História Visões de um amanhã. - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Colegial, Drama, Família, Fantasia, Ficção, Mutantes, Romance, Sobrenatural
Exibições 23
Palavras 2.346
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Ola!!!!
e agora hein!?
esse cara ta botando o terror! haahhaa

espero que gostem ;*

Capítulo 7 - Setimo


Fanfic / Fanfiction Visões de um amanhã. - Capítulo 7 - Setimo

 

Estávamos na enorme sala de Magnus, todos os mais próximos de mim e os fundadores. Contei a eles sobre meu encontro inesperado com assassino misterioso.

Victor chegou depois de alguns minutos, ele estava ofegante como se tivesse corrido o mais rápido que pôde, veio direto até mim o mais discreto possível e parou do meu lado enquanto os outros discutiam sobre o assunto.

- Você esta bem? – ele perguntou baixo para mim. Eu assenti com a cabeça.

- Olhos. - sussurrei para ele que sabia que deveria fecha-los, então peguei sua mão.

Alguns segundos de visões aleatórias sobre o futuro se passaram, suspirei e me foquei no que já havia acontecido e tentei envolver Victor no meu elástico.

Deu certo. Ele voltou com as sobrancelhas franzidas para mim.

- Quem seria “ele”? Quem mais ele esta procurando? - Thomas levantou a questão que me trouxe de volta a discussão.

- Pode ser qualquer um, mas ele parecia conhecer bem seus alvos. – soltei pensativa.

- Provável que sim minha querida, é o que temíamos. Ele deve conhecer todas nossas fraquezas então. – Magnus disse calmamente, mas eu podia ver sua tensão.

Houve um silencio enlouquecedor na sala, todos com olhos vagos procurando uma saída.

- Lydia. – eu disse e todos me olharam surpresos. Alguém em especial me chamou mais a atenção, Luke enrijeceu como se tomasse um choque. – Ele disse que Lydia foi esperta em me deixar aqui. Ela poderia ter algumas respostas. Seja ela quem for.

Magnus franziu a sobrancelha sem entender, pequei um breve olhar suspeito de Iris e Luke.

- O que vocês sabem? – perguntei aos dois que tentavam disfarçar a tensão.

- Não há nada que sabemos mais que você Tess. - Iris disse em um tom doce.

Eu odiava quando escondiam as coisas de mim, porque em geral eram ruins.

- Você sabe quem é ela. Digam-me. Ela pode ajudar, se eu entender talvez eu possa...

- Não, você não pode. Não pode lutar contra ele ou tentar salvar quem quer que seja. – Luke me cortou em um tom frio.

Eu o encarei sem acreditar e ele voltou a olhar a enorme janela.

- Quem você pensa que é para dizer essas coisas? Você chegou e tudo isso só piorou. – Victor se exaltou ao meu lado ele, foi em direção a Luke que o encarou sem expressão.

- Eu fiz mais por ela do que qualquer um aqui em 13 anos. – Luke disse friamente encarando Victor com desdém.

Aquilo me irritou profundamente, ele realmente pensava que era quem? Então Victor fez o que eu queria fazer. O socou no rosto.

Luke virou a cabeça com impacto e depois voltou a olha-lo com um sorriso de lado. Ele provavelmente era meio sádico.

Antes que pudesse fazer algo uma rajada de vento como um redemoinho pairou entre eles os afastando.

- Valdez para fora, Agora. – Magnus ordenou com a voz intimidante.

Victor não tirou os olhos de Luke por um breve período de tempo depois se virou e foi em direção à porta. Eu iria segui-lo, mas Iris me impediu com um “Fique.” em minha mente.

Olhei para Luke com raiva e levantei a sobrancelha para que ele entrasse em minha mente. Ele me encarou curioso de volta.

“Eu vou descobrir.” – eu disse a ele.

“Sim, você vai.” – ele respondeu como se eu fosse uma mimada que conseguia tudo o que queria.

