História VII Lagartos - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Visualizações 7
Palavras 1.023
Terminada Não
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


O Darius é pica

Capítulo 2 - Os Valentinhos de Valentim


No dia 28 de Junho, numa noite fria em baixo da lua nova, nascia Irineu Lyon, na maternidade de Apoena. Um menino saudável, filho de um guerreiro com uma bruxa. 

Seu pai era muito popular em Valentim, aonde morava com sua família. A família Lyon era uma das mais antigas do vilarejo, um dos tios de Irineu era forte candidato a rei.

Sua mãe chamava atenção por fazer doces deliciosos e vender. As crianças a amavam, mesmo sabendo que era uma bruxa. As mulheres de sua família eram conhecidas por serem loucas que dominam o fogo.

Quando Irineu fez cinco anos, sua vó, uma das Sacerdotisas anciãs o batizou com um apelido.

- Irineu Lyon é um nome horrível - disse a idosa ao menino - vou te chamar agora de Juju. 

- Juju? Não vó, não gostei. - respondeu Irineu. 

Mas como é de lei, os apelidos que ficam são aqueles que odiamos. Irineu era agora chamado de Juju.

Cresceu em Valentim, que se localizava ao leste de Santiago da espada e ao norte de Andrea Doria. Esses três povos eram conhecidos como "Os alpinistas", por serem os mais próximos da serra. 

O povo de Valentim tinha uma antiga rivalidade com Santiago da espada, que era conhecida por ter os melhores lutadores da Vila dos lagartos.

Algumas vezes por ano, os mais fortes se reuniam pra lutar na arena que havia em Andrea Doria. Um evento cultural dos alpinistas, porém não era proibida a participação de pessoas de outro povoado. Quem morava em Valentim, era chamado de valente muitas vezes de maneira irônica por seus rivais. 

A população de Andrea Doria era passiva e não gostava de intrigas, somente de assisti-las, por isso construíram uma arena em sua praça.

Aos nove anos, Irineu ganhou uma irmãzinha, batizada de Cornélia. A bebê mostrava grande poder de fogo desde o berço, que foi totalmente incinerado por ela com menos de uma semana de vida. Juju nessa época tinha construído sua própria espada de madeira e treinava junto com seu amigo Dark. O qual morria de inveja do apelido. 

- Isso é injusto! Eu também queria um nome legal assim! 

- Hahahaha! - ria Dark - problema seu, Irineu!

Dark, cujo nome verdadeiro era Jean Paul, tinha a mesma idade de Irineu, porém era mais forte fisicamente, Juju compensava isso sendo mais inteligente. Os dois brincavam e treinavam com suas espadas até o anoitecer. Eram grandes fãs da arena de Andrea Doria.

Um dia, um dos combates da arena acabou em assassinato. Um homem de Valentim acabou matando outro de Santiago da espada, apenas acertando socos consecutivos em sua cabeça. Desde então, a arena foi proibida pelos reis alpinistas. O lutador ganhou o nome de Punho da morte e foi proibido de sair de Valentim. 

Os reis desejavam que somente eles pudessem tirar a vida de alguém, então concordaram em assassinar o Punho da morte, caso ele saísse de sua terra natal. 

Aos doze anos, Irineu brincava na floresta do lago de Valentim com seus amigos, quando encontrou um animal estranho. Um gatinho branco, que soltava pequenas labaredas de fogo de seus olhos e patas. Parecia ser completamente indefeso por ser minúsculo, tinha pouco mais de seis centímetros. 

- Se a gente comer ele, será que vamos conseguir cuspir fogo pela boca? - Perguntou Dark. 

- Provavelmente não - respondeu Juju - ele é fofo, acho que não conseguiria comer um bicho assim. 

- Amanhã é aniversário da sua irmã né? Leva de presente pra ela. 

- Claro, por que não? 

Irineu levou a criatura pra casa e no dia seguinte a deu de presente para sua amada irmãzinha. Cornelia amou o peculiar bichinho de estimação, que agora era chamado de Ângelo. 

Com quinze anos, já havia se juntado ao pequeno grupo de amigos de Jean Paul. Eram conhecidos por serem os pequenos arruaceiros da região, os "Valentinhos de Valentim", como eram zombados pelos adultos. Ganharam esse nome por não terem medo de desafiar ninguém, por mais fracos que fossem. Cinco meninos que faziam o que queriam com o mundo ao seu redor. 

Jean Paul Chevalier II (Dark), era o líder, por ser o cabeça do grupo e adorar arrumar brigas com os garotos de Santiago da espada. Sua especialidade eram os chutes e sua espada de madeira. Sua mãe era uma sacerdotisa e o ensinou algumas técnicas medicinais.

Ramon Lyon, primo de Irineu, era como a sombra do grupo. Quase sempre ausente. Assim como Irineu, foi incentivado desde muito novo a ser um guerreiro como os outros homens da família, porém Ramon achava a magia fascinante e se apaixonou pela eletricidade. Sua especialidade era justamente essa, era um jovem mago elétrico.

Rafael Pardal, vulgo "Passarinho", por causa de seu sobrenome. Era um garoto negro, filho de uma humilde empregada que trabalhava na residência da família de demônios mais influente de Valentim; Tician. Um garoto discreto e com muita facilidade de se aproximar sem ser visto, grande talento para ser um ladrão ou assassino, porém, Rafael preferia se ocupar com plantas. 

Darius Brandão, a arma secreta do grupo. Sua casa fica no meio da floresta, aonde aprendeu a caçar e a sobreviver com sua família. Sempre carrega consigo uma machadinha amolada, um arco e algumas flechas. De longe a criança mais perigosa de Valentim. Além de ser aprendiz do Punho da morte, Darius também era conhecido por ter uma linda e perigosa loba negra de olhos brancos, Diana, que o acompanhava e o protegia desde seu nascimento.

E por último, Irineu Lyon (Juju). Um rapaz tranquilo e de bem com a vida. Seu pai era um grande guerreiro da família Lyon. Foi treinado desde criança para se tornar um guerreiro, porém, Irineu era mais interessado em magia. Foi crescendo e passando cada vez mais tempo com sua mãe, aprendendo sobre o fogo e como o manipular. Sua especialidade era o combate corpo a corpo. Juntava o treinamento de seus tios com a magia de fogo de sua mãe e cobria seus punhos de fogo quando tinha que lutar sério. O que quase nunca acontecia, pois era extremamente calmo, além de ter uma índole bastante infantil. 


Notas Finais


Um típico grupinho de marginais, como corvos solitários pegando a visão do mundo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...