História Suspeitos (Imagine Min Yoongi/Suga) - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7, Monsta X, VIXX
Personagens BamBam, Hongbin, Hyung Won, Jackson, JB, J-hope, Jimin, Jin, Jinyoung, Jungkook, Mark, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V, Youngjae, Yugyeom
Tags Bambam, Got7, Hongbin, Hoseok, Hyungwon, Jackson, Jaebum, Jhope, Jimin, Jin, Jinyoung, Jungkook, Mark, Min Yoongi, Monsta X, Namjin, Namjoon, Park Jimin, Rap Monster, Suga, Taehyung, Youngjae, Yugyeom Vixx
Visualizações 158
Palavras 3.235
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Hentai, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Yaoi
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oioi tudo bem com vcs? Sei que demorei a postar mas aqui está. Espero que gostem do capítulo e por gentileza leiam as notas finais

Boa leitura!!

Capítulo 12 - Pós encontro


-Sendo assim qual meu apelido? -ele cruzou os braços os colando apoiados sobre a mesa.

 -Jiminie, ChimChim.... -lembrava de Eun-mi quando ficava bêbada e o chamava assim...

  -Saber que acertou me deixa tão decepcionado...-será que se eu contasse que estava alí por causa de uma amiga que tinha vergonha de conhecer o homem pelo qual era ela apaixonada eu poderia me livrar daquilo tudo? Ele parecia tão decepcionado em pensar que eu era a Eun-mi, se eu contasse a verdade será que ele ficaria feliz? 

 -Aqui estão os pedidos -o garçom havia voltado a mesa com os dois pratos que pareciam muito deliciosos. Agradeci a ele e comecei a comer.

 -Algo de errado? -Suga disse me chamando a atenção. 

 -Além de você aqui? -ele riu.- Acho que nada mais -continuei comendo. O que eu não fazia pela minha amiga.

 -Não parece gostar de estar aqui...

 -Talvez ... -disse simples.

 Depois disso um silêncio se formou entre nós dois, nenhum dos dois dizia mais alguma palavra que fosse. O jantar seguiu então em silêncio. Até que o quebrei decidindo contar o real motivo de estar alí, claro que omitindo algumas coisas para não ofender minha amiga que parecia agitada com alguma coisa na mesa próxima a que eu estava. Aquele silêncio todo era desconfortável e mentir me deixava mal.

 -Quer saber a verdade, Park Jimin? -assim que terminei de comer disse e o olhei. 

-Verdade sobre o que? -ele aparentava estar confuso. 

 -Não sou Eun-mi 

 -Não? Então quem você é? -seu olhar era fixo em mim. 

-A amiga dela -dei de ombros.

-A amiga de Eun-mi, e por quê você está aqui em vez dela? Que eu saiba Jimin tinha um jantar com ela e não com a amiga dela -ele tinha acabado de se referir a si proprio na terceira pessoa?

 -Por acaso você é um indígena, Park Jimin? Por quê está falando de si na terceira pessoa? Eu hein... 

 -Pare de me chamar de Park Jimin, assim como você eu não sou quem pensa que sou. Sou amigo dele, só vim aqui por que ele insistiu por mais de meses nisso. Disse que tinha vergonha o algo do tipo... -ele deu de ombros. 

 -Com Eun-mi foi a mesma coisa, ela até veio -disse e apontei para a mesa dela.- Bem alí...-Suga se virou para trás e olhou Eun-mi que ao vê-lo ficou com uma expressão indecifrável. 

-Jimin também, está lá -ele apontou para uma mesa a alguns metros atrás de mim. Olhei então para trás e eu parecia o conhecer. Ele devia ser um dos rapazes que estavam no bar com Suga no dia em que ele me livrou de uma tragédia que poderia ter acontecido comigo. Era justamente o homem pelo qual Eun-mi tinha achado bonito, talvez por ter bebido demais não foi capaz de o reconhecer, fiel essa minha amiga. Aquela situação toda de alguma forma era engraçada.

 -Não acha isso tudo engraçado? -perguntei.

 -Confuso, mas acho que sim -ele sorriu e eu ri.

 -Foi um encontro em vão, já que ambos não somos quem eramos para ser... 

