História Virtual Love - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Comedia, Mistério, Romance
Exibições 25
Palavras 3.544
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Artes Marciais, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


CAPÍTULO NOVO *---*

Desculpa a demora, eu escrevi e reescrevi esse capítulo três vezes. Talvez esteja MEIO, eu disse MEIO grande, pois está muito detalhado.

PENÚLTIMO CAPÍTULO :'(
~ NARRADO PELO THÉO ~

Espero que gostem ❤

Capítulo 19 - Separação


Fanfic / Fanfiction Virtual Love - Capítulo 19 - Separação

 

Eu acordei 9:30 e a Julia não estava lá, deve ter ido no banheiro...? Eu não entendi porque ela não me acordou. Eu me levantei e fui em direção a porta, o desenho dela havia sumido, e tinha um bilhetinho: 

*Bilhete* 

Obrigado Japa :) 

PS: eu estou sorrindo. Escute a música Bring me to Live

*Fim do bilhete* 

Eu não entendi, obrigado porque? Isso é da Julia? E porque Bring me to Live? Devolva minha vida... Eu saí do quarto e fui procurar minha mãe, eu vi que o pijama que ela usou estava em cima da mesa. 

- Mãe, cadê a Julia? 

- Ué, foi embora. - Ela estava bebendo café. 

- Que horas? 

- Sei lá, umas 6:30? - Ela nem estava olhando para mim. 

- Ela disse para onde ia? 

- Ela te contou a verdade né? - Ela suspirou. - Calma Japa, ela deve estar mal, enchendo a cara de açaí por aí, deixa ela. 

- Você sabe? 

- Sei, eu era muito amiga do Fernando, ele era um cara legal, nada haver com a descrição da Catharina. - Ela estava olhando para o café enquanto balançava a xícara. 

- Você não sentiu vontade de bater nessa mulher até a morte? - Eu estava me sentindo assim. 

- Pode ter certeza que eu bati. - Ela riu. - Não se preocupe com isso, a Julia vai precisar de um bom amigo agora. Só deixe ela... Respirar.

- Então tá... Valeu. - Eu ia voltar para o meu quarto, já estava menos preocupado. 

- Como foi a noite? - Essa risada e esse olhar, começou. 

- Normal. 

- Dormiram de conchinha? - Mais ou menos. 

- Não. 

- Sério? Fui no seu quarto 3:30 da madrugada, e não foi isso que eu vi. - Ela riu. - Estava tão fofos, vocês dois dormindo abraçadinhos. - WHAT? Eu não dormi abraçado com a Julia, a gente só estava meio perto um do outro. 

- Não viaja mãe, eu não estava abraçado com a Julia. 

- Olha essa foto aqui. - Ela tirou foto??? - Está tão fofo. 

- Caralho. - Agora eu sei como a Julia se sentiu quando eu mostrei aquela foto dela lendo. - Apaga isso Fátima. 

- Não vou apagar não. - Ela riu. 

- Porra mãe. - Eu ri. Voltei para o meu quarto e deitei na cama. 

Eu estava pensando em tudo que a Julia me falou, do pai dela, da "coisa" que ela chama de mãe. Como alguém pode fazer isso? E ainda rir? E porque ela ainda quer morar com a mãe dela, isso é inumano, ela se tortura, ela gosta dessa dor... Eu estou mal, por ter feito a Julia falar, relembrar de tudo aquilo deve ser muito doloroso, ter que conviver com isso na mente... Eu não conseguiria suportar por tanto tempo em silêncio, e sozinha. Eu vi que a Julia não é apenas forte lutando, mas mentalmente também, escutar tudo aquilo da própria mãe e ainda manter a sanidade, eu ficaria louco, quebraria tudo, botava fogo num carro, mas mesmo assim ficaria péssimo por meses, ou anos, e a Julia segurou isso tudo, mesmo chorando apenas uma vez por ano, e sozinha no canto dela, isso é triste, e eu nunca poderia imaginar isso, ou entender como ela se sente... Não que eu sinta pena dela, nem dó, esses são sentimentos que eu nunca conseguiria ter com a Julia, mas eu fico triste por ela, meu coração aperta, é como se eu estivesse me lembrando de como eu fiquei quando eu entendi o que havia realmente acontecido com meu pai, eu fiquei péssimo na época, eu era um cadáver, não saía do quarto nem para comer, eu saía uma vez por semana e comprava tudo que achava no mercado e levava para o meu quarto, e ficava lá o dia todo, olhando para o teto, ao invés de encarar tudo o que aconteceu comigo, eu me escondi, bem diferente da Julia, ela pegou o problema e literalmente bateu nele, ela chorou, mas encarou tudo, e abraçou essa dor como sua amiga... Eu realmente a respeito. 

