História Virgens de Boca - Uma história promíscua - Capítulo 3


Escrita por: ~

Visualizações 161
Palavras 3.046
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Luta, Mistério, Romance e Novela, Sci-Fi, Shoujo (Romântico), Survival, Suspense, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Assim caminha a humanidade...

AVISO DO CAPÍTULO: Sexo homossexual e hétero.

Observação importante: para os públicos yaoi e yuri, quero avisar que estou a procura de um co-auror(a) pra me ajudar a escrever sobre esses gêneros. Assim que eu conseguir, a história poderá ter essa abrangência maior. Até lá, peço um pouquinho de paciência, e agradeço aos leitores que têm acompanhado e dado aquela força!

Capítulo 3 - A virgem Maria italiana


Fanfic / Fanfiction Virgens de Boca - Uma história promíscua - Capítulo 3 - A virgem Maria italiana

     – E agora finalmente faremos nossa prometida entrevista exclusiva ao vivo! – ressaltou essa última locução com orgulho e bem alto a apresentadora do Jornal BBC de Londres no horário nobre da tv inglesa, com o homem mais poderoso do mundo da atualidade, o Czar soviético Pedro Karpov. –  Monica, é com você! - completa a apresentadora, passando imediatamente a imagem para o Kremlin, no salão nobre.
 

     A virgem Maria italiana, lindíssima jovem de seios enormes, mas com uma mente que pendula entre o sexo e o celibato da Igreja Católica, à qual é fiel noviça a freira, representante da fé cristã católica, que ainda resiste em 2087, presta enorme atenção ao noticiário da tevê na casa de seus pais, pois foi liberada do Vaticano para visitar a família em tom de despedida, já que ela foi uma dos grandes gênios que passou no Concurso Público-Privado de Candidatos à Marte.

     E ainda não se tem muita confiança nessas naves espaciais modernas que costumam explodir imprevisivelmente em um a cada vinte lançamentos em média, afinal, a humanidade ainda está aprendendo a lidar com trocas de sistemas de propulsão intercaladamente de forma irresponsável, devido à sangrenta e ambiciosa corrida espacial de várias nações e mega multinacionais ultra milionárias.

     Por causa da grande possibilidade da virgem Maria italiana de seios fartos acabar explodindo com seios e tudo em mil pedacinhos em qualquer falha mecânica das velozes e furiosas naves espaciais modernas, foi-lhe dado o direito a uma última despedida da família
ainda em vida, e com os seios inteiros e no lugar. Sem usar roupas mundanas, mesmo em casa ela está vestida com seu Hábito.

     Logo, a atenção de todos na orgulhosa família se volta para a entrevista, que surpreende a todos na casa ao ver que a entrevistadora é uma jovem alta que não parece ter nem quinze anos, mas que, além de linda, fala muito bem e pensa rápido, com várias perguntas e ganchos
inteligentes e oportunos, abrindo a entrevista com um olhar que não disfarça em nada um sorriso corado e íntimo com o Czar:

     – Então, Vossa Majestade Imperial, Czar Pedro Karpov, – diz a moça, olhando muito de relance pra câmera, corando, e arrumando o cabelo – quer dizer então que é verdade que a União Soviética aceitou ajuda financeira do grande banqueiro judeu norte-americano Roger Mitchel para custear a missão?

     – Boa noite pra você também e para todos que estão assistindo. – responde o Czar com um "pra você também" de propósito, pra tornar evidente que a jornalista inexperiente se esqueceu do protocolo mais básico do jornalismo. O motivo de ele ter constrangido assim tão
intencionalmente a menina na frente das câmeras era óbvio: o de demitirem a menina por excesso de amadorismo, e assim, o Czar se aproveitar da jovem de algum modo sujo, oferecendo auxílio no emprego em troca de alguma coisa que ela possa dar novamente para ele, pois ele só aceitou dar a entrevista se  a emissora de televisão desse algo em troca pra ele.    

 

     Foi aí que essa linda jovem estagiária inexperiente, porém esperta, entrou, satisfazendo ambas as partes.

