História Virtual love (He's closer than I can imagine). (Em Pausa) - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Diabolik Lovers
Personagens Personagens Originais, Reiji Sakamaki, Shu Sakamaki, Tougo Sakamaki "Karlheinz"
Visualizações 152
Palavras 2.105
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Lemon, Luta, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá meus leitores, peço perdões pela demora... Estava com aquele bloqueio criativo. Bom, lhes trouxe o novo capítulo u.u, espero que gostem.

Me perdoem se tiver alguns erros, prometo reparar depois.
Beijinhos de açúcar uwu ❤
Boa leitura.

Capítulo 5 - You...?!


•••••••••••★

 Uma manhã fria e com nevasca, pairou pelos ares da cidade de Quioto (Japão) fazendo a cidade ficar ainda mais bela e atraente para os inúmeros turistas que vinham visitar o local. A mansão Sakamaki, estava realmente, mais do que belíssima! O modo como os flocos de neve, envolviam a extensa mansão, como um enorme cobertor branco, era algo de tirar o fôlego, algo realmente, surreal.

 O silêncio perturbador, tomava conta dos extensos corredores, deixando aquela enorme residência, cada vez mais fascinante. E em um dos quartos daquele escuro corredor, Reiji estava nele. O rapaz estava sentado sobre sua cama, com um livro em mãos; como havia perdido o sono, e não queria levantar-se no momento, pegou um de seus livros em cima da cômoda, retornando sua agradável leitura. Cada estrofe que formava-se naquelas folhas brancas, deixava o vampiro preso ao mundo da leitura; totalmente vidrado com oque acontecia naquela história estonteante. Os olhos tom vinho, brilhavam de tão maravilhado, os lábios úmidos e atraentes, contraíam-se em alguns momentos, com as partes mais tocantes do seu precioso livro.

 — Formidável... – ao dizer isto, o vampiro moreno esboçou um sorriso satisfeito, ao terminar a leitura naquele mesmo dia. Reiji esticou seu braço para a cômoda, colocando o livro em perfeito estado sobre os outros; retirou o lençol de cima de seu corpo, e enfim, levantou-se passando á arrumar os lençóis da cama, com seu esperado perfeccionismo. Terminado, deu um sorriso de canto, apreciando á deslumbrante visão de seu quarto em perfeito estado. – Reiji caminhou até seu guarda roupa, e quando pegou uma toalha, dirigiu-se para o banheiro, para tomar um banho quente e relaxante.

••••×

 No outro quarto, Shu estava á olhar o teto, perdido em meio á aleatórios pensamentos.De certo modo, seu peito ansiava pelo dia de hoje, finalmente poderia encontrar-se com aquele homem que tanto lhe causava orgasmos delirantes e claro, dava-lhe um novo sentimento em seu peito, mas... Ele realmente amava o homem misterioso? Ou... Tinha seus verdadeiros sentimentos por Reiji? Desde sua primeira (e inesquecível) vez com seu irmão, aquele dia não saiu de sua cabeça; grudou naquele local, e dali, ninguém conseguia apagar. Havia uma constante batalha de sentimentos no peito do irmão mais velho, ele não tinha total certeza de seus sentimentos perante aquela pessoa misteriosa, mas sabia, que adoraria tentar esquecer seu irmão com ele; já que o mesmo, mostrava ser alguém bem interessante. Realmente, os pensamentos de Shu estava todos embaralhados.

 — Preciso de um banho... – meneou a cabeça negativamente, fazendo seus fios louros desalinharem, e então caminhou para seu guarda roupa pegando uma toalha, para assim tomar um banho relaxante na tentativa de acalmar seu corpo, que estava agitado pela ansiedade. No caminho, a dúvida percorria sua mente: "esta é realmente a melhor decisão á ser tomada? E se... Ele sentir o mesmo por mim?" – Poderia Reiji sentir algo por Shu? E por medo da rejeição, guardasse seus verdadeiros sentimentos? Shu não sabia oque pensar á respeito disto, mas sabia que precisava falar com Reiji sobre oque sentia, não podia mais guardar tamanho segredo consigo mesmo.

 — Uh... – o loiro estava totalmente perdido em seus pensamentos, que ao entrar no banheiro, não percebeu a presença de Reiji ali, que estava tomando uma bela ducha (vamos relevar um pouco e.e).

 — Shu! – a voz rouca e sedutoramente autoritária chamou-o pelo nome, que o retirou de imediato de seu transe.

 — R-Reiji... Eu... – o loiro arregalou os olhos, ao ver nitidamente a imagem do irmão totalmente nu, apenas com a água escorrendo em seu esculpido corpo, deixando-o mais atraente do que o habitual, e não pôde evitar de ficar totalmente vermelho e hipnotizado, com tal, e deslumbrante, imagem.