[...] 

Era sábado, eu estava com preguiça do mundo, não queria levantar da minha cama nem para almoçar. Essa minha preguiça sumiu quando deu umas 16:00 horas, mais ou menos, o Thomas e o Lucas vieram aqui em casa. 

- Eae Japa, tá parecendo um mendigo. - Obrigado Lucas. 

- Quê foi mano? - O Thomas sempre é mais profundo, chega a ser estranho, ele consegue sentir quando as pessoas estão diferentes. 

- Nada. Eu estou com sono. 

- Vamos jogar um XBOX? - O Lucas... Bom, ele é ao contrário do Thomas, não percebe nem quando ele mesmo está triste. 

- Pode ser, só que lá na sala, meu quarto está parecendo um chiqueiro. 

- Um chiqueiro é mais limpo. - Obrigado Thomas. 

- Ué, esse aqui não é a pulseira da Julia? - O Lucas falou. 

A Julia sempre usava um pulseirinha dourada no braço direito, tinha o desenho de uma lua e um sol. 

- Ela deve ter esquecido aqui ontem. 

- Ué, ela veio aqui? - Lucas, isso é meio normal, já que somos vizinhos. 

- Ela dormiu aqui. - PORRA PORQUE EU FALEI? 

- Porque? - Não rende assunto Thomas, seu lixo. 

- Ela só dormiu, a gente ficou jogando até tarde. - Que desculpa bosta. 

- Ela dormiu no seu quarto? Seu safadinho. - Lá vai o Lucas. 

- Dormiu ué, ainda está apegado? 

- Saí mano, eu peguei aquela amiga dela, a Carla. - WHAT? DESSA EU NÃO SABIA. 

- Sério isso Thomas? 

- Pegou ué, ele falou isso umas 400 vezes. - Eu não presto atenção no que ele fala. 

- Pegou a Julia, Japa? - Lucas, silêncio. 

- Não. - Bom, eu já beijei ela, mas não foi nesse sentido, AH SEI LÁ... 

- E você dormiu aonde cara? - O Thomas perguntou. Porque eu virei o assunto? 

- Na sala ué. - Se eu falasse que dormi com a Julia PELA SEGUNDA VEZ eles iriam me encher o saco até o dia do meu enterro. 

- Cara, vamos parar com essa bosta de assunto e vamos jogar? - Isso Thomas. 

- Vamos chamar a Julia  aí completa quatro. - O Lucas está tentando me matar. 

- Tá bom, vamos lá na casa dela. 

[...] 

- Ah, oi, pensei que era para mim. - A "mãe" da Julia abriu o portão. 

- A Julia está aí? 

- Ué, pensei que ela tinha dormido na sua casa, já que ela vive lá. - Eu acabei de descobrir que tenho nojo dessa mulher. 

- Ela dormiu, mas foi embora. 

- Sei dela não, ela nem pisou aqui hoje. - Ela fez uma expressão de "ainda bem". 

- E você não está preocupada com sua filha não? - Thomas tocou na ferida. 

- Eu não, porque estaria? - E ela ainda fala isso como se estivesse confusa. 

- E se ela foi sequestrada? - Lucas nem fala isso, se não EU procuraria a Julia até o fim do mundo. 

- Aí é problema dela ué, não fui eu a sequestrada. - Ela estava desinteressada na própria filha, que nojo. 

- Ah tá tá... Obrigado, tchau. 

- Tchaau. - Ela bateu o portão. 

- Que mãe em. - O Thomas disse. 

- Eeh... - Você pode ter certeza que ela já fez coisa pior. 

Nós fomos para casa, e ficamos jogando o resto da tarde toda jogando, e boa parte da noite também. Tentei fingir que não estava preocupado com a Julia. 

[...] 

A noite eu entrei no Naruto Online e conversei com o Miguel, para ver se ele sabia da Julia. 

*Privado Voraz21*

-> The Black 0: ooh miguel se sabe da julia?

-> Voraz21: vc q é vizinho dela man kkk 

-> The Black 0: é q ela tá meio mal

Por um lado e mentira  mas por outro é bem verdade. 

-> Voraz21: ah tá, se tem o whats dela? 

-> The Black 0: tenho nn

-> Voraz21: pera aí q eu te passo mano. 

Ele me passou o número, e eu chamei ela no Whatsapp. 

*Whatsapp*

- Julia é o Japa, onde vc tá? Eu te procurei em casa e vc n estava, e foi embora daqui de casa mt cedo, vc tá bem? 