 

     Ele respondeu só isso, só por maldade, astúcia e por raiva pela pergunta indiscreta, que ele deixou claro na conversa de bastidores íntima que teve com ela previamente que ela não deveria tocar neste tipo de assunto.

     Mas a entrevista era ao vivo, e portanto quem tinha a faca e o queijo na mão era a garota, que não se deixou intimidar pela reação mal educada do entrevistado, que fugiu de uma pergunta direta e ficou calado olhando pra ela, que insiste:

     – Obrigada, mas Vossa Majestade Imperial não respondeu a pergunta sobre o banqueiro norte-americano. Ele está ajudando a financiar?

     – Eu o contatei numa conversa que deveria ser particular, conversamos sobre muitos assuntos de negócios, e como sempre fechamos alguns acordos e outros, não.

     Percebendo que por mais que insistisse na pergunta, o velho iria sempre dar voltas sem nunca responder, ela desiste, e parte pra próxima pergunta indiscreta, que deixa o velho tarado mais desconfortável ainda:

     – Vossa Majestade Imperial, Czar Pedro, qual o real motivo da viagem à Marte para uma colonização em um planeta morto, que mais está gerando gastos do que qualquer retorno que o planeta poderia nos dar em cem anos? Não há muito mais riquezas nos asteroides entre a Lua e no cinturão logo após Marte? Os próprios cientistas dizem que é muito mais barato...

     – Mocinha, vou lhe explicar uma coisa, - interrompe o Czar furioso, mas tentando disfarçar com um tom de desdém, já até se esquecendo do tesão que estava sentindo pela ninfeta minutos atrás - Nós temos os melhores cientistas e os melhores equipamentos. Voces,
ingleses, quase arruinaram com a Lua na sua escavação desmedida por platina. Se não tivesse sido por nós, russos, intervindo e multando principalmente os Estados Unidos pelo estrago nos anos 20, hoje estaríamos todos mortos!

     – Mas o senhor não respondeu à pergunta sobre a riqueza dos asteroides.

     – Não há riqueza alguma. O que aqueles que vocês chamam de grandes cientistas seus do ocidente chamam de platina se baseando exclusivamente pelo albedo...

     – Albedo, pra explicar aos telespectadores, é estimar de quais materiais são feitos um asteroide através de seu brilho. – interrompe a jovem ao poderoso Czar em retaliação à interrupção anterior que ele lhe fizera segundos atrás.

     – Bem... se você for me interromper sempre que eu estiver respondendo, aí fica difícil de dar uma entrevista para vocês. - retruca de forma irritada o Czar, olhando pra câmera com tom de deboche contra a jovem.

     A entrevista estava sendo transmitida no horário nobre de Londres, cidade da BBC de onde era a jovem jornalista, mas pessoas de vários países estavam assistindo ao vivo muito interessadas agora muito mais na briga de palavras entre o poderoso Czar e a ninfeta da
BBC.

 

     – A Wikileaks denunciou o desaparecimento misterioso de diversos asteroides de centenas de quilômetros repletos de ouro e platina. – diz ela sobre um antigo site de vazamentos que se tornara a maior rede de imprensa de jornais físicos de papel, na verdade, a única imprensa
física do planeta. - E quanto a esses asteroides desaparecidos? O que Vossa Majestade Imperial tem a dizer?

     – Pergunte à Wikileaks, já que você parece acreditar que eles sabem de tudo, talvez eles saibam, e não querem que você saiba que eles sabem. Vou lhe ensinar uma coisa, menina: O  sucesso dos conspiradores é fingir desconhecer a verdade e se negar a reconhecê-la
publicamente. É esse tipo de gente fingida que consegue mais adeptos. Olha, se quer saber onde estão estes tais asteroides, procure você mesma. Ah,...espere! Deixe eu ver se está aqui. Não... no meu bolso não está. - desdenha o Czar da moça.