 -Não diria que foi todo em vão, apesar de saber que não gosta de mim eu diria que foi divertido isso tudo -ele riu depois de falar e eu sorri.- Acho que é tudo culpa do destino

 -Você não é nada mal Suga, acho que me precipitei ao seu respeito... 

 -Digo o mesmo sobre você, mas algo me deixa bem intrigado ao seu respeito... 

 -E o quê é? 

 -Seu nome. Por que nunca me fala? 

 -Huh? Bem... -não sabia o que responder, nem eu mesma sabia direito o por que de nunca ter dito.- Já que acredita tanto no destino, se nos encontrarmos de novo eu falarei

 -Ótimo -ele sorriu.

 -Mas não vale me esperar por ai, tem que ser algo natural se não vai morrer sem saber como me chamo -o sorriso dele se desmanchou e ele suspirou.

 -Tudo bem. Mas, tenho uma condição

 -Fale 

 -Sairemos juntos e você não poderá recusar minha proposta -ao ouvir as palavras dele me lembrei da promessa que tinha feito a Eun-mi. 

*Flashback*

 -Moro aqui a alguns anos e ainda não fui capaz de fazer turismo -disse fazendo ela rir.

 -Não foi por falta de convite 

 -Tem razão, o próximo convite que surgir de qualquer coisa prometo que aceitarei

 -Irei cobrar -ela disse me fazendo rir. 

 *Flashback off* 

 Ela não saberia se eu cumprisse ou não. Mas, promessa é promessa. Parecia que era o dia de sorte de Suga. 

-Ok, eu concordo com sua condição -ele sorriu me fazendo sorrir também. 

De alguma forma Suga me fazia me sentir estranha por dentro, era uma sensação diferente não sabia explicar o que era. Depois de uma longa conversa com ele com direito até a risadas vindas dos dois lados decidimos que já era hora de ir embora. Ele levantou primeiro que eu e foi a saída, segundos depois o verdadeiro Jimin que estava na mesa logo atrás de mim passava pela porta da saída também. Olhei para a mesa que Eun-mi estava e ela levantou-se na mesma hora vindo até a mesa que eu estava.

 -Por quê apontou pra mim? Ficou louca, unnie? O que tanto conversaram? Ele parecia estar diferente de como o via nas fotos... 

 -Sua incrível paixão teve a mesma ideia genial que a sua de colocar um amigo no seu lugar. Aquele que você viu era o amigo dele, Park Jimin estava sentado logo aqui atrás de mim, como você. Vocês se merecem.... -disse brincando e recebi um olhar feio de minha amiga que parecia um pouco confusa com a situação.

 -Isso tudo é estranho -ela coçou a cabeça.- Espera, aquele não era o cara do parque? O que você vomitou? -ela disse me fazendo lembrar daquele dia em que o conheci. 

 -Por que sempre tem que lembrar desse dia? -rolei os olhos e ela sorriu.- Sim era ele mesmo... Será que agora podemos voltar para casa?


 P.O.V. Suga

 Esperei Jimin do lado de fora do restaurante assim que ele saiu pela saída do lugar fui caminhando em direção ao carro. Essa noite tinha sido uma grande confusão, mas uma confusão boa de alguma forma. Esperava encontrar com ela de novo, queria saber mais sobre ela. De algum jeito ela conseguia me fazer rir e sorrir com facilidade, eram poucas as pessoas que conseguiam tirar isso de mim e ela tinha acabo de se tornar uma delas.

 -O que foi aquilo hyung?

 -Aquilo o que Jimin? 

 -O que tanto conversaram? Por que apontou para onde eu estava? Do que tanto riam? -Jimin fazia uma pergunta atrás da outra, me fazendo sorrir.- Não me diga que ela se apaixonou por você? O que vou fazer agora? Não posso competir com meu melhor amigo... -ele encostou a testa na parte de cima do carro.

 -Primeiro, ela não era Eun-mi. Era a amiga de Eun-mi -ele olhou para mim- Segundo, quem me dera ela gostasse de mim. Terceiro, devia ter mais confiança em si mesmo Jiminie. Eun-mi teve a mesma ideia que você, ela até estava en uma mesa perto da que eu estava com a amiga dela. -a cara de Jimin era indecifrável.- Será que pode destrancar o carro agora? Quero ir para casa 

 Jimin então abriu o carro e eu entrei, e logo depois ele entrou e deu partida com o carro para o caminho de minha casa. 

