História Viva imaginação! BTS - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Amor, Bts, Fofo, Hentai, Imagine, Você
Exibições 294
Palavras 3.393
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Gente a quanto tempo não? Sentiram minha falta? Espero que sim? srsrsrs (#iludida)
- Motivos do sumiço. Toda vez que eu ia escrever sobre essa, vinha ideias de outras e pra não perder o momento eu escrevia as outras, era pra mim ter postado ontem mas um imprevisto não permitiu, mais agora estou aqui não é? Espero que gostem.

Capítulo 10 - Meninas más precisam ser castigadas! - V


Fanfic / Fanfiction Viva imaginação! BTS - Capítulo 10 - Meninas más precisam ser castigadas! - V

(Seu nome) on

 

-- Vamos logo (seu nome) !

-- Calma Tae, que presa para de puxar. – ele estava ansioso, saiamos tantas vezes antes e pro mesmo lugar e não havia toda essa animação.

-- Para de ser chata e não estraga o clima!

Apenas estávamos indo a praça aonde nos conhecemos, sempre vamos lá, acredito que ele esteja aprontando alguma coisa. Chegando a praça, vejo um menino de baixo de uma arvore parece que vigiando uma toalha repleta de comida. Vejo Tae ir de encontra ao garoto fazendo um cumprimento, e dando dinheiro ao garoto. Bati nas costas dele, que voltou o rosto pra mim assustado.

-- Vc está louco? Comprando droga? Veio aqui fumar, eu não vou fazer nada disso! De uma criança Tae!? – estava indignada com aquilo. Comecei a bater o pé esperando uma explicação, Tae olhava como se eu fosse á pessoa mais louca do mundo. A criança veio até mim puxando minha blusa, chamando minha atenção.

-- Tia eu só estava cuidando disso. – disse apontando em direção ao chão, olhei e encontrei as coisas para um ótimo piquenique. Fiquei sem graça. Olhei pro Tae ele estava emburrado. E a criança já tinha ido embora. Ri sem graça.

-- Ahã Tae? Desculpa? – ele nada disse, fui a sua direção, fui da um beijo nele, mas por causa da altura dele tive que levantar os pés e mesmo assim, não consegui. Bufei, dei um pulinho e nada de alcançar, mas que droga. Ele riu não melhor gargalhou. Sentei na toalha de cabeça baixa, odiava quando ele fazia isso, custava abaixar um pouco.

Ele se abaixou a minha frente, pus as mãos tapando meu rosto, ele agora também não ia beijar. Ele tocou minhas mãos.

-- Cadê a (seu nome)? Cadê? Cadê a (seu nome).  – com uma voz fina, não aguentei comecei a rir e tirei as mãos.

-- ACHOU!!!!!! – ele literalmente gritou e quem estava na praça voltou se olhar pra gente, quase morri de vergonha. Ele ria sem nem se importar.

-- Para Tae! – continuava rindo, mas quando parou, abraçou-me tão apertado e beijou meu pescoço fazendo uma sensação gostosa passar por mim, sensação que nesses meses estava ficando mais frequente mais nunca passava muito a frente.

-- Vou fingir que aquilo não ofendeu okay? – balancei a cabeça em afirmativa.

-- Vamos comer! – ataquei logo os morangos, ele ficou olhando com cara de besta.

-- Vai comer ou ficar olhando? – continuei atacando as comidas e logo ele também começou a comer. 

J-hope on

Estava atrás de uma árvore pensando em como arrancar o sorriso daquele cara, faz 5 meses, a droga de 5 meses que a (seu nome) está com ele, estamos voltando a conversar aos poucos, eu ainda não desisti 100% afinal ele pode dar alguma mancada e o ombro amigo estará aqui que passará a ser o ombro substituto que logo será efetivado.

Estava com meu binoculo quando sinto alguém abaixar perto de mim.

-- Ei saí esse lugar é meu!

-- A qual é? Eu preciso vigiar um casalzinho e essa é a árvore mais próxima. – disse uma voz feminina.

-- Não estou nem aí. – ela chegou mais perto pra olhar e na mesma direção que eu.

-- Ei vc não emprestaria seu binoculo não né?

-- Não caí fora!  - ela estava atrapalhando tirando minha concentração! Vou morder essa garota.

-- A poxa que custa. – que saco, vou lhe enfiar isso na cara dela.

-- Que tipo de espiã vc é que não trás seus próprios apetrechos? – ela revirou os olhos.

