História Virtual Or Real - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Justin Bieber, Personagens Originais
Tags Justin Bieber, Virtual
Exibições 47
Palavras 1.409
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Espero que gostem.
Essa história é uma invenção da minha cabeça;)
Boa leitura a quem até aqui chegou.
Olivia interpretada pela cantora Annie Khalid.

Capítulo 1 - Capítulo 1


Fanfic / Fanfiction Virtual Or Real - Capítulo 1 - Capítulo 1

ATUALMENTE

A jovem se sentou em frente à escrivaninha e ligou o notebook. Estava muito ansiosa. Fazia alguns dias que não falava com ele e estava morrendo de saudades. Nunca pensou que ficaria tão dependente de alguém que nunca viu pessoalmente e esse “relacionamento” já durava aproximadamente dois anos e contando...

Enquanto o ele ligava, ela foi até o espelho de sua penteadeira e ajeito os cabelos cacheados os jogando para o lado. Percebeu que tinha os olhos brilhantes e um sorriso bobo nos lábios. Era assim que ela ficava todas as vezes que eles se falavam ou estavam prestes a se falar.

Voltando para frente do notebook ela digitou sua senha e abriu o aplicativo, foi correndo até a cozinha e pegou um prato com duas fatias de pizza e um copo grande de refrigerante de limão e voltou para o quarto. Seus pais não estavam em casa.

Ao sentar na cadeira viu que seu computador apitava avisando que havia alguém a chamando para uma chamada de vídeo. Respirou e sorrindo de orelha a orelha ela aceitou.

- Olá Justin – disse ao ver o rosto sorridente na tela.

- Não sabe como estava morrendo de saudades de falar com você – ele suspirou.

- Ainda está deitado? – disse erguendo a sobrancelha.

- Claro que estou – disse divertido puxando a coberta até o queixo.

- Percebi por essa cara amassada – riu quando ele a olhou indignado. – Como você está querido?

- Bem e... Isso é pizza? – disse ao vê-la morder um pedaço.

- Ahã. Quer? – ofereceu.

- Como você me oferece sabendo que não tenho como pegar?

- Sou educada meu bem. É uma pena que você não está aqui pra gente dividir – disse tristemente.

- Ei. Eu sei que é difícil. Também queria que você estivesse aqui, mas vamos dar um jeito, estamos a dois anos juntos.

- Sei que já faz dois anos Justin, mas nunca nos vimos pessoalmente e isso está cada vez mais complicado.

- Entendo se quiser desistir amor – agora era ele que tinha a feição triste.

- O que? Desistir? Você ficou maluco garoto? Não vou desistir de você. Nunca.

- É bom ouvir isso. Sei que a nossa situação não é a mais normal possível, mais logo a gente consegue resolver tudo e vamos ficar juntos.

- Mas mudando de assunto antes que eu chore até falar chega – ouviu a risada dele. – Como foi o show?

- Maravilhoso.

- Se divertiu?

- Muito. Mas seria ainda melhor se você estivesse aqui – fez bico.

- Também acho.

- Nem um pouco convencida você. Que horas são ai?

- Quase duas da tarde. Por quê?

Ele pediu um minuto com o dedo e se virou para o lado oposto, a fazendo ver as tatuagens em suas costas e pegou o celular se ajeitando melhor encostado a cabeceira da cama. Levou o celular a orelha.

- Então? – respondeu a outra pessoa na linha enquanto ela o observava curiosa. – Tem certeza? – e sorriu – Valeu! Fico te devendo uma cara. Você é o melhor. Falou. – e desligou.

Jogando as cobertas para o lado ele se sentou de pernas cruzadas e esfregando uma mão na outra, ansioso disse:

- Vai até a porta da frente?

- Hã? – perguntou confusa tomando um gole do seu refrigerante.

- Vai até a porta Olivia.

- O que eu vou faze lá Justin? – revirou os olhos.

- Anda logo.

- Mas...

- Vai – pediu novamente.

- Tá. Tá. Tô indo seu chato?

Indo correndo até a porta da frente, Olivia a abriu e viu um embrulho estranho bem em frente à porta. Pegando ela sentiu um peso estranho e parecia que tinha alguma coisa lá dentro. Voltando para o quarto ela colocou o embrulho em cima da cama e olhou para o notebook vendo o rosto ansioso de Justin.

- O que você aprontou?

- Nada. Sou um anjo.

- Sei.

- Vamos lá. Abre.

Se virando novamente para o embrulho roxo ela começou a abrir a caixa e olhou dentro quando ouviu uma fungada.