Enviei a mensagem para ela 20:40, não esperava que ela respondesse, e não respondeu, nem visualizou. Chegou mensagem no Naruto. 

*Privado I'm Batman* 

-> I'm Batman: eaae japa

-> The Black 0: quem é? 

-> I'm Batman: o marcelo né

-> The Black 0: vai me encher o saco e perder para mim até aq? 

-> I'm Batman: vai se foder man, tu é moh lixo tmb 

-> The Black 0: x1? 

-> I'm Batman: revoltado? 

-> The Black 0: tô sem paciencia pra lixo

-> I'm Batman: uhm, e o x1, bora

[...] 

-> The Black 0: nem valeu o esforço, tu é um bosta man

-> I'm Batman: hum, pelo menos em jogo luta bem, perdeu o campeonato pra aquela menina kk 

-> The Black 0: e vc nem participou, a patinha estava quebrada ne 

-> I'm Batman: ate q ela é boazinha, se é namorado dela? 

-> The Black 0: nn 

-> I'm Batman: se eu pedi pra fica com ela ela aceita man? ela é gatinha

-> The Black 0: ai vc quebra as pernas

-> I'm Batman: ciume? Kk 

Para falar a verdade eu nunca tinha pensado nisso. Acho que tenho um pouco de ciúmes da Julia, mas é óbvio que não vou admitir isso, ainda mais pro Marcelo. 

-> The Black 0: eu nn, ela quebra suas pernas 
- I'm Batman: iih kk esquece

-> The Black 0: eu vou sair flw, alias nem sei pq eu estou flw com vc

-> I'm Batman: flw 

[...] 

Era 21:30 e eu ainda não tive nenhuma notícia da Julia, isso me perturba, é como se eu pressentisse que algo de ruim vai acontecer, eu na quero isso, quero que ela fique bem, ainda mais agora depois de ter me falado tudo aquilo. 

Eu decidi sair um pouco, andar, parar de pensar e de me preocupar, esquecer do mundo um pouco. Mas foi inevitável não passar na frente da casa da Julia e olhar se a luz do seu quarto estava acesa, até a janela do quarto dela eu decorei. Estava apagado. 

Fui para aquela praça, no mesmo lugar onde eu conversei com a Julia pela primeira vez, foi impossível não dar um sorriso. Me sentei ali e senti o vento gelado da noite bater na minha nuca, estava suando frio. 

- Japa, você não está conseguindo mais esconder suas emoções. - Escutei alguém falar, demorei um pouco para processar a informação. 

- Ah... Oi Thomas. 

- Achou que era quem? - Eu queria muito que fosse a Julia. 

- Ah... ninguém... 

- Está ansioso porque? - Ele estava olhando pra minha perna, que estava tremendo sem parar. 

- Frio. Olha, desculpe Thomas, você é meu melhor amigo, mas eu quer ficar sozinho um pouco. - Tentei olhar pra ele e sorrir, mas como o som da minha voz saiu mais frio do que eu pretendia, nao foi possível. 

- Você não está mais conhecido controlar suas emoções como antes, isso é bom. - Ele riu e foi embora. 

Não é bom, eu queria continuar na margem de tudo, do mundo, mas a Julia apareceu e me puxou para dentro. Não que tenha sido ruim, mas é muito inquietante em pensar em como uma garota conseguia ter um poder tão grande sobre mim. 

[...] 

Deitei na minha cama e pensei um pouco no que o Thomas falou, que não estou conseguindo mais controlar minhas emoções. Fiquei um bom tempo olhando para o teto no escuro, eu estava preocupado com a Julia, eu não tive notícias dela hoje, isso é horrivel, ela simplesmente saiu e desapareceu, eu estava começando a desconfiar de sequestro, mas a Julia não é burra... "Ela devia estar treinando o dia todo, andando por aí e tomando açaí" . Era o que eu queria pensar. Fui dormir 2:00 da madrugada, uma noite ruim... 

[...] Uma semana depois [...] 

Já era sábado novamente. A Julia sumiu por uma semana, ela não apareceu na escola, e eu não fui na casa dela, por causa de sua mãe. Eu enviei várias mensagens para ela, ela não respondeu e nem visualizou nem uma delas, e nem atendeu nem uma das minhas ligações, não aparecia na acadêmia,  não entrava no jogo, nem nada, ela simplesmente sumiu, e eu estava igual uma garotinha histérica atrás dela. 

[...] 

Decidi ir na casa dela. Bati no portão e a mãe dela me atendeu. 

- Ei, cadê a Julia? Ela sumiu por uma semana. 

- Ué, ela não te contou? Ela foi para o Japão com o Manoel. - Isso foi como uma centena de facas atravessando meu corpo, pelo menos ela está bem. 