-- Desculpa aí “eu assisto três espiãs demais” . – ela virou de costas e bufou.

-- Eu só queria impedir que a bruxa da (seu nome) não enfeitiçasse mais o meu Tae! – ela cruzou os braços. Então estamos vigiando o mesmo casal. Eu ri sarcasticamente.

-- Fia o único macumbeiro da história é “seu Tae”. – disse imitando a voz dela de um jeito ridículo.  

Ela parou pra pensar, que garota lerda, será que ela ainda não percebeu?

-- Ahhhh estávamos vigiando o mesmo casal. – disse como se fosse á descoberta do ano, bufei.

-- A não me diga. – debochei da cara dela, que já não estava das melhores.

-- Podíamos juntar forças e aprontar pra cima do casalzinho, aí eles se separam eu fico feliz e vc fica feliz que tal? – para pra pensar e seria uma boa até que lembrei algo que a (seu nome) fez e disse pra mim quando criança.

Flashback on

Estávamos em minha casa chupando sorvete eu queria o de morango e a (seu nome) também, e como só havia um, minha mãe entregou pra (seu nome) de morango e de creme pra mim, chorei muito eu queria o de morango até que ela veio até mim e trocou os sorvetes. Perguntei se ela não queria o de morango ela disse que sim, mas que eu era o amigão dela e que se eu estivesse feliz ela estaria mesmo não tendo o sorvete de morango, enfim dividimos o sorvete de morango e o de creme também.

Off...

Olhei pra ela rindo com ele, ela estava feliz, ele a fazia feliz eu não tenho esse direito eu devia ficar feliz porque ela está. Mesmo eu ficando pra escanteio no quesito amor eu ainda sou seu amigo e amigos ficam felizes por seus amigos.

-- Não. – peguei o binoculo e dei na mão dela eu não preciso mais disso. Vou voltar pra casa.

-- Ei, qual a parte de vc fica feliz e eu fico feliz vc não entendeu? Nos dois ganhamos. – disse seguindo comigo.

-- Qual o seu nome?

-- Pode me chamar de Mi.

-- Mi nós vamos estar felizes e eles não, não quero ficar com ela e ela ficar triste porque não sei se vc notou mais ele estão felizes. Não serei eu a estragar. – dei as costas novamente.

-- Mas porque nos temos que ser os infelizes? – aquilo foi fundo.

-- Vamos ser infelizes se quisermos ser, alias a vida segui.

-- Vai desistir assim?

-- Não estou desistindo, estou buscando a minha felicidade eles já encontraram a deles, e eu vou atrás da minha, agora se vc quiser ficar pra trás, escolha sua.

A deixei lá e fui pra casa.

(seu nome) on

 

Joguei meu corpo pra trás deitando, eu estava parecendo uma baleia, minha barriga estava gigante de tanto que eu comi.

-- (seu nome) levanta tenho que lhe dar algo. – apenas continuei deitada de olhos fechados, ele já tinha guardado todas as vazias.

-- Entrega assim mesmo, eu estou muito cheia. – ele agarrou uma das minhas pernas tentando me fazer levantar, mais deveria segurar meus braços e não  minhas pernas, ri muito dele, acabou que puxei ele, que caiu deitado do meu lado, aproveitei pra escorar nele, o abraçando meio de lado.

-- Vc não toma jeito viu. – beijou o topo da minha cabeça.

-- O que vc tem pra me dar? – estava curiosa. Ele já me deu comida o que tem mais?

Pegou uma caixinha do bolso e pôs na minha mão. Abri com todo o cuidado possível. Havia duas alianças lindas, sorri pra ele peguei-as e coloquei em seus devidos lugares. Era linda, fiquei admirando minha mão.

-- Gostou? – disse baixinha como se tivesse medo que eu não gostasse, bobo mal sabe ele que se tivesse me dado um elástico de bexiga eu teria colocado do mesmo jeito, mesmo correndo o risco de perder um dedo.

-- Vc ainda pergunta? Eu amei, obrigada.

-- Minha mãe vai dar uma festa lá em casa, quer ir?

-- Claro seria estranho minha sogra dar uma festa e eu não comparecer. – disse rindo, levantamos pra ir embora. Ainda estava boba.

-- Bem que vc podia pedir pra sua mãe deixar vc dormir lá em casa. – passou o braço por minha cintura e fomos caminhando.

--É uma boa, vc pede. – nem morta eu ia pedir isso pra minha mãe com certeza ela arrancaria meus dentes.