 — Você é realmente imprudente, por que simplesmente não bate na porta antes de entrar? – as bochechas pálidas do vampiro moreno, estavam levemente ruborizadas; ser pego em atual estado, era algo desagradável, principalmente pelo fato desta pessoa ser Shu. Desde o momento que ambos transaram naquela manhã, Reiji estava atordoado com os pensamentos, não sabia bem como agir diante do loiro depois daquele acontecimento, sentia-se constrangido agora que o via, e se xingava mentalmente por ser tornar tão fraco assim.

 — Me desculpe, eu.... – os olhos oceânicos estavam totalmente vidrados naquele corpo, como queria ir até lá e o beijar com voracidade. Passar sua mão por todo aquela abdômen definido, o sentir dentro de si, preenchendo-o com seu membro musculoso; só em pensar, em tais coisas, sentia o calor invadir seu corpo, fazendo um pouco de suor surgir. — Reiji... Humn.... – seus olhos brilharam intensamente naquele momento, e transmitiam uma imagem de pura luxúria, a medida que a distância entre Reiji e ele ficava menor, percebia a tonalidade nas bochechas do irmão se tornarem intensas, oque o fez rir baixo.

 — Oque pensa... Que está fazendo? – o vampiro moreno, podia sentir seu corpo esquentar; o olhar de Shu, fazia-o ficar com total desejo de novamente possui-lo, mas sabia que se seu amado virtual descobrisse, nunca iria o perdoar.

 A tensão sexual pairava entre aquelas paredes úmidas, e abafadas por conta do ar quente da água que ainda escorria do chuveiro (juro que eu ia escrevendo "shuveiro".q não usem dorgas crianças), deixando aquele local mais aquecido. Reiji foi empurrado contra a parede, e não resistiu em ofegar baixo ao sentir a respiração quente do loiro contra seus lábios, que desejava involuntariamente, provar os do outro, em um beijo ardente. A mão gélida e agora, molhada, de Shu, percorria seu abdômen o que o fazia morder o lábio inferior, tentando ao máximo não pensar novamente naquele dia, pois sabia que iria ficar em más condições, e não queria, pela segunda vez, dar esse gostinho de vitória á Shu.

 — Ora Shu... – em um movimento rápido, Reiji agarrará a cintura do loiro, desta vez, deixando-o preso á parede; os lábios levemente avermelhados do vampiro mais novo, eram decorados com um sorriso sádico e maldoso. Vendo a tonalidade das bochechas do loiro tornarem-se mais intensas, Reiji sorriu abertamente e então apertou a cintura do loiro contra seu corpo, deixando bem próximo seus membros. Sua língua áspera e quente, deslizou sobre o lóbulo da orelha do mais velho, e com um tom frio e seco, ele sussurrou.

 — Acha mesmo que eu iria sentir algo por você? Naquele dia, estava apenas com um desejo qualquer, e você, era minha única opção. – seu sorriso se alargava, porém, ele era forçado; apesar de não querer admitir, Reiji obtinha sim, sentimentos por Shu, mas o seu ego não deixava-o falar. — Não me diga que vai chorar? Francamente, você é realmente um inútil. – seu coração podia estar apertado naquele momento, mas seu sadismo era tanto que ele se agradava com a expressão que Shu fazia, uma expressão totalmente incrédula.

 Aquilo o destruiu por dentro, ouvir as palavras de alguém que ele tanto amava; palavras amargas e frias... Era algo, horrível. Shu sentia aos poucos, seu coração ir parando de palpitar, estava tão dolorido e apertado que ele não conseguia pronunciar uma só palavra. Sabia que se fosse dizer algo, cairia em lágrimas, e em momento algum queria que ele o visse naquele estado, não queria que ele se aproveitasse de sua fraqueza e zombasse de si por conta do choro. A água escorria por seu corpo que ainda estava com todos as roupas, suas pernas estavam bambas e seus lábios tremiam, assim como suas mãos. Ele ergueu seu olhar, e as orbes oceânicas que antes transmitiam luxúria e desejo, estavam repletas de dor e tristeza, as mãos que antes acariciavam aquele corpo com vontade, tremiam como se estivesse se declarando para ele naquele momento; o coração que estava cheio de amor para dar aquele vampiro sádico, agora, chorava por dentro; solitárias...e incontáveis lágrimas de sangue.

 — Uh... Bom, eu tenho que sair... Me desculpe se atrapalhei seu banho. – o rapaz empurrou de leve o moreno, assim, podendo sair dali; sentia as lágrimas começarem á escorrer e rapidamente saiu correndo dali, antes que começasse á chorar pra valer.

 — .... Me desculpe Shu...Eu não posso te amar. 

 ----×---- 

O choro era baixo, pois ele não queria chamar atenção de algum de seus irmãos; o seu rosto estava totalmente corado e molhado. Sua respiração descompassada, era totalmente perceptível, seus lábios estavam trêmulos e suas mãos abraçavam seu próprio corpo, como um meio de "defesa". Naquele momento, Shu não sabia oque pensar especificamente, mas agora, sabia que Reiji não sentia o mesmo por si e aquilo, deixava-o abalado, pois ainda estava confuso em relação aos dois homens.