     Tendo suspeitado somente agora que a megera da vice-diretora de redação havia lhe passado como ordem da lista da entrevista somente perguntas incômodas propositais ao Czar apenas pra arruinar a carreira da jovem, esta resolve desobedecer o resto da lista de perguntas ainda mais impertinentes que ela deveria fazer, e então resolve conduzir o restante da entrevista de cinquenta minutos de duração fazendo suas próprias perguntas para alimentar o ego do entrevistado e terminar a entrevista de uma forma cordial e amistosa.

     Após assistir à entrevista em família no colo dos saudosos pais, a virgem Maria italiana dorme em sua antiga cama da qual ela morria de saudades, desde o tempo de infância.

     Na manhã seguinte, sua mãe a leva de carro até o Hospital Naval de Roma para fazer o desnecessário, por ela ser noviça,  exame de virgindade da Central. Mas mesmo assim, a virgem de seios fartos vai até o consultório do belo jovem oficial-médico, de traços finos e voz firme, especializado em ginecologia e coloproctologia.

     A mão da virgem permanece na sala de espera após uma pequena conversa ligeiramente constrangedora para a jovem com o doutor, e este entra na sala à sós com a adolescente. A virgem Maria italiana teve a primeira impressão de o médico ser um homem muito seguro, e um cidadão exemplar, mas inegavelmente atraente. E ele a tratava com o máximo de atenção e educação, dando diversas explicações sobre o procedimento simples e pouco invasivo.

     Em 2087 é facilmente possível saber se qualquer homem ou mulher é virgem e quando perdeu a pureza. No homem, bastam dois exames de sangue com duas espetadas indolores no dedo polegar e a passagem física de um gel especial no órgão masculino, um ultrassom e a coleta do gel com algodão para estudos. No caso das mulheres, se faz um ultrassom abdominal não invasivo após a passagem do mesmo gel especial na parte externa da vagina da mulher.

     Era necessário obviamente que a jovem tirasse o Hábito e as roupas íntimas, ficando ela totalmente nua e insegura na maca.

     – Não se preocupe, ok? Eu sou médico. É assim mesmo. E você mesma é quem tem que aplicar o gel na sua vagina, tudo bem para você?

     – Sim. – responde ela com os bicos dos seios ficando um pouco duros e repleta de pensamentos que foi ensinada a não alimentar, pendulando entre o sexo e o celibato. Mas sozinha dentro de um consultório fechado à chave com um homem daqueles, a imaginação da jovem Maria estava à mil por hora, sem falar de seus hormônios.

     – Mas aguarde um pouco. Não aplique ainda. Espere aqui que eu já volto, está bem?

     – Tudo bem.

     – Está muito frio aqui? – pergunta o médico.

     – Não. A climatização está perfeita, obrigada.

     O médico sai, tranca a porta, explica no caminho pra mãe da moça que vai pegar umas luvas, e se dirige ao consultório do oftalmologista.

     – Pode entrar! – grita o oftalmo Tiago, ao ouvir as batidas em sua porta.

     – Oi Tiago, tudo bom? – diz o ginecologista Romão com um olhar delicado.

     – Ei! Para com essa viadagem, Romão. Sabe que eu só gosto de mulher, porra! Ah, vai...

     – Hmmm... termina a frase, vai...

     Tiago balança a cabeça negativamente, vendo que alguns xingamentos não funcionam com Romão, que de homão não tem nada. Mas Tiago tem, pois sempre foi hétero e jamais lhe passou na cabeça pensamentos homossexuais nem de perto. O cara simplesmente tem nojo de homem encostando nele. Mas dessa vez Romão tinha uma carta na manga:

     – Tiago, é verdade que você nunca comeu uma virgem antes?

     – Ô! Não espalha essa porra não, cara.

     – Tudo bem. Você sabe que tipos como eu sempre guardam segredinhos até o túmulo. Agente se conhece desde a faculdade, menino, relaxa!

     – Tá, o que você quer dessa vez?

     – É verdade que você nunca transou com viado antes?

     – Vai se fudê! Claro que não, meu filho. Ah, fora! Sai fora daqui. – diz Tiago dando uns empurrões no colega, na brincadeira, porque apesar de todas as diferenças, eles são amigos.

     – Pera, que tenho uma proposta pra você. Uma garota virgem tá totalmente pelada no meu consultório... Tiago... ela é linda! E ela tá cheia de tesão por mim, acredita?