-- Vai sonhando eu quero ter muitos filhos com vc! – disse apertando-me mais a ele.

-- Então já vai sabendo que não vou. – dei de ombros.

-- Credo (seu nome) não faz nem um esforço pra ficar com seu mozão aqui? – que dramático.

-- Meu Mozão, se eu pedir isso certamente vc fica sem namorada, vc conhece sua sogra. – chegamos em casa, que estava um silêncio suspeito e o Tae foi entrando.

-- Tá doído? Vai que minha mãe está fazendo algo inapropriado?

-- (seu nome) sua mãe nem está em casa. – olhei pra ele pedindo explicação.

-- O carro dela não está aqui e ela jamais emprestaria o carro, ela ama mais ele do que vc. – oxi.

-- Olha quem precisa de um inimigo se eu tenho um namorado como vc, isso mesmo joga na cara, amor... – disse a ultima palavra bem devagar. Fui pra cozinha encontrando um bilhete da minha mãe na geladeira.

Bilhete

(seu nome).

Tive um imprevisto trabalho, tive que viajar talvez volto em três dias!

Obs: Pelo amor que vc tem na SUA vida se comporta.

Mamãe te ama.

Se isso é amor não queiram ver quando ela estiver odiando. Meu pai que o diga.

-- Não vou posar na sua casa, vc vem pra minha. – dei um sorrisinho malicioso, hoje Kim Taehyung vc não escapa.

Ele olhou pra mim sem entender. Deixa, mas a noite.

-- Por quê?

-- Ela vai estar fora, vai deixar sua namorada em casa sozinha? Porque não posso deixar a casa.

-- Claro que não, vamos lá falar com a minha mãe.

Pra minha sorte a mãe dele é louca, mas pelo menos é mais gente boa. Aceita numa boa.

<><><><><><><><><><><><><> 

Já estava cansada de toda aquela barulheira, estava cheia afinal comi tudo que veio pela frente estava vegetando no sofá enquanto o Tae foi buscar uma blusa dele pra mim. Quando um ser enviado pelo capeta vem até mim.

-- Quer dançar? – se eu não me engano esse é o primo do Tae. Ixi é encrenca tenho que ficar longe.

-- Não. – isso curta e grossa.

-- Credo que mal humor, meu primo não te come direito? Se esse for o caso eu resolvo rapidinho. – disse passando a língua pelos lábios e a mão pelo seu pênis. Meu sangue subiu que idiota, levantei e logo em seguida dei um chute no seu “amiguinho” o fazendo urrar de dor.

-- Mas uma vez que chegar perto de mim e ainda me faltando com respeito eu lhe arranco o que vc tem no meio das pernas e dou pros urubus comer de almoço! – garoto saiu correndo feito bala, vejo Tae atrás perdendo o folego de tanto rir.

-- Quer ser o próximo? Porque demorou?

-- Credo!? Está de tpm? Apenas estou rindo do meu primo, depois eu acerto as contas com ele.

-- Se viu porque deixou prosseguir?

-- Por que eu sei que vc sabe se cuidar e assim ele vê que quando eu lhe deixar sozinha vc sabe se cuidar. – disse colocando sua blusa em mim, fazendo meus cabelos bagunçarem.

-- Quero ir pra casa. – já estava cansada e queria executar um plano. Ele olhou as horas e concordou.

-- Está na hora mesmo. – nem encontramos a mãe dele, sem comentários, perguntei se havia risco de sairmos e deixar a casa com toda aquela gente, ele apenas disse relaxa. Chegamos a minha casa tudo apagado, trancamos a porta e seguimos pro meu quarto. Ele retirou os sapatos e a blusa e se jogou na minha cama. Fui ao banheiro, retirei toda a roupa, exceto a calcinha e coloquei uma camiseta do Tae que batia no meio das minhas coxas sai e fui em direção a minha cama. E deitei.

-- Ei essa blusa é minha. – disse puxando um pouco a blusa.

-- Desencana, ela agora é minha, está comigo. – digo rindo, ficamos abraços Tae parecia interessado em dormir mesmo, a mais não vai não, não que eu seja atirada, mais poxa eu quero ele, ele é meu namorado quero fazer isso com ele, quero conhecer coisas novas e com ele, e esse desejo por ele mal matado vai acabar me deixando literalmente louca, vou dar sinais se ele não entender terei que pegar pesado.