- Ela volta quando? 

- Sei lá, acho que hoje ou amanhã, ela não levou nada, nem mochila nem mala, nem o notebook.  Só o celular, o fone, e o carregador. - Ela estava totalmente desinteressada. 

- Cara você não liga para a própria filha? Que nojo. 

- Aí que dozinha, ela contou? - Ela riu. - Finalmente né. 

- Você é ridícula. 

- Aí que medinho, cala a boca moleque, você e aquela otária da Fátima, deveriam voltar a comer carne de cachorro e me deixarem em paz. - Ela estava rindo e mexendo na unha. Esse foi o momento mais próximo que eu cheguei de socar a cara dessa mulher. 

- Posso ver o quarto dela? 

- Vai ué. - Ela abriu passagem e eu fui. 

Estava tudo do mesmo jeito, nada diferente, nada faltando, nem a mochila e nem a mala que estava em cima do guarda roupa, eu sentei na cama dela, tinha o cheiro do perfume doce misturado com seu shampoo, chegava ser estranho o tanto que eu prestava atenção na Julia, nem com minhas namorada eu era assim. Olhei para o cantinho da cana, como se minha mente tivesse viajado para aquele canto no Japão, onde ela chorou, e também no meu quarto enquanto me contava a verdade. 

- Onde você está Julia? - Eu falei sozinho, estou perdendo a minha pouca sanidade. Vi que tinha um papelzinho alí no canto. 

*Bilhete* 

Japa, sei que você achou isso, você sempre corre atrás de mim. Não precisa fazer isso, só... esquece... 

Desculpa :) 

*Fim do Bilhete* 

É claro que eu corro atrás dessa idiota. E porque esquecer? Claro que não! E PORQUE CARALHAS TEM UMA CARINHA SORRINDO? No outro também tem uma carinha sorrindo, ela deve ter escrito esse depois daquele e deixou aqui. Já que a mãe dela é burra, nem deve ter visto. 

[...] 

Saí e voltei para a minha casa, com o coração apertado, deitei na cama e fiquei lá por um bom tempo, depois eu fui jogar o Naruto. 

[...] 

Depois de um tempo chegou uma mensagem. 

*Privado Sombra43*

-> Sombra43: oi japa  aq é o haru

-> The Black 0: ah oi haru

-> Sombra43: como q ta com a julia? kk 

-> The Black 0: sla man, ela foi pro japao com o tio dela por uma semana sem flw nd cmg

Ele é meu primo, não acho que tem problema falar com ele. 

-> Sombra43: vish man q treta, pq?

-> The Black 0: sla 

-> Sombra43: vcs brigaram? 

-> The Black 0: nn 

-> Sombra43: liga pra ela ue

-> The Black 0: man, eu ja fiz isso umas 300 milhoes de vezes 

-> Sombra43: ela entro no jogo quarta, eu tirei uns print, pera ai q te mando

Ele me mandou 5 prints. 

*Print 1*

-> Sombra43: oi julia é o haru 

-> Púrpura7: oi haru blz?

-> Sombra43: blz, e vc e o japa? 

-> Púrpura7: eu to mais o menos, o japa eu ja nn sei

-> Sombra43: pq? 

-> Púrpura7: ue nn sou vidente

-> Sombra43: huehue pq ta mais ou menos 

-> Púrpura7: umas treta loka ai 

-> Sombra43: uuhm, anda beijando mt o japa? huehuehue

*Fim do Print* 

*Print 2*

-> Púrpura7: vai se foder mano 

-> Sombra43: anda dormindo mt com ele? huehuehue 

-> Sombra43: caalma eu to brincando

-> Púrpura7: vai se foder

-> Sombra43: brigo com ele? 

-> Púrpura7: nao 

-> Sombra43: int pq se ta estranha? 

-> Púrpura7: eu nn to estranha, eu sou assim 
-> Sombra43: mentira, enquanto se fico aq no japao se ria q nem bobo alegre

*Fim do Print*

*Print 3*

-> Púrpura7: rir e estar feliz sao coisas diferentes

-> Sombra43: oq aconteceu? 

-> Púrpura7: nd osh 

-> Sombra43: mano eu nn sou burro, se tava chorando aquele dia e agr ta triste ai

-> Púrpura7: td mundo chora, e eu nn estou estranha, eu to normal 
-> Sombra43: tem qto tempo q vc nn flw com o japa? 

-> Púrpura7: 4 dias 

-> Sombra43: pq? se nn é vizinha dele

-> Púrpura7: to no japao com meu tio 

*Fim do Print*

*Print 4*

-> Sombra43: pq?