 No momento que o rapaz entrou em seu quarto, sentiu a brisa gelada invadir aquele local, fazendo seu corpo arrepiar-se por completo. Esfregou levemente as mãos sobre os braços, numa tentativa de trazer um calor para seu corpo, que neste momento, ele sentia ficar cada vez mais vazio. Quando o loiro caminhou para sua cama e deitou-se na mesma, desabou em lágrimas. Suas mãos apertavam com força o travesseiro que este abafava seu choro, que não era pouco. Era como se tivesse sido esfaqueado inúmeras vezes, em um único local; seu coração... Seu coração molenga. Enquanto estava em prantos, ouviu um barulho de notificação é então pegou seu celular; por um breve momento, um sorriso surgiu em seus lábios, era uma mensagem de seu amado virtual.

 “M.S: — Querido, apareça as 21h naquele café que inaugurou á pouco tempo, estarei te esperando por lá.... Um enorme beijo ❤.

 PS: Estarei com uma rosa vermelha no bolso de meu paletó, para que saiba melhor me distinguir entre as outras pessoas. Espero que compareça, mal posso esperar para enfim apertar suas bochechas. Um beijinho, i love you ❤” – e ao terminar a leitura com uma voz fraca e uma última lágrima á escorrer, apertou o telemóvel em suas mãos, soltando um riso fraco.

 — Claro que irei... – dizia dando um leve sorriso, um pouco mais entusiasmado e então levantou-se em um pulo, indo para o banheiro de seu quarto para enfim se banhar.

 ----×---- 

Ao terminar seu banho, o rapaz vestia uma calça preta e uma camisa branca que tinha mangas longas; sempre com sua gargantilha no pescoço, ele arrumou-a. Passou suavemente a escova por seus cabelos louros, os penteando com delicadeza, e ao terminar, pegou seu melhor perfume passando em si. O cheiro era realmente agradável e Shu sorriu ao sentir o mesmo pairar pelo seu quarto, naquele momento, sentiu-se renovado. E ao estar pronto, saiu em passos silenciosos para a saída da mansão.

 O relógio marcava 20:55, apenas queria ser um pouco mais pontual, não queria que ele ficasse esperando por muito tempo. O percurso foi tranquilo e silencioso, apesar de algumas vezes Shu sentir alguém á lhe observar de longe; estranhou aquela sensação, mas pensou que fosse coisa de sua cabeça então apenas ignorou. Quando chegou no tal café, sentiu um agradável aroma invadir seu olfato, apesar de não gostar muito de café, o cheiro era algo agradável. O olhar do rapaz, percorreu á todos os locais, em busca de seu amado; sabia que ele tinha a rosa presa á seu paletó, mas também poderia distinguir facilmente pelas características que ele lhe dera; "alto, moreno e usa óculos" – não era tão difícil, presumia Shu.

 Cansado de ficar em pé, Shu caminhou até um mesa; que era próximo de um pequeno palco improvisado, onde os clientes poderiam dedicar uma música ao seu parceiro e então, chamou o garçom pedindo um suco de laranja. Sorriu para o rapaz vendo-o anotar seu pedido, e assim que ele saiu, soltou um leve suspiro olhando em direção á entrada.

 — Espero que ele venha... – o loiro suspirou, e seus lábios se contraíram naquele momento, pegou o cardápio que estava sobre a mesa e começou á folhea-lo enquanto o esperava.

 ----×----

 Reiji usava um conjunto social; composto por um terno preto, e uma camisa azul claro. Como sempre, o rapaz levava seu relógio de bolso em seu paletó, e este marcava exatamente 21h, o horário combinado. Ao chegar no local, Reiji suspirou baixo e colocou a mão na maçaneta, adentrando o local. Seu olhar analisava cada detalhe daquele local, apesar de "barulhento", era bastante agradável e bem renovador.

 Em meio aquelas pessoas, Reiji procurava seu amado gatinho, sabia que o rapaz estaria usava uma camisa de manga longa, branca, e para se "destacar" melhor estaria usando um cachecol azul, apenas para se destacar melhor, porém, ele também havia lhe dado suas características então não seria tão difícil. Enquanto Reiji caminhava pelo local, seu olhar procurava inquieto o seu amado, até que finalmente o encontrou, porém....

 — Você...?! – ambos disseram totalmente incrédulos,  com a boca entreaberta e os olhos arregalados.

 Continua....  


Notas Finais


Por hoje é só meus amores u.u
Espero que tenham gostado, me desculpem os erros e me desculpem a demora, a mente não estava colaborando.

Até o próximo uwu.
Amo vocês ❤.


Depois olho se tem algum erro, e reparo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...