Comecei a passar a mão na sua barriga devagar tinha momentos que era apenas a unha, por algumas vezes o senti estremecer, dessa vez fui descendo mais indo em direção ao amiguinho senti o arfar de ansiedade, e voltei pro inicio ele deve estar se sentindo assediado, rsrsrsrs. Dessa vez eu iria colocar a mão dentro do short dele, mais ele segurou minha mão.

-- Para. – soltou um sussurro sofrido, fazendo minha excitação só aumentar forcei minha mão pra dentro do short com toda a coragem que reuni lendo fanfics e livros de mulheres ousadas e bem resolvidas. Agarrei seu membro com vontade mostrando que eu o queria, ele gemeu e percebi ele jogando a cabeça para trás, seu membro está quente e duro, gemi ao pensar nisso entrando em mim, cada vez que eu pensava no prazer que ia receber que ia ser recebe-lo em mim, aumentei a velocidade, até que fui bruscamente tirada e imobilizada na cama com os braços pra cima. Tae estava com a respiração falha e com o rosto soado.

-- Para não podemos.. – aquilo já estava chateando, ele não queria?

-- Porque não?

-- Depois do casamento – disse devagar tentando recuperar o folego, mas meus olhos vagavam de seu rosto ao seu pênis ereto pedindo atenção, lambi os lábios o fazendo soltar um barulho e um trincar de dentes.

-- A qual é! Vc nem mesmo virgem é! – soltei, essa não vai colar.

-- Mais vc é! – foda-se.

-- Mais eu quero Tae. – falei baixinho sentindo minha amiga pulsar, esfreguei as pernas tentando aliviar. Tentei roçar meu corpo no dele, mais ele estava usando muita força choraminguei.

-- Não.. – sua voz já estava rouca, ele podia negar mais ele também queria.

-- Tae – falei com a voz mais sensual possível e ele gritou comigo.

-- Eu já disse não!

Esquece aquilo doeu, agora fiquei com raiva.

-- Merda Taehyung! Eu sou sua namorada e eu quero PORRA! Literalmente eu sou uma mal comida e alias nem comida eu fui! – o empurrei com toda força o fazendo rolar pra longe de mim. Virei de costas e cobri.

-- (seu nome) – ele sentou na cama e levou suas mãos ao meu ombro.

-- Não encosta, em mim! – disse devagar e até rangendo os dentes de raiva e frustração. Ele suspirou.

-- Por favor, não fique brava comigo. – não respondi eu não estava brava estava furiosa cuspindo fogo.

-- Olha não está sendo fácil pra mim não okay! Não é vc que vai dormir de pau duro.

-- Vai por que quer! – já estou ficando impaciente com isso. Ele tentou novamente se aproximar de mim, mas não deixei.

-- Vai se foder Kim Taehyung! – esbravejei com toda sua força ele virou meu corpo se pôs em cima das minhas pernas e com uma das mãos imobilizou meus braços acimada da cabeça fazendo a blusa subir e mostrar parte da minha calcinha, logo minha respiração acelerou e voltei a ficar quente.

Seus olhos finalmente estavam tomados pelo desejo umedeceu os lábios e se abaixou pra ficar com a boca a altura do meu ouvido e disse com a voz rouca e sexy.

-- Não... Irei foder vc (seu nome inteiro). – com força chocou nossos corpos.

-- E vc será castigada por ser uma garotinha má. – disse estapeando a minha coxa fazendo com o impacto aproximar meu corpo do seu. Aquilo não foi tão ruim e nem tão bom, mas o que surpreendeu for ter minha excitação aumentado com o tapa. Ele soltou meus braços apenas para se despir completamente, e em seguido retirou a blusa do meu corpo, ele desceu até ficar com o rosto próximo a minha intimidade, sem nunca desviar o olhar e com os dentes foi retirando minha calcinha.

Porra que moleque tesudo! Ainda bem que é meu namorado.

Iniciamos um beijo urgente onde nem minhas mãos nem as dele ficava parada. Passei minhas pernas por sua cintura fazendo nossos corpos se chocar fazendo nos gemer com os toques mais íntimos. Uma de suas mãos estava apertando com vontade meu seio enquanto ele descia a boca pro meu pescoço, lambendo e mordendo e se controlando pra não deixar nenhuma marca visível. E foi descendo os beijos pela minha barriga, deixando um chupão na mesma. Gemi manhosa sentia uma energia transbordar de meu corpo. Ele continuou descendo o lábio até chegar aonde queria e passar um dedo pela extensão já lubrificada da vagina.