Expulsei-o da minha mente e parece que ele não gostou muito, fez uma careta e voltou a janela.

- Tess, não temos informações nenhuma sobre quem deixou você aqui. – Iris disse por fim me fazendo voltar.

- Nós poderíamos procurar. – eu insisti.

Ela respirou fundo, derrotada.

- Eu entendo que queira saber sobre sua família, porque te deixaram aqui, mas não é uma boa hora.

Assenti sem responder, todos na sala pareciam estar com dó de mim agora. Foi Thomas quem quebrou o silencio tristonho.

- Eu ainda quero saber quem é “ele”.

- Todos queremos meu caro amigo. – Magnus o respondeu voltando a sentar na sua mesa principal. – Pode ser qualquer um.

- Se ele me procurou a vida toda, por que agora ele quer esperar que eu esteja “pronta”? – perguntei pra ninguém especifico.

- Por que ele não sabia a imensidão dos seus poderes, e ele não pode desenvolver poderes de outras pessoas, apenas pega seu estado atual. – Luke respondeu e eu tentei ignora-lo apesar de sua resposta fazer sentido.

- Então você tem que parar de treinar e fazer sejam lá o que estiver fazendo. – Iris disse em um tom mais alto, sua preocupação era eminente. Ela disse para mim, mas Luke quem respondeu.

 - Ela não pode parar agora. -Todos o olhamos. - Se ela parar ele vai saber, ele já chegou até ela, esta a acompanhando. Ela não pode parar.

Meu sangue ferveu.

- Por que você esta aqui mesmo? – perguntei a ele que virou para mim com um sorriso divertido contido. – Você acha isso engraçado? – eu me indignei com ele.

- Teresa. – Iris chamou minha atenção, mas eu não a ouvi.

- Você chega aqui como quem sabe tudo, fala coisas suspeitas e age suspeito, quem sabe seja você. Você quem ele esteja procurando. Você esta fugindo dele não o caçando. Você diz que não posso fazer nada porque sabe como ele age, você é cúmplice dele, tão terrível e irritante quanto! - eu despejei tudo sobre ele, irritada demais para medir minhas palavras, os olhares na face séria de Luke mudaram de surpresa para raiva e dor conforme fui falando e me aproximando dele.

Estávamos frente a frente, minha cabeça levantada para olha-lo nos olhos e ele me encarou, sem nenhuma expressão ao final.

- Teresa! – Iris me chamou de novo agora mais baixo, todos estavam quietos com as minhas acusações que eu sabia que faziam sentido.

- Você sabe que estou certa. – eu disse baixo para ela sem olha-la.

- Não, não esta. – assim que ela afirmou eu a olhei sem entender.

- Como você sabe?

- Porque eu a deixei ver minha mente e há coisas que não se pode mentir. – Luke respondeu friamente.

- Crianças, parem de brigas. – Thomas se levantou preguiçoso e nos encarou. – Mas a garota pode estar certa. Você pode ser “ele” afinal.

Eu me afastei deles andando devagar de um lado par ao outro da sala.

- Sim, pode ser. – Luke disse por fim.

- A única coisa que me interessa é tentar evitar... – eu me interrompi, não podia dizer nada.

Magnus suspirou.

- Tess quando ele vier você vera. Quanto mais próximo de você mais nítido a visão certo? Podemos fugir, tentar fazer algo. – ele disse tentando me dar esperanças.

- Sim, mas não é uma regra. – eu disse sem rumo.

- Vamos ter que acreditar nisso. – ele sugeriu com cansaço e eu assenti derrotada. – Vá descansar, amanhã conversaremos melhor.

 

Eu saí da sala e procurei Victor que não estava em lugar algum e isso me atrasou um pouco. Fui em direção ao meu quarto por fim, decidi ir pelas escadas já que o elevador estava demorando.

Conforme subia eu dei de cara com algo inesperado.