 -Aquela não era a garota do parque? -de repente Jimin pergunta. 

 -Era ela sim

 -Gostou dela pelo jeito hyung... 

-Nunca disse isso

 -Nem precisa, desde que a viu aquele dia ela se tornou o assunto mais tocado

 -Não exagere Jiminie, falando assim parece que sou um tipo daqueles maníacos..-dei de ombros.

 -Qual o nome dela hyung?

 -É uma boa pergunta, eu não faço a mínima ideia. Ela nunca me disse, mas ela prometeu que caso nos encontrassemos novamente ela me contaria.

 -Se o destino for bom com vocês talvez se encontrem logo -Jimin depois de minutos estacionou em frente a minha casa. Despedi dele e entrei em casa. 

 Fui diretamente para o quarto, estava cansado por causa do longo dia de trabalho, mas de alguma forma o "encontro" tinha me deixado mais relaxado, fazia um tempo que não conversava com mulheres nas quais não flertava, ela parecia totalmente diferente de tudo o que já conheci, como se fosse uma nova espécie. De certa forma me sentia bem quando estava com ela, era como que ela conseguisse acalmar qualquer tempestade que surgisse em mim. O que estou pensando? Balancei a cabeça e fui tomar um banho rápido para ir dormir depois. Sai do banheiro ja vestido com uma calça de moletom e fui em direção da minha cama de todo dia, deitei e me cubri. Mas senti que pela primeira vez não sentia sono, algo estava errado comigo. Rolei de um lado para o outro na cama e nada, qualquer jeito em que eu me deitasse se tornava desconfortável eu queria dormir mas algo me impedia, a falta de sono. A última vez que isso aconteceu foi quando ainda estava na escola. Isso era estranho para quem vive cochilando no trabalho quando não tem nada para fazer ou que passa os finais de semanas todos dormindo o dia inteiro. 

Alguns dias depois... 

 -Organizou os papeis daquele caso atrasaso, Jae-Ha? -perguntei acabando de arquivar alguns processos finalizados. 

 -Tinham dois, um está pronto o outro Yang-Mi está providenciando -ele respondeu terminando de rotular algumas pastas de arquivos.

 -Quero terminar isso o quanto antes, Seokjin veio com um papo de querer me arrumar alguém que me ajudasse ou que até mesmo fizesse o meu trabalho por mim, disse que meu serviço havia se tornado lento e atrasado comparado aos outros advogados. Mas ele esquece que eu sou um promotor alem de advogado e que de que tenho você e Yang-Mi para me ajudar

 -Então chefe Min, eu e Yang-Mi decidimos juntar nossos trapos. Vamos casar em algumas semanas -Jae disse meio sem jeito.

 -Casar? -parei de fazer o que estava fazendo e o olhei por cima dos óculos.- Bem, felicidades ao casal... Então entraram de licença?

 -Entramos, Yang-Mi pretende fazer uma viagem longa em nossa lua de mel, e não temos uma data definitiva para voltar. O chefe Seokjin disse que poderíamos levar o tempo que quiséssemos e Yang-Mi levou isso a sério... 

 -Espero que aproveitem... -Jin me infernizaria agora, preciso achar um jeito de fazer as coisas se tornarem mais rápidas, preciso de mais organização. 

 -Aqui está o caso atrasado. Eu não sei muito bem como dizer isso... Esse caso foi abafado pelo juíz. 

 -Qual caso? -perguntei voltando a fazer o que estava fazendo antes. 

 -O caso do Senhor Cho Sang...-ao ouvir esse nome meu corpo parou. Por que o passado não pode permanecer no passado?

 -Como? Deixe-me ver isso -levantei da cadeira bruscamente e peguei a pequena pasta com os papeis que contiam todas as informações do caso e ela tinha razão.- Então abafaram o caso desse pedaço de lixo por falta de provas? -ri nasalado e voltei para a minha cadeira recebendo olhares assustados do casal.- Podem ir, eu me viro com o resto... -olhava cada pagina atentamente, não conseguia acreditar que isso poderia acontecer.

 -Tenha um bom dia chefe, hwaiting... -Jae disse saindo com a mulher pela porta me deixando sozinho na sala. 

 Hoje com certeza não seria um bom dia, nem para mim nem para quem ficasse perto de mim por muito tempo. Tão facilmente um dia pode ser estragado quando se trata da maldita profissão que fui seguir, dias de luta e dias de glória. 