-> Púrpura7: to so esfriando a cabeça, domingo eu ja to la de volta 

-> Sombra43: ta esfriando a cabeça? do outro lado do mundo? q q aconteceu? 

-> Púrpura7: nd krl, ja disse 

-> Sombra43: se ta em q cidade? 

-> Púrpura7: pra q se quer saber

-> Sombra43: pra eu mandar a Yakuza ir te matar, nn é obvio? 

-> Púrpura7: em tokio

-> Sombra43: vou falar para minha mae me levar ai 

*Fim do Print*

*Print 5*

-> Púrpura7: pra q 

-> Sombra43: pra eu flw com vc ue  

-> Púrpura7: nn precisa 

-> Sombra43: fds, quero sair de casa tmb

-> Púrpura7: pede sua mae pra me encontrar no shopping int 

-> Sombra43: foi facil, ate amanha int 

-> Púrpura7: até. 

*Fim do Print* 

-> The Black 0: e vc foi? 

-> Sombra43: fui

-> The Black 0: e q q ela flw? 

-> Sombra43: flw q o pai dela morreu, e tinha umas treta da mae dela q ela nn quis conta, e q eu nn estou com a minima vontade de saber 

-> The Black 0: mais oq, desenvolve meu filho 

-> Sombra43: e q flw a treta pra vc, e q ela ta bem por ter flw, mas esta triste por ter jogado isso em vc 

-> The Black 0: ah mds, mais oq 

-> Sombra43: e q ela ta triste e q talvez se afaste de vc por um tempo 

-> The Black 0: what? 

-> Sombra43: e q nn sabe oq vai acontecer, e q ela nn quer q vc se fira como todos os outros, só isso 

-> The Black 0: so isso? mano isso é uma treta do tamanho do mundo 

-> Sombra43: sla, ela disse isso ai, eu nn entendi nd, mas quando ela saiu ela estava melhor 

-> The Black 0: ela chorou? 

-> Sombra43: nn, ela so estava meio avoada, e comendo igual um condenado 

-> The Black 0: vlw cara 

-> Sombra43: sla ne, de nd

-> The Black 0: vou sair aq

-> Sombra43: tá ne, flw 

-> The Black 0: flw 

O que acabou de acontecer aqui? A Julia está assim porque ela me disse a verdade? Ela está ruim porque acha que eu estou triste? Não acredito nisso, as vezes eu odeio quando ela se preocupe com os outros, ela inventa coisas totalmente irreais, nunca que eu ficaria mal a este ponto, preocupando sim, mas na a ponto de deixa-la. Eu decidi ligar para ela, ela nunca atende, mas eu não estou nem aí, preciso tentar. Eu liguei, ela atendeu, depois de uma semana. 

- Julia! Você está bem? Porquê você não falou nada por esse tempo todo, eu estou preocupado com você. - Minha voz saiu mais preocupada, apressada e alta do que eu imaginei. 

Ela não respondeu, eu sei que ela está escutando, dá para ouvir sua respiração. 

- Julia eu tô bem, por favor responde. 

- JUULIA VAMOS EMBORA, SE NÃO VAMOS PERDER O VÔO. - Eu consegui escutar o Manoel gritando do fundo. 

- Julia, espera por favor! Você está bem? Por favor me responde! 

- "Só não vá... Não vá me esquecer... De como eu sempre fui" - Ela cantou, cantou apenas isso e desligou. 

Ela diz pra esquecer, depois para não esquecer. Ela está me virando ao contrário, seria para esquecer a história da mãe dela e não esquecê-la? Eu estou ficando doido com isso. 

Eu me joguei na cama, porque caralhas eu estou tão preocupado? Ela está bem, tá vendo Théo, ela está bem... Eu sinto falta da Julia, eu estou triste, ela disse que vai se afastar de mim, e disse apenas aquilo, porque aquilo? Aquela música... Eu nunca vou te esquecer, mas você está querendo se esquecer de mim, porque? E porquê deixou a pulseira? Tenho certeza que você não esqueceu. É um sinal de que vai voltar, ou um sinal para eu levar até você? É igual a guitarra? PORQUE CARALHAS VOCÊ ESTÁ FAZENDO ISSO COMIGO JULIA? Meu coração está apertado... Eu não sei o que estou sentindo agora, mas com certeza eu estou triste... E com saudades da Julia.


Notas Finais


Um problema aí, e tão perto do final... 'O'
Julia porque você complica tanto as coisas? Coitado do Théo... :/

Está no finalzinho da fanfic, aos 44 do segundo tempo. Espero que estejam gostando tá ❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...