Entre um andar de escadas e outro estava Luna e Smith, se beijando. Eu pulei de susto por não esperar ninguém ali àquela hora, no escuro, apesar de aquele ser o lugar perfeito para o que estavam fazendo.

- oh Deus! – eu soltei com o susto, eles me olharam assustados e arrumaram suas roupas amarrotadas.

- Tess, oi. – Luna tentou dizer.

- Eu não vi nada. – garanti rindo de leve mais para mim mesma e continuei subindo as escadas.

Pude os ouvir cochichar sobre “ela não vai falar nada?” e “qual o problema se disser?”.

Um casal bem improvável e complicado. - Pensei comigo.

Chegando ao segundo andar que era o meu ouvi vozes, baixas, mas compreensíveis. Parei na porta sem abri-la para o corredor, tentei escutar.

Sim, é feio eu sei, mas a curiosidade é um dos meus dons.

- Eu não penso nela assim Valdez. – Luke disse ríspido.

Meu coração gelou.

O que?

- Não me interessa como você pensa nela, contando que você se ponha no seu lugar. – Victor ainda estava nervoso sobre mais cedo.

- Eu sei bem meu lugar Valdez, e você sabe o seu? – Luke foi irônico desta vez.

Imaginei Victor dando outro soco nele, mas ele não fez.

- O que você quer dizer? – Victor pareceu confuso.

- Você é uma das únicas pessoas com quem ela realmente se importa, já pensou o que ele faria com você? Como a chantagearia? Não o subestime Valdez, você não pode voar tão alto.

Eu não aguentei e abri a porta, eles me olharam pouco a frente.

Eu não deixaria Luke assusta-lo, não era justo.

- Isso não vai acontecer. – respondi a Luke fazendo pouco caso.

Passei por entre eles que me seguiram com o olhar e abri a porta do meu quarto.

- Sua mãe não te ensinou que é feio escutar a conversa dos outros Stins? – Luke usou seu sarcasmo contra mim.

- A sua não te ensinou que é feio irritar os outros o tempo todo Manson? – eu também sabia jogar.

Ele sorriu satisfeito e deu nos ombros.

- O que você quer? – perguntei seca.

- Vim falar com você, mas deixa para outra hora. - ele respondeu entediado. - Controle seu pombo Stins, ele anda muito arisco. – Luke disse para mim quando já estava de costas saindo pelas escadas.

Luna e Smith teriam outro susto. - pensei assim que ele estava fora de vista.

Olhei para Victor que me encarava de forma diferente. Entramos no quarto e ele ainda me olhava estranho.

- Que foi? – perguntei tirando meu casaco e colocando na cadeira.

- Você me pegou numa crise de ciúmes. Estou envergonhado. – respondeu corando e eu ri satisfeita por ele não estar com raiva o tempo todo.

- Você não precisa ter ciúmes. – eu tirei o elástico para pegar a mão dele.

- Sim, eu sei. – ele franziu a testa. – Mas ele age assim...

- Irritante? – eu terminei sua frase com um leve sarcasmo.

- Também, mas ele age como se te conhecesse melhor que qualquer um.

Revirei os olhos.

- Ele acha que conhece. Mas estou feliz por você ter dado aquele soco. – sorri orgulhosa para ele.

- Eu poderia dar dado muito mais.

- Com certeza sim, mas eu ainda preciso dele.

- E ele de você.

Eu o encarei.

- Parece que sim, sou a única chance dele. - Respondi tentando não dar detalhes.

Ele ficou quieto.

Olhei para a varanda com medo de encontrar algo, mas não havia nada lá.

- Você esta preocupada. Posso passar a noite aqui se quiser. – ele disse se aproximando de mim com um sorriso malicioso, eu sorri de volta e todo meu elástico sumiu.

- Isso pode ser mais perigoso ainda. – eu disse irônica sorrindo.

Ele me abraçou pela cintura e respondeu no meu ouvido.

