História Violetta: Descobrindo o Amor - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Violetta
Personagens Diego, Francesca Cauviglia, Germán Castillo, Lara, León Vargas, Ludmila Ferro, Olga Peña, Tomás Heredia, Violetta Castillo
Tags Leonetta, Violetta
Exibições 19
Palavras 1.755
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Festa, Ficção
Avisos: Álcool, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Comentários são bem vindos <3
amo vocês.

Capítulo 3 - Capítulo 3 - Surf?


Fanfic / Fanfiction Violetta: Descobrindo o Amor - Capítulo 3 - Capítulo 3 - Surf?


Povs Tomás 


A tal garota chamada Violetta me chamou atenção, mal sabe ela que não serei esse homem que ela pensa que sou. 
Estava na brisa, em meus pensamentos quando meu celular toca.. 


Ligações On 


- Tomás? - uma voz conhecida ligava - Tomás? 


- Lara? - perguntei ainda em dúvida 


- Oi meu amor. - disse Lara - Não tem meu número ai não? 


- Nem olhei o visor do celular - respondi - O que quer? 


- Estou indo até o Japão. - dizia Lara - Já estou com saudades


- Não, nem vem. - falei - Vou precisar de um favor seu aí. 


- Aqui em São Paulo não tem nada a se fazer sem você aqui. - dizia Lara resmungando - Já arrumou outra aí não é? 


- Claro que não. Preciso de você aí. - respondi - Só que não em São Paulo, no Rio de Janeiro. 


- No Rio? - ela perguntou não entendendo - O que quer que eu faça no Rio?

 
- Eu te falo depois meu amor. - respondi - Olha, te pago a hospedagem, avião, o que quiser..


- E quer que eu vou quando? 


- Eu te aviso. - falei com um pouco de suspense na voz - Eu te aviso.. 


- Ok, deixa eu ir então. - dizia Lara desligando - Beijos, te amo. 


- Beijos. 


Ligações Off 


Vou precisar muito de você Lara.. 


Povs Violetta 


Assim que terminei de tomar meu banho, mandei mensagem ao Tomás que logo me respondeu. Me arrumei rapidamente e antes de sair de casa fui ver se tinha mensagem do meu pai ou de León, e, infelizmente nada.. Logo fui até o lugar que marquei com Tomás. 
Em menos de 10 minutos o encontrei sentado em um banco. 


- Seu hotel é aqui por perto? - Tomás se levantou e me perguntou assim que me viu 


- Sim. - respondi o cumprimentando - E aí vamos até o curso ou conhecer Japão? 


- Esqueci meu papel no hotel. - dizia Tomás - E pelo que eu vi, tinha que levar.


- Ah então vamos conhecer Japão. - disse o olhando - Também esqueci o meu. 


E lá fomos nós.. Conversando, se conhecendo um ao outro.. e conhecendo Japão. 

(no Brasil) 


Povs León 


Diversão, farra, balada.. É isso o que quero a partir de hoje. 
Acordei animado, mas não quis demonstrar à minha família, até minha irmã decidir encher o saco durante a madrugada..


- León, abre a porta. - Ludmila batia na porta do lado de fora 


- O que você quer? - perguntei indo até a porta 


- Conversar com você. - dizia assim que eu abri - Se reanima.. 


- Não preciso conversar com você. - falei voltando pra cama - O que quer? 


- Você tem que superar. - disse Ludmila sentando ao meu lado - Vai León. 


- PARA, TA LEGAL? - acabei alterando o tom de voz com ela - Por que acha que eu estou mal? Eu não estou! 


- Para de gritar! - disse Ludmila - Papai, vovó e vovô estão dormindo. 


- Você começou gritando na porta. - respondi indo fechar a porta - Eu estou bem. 


- Fui beber água, passei por seu quarto e te escutei falando com a Vilu, na verdade vi você meio que gritando com ela. 


- E você acha que estou mal por causa da Violetta? - perguntei cruzando os braços - Por favor né Ludmi, me respeita. 


- Então tá, se você diz.. Fiquei preocupada com você. - Ludmila ia até a porta - Mas já vi que "está bem", boa noite. 


- Tchau. - respondi baixinho assim que ela saiu 


Fiquei pensando em Violetta, a pedi que ficasse e ela ignorou-me sem menos pensar na nossa amizade. Acabei pegando no sono, mas eu acordava em 40 em 40 minutos. Já era de manhã e já sentia o cheiro do café da minha avó. Me levantei, fiz minha higiene matinal e desci. Encontrei com minha avó sentada na mesa. 


- Oi vó. - a abracei forte por trás - Dormiu bem? 


- Oi meu amor. - disse com uma voz fraca - Dormi, e você? 


- Dormi bem também. - sentei ao seu lado - E o café vai sair agora? 


- É pra já. - ela se levantou indo pegar as xícaras e o café que já estava pronto


- Eu ouvi café? - Ludmila se aproximava de vovó dando um beijo em seu rosto - Bom dia vó. 


- Bom dia meu amor. - respondeu com um sorriso - Senta junto com seu irmão, vou levar para vocês o cafézinho. 


- Tá. - respondeu se sentando junto a mim. 


- Vai para o cursinho hoje? - perguntei para não ficar sem assunto 


- Vou. - respondeu - E você onde vai?


- Vou andar de moto. - respondi - E surfar. 


- Surfar? - apareceu meu pai - Bom dia mãe. 


- Bom dia filho. - dizia vovó trazendo algumas xícaras - Pega o café por favor? 


