História Virtual Love. (Imagine Park Chanyeol) - Capítulo 26


Escrita por: ~ e ~twkwoon

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, Kai, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Chanyeol, Chanyeolxreader, Eu Repeti Isso, Imagine, Kai, Park Chanyeol, Sim Eu Postei, Transexualidade, Você
Exibições 130
Palavras 1.013
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Fluffy, Hentai, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


oI!
Vocês andam sempre me pedindo "ai anabel volta com VL" porque eu sei que vocês sente a falta, porém, eu sou um amorzinho de autora e então eu voltei com um pequeno especial para vocês.
Outra coisa, bem importante também, eu tenho realmente um imagine novo, então por favor fique ai desse lado, nas notas finais terá o link!
Enfim, sem mais delongas
Boa leitura. sz

Capítulo 26 - Call me Baby. (Especial e Imagine novo!)


... UM ANO DEPOIS ...

Um ano se havia passado, Chanyeol vivia agora comigo, quem diria que tudo iria terminar assim, desta forma. Suspirei então, deixando o corpo cair sobre a cama novamente; os primeiros raios da manhã deixavam tudo difusos aos meus olhos claros. Os cabelos? Ah, esses continuavam curtos como sempre foram, muitas vezes Park tinha que ouvir coisas como “namorar um rapaz” ou “ser gay”, não que tal coisa o preocupasse de todo. Sempre tinha parecido tão desprendido das opiniões dos outros, porém naquela manhã alguma coisa tinha mudado, algo estava diferente do que o que deveria estar, verdade. O que poderia ser? Nem eu sabia, porque a forma como este me olhava parecia diferente, com conteúdo diferente do de sempre. Era até engraçado ver seus olhinhos olhando para mim daquela forma calma e serena que sempre estavam então.

— Hm? O que se passa, amor? – questionei, sentindo então seus dedos passar pelos meus cabelos escuros, seguindo-se então aquele clássico beijo sobre a testa que este sempre deixava em mim todas as manhãs.

— Nada, amor... Okay, na verdade, há algo que eu preciso de te contar, mas... Eu não te posso contar aqui. Então, depois do trabalho, vai ter comigo ao parque aqui perto, hm? Estou à espera. – retorquiu então, deixando um selar leve nos meus lábios ao levantar-se no mesmo instante. O que estava ali a acontecer? Eu realmente não sabia, porém fiz então o que este me pediu.

Levantei-me e fiz toda a higiene que precisava de fazer, felizmente, este somente iria então terminar algo pouco ao trabalho, acho que um projeto que tinha ficado por acabar do dia anterior e Segunda feira ­– visto que hoje era Domingo – teria que estar pronto, com certeza era isso. Olhei então a grande variedade de roupas dentro do meu armário, se fosse outra situação, eu com certeza iria com as minhas velhas amigas calças de ganga e a minha bela blusa, contudo parecia ser algo além de mais importante diferente também do normal. “Vestido, talvez?” Nem sabia, estava confusa na forma de vestir afinal de tudo.

Peguei então no primeiro vestido que vi e vesti-o assim, porém conforme olhei o telemóvel cerca de uma hora se havia passado já, e Channie esperava então no mim no local; como eu odiava perder tanto tempo assim quando o assunto era ter que me arranjar assim. Assh, eu realmente estava toda impaciente e querer mais do que tudo ir ter com ele para saber o que estava então a acontecer. Ajeitei o caelo ligeiramente e, como Tao me havia dito, coloquei uma pequena coroa de flores na cabeça. Os sapatos eram os de salto, vulgares e de cor branca, assim como as flores em minha cabeça presentes, que em nada tinham a ver com o fato do outro: completamente vestido de negro da cabeça aos pés.

Sorri-lhes assim que surgi, Jongin tinha-se oferecido para me levar ao local onde eu supostamente iria encontrar-me com meu namorado. Nem parecia, mas fazia já um ano que eu os conhecia, e que toda a minha vida tinha mudado de alto a baixo, porém tal coisa deixava-me verdadeiramente feliz, eu estava bem assim. O veículo movia-se levemente e ao sabor das curvas da estrada que antecedia o local, porém assim que lá cheguei foi relativamente fácil de ver onde ele estava... Um enorme aparato se havia formado ali, o que estava ali a acontecer? Nem eu sabia, parecia que tudo estava perfeitamente desenhado para me receber. Flores espalhadas pelo chão de um local público, o facto de ninguém praticamente estar na rua àquela hora da manhã... O que pretendia Park Chanyeol com aquilo tudo?

There are many who shine
but look at what’s real among them
Call me baby, Call me baby,
Call me baby, Call me baby
(You know my name girl)
My heart grows bigger for you
and it closes its door for everyone else but you
(You know I’m here girl)
Call me baby, Call me baby,
Call me baby, Call me baby
Even if it’s many times, Call me girl

You make me exist as myself,
you’re the only one in my world
You’re the one, You’re the one
Girl you’re the one I want

There are many who shine
but look at what’s real among them
Call me baby, Call me baby,
Call me baby, Call me baby
(You know my name girl)
Even if it’s many times, Call me girl

— C-Channie? – Perguntei a medo ao engolir em seco. Verdade, sempre tinha amado perdidamente a voz do meu platinado, era com certeza a coisa mais bela que todas as pessoas estavam habituadas assim a ouvir, ele era de todo perfeito, nada em si fugia ao ideal de perfeição e beleza que os meus olhos precisavam.

— Eu demorei muito para isto, confesso que fui até um idiota por demorar demais com tal pedido, porém eu agora ganhei finalmente a coragem que eu precisava... Então... – fez uma ligeiramente pausa, ajoelhando assim adiante de mim. De seu bolso, uma caixinha preta de veludo foi o que surgiu aos meus olhos. – Koo ---, não... Park ---, queres casar comigo? – um anel fora então o que se mostrara no interior de tal coisa, e eu não sabia como iria então recusar tal coisa, talvez não fosse sequer possível tal coisa.

— C-Channie... – fiz uma breve pausa, respirando fundo ao tentar acalmar-me. Queria entender o que estava a acontecer naquele instante, tentar entender o que se passava ali e o que queria acima de tudo naquele momento, e a resposta fora tão clara quanto água, eu queria-o. – Eu aceito, eu quero casar contigo, eu quero muito mesmo casar contigo.

Senti então os pés levantar do chão, seus braços envolveram a minha cintura e o anel fora deixado no meu dedo anelar da mão direita; estava tão feliz que mal poderia entender ao certo de onde tanta felicidade assim surgira. Mentira, eu sabia perfeitamente o que estava a sentir, e tal coisa tinha somente um nome.

Eu estava perdidamente apaixonada por Park Chanyeol, e queria que ele fosse o meu tudo.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...