- AHHHHHHHH – gritou feliz tirando de dentro um filhote de cachorro da raça Husky Siberiano. – A MEU DEUS. A MEU DEUS. JUSTINNNN – continuou gritando.

Ela ouviu a risada dele e se virou se aproximando do notebook.

- Eu. Não. Acredito. – disse pausadamente.

- Gostou?

- Se eu gostei? – o olhou. – Eu amei – disse apertando com cuidado o filhotinho que lambeu sua bochecha. – Obrigada Justin.

- De nada. Ei. Ele tem alguma coisa pendurada no pescoço.

Erguendo o cachorro ela o virou para si e viu que ele tinha uma caixinha presa na coleira. Pegou e deixou o cachorrinho no chão que foi logo cheirar todo o local se familiarizando. Olhou para Justin e ele sorriu a incentivando. Ao abrir seus olhos se arregalaram.

- E aí? – o ouviu perguntar. – ‘Cê topa?

Olhou dele pra caixinha com a aliança e da caixinha pra ele que estava com as sobrancelhas franzidas e mordendo o lábio inferior indicando seu nervosismo. Os olhos dela se encheram de água e ela sorriu concordando com a cabeça.

- Eu topo – respondeu. – Puta que pariu Justin. Quer me matar do coração?

- Matar você? Nunca – ele riu aliviado. – Olha se serve.

Enquanto ela experimentava a aliança, ouviu Justin se movimentar e quando o olhou viu que ele a observava segurando entre os dedos o par da aliança que ele tinha lhe dado.

- Serviu?

- Ahã – disse e viu ele sorriu.

- Então posso colocar a minha agora!

- Deve – observou ele deslizar a aliança pelo dedo anelar da mão direita.

   Ela ficou um tempo com cara de boba olhando para a mão.

- Você tem noção do quanto estou chocada? Nem sabia que existia aliança preta. Onde você achou?

- Tava andando por um shopping e quando passei em frente a uma joalheria vi e pensei: “por que não?”. Ela é feita de tungstênio.

- Acha que os jornais não vão descobrir? Afinal tudo que você faz no minuto seguinte está estampado na primeira página.

- Não vão. Afinal, não fui eu quem comprou, foi o Kenny – ela riu. – A próxima EU colocarei no seu dedo.

- Vai ter outra?

- Talvez – disse misterioso e riu. – Feliz aniversário Olivia. Eu te amo.

- Também te amo.

Um latido soou e ela se curvou pegando o cachorro e beijou a cabeça dele.

- Qual vai ser o nome? – Justin perguntou.

- Não sei. Alguma idéia?

- Não.

- Já sei. Justin diga olá ao Lolly.

- O que? Não – disse ele e começou a rir.

- Por que não? Eu gosto de Lolly Justin – disse maliciosa passando a língua nos lábios.

Ela o viu arregalar os olhos e engasgar.

- Calma. Respira – disse rindo ao vê-lo ficar vermelho.

- Como tem coragem de me dizer uma coisa dessas? – disse ofegante.

- Não disse nada demais Justin. Você que é um pervertido! – deu de ombros.

- Sei – ele semicerrou os olhos caramelos.

- Quando vamos nos ver? Quero dizer pessoalmente? – era a pergunta que poderia mudar totalmente a vida de ambos.

- Quando você quiser Olivia. É o que eu mais quero. Ver você pessoalmente. Poder te abraçar e te beijar. Não sabe o quanto eu sonho com isso – deu um suspiro se ajeitando na cama e colocando o notebook sobre as coxas.

- Quando você volta para o Canadá?

- Não sei. Tenho que olhar como Scooter. A minha agenda ta com ele.

- Entendo.

- Mas nós vamos nos ver mesmo que eu tenha que dar um perdido nele.

- Ui. Que rebelde você. Acho que vou deixar você descansar.

- Ah não Olivia. Quero ouvir mais a sua voz.

- Amor, você está com uma cara de cansado. Depois nos falamos. Eu não vou fugir. Quando você estiver descansado me liga.

- Mas...

- Mas nada Justin Bieber. Vá dormir.

- Tá, ta. Te amo.

- Também amo você. Até depois.

Olivia desligou o chat, porque sabia que ele iria enrolar e tinha noção do quanto Justin estava cansado por mais que não demonstrasse.

- Agora somos só nós dois Lolly – beijou a cabeça do cachorro.

...

...

...

News (um jornal qualquer)

Neste domingo, Justin Bieber foi visto andando pelas ruas de Nova York acompanhado de seus seguranças enquanto falava no celular.

O que chamou a nossa atenção foi o anel presente em seu dedo.

O que significa?

Será que o nosso cantor favorito foi fisgado ou é somente um acessório?

...


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...