     – Hahá! Coitada.

     – Quer ver ela? – pergunta Romão com uma voz bem sacana e íntima, apertando seu aparelho digital e mostrando a filmagem em tempo real de seu consultório holografada na parede do consultório onde eles estão.

     – Uau! – diz Tiago, babando pela menina, que ainda está deitada sem roupa, e entediada.

     – Eu posso providenciar uma transa pra você daqui a pouquinho com ela, o que me diz?

     – Tá de sacanagem.

     – Eu falo sério. Posso passar um lubrificante hiperlúdico de ação retardada, e quando ela vier aqui fazer o exame oftalmológico com você, ela é toda sua! Na verdade ela não vai aguentar e vai te agarrar. Demais né?

     – Meu Deus, cara! Você faria isso por mim?! – exclama Tiago todo feliz, mas contendo a voz.

     – Com uma condição!

     – Qual?

     – Agente tem que fazer amor primeiro.

     – Ah, qual é...

     – Com beijo e penetração. Não se preocupe. Não tenho tesão de te enfiar meu pau. Você sabe que eu sou passiva. Só quero ser comida e beijada bem gostoso por você. Aí te dou a garota. Pensa rápido, que o tempo tá passando!

     – Vai cumprir sua parte? Tudo o que você me disse eu tô gravando, sabe disso.

     – Eu também tô gravando, não se preocupe, e o segredo comigo tá bem guardado.

     – Sério? Jura?

     – Conhece algum namorado meu? Já ouviu falar de alguma fofoca referente a mim?

     – É realmente não...

     Assim, os dois fecham o acordo. À desgosto, Tiago e Romão transam ali mesmo, dando uma rapidinha.

     Enquanto o oftalmo ficava constrangido, o ginecologista ficava realizado. Após consumarem o ato ali,eles se despedem com um último beijo, colocando a roupa de volta.

     Já dentro do consultório ginecológico, Romão passa o gel para o ultrassom, misturado com o lubrificante hiperlúdico, que gradativamente vai excitando a menina.  A mente da virgem Maria já estava pendulando cada vez mais para o sexo do que para o celibato. Após todos os exames, ela é rapidamente dispensada, pra surpresa da mãe da moça, que achou o exame super rápido.

     – E o resultado, doutor? Sai quando? – pergunta a pobre mãe, preocupada.

     – Já está pronto! Ela é virgem. – responde ele, apertando um botão holográfico, enviando o arquivo com o certificado para os consoles eletrônicos dos celulares óticos de mãe e filha, que dão um pulo e um grito de alegria e se abraçam mutuamente.

     – Ah! Obrigada, doutor! – diz a orgulhosa mamãe.

     As duas permanecem na sala de espera aguardando a vez do oftalmologista chamar a virgem, que sem perceber, já estava esfregando as coxas, uma na outra de vez em quando, corando um pouco.

     – Maria? – chama o oftalmologista.

    A  mãe aguarda, como de costume, do lado de fora, e a menina entra sozinha, com o oftalmologista empurrando-a carinhosamente pela entrada do consultório, e trancando a porta.

     – Oi Maria, tudo bem?

     – Tudo.

     – O exame pode ser um pouco demorado, porque devemos aguardar o processamento dos dados, do jeito que expliquei pra sua mãe, ok?

     – Ok.

     Tiago havia ido ao banheiro lavar e esterilizar o pênis depois da última transa, pra usar na moça, e agora ao estar sozinho do lado daquele furacão de mulher de seios fartos, sentindo o cheirinho da pele dela, ele enlouquece de novo, e seu pau endurece quase incontrolavelmente. Ele se concentra e se esforça pra fazer parar de endurecer tanto.

     Ele pede pra ela se sentar numa cadeira muito estranha, onde o assento de madeira tem a metade do comprimento. Dessa forma, a moça se senta de um modo tal, que apenas metade das nádegas ficam na cadeira, e a outra metade no ar. Sua saia de noviça, que é dura, se arregaça, mostrando a calcinha, e ela fica constrangida, porque ele estava posicionado de frente pra jovem.