-- Vc me quer? – balancei a cabeça concordando.

-- Aqui? – disse enfiando um dedo. Resmunguei com o desconforto, mas gemi quando ele foi aumentando a velocidade do entre sai, um dedo pra mim não era mais suficiente.

-- taeeeee.... – ele riu e colocou mais um, fazendo revirar os olhos em deleite, e continuou a penetrar fundo com os seus dedos.

-- Assim querida? Gosta de ser fodida pelos meus dedos? – gritei quando levou a boca sugando meu clitóris e aumentando a força nos dedos, minha visão começou a escurecer senti minhas pernas formigarem, senhor que sensação é essa.

-- taaee taee – sem motivos e lógica comecei a chamar por seu nome, não conseguia parar de remexer, até que sinto algo avassalador e gostoso vir, mas Tae para do nada, e a sensação volta pra trás, fazendo minha vagina se encharcar meu clitóris pulsar, minha respiração ofegando, reclamo com ele.

-- Vc não vai gozar facilmente não quando foi tão má! – fingiu que ia penetrar seus dedos novamente, mais foi um blefe que arrancou um choramingo alto, eu preciso de alivio desse fogo que esta queimando. Beijou minha boca com um casto selinho.  Abriu minhas pernas que eu havia fechado tentando ver se passava a sensação. Penetrou de uma vez, mas a única coisa que passava em minha cabeça era como era gostoso senti-lo pulsar em mim, iniciou fortes estocadas, arranhei suas costas tentando traze-lo mais pra mim.

Seus impulsos estavam tão fortes que a cama estava batendo na parede, ele gemia em meu ouvido como se fosse apenas pra mim ouvir, eu por outro lado era espontânea hora era baixo e outros altos. Seu nome foi minha canção do prazer.

Senti ele ir fundo e quando parecia que eu estava enfim chegando ele diminuía a velocidade e eu choramingava, rebolando tentando aumentar a fricção.

-- Tae poooor favor. – até solucei estava engasgando de prazer.

-- Gosta assim? – disse no meu ouvido quando aumentou a velocidade.

Agora sim ele vai até o fim, segurando em minha cintura com força, parecia que ele queria atravessar meu útero tamanha á força usada, estava sentindo arder, mas estava se misturando as outras sensações e estava tão bom. Acabou que ele levou a boca ao meu pescoço e chupou foi a gota da água, meu desejo transbordou gritei de alivio, minhas pernas tremiam e minhas forças esvairão, ele continuou estocando forte até gozar e ainda não havia parado de chupar meu pescoço que senti doer e soltei um resmungo. Ele soltou, mas caiu exausto sobre mim.

Depois das respirações reguladas. Ele deitou me puxando pro seu peito, eu estava tão satisfeita que eu apenas queria ir ao mundo dos sonhos.

-- Namorada minha jamais será mal comida! – acabei rindo, mas ele acabou comigo, isso vai ter volta.

Estava com sede e ia buscar algo para bebermos, tentei sair da cama mas no primeiro passo minhas pernas falharam me levando ao chão, fazendo Tae levantar no susto e me pegar no colo, logo correu buscar água, a carinha de desespero que ele fez foi muito engraçada.

Bebi a água e deitei preciso descansar ele me abraçou por trás e suspirou.

-- Que foi? Não foi bom?

-- Foi ótimo, mais eu lhe machuquei. – ele fez bico, nem parece aquele garoto que a minutos atrás estava me negando um orgasmo.

-- Desencana vai, isso acontece.

-- Desculpa.

-- Mas vai ter volta.

-- Vc acabou de falar que acontece. - disse me abraçando mais.

-- Meu Tae, estou me referindo que vc também vai ser castigado por me negar chegar ao prazer aquilo foi mal. – a mais ia ter volta, e ele riu dizendo que estava bom e que ele ia deixar só porque ficou com remorso, ficamos abraçadinhos e dormi, muito bem comida.


Notas Finais


Olá amores espero que tenham gostado, se não desculpem darei o meu melhor na próxima.
--OBS: NÃO CUSTA COMENTAREM CONVERSEM COM A TIA AQUI.
Vcs que gostam do Tae, tenho uma outra fic que é na verdade uma long, okay certo.
Vou deixar o link pra vcs não custam dar uma lidinha né? Beijos e agradeço muito a vcs.
http://socialspir.it/6011240
Beijos e até . S2


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...