- Às vezes o perigoso pode ser ainda melhor. – disse sedutor me fazendo arrepiar.

Eu sorri para ele que voltou para me encarar.

- Obrigada.

- pelo que?

- Por tudo, você é o que me mantém no chão com isso tudo, minha esperança de um futuro melhor.

- Existe um futuro melhor.

- Sim, com você.

Ele sorriu tímido e me beijou.

Naquela noite Victor ficou até tarde conversando comigo, falamos sobre varias coisas como sempre e então eu adormeci nos braços dele, protegida como eu me sentia.

Dormir era uma tarefa difícil para mim geralmente, mas quando estava com Victor era fácil como apagar a luz e depois acender.

 

No dia seguinte tudo deveria estar normal, mas John voltou de sua missão o que acabou com meu dia, não por ele ter voltado, mas por que se ele estava aqui significava que a minha visão poderia acontecer qualquer momento.

- Ei Stins! – ele veio até mim e me abraçou quando nos encontramos no corredor perto do campo.

- Não me esprema Tavares. – eu disse pra ele ficando sem ar.

Ele soltou e sorriu sem jeito.

- Fiquei preocupado com você, eu soube... - ele não terminou. Suspirei.

- Maldito seja o ouvido do Smith! – resmunguei.

- Tudo bem Stins, ele não faz por mal sabe? Às vezes deveríamos aceitar as pessoas como elas são por natureza.

Franzi a testa para ele.

- Você esta bem? – perguntei tentando esconder minha diversão.

- Estou Stins. Não seja mala. Estou preocupado com você.

- Você não deveria ter voltado ainda. – falei baixo demais e franzi o lábio.

- O que?

- Nada, eu estou bem.

Ele assentiu para mim depois seu olhar foi para trás de mim antes que ele fizesse uma careta.

- Acho que o ruivo quer falar com você, ele parece prestar bastante atenção em você. – John disse incomodado. Eu segui seu olhar vendo Luke parado a alguns poucos metros atrás de nós, ele me encarou e acenou com a cabeça para o lado, para a floresta. Voltei para John. – O que foi isso?

- Como sempre inconveniente. – resmunguei para mim mesma - Ele esta me ajudando em algumas coisas com meus poderes. – tentei explicar.

- Não se meta em encrenca Stins, Victor é um cara legal.

Fiz uma carranca para ele.

- Cale a boca Tavares. Não tem nada de errado. – eu disse agora irritada.

- Claro, desculpe. Te vejo depois então. - ele disse sumindo como um borrão da minha frente.

 

De longe vi Luke andar devagar até a floresta e o segui. Ele parou no que parecia o meio do lugar, com uma pequena abertura entre as arvores que se destacava, levei alguns minutos para chegar a ele.

Luke me olhava estranhamente, estava mais preocupado do que jamais havia visto antes, como se aquela feição não fosse dele.

- Qual o problema? – perguntei quando estávamos frente a frente.

Ele respirou fundo, parecia extremamente incomodado.

- Eu não queria fazer isso agora, mas eu preciso te contar a verdade. – ele disse em um tom seco, comecei a me preocupar.

Seja la o que ele fosse me dizer eu já sabia que iria mudar tudo.

 


Notas Finais


É TRETAAA!!!!
Vai Victooor!!! da na cara dele!!!
mentira, amo o luke </3
Tess revolts suahuhsauhsa mas Luke mereceu neh? cara escroto ;x
(ainda amo ele)

Luna e Smith suaahshsua quem diria hein? pegação na escada o/ KKKKK
"você não pode voar tão alto" amo fazer trocadilhos suhaushauhsa
"Controle seu pombo" KKKK aaah Luke vai acabar levando outro soco assim u.u

John com ciumes do Luke? será?
o que será que o Luke quer dizer com "verdade"? huuuuuuuum....
tambores porque o proximo é babado!!

até mais ;*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...