- Sim. - respondeu meu pai indo até a cozinha - Já vamos conversar sobre isso, viu León? 


- E o vovô? Cadê? - perguntou Ludmila assim que sentiu a falta dele 


- Foi buscar pão e leite. - respondeu vovó - O que os dois conversavam durante a madrugada? 


- Também escutei o zum zum zum. - comentou meu pai - O que conversavam?


- Ludmila estava triste e aí foi até meu quarto se lamentar. - falei e Ludmila me chutou em baixo da mesa - Vai passar Ludmi.. 


- Triste? Você Ludmila? - perguntou meu pai - O que você tem meu amor? 


- Ah pai, e porque... - ela pensou e rapidamente falou - Tirei uma nota baixa na prova do cursinho. 


- Ah menos mal. - disse meu pai suspirando - Pensei que fosse por algum menino. 


- Falando em menino, meu amigo vem hoje em casa. - disse Ludmila - Vamos estudar. 


- Estudar né? - falei rindo - Pai, tem certeza? 


- Eu confio nela León! - disse meu pai quase surtando - Eu confio.. 


- Viu León? ele confia em mim, já em você.. - Ludmila me provocava 


- Fica quie... 


- Bom dia! - apareceu vovô com algumas coisinhas na mão - Sem brigas hoje! 


- Bom dia! - respondemos 


- Está um calor lá fora.. - dizia meu avô colocando as coisas na mesa 


- Ainda bem. - falei - Vou surfar. 


- Quando seu pai era mais jovem, também surfava. - contou vovô se sentando 


- Mas a diferença pai, e que eu sabia surfar. - disse meu pai enquanto dava um gole de café - Já o León não.


- Por isso vou aprender. - falei revirando os olhos 


- León meu neto, surfar é perigoso. - dizia minha vó - Seu pai quase morreu uma vez, não quero que se repita.. 


- Vó, eu não vou me afogar. - falei pegando um pão - Só relaxa. 


- Também estou pensando em surfar. - comentou Ludmila - Vou semana que vem com você León.


- Ludmila, isso não é coisa para garota. - meu pai se alterou - Você não vai! 


- Para pai de ser machista! - Ludmila alterou o tom de voz - Vai ser uma boa para mim.


- Olha o que você inventa León. - vovó falou nervosa 


- Eu cuido dela. - disse enquanto comia o pão - Sempre cuidei. 


- Você só gosta de coisa perigosa. - comentou meu pai - Moto, e agora Surf? 


- E você vai faltar o cursinho mocinha? - perguntou meu avô para Ludmila 


- Não. - respondeu - Talvez só semana que vem.. 


- Só semana que vem? Mas não vai ser só semana que e vem que você vai aprender a surfar. - disse papai 


- Ela só vai surfar comigo, depois do cursinho. - comentei - Ela entra as 09hs e sai as 14hs.


- Olha, se caso algo acontecer com vocês eu juro que.. - disse meu pai pensando 
- Pai, relaxa. - falei me levantando e olhando o visor do celular  - Vejo vocês mais tarde, beijos.

 
- Aonde vai? - perguntou vovó


- Falar com o Diego. - falei já na porta - Beijos, amo vocês. 


Já era 08:30 da manhã, minha moto já estava pronta e logo fui até a Rota 24 ( era um club de motoqueiros no qual o pai e tia de Diego eram donos ). Era bem perto da minha casa, duas quadras do lugar. Chegando lá encontrei com Diego arrumando uma das motos.. 


- A minha já está pronta? - perguntei - Seu pai me mandou mensagem.. 


- Está. - respondeu sem olhar para mim - Meu pai está lá dentro, vai lá. 


- Diego. - suspirei - Foi mal, tá legal? Eu fui um idiota de falar com você daquele jeito. 


- Beleza. - respondeu parafusando a moto 


- Vou pegar minha moto e.. Vamos dar um rolê por ai? - perguntei tentando me reconciliar 


- Tá pode ser. - disse se levantando - O pior é que não consigo ficar com raiva de você. 


- Foi mal mesmo cara. - o abracei 


- De boa. - respondeu - E então vamos lá ver sua moto.. 


- Ou, eu e a minha irmã vamos surfar. - comentei enquanto entravamos - Tá afim? 


- Surfar? Você? Ludmila? Sério? - perguntou com uma cara de confuso - Não inventa León. 


- Quero diversão, adrenalina. - comentei 


- Não leva a Ludmila nessa. - comentou Diego 


- Ela só vai semana que vem. 


- Opa, diversão? adrenalina? Momento certo, porque a sua moto está prontinha. - disse Ralf  me cumprimentando - Salve manô. 


- Eae Ralf. - o cumprimentei 


- Juízo hen León. - disse Ralf me entregando a chave da moto - Ai ai ai ai manô. 


- Relaxa Ralf. - fui em direção a moto - Bora Diego? 


- Juízo. Os dois. - disse Ralf 


- Eu cuido dele pai. - Diego pegou a chave de sua moto 


Sai com Diego rumo para qualquer lugar que me fizesse esquecer Violetta. 
Fomos até uma praia próxima, demos um mergulho e encontrei ali na praia mesmo uma loja de surf. Havia alguns especialistas que ensinavam a surfar. Diego não curtiu a ideia e só ficou observando. 
Fui com o pessoal até o mar, fomos indo, indo, indo até que chegou uma hora em que eu não tinha mais pé. 
E...

 


Notas Finais


Desculpa não postar semana passada, esqueci de avisar que não iria postar.
Mas está aêe, beijãoooo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...