiu saber que rumo essa conversa com estranhos tomaria.  

 

 

– Não é questão de sermos descobertos ou não. Jimin não sabe de nada. Vamos, pode confiar em mim. Eu assumo a culpa se algo der errado. – dizia Seokjin. 

 

 

– Se aquele maldito Namjoon estiver envolvido, seremos obrigados a nos mudar. Foi um bom plano usar o garoto. 

 

 

– Em primeiro lugar, quem você acha que te dá permissão de negociar nesta cidade? Não estamos aqui para fofocar. Foco no trabalho! 

 

 

Rápido demais, Jimin parecia digerir toda aquela informação. 

 

 

– Ehhh, isso é meu! Que bom que isto continua aqui. - comentou Jimin, ao encontrar uma câmera sua deixada em seu local de trabalho.

 

 

– Ji... Jimin. – disse Seokjin, em um sobressalto. – O que você está fazendo aqui?  

 

 

Você ficou sumido por três dias, estava preocupado... 

 

 

– Oh, me desculpe por isso. Mas não se preocupe, ainda estou vivo. – dizia Jimin simplista. 

 

 

– Jiminie… Você foi sequestrado pelo Namjoon? 

 

 

– Seokjin Hyung! Eu confio em você. E sei que não há nada a ser feito sobre seu envolvimento com aquela gente. Eu não direi a ninguém, certo? 

 

 

– … 

 

 

– Quer dizer, você sempre cuidou de mim, desde que eu era uma criança, e… 

 

 

– Jimin, isso não é nenhum jogo. – disse Seokjin, apontando uma arma em direção a Jimin. 

 

 

– Seok... Seokjin… – sentiu seu corpo sendo atirado ao chão, então ouviu o barulho de um disparo de uma arma, sua cabeça estava atordoada. 

 

 

“O que aconteceu?”, pensou. 

 

 

– Eu comprei os direitos do seu grupo, é o fim. – a voz de Namjoon se fez presente. Proferindo tais palavras, após ter disparado contra Seokjin. 

 

 

"Não é raro para um detetive se aliar com gângsteres. Sim, meu informante era detetive por isso tínhamos tantas informações das gangues. Parece que o detetive sofreu as consequências de dar apoio a uma gangue concorrente de Namjoon. Você estava apenas sendo usado." pensou Jimin, em meio a lágrimas. 

 

 

– Eu confiava nele… como ele pôde…? 

 

 

– Bom, eu não sei se ele ia ou não puxar o gatilho. Mas, eu sei como isso seria duro com uma criança… – disse o Kim, simplista, bagunçando os cabelos de Jimin. 

 

 

– Do que raios você está falando? – perguntou. – Você também usa as pessoas. E eu não chamaria de gesto pacífico "atirar num tira". 

 

 

– …. 

 

 

– E sobre antes, não pense que você poderá me usar quando quiser. Eu nunca vou te perdoar pelo que você me faz passar. Quando eu te pegar te deixarei em picadinhos. – dizia Jimin ríspido. 

 

 

– Estou esperando ansiosamente por isso, talvez não seja tão ruim estar na sua mira.– completou Namjoon, com um sorriso ladino. 


Notas Finais


ENTAAAAAO GALERO O QUE VOCES ACHARAM? COMENTEM POR FAVOR OS COMENTARIOS DE VOCES SAO MUITO IMPORTANTES PRA MIM...

DEVO CONTINUAR OU NAO? ESTA MUITO RUIM?


BEIJOS DA BRUBS


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...