 P.O.V. S/n 

 -Você vai se atrasar e me atrasar. Por que não arruma suas coisas com antecedência? -Eun-mi dizia impaciente a minha espera na sala. 

 -Calma só um segundo, tinha visto em alguns lugar por aqui -disse olhando em meio a alguns cadernos e livros espalhados pela minha escrivaninha até que finalmente encontro o trabalho.- ACHEI!! 

 -Oh glória!!

 Saí de casa com Eun-mi que por algum milagre resolveu passar em minha casa antes de irmos para a faculdade. Quando chegamos Taehyung me recebeu com um abraço caloroso. 

 -Quem é vivo sempre aparece -disse e ele riu.

 -Amores vou para a minha aula que estou super atrasada por causa de um certo alguém que esquece o trabalho em casa e quando está no meio do caminho lembra, volta para buscar e nem sabe onde deixou... -Eun-mi disse indo em direção a sala dela enquanto eu e Tae ficamos conversando no corredor. 

 -Isso é ciúmes?

 -Talvez... Posso saber o por que do seu sumiço Kim Taehyung? -cruzei os braços o olhando. 

 -Segredo -ele disse sorrindo. 

-Escondendo as coisas agora? Tudo bem. Ok, Deus está vendo, viu? Garanto que é por causa de mulher....

-Segredo é segredo. Mas, me conta. Como foi o encontro lá?

 -Deu que sua irmã teve a mesma ideia que o namorado e o homem que eu conversava na verdade o amigo dele e por alguma coincidência era aquele mesmo homem que me ajudou naquele trágico dia... 

 -Preciso conversar com esse cara ai, tenho muita coisa a perguntar para ele 

 -Como o que? 

 -O por que dele viver seguindo o meu amorzinho. Posso ser lerdo mas me lembro direitinho de todas as vezes que ele apareceu, desde o dia do parque até então. Não acha isso muito esquisito? 

 -Esquisito é você pensando essas coisas -disse rindo e Taehyung me olhou feio.- Estou brincando, vai ver é só uma coincidência -ou o destino- Relaxa -disse colocando minhas maos em seus ombros e depois apertando de leve- Garanto que tão cedo não encontro com ele novamente. Não é como se eu fosse esbarrar com ele por ai... 

 -Quem sabe... Mas ainda é muito estranho 

 -Desde quando o assusto virou sobre mim? Melhor irmos para a aula. Não posso chegar nem se quer mais um dia atrasada ou o professor me mata -Taehyung riu e seguimos juntos no corredor e depois cada um foi para a sua sala.

 Me sentei no meu lugar de sempre nem lembrando da desgraça que sentava na mesa do lado. Assim que peguei minhas coisas para começar a fazer minhas anotações e observações sobre a aula o despacho me chama.

 -Chega a hora que quer agora? 

-Acho que tu não tem nada a ver com minha vida 

 -Como consegue ser tão mal educada uma hora dessas? Sua mãe não te educou direito foi? Ou será que é a falta de pai? 

 -Como consegue ser tão irritante uma hora dessas? Não tem mais o que fazer? -falar sobre meu pai era uma coisa comum mas não quando saia de Jisoo. Ela não me conhecia nem um pouco para falar alguma coisa. 

 -Acho que foi por isso que ele a abandonou, sentia que seria insuportável uma convivência com você  

-Por favor silêncio na minha aula -o professor pedia. 

 -Em respeito ao professor eu não vou retrucar as suas baixarias -voltei a prestar atenção no professor tentando ignorar completamente Jisoo.

 Ela conseguia me irritar em um ponto de querer mata-la, como ela conseguia ser tão nojenta, como alguém consegue gostar dela? Só pode ter miojo no lugar do cérebro. Será que existe alguma lei contra matar essa espécie de animal? 

 A manhã passou rápida para a minha sorte, já estava na hora do almoço. Não precisaria comparecer as aulas durante a tarde já que meu tão esperado estágio começava hoje. Estava feliz e ao mesmo tempo nervosa não era todo dia que eu realmente começaria a trabalhar com casos de verdade e a defender pessoas. Claro que eu sei que como é um estagio não vou ganhar coisas importantes e nem serei responsável por eles. Eu apenas irei dar suporte quando necessário e aprenderei com a prática a exercer da maneira até então apenas falada por professores da faculdade. Combinei de almoçar com meus amigos antes de ir para o escritório. Cheguei ao restaurante que costumávamos comer quase sempre quando estávamos juntos e encontrei com Eun-mi e Taehyung a minha espera em uma das mesas do lugar.

