História Violet Stars - Capítulo 4


Escrita por: ~ e ~CoRuJa0102

Postado
Categorias Originais
Visualizações 4
Palavras 1.138
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Escolar, Fantasia, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


façam uma boa leitura hihi ><

Capítulo 4 - Feridas do passado


Fanfic / Fanfiction Violet Stars - Capítulo 4 - Feridas do passado

Por mais que o melhor seja eu descansar para amanhã dar o meu melhor, eu simplesmente não consigo, isso deve estar acontecendo porque eu já descansei a tarde toda, como Victor espera que eu consiga descansar novamente? Eu já devo estar rodando na minha cama de um lado para o outro a algumas boas horas, e o ruim disso é porque esse é o melhor horário para começarmos a criar paranoias, e comigo isso não é diferente.

Hoje o dia foi realmente estranho, na verdade estranho chega a ser pouco, e eu não consigo parar de me culpar por não me lembrar de Samy, eu realmente sou uma das piores amigas do mundo, e além disso, deve ter sido difícil para Victor me olhar e ver que não me recordava de nada, eu sei que não tenho culpa nisso, mas eu não consigo deixar de me culpar por causa disso. Eu só quero que esse dia finalize logo, além disso, o que aquele tal de Nathan quis dizer com “talvez a lição que meu pai deu em sua família não tenha sido o suficiente”, eu estou confusa sobre tudo, e isso me irrita de mais.

Não dá mais, não aguento mais ficar na minha cama e deixar minha mente me consumir, me dirijo para sala e lá me deparo com uma grande surpresa, Victor está sentado em uma das poltronas, logo que eu o avisto digo:

- Olha só quem está aqui acordado em, não conseguiu dormir também?

- Não exatamente...

- Como assim?

- Bom, eu não gosto muito de dormir porque sempre tenho o maldito pesadelo daquele momento...

- Victor, me conte o que aconteceu com Samy.

- Eu não sei se quero falar sobre isso Agnes.

- Me conte por favor, ela era uma importante amiga para mim.

- Como você pode dizer isso se você nem se lembrava dela? – Diz ele com um meio tom alterado.

- Eu sei que não tenho o direito de saber, ainda mais depois de ter esquecido tudo sobre ela e mesmo agora me lembrar de tão pouca coisa, mas ainda assim eu sinto, e sinto muito, e eu consigo me lembrar nitidamente do último dia em que nos vimos – digo enquanto seguro as lagrimas em meu rosto, afinal, o que ele disse acabou me machucando um pouco.

- Me desculpe Agnes, mas eu não quero falar sobre isso – diz ele enquanto aos poucos vai saindo do meu campo de visão.

Meu coração dói e as lagrimas caem sobre meu rosto, talvez eu tenha forçado um pouco a barra com ele, mas mesmo assim, eu acho que ainda tenho o direito de saber o que aconteceu com Samy. Eu estou realmente mal pelo o que aconteceu, vou para o meu quarto e deito em minha cama, não sei nem descrever como me sinto, eu só sei que depois de algumas boas horas chorando eu finalmente adormeci.

Eu estou novamente tendo esse pesadelo, mas agora é diferente a sensação, eu sei que quem está sendo morta é a Samy, eu não quero sonhar com isso, mas diferente de todas as vezes que eu acordava logo no momento em que ela morria, isso não ocorreu, eu continuei sonhando, mas agora algo me parecia diferente, eu acho que estou vendo momento antes dela ter sido morta. Eu consigo ver um garoto de cabelos castanhos escuro, aquele ali com certeza é Victor, ele era realmente uma gracinha quando menor, bem, ele ainda é, mas esse não é o caso. Ele está brincando com Samy, mas parece que tem algo errado, pois ele está com uma cara triste, o que será que pode ter acontecido? Tudo está normal no meu sonho, até que uma mulher aparece e apunha-la Samy, mas porque ela está fazendo isso? 

Meu despertador toca e eu acabo despertando, acordo com meus olhos pesados, afinal eu chorei a noite toda, me sinto péssima, mas não me surpreendo, afinal, aquele sonho conseguiu me machucar muito. De qualquer forma, agora já foi não é mesmo? Acho que eventualmente eu descubro direito o que realmente aconteceu, por hora vou fazer minhas higienes matinais e me preparar para o teste, afinal, hoje é grande dia. Assim que me preparei me dirigi a cozinha, ao chegar lá descobri que Charlotte que iria me acompanhar dessa vez para a escola em ao invés do Victor, talvez ele esteja tentando me evitar por causa do ocorrido de ontem, eu realmente sou uma tola, olha só o que eu fiz.

E assim foi, cada passo que eu dava mais e mais meu frio na barriga aumentava, como será que me sairei? Ao chegar lá me levaram a um local que mais parecia um campo de futebol, a ideia parecia ser a mesma, porem no centro dela tinha algo parecido com um computador.

- Sejam bem-vindos, aqui é onde iniciaremos o nosso teste, bem, vou explicar somente uma vez então prestem atenção, o que vocês estão vendo no meio da nossa sala é onde vai ocorrer tudo, ira ir um por vez e os computadores farão uma simulação de um cérebro, e vocês irão derrota-los da forma que bem entender, o uso de armas é permitido, porém para saber em qual classe vocês irão cair vocês deverão usar suas habilidades, boa sorte para vocês – diz uma mulher, provavelmente alguma professora dessa academia.

Eu estou ferrada, eu não faço mínima ideia de como usar minhas habilidades

Nesse momento alguém coloca a mão sobre meu ombro e logo em seguida uma voz gentil surge

- Acalme-se moça, vai dar tudo certo, eu me chamo Yumi e você?

“Ela era realmente muito fofa, tinha cabelos loiros e deveria ter menos que 1,55m. “

- Eu me chamo Agnes, e sinceramente não tem como eu me acalmar nesse momento, eu estou ferrada!

- Porque diz isso? – diz ela com uma cara meio confusa.

- Eu não sei usar minhas habilidades, na verdade não faço mínima ideia de como fazer isso, quando me disseram que eu ia fazer um teste eu imaginei que seria folha e papel.

Nesse momento chamaram meu nome para ir ao centro da sala, meu coração gelou, não conseguia me mover.

- Agnes, a primeira coisa que você aprende quando vai invocar sua habilidade pela primeira vez é que você precisa acreditar no poder que você tem, se você não conseguir se visualizar a usando, aí mesmo que você não conseguira, agora vá, pois, eles odeiam que demorem para ir.

E assim foi, me dirigi para o centro da sala, cada passo parecia uma eternidade para mim, ao chegar lá me passaram todas instruções e perguntaram se eu gostaria de levar alguma arma, por sorte eu sei usar espada e peguei uma katana que ele tinham, pude ver meu cenário mudar pois tudo aquilo era uma simulação, é agora ou nada.


Notas Finais


aaaaaa


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...