     O médico se aproxima com o aparelho, mas as pernas unidas dela atrapalham-no a se aproximar, obrigando-o a abrir atrapalhadamente as pernas pra se aproximar da garota e colocar o aparelho nos olhos dela. E ele fazia esforço pra fingir que ele estava sendo atrapalhado pela saia dela.

     – Olha Maria, eu não posso ficar numa posição adequada para colocar o visor em seus olhos assim. Eu vou lhe pedir pra vestir isto aqui, está bem? – diz ele, mostrando uma calça de moletom pra ela.

     Maria vai pra trás do madeirite trocar de roupa e veste a calça de moletom e uma blusa de enfermeira. Ela fica toda envergonhada, mas ao mesmo tempo excitada, e com sua mente pendulando já uns 70% mais para o sexo e 20% para o celibato e 10% para a dúvida.

     Finalmente ela se senta na curta cadeira, e o oftalmologista se aproxima com o pequeno aparelho para pôr nos olhos da moça. As pernas dela estavam ligeiramente abertas. E ele se aproximou discretamente colocando a perna direita entre as pernas dela...

     Por causa daquela cadeira, o joelho do médico enconstou em cheio na vagina dela se esfregando na calça de moletom, fazendo ela imediatamente fechar as pernas num reflexo de prazer. Ela logo expeliu um pouco de líquido com o prazer inesperado. Agora corada e quase ofegante.

     – Tudo bem? – pergunta o oftalmologista, fingindo inocência e não ter ideia do que intencionalmente ele fazia.

     Na verdade, ele encomendou aquela cadeira praquele fim, e já se aproveitou de várias mulheres, mas nunca teve coragem de usar aquela cadeira com uma virgem, pois ele não queria ser descoberto e pegar pena de morte. Mas neste caso da virgem Maria, ele e seu cúmplice arquitetaram um plano para que tudo ficasse em segredo.

     – Um-hum. – sussurra a moça, já com o efeito do lubrificante lúdico aumentando mais e mais.

     Ao colocar o aparelho na vista da moça, Tiago intencionalmente, mas fingindo inocência, encosta seu cotovelo no seio esquerdo da excitada vítima, que enlouquece na hora, geme, mas leva a mão à própria boca pra fingir normalidade. Enquanto isso, ele vai roçando o joelho e o cotovelo na vagina e no seio da jovem, que enlouquece completamente e começa a se esfregar no joelho e cotovelo do doutor, soltando outro orgasmo.

     Como Tiago não é bobo nem nada, ele retira o aparelho, coloca na mesa, e volta com um colírio, dando qualquer desculpa, dessa vez cotovelando alternadamente os dois seios da moça, que não se aguenta e agarra e beija o médico. O casal começa a se esfregar loucamente tirando a roupa, com  a mente da jovem deixando o pêndulo da dúvida cair de vez, gemendo e dando pro médico, ali mesmo, naquela cadeira, na transa mais selvagem que Tiago já tivera. Apesar da dor, ela tinha um hímen muito fino, e sua ruptura quase não deu sangramento, e o incômodo foi pouco. Tiago não parava de chupar aqueles seios e a xoxota da menina, que estava enlouquecida com a transa.

     Depois de alguns minutos, Tiago, Romão e a ex-virgem Maria se reúnem numa conversa particular sobre como esconder a perda da virgindade. Os três se tornaram mutuamente cúmplices uns dos outros. Quem entregasse um, cairia junto. Dessa forma o segredo jamais foi revelado, e a ex-virgem Maria conseguiu ser aprovada no exame, recuperando até a virgindade através de um método simples dado por Romão: um implante natural de hímen através de um aparelho semelhante a um absorvente interno que se introduz na vagina, repleto de vitamina E, que faz reestruturar o hímen através das próprias células-tronco. O aparelho faz o serviço em três dias, sem incomodar, e a moça tomou corretamente as vacinas recomendadas pra não desenvolver nenhuma doença venérea em Marte em função dessa experiência.


Notas Finais


Que médicos danadinhos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...