 -Já pediram? -perguntei me sentando. 

-Estávamos te esperando -Tae disse e eu sorri pegando o cardápio para olhar mesmo sabendo de cor todos os pratos dalí. 

 Terminamos de comer e tanto Taehyung quanto Eun-mi estavam estranhos, não conseguia nem imaginar o que tinha acontecido mas tiraria essa dúvida agora mesmo. 

 -Vão me contar o que está acontecendo ou vou ter que usar minha detetive interior e descobrir por mim mesma? -encarei os dois que se entre olharam.- Ok eu descubro...

 -Esta bem, não precisa usar sua detetive interior. A gente vai falar -Eun-mi disse e Taehyung fez algum gesto estranho ao garçom que saiu para algum lugar, provavelmente foi pegar a conta. 

 -To esperando... -os olhei e de repente o garçom volta com um bolo com velhinhas em cima.- É aniversário de quem? -será que tinha esquecido o aniversario de algum dos dois?

 -É pra você sua boba. Para sorte no seu primeiro dia -Taehyung disse sorrindo.

 -Para começar com o pé direito e tudo dar certo -Eun-mi também sorria.

 -Não sei nem o que falar -um nó se formava em minha garganta- Obrigada gente, eu amo vocês -disse abraçando os dois segurando meu choro de emoção. 

-Assopra as velas -Eun-mi disse. 

-Não esquece do pedido -Taehyung completou. 

 Fechei meus olhos e fiz um pedido, depois soprei as velas sorrindo boba, estava supresa com tudo aquilo. Sempre fomos tão unidos mas nunca fomos de fazer coisas desse tipo um com o outro. Não era sempre que isso acontecia, eu estava tão feliz. Não poderia ter amigos melhores que estes. Comemos o bolo e ficamos conversando por mais um tempo, depois nos despedinos e os irmãos foram para a faculdade e eu para o caminho do prédio do escritório que não era muito longe dalí, no centro da cidade tudo parecia ser mais próximo. Passo a passo cheguei a frente do grande prédio, respirei fundo arrumando minha bolsa no ombro olhando de baixo a cima o alto prédio. Em passos firmes fui caminhando para a sua porta fazendo questão de passar com o pé direito como Eun-mi havia dito antes de nos despedirmos, ela disse que traria boas energias além de sorte. Não que eu precisasse de muita sorte, não iria fazer nada de mais e era recém o primeiro dia. Mas existe a primeira impressão, nisso eu preciso de sorte. 

-Posso ajuda-la? -uma mulher que devia ser a recepcionista do prédio me chama atenção, devia estar viajando na frente dela.

 -Ah sim... -peguei em minha bolsa o cartão do Professor Seokjin e mostrei a ela.

 -Andar 5 -ela sorriu me mostrando a direção do elevador.

 -Obrigada -sorri de volta e caminhei na direção da qual ela me apontou.

 Tinha muitas pessoas alí, varias deviam ser advogadas ao julgar pela roupa formal que usavam. Apertei o botão e depois de segundos a porta se abre, saem algumas pessoas de dentro e depois eu entro. Quando cheguei ao andar me deparei com as coisas um pouco diferentes do que eu pensava, o lugar era totalmente organizado e limpo, algumas pessoas trabalhavam e eu procurava por alguma que pudesse me ajudar a encontrar Seokjin ou encontrar com o mesmo direto. 

 -S/n? Bem na hora -ouço o Jin e sorrio aliviada de não ter que parar com o trabalho de ninguém para pedir informações. 

 -Por onde eu começo então? 

-Primeiro vou te apresentar o pessoal -ele disse passando o braço em volta de meus ombros me guiando pelo lugar.                


Notas Finais


Eai ficou bom? O que será que aconteceu com Suga no passado?
Será que s/n vai se dar bem no seu novo estágio?
Qual será o problema de Jisoo?

Deixem seus comentários, críticas sempre são bem vindas.

Estamos chegando a quase 90 favoritos 😄😄😆😆


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...