História Vivendo com você - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Como Eu Era Antes de Você
Personagens Louisa Clark, Nathan, Will Traynor
Tags Lou, will, Willou
Exibições 82
Palavras 1.141
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


olá pessoal, recibi ótimos comentários sobre o primeiro capitulo e resolvi fazer mais um. Desculpa demorar tanto, mas eu viajei e só cheguei hoje, espero que gostem.

Capítulo 2 - 2


Acordo com os raios de sol que saiam da janela batendo no meu rosto. Abro os olhos e vejo que estou deitada no peito de Will, que estava dormindo tranquilamente. O sono dele era muito pesado ás vezes (especialmente depois que fazíamos amor). Abro um sorriso idiota lembrando da noite passada. Eu amava Will, e cada vez que fazíamos amor era mais especial que a anterior. Ta, eu sei que foram só duas vezes, mas mesmo assim, era sempre tão especial. Não era como com Patrick, não que com ele também não fosse especial, mas com ele eu sentia mais que era uma obrigação e não algo que eu quisesse de verdade, algo que me fizesse ansiar por esse momento toda a hora. Já com Will eu me sinto nas nuvens, cada vez que o vejo, cada vez que sinto seu toque, a minha vontade é de pular em cima dele e beijá-lo loucamente.  

Beijo o peito de Will e me levanto, vou até o closet e visto um conjunto de calcinha e sutiã rosa com estampas de corações brancos, e um visto uma das camisas de Will. Eu simplesmente adorava vestir suas roupas, às vezes até roubava algumas de suas cuecas eu as usava, eu não posso resistir, são muito confortáveis.

Olho no espelho e vejo que meu cabelo está uma bagunça, opto por fazer um coque desajeitado e escovo os dentes. Volto pro quarto e vejo que ele continua dormindo, e parece ter um sorriso no rosto. Não consigo deixar de sorrir. Olho no relógio, são 8:00 A.M, ainda é cedo. Fecho as cortinas do quarto para que o sol não bata na cara de Will e vou para a cozinha, deixando a porta do quarto aberto para que ele possa me chamar quando acordar, o que provavelmente vai demorar.

Ligo o rádio enquanto cozinho, por que cozinhar com musica é muito, mas muito melhor.

_Bom dia ouvintes, é hora de acordar e tomar aquele delicioso café da manhã, e para animar o seu café, ai vai Marrom5- Sugar – diz o locutor, a musica começa e eu começo a preparar o café, enquanto danço pela cozinha.

Trinta e cinco minutos depois eu já tenho uma linda bandeja de waffles, duas maças fatiadas, um suco de laranja, duas panquecas e calda de chocolate e caramelo. Desligo o rádio, pego a bandeja e me encaminho para o quarto. Me surpreendo ao ver Will acordado, ele abre um sorriso quando entro, sorrio também.

_Bom dia dorminhoco – eu digo, coloco a bandeja na cama, me inclino e lhe dou um beijo de bom dia.

_Bom dia Clark, na verdade eu estou acordado a muito tempo, mas como eu não consigo levantar daqui, eu simplesmente fiquei ouvindo você fingir que estava no The Voice – ele ri, finjo estar ofendida.

_Que grosseiro Sr. Traynor, pois saiba que é muita falta de educação ouvir as pessoas cantando atrás da porta, mas como eu canto muito bem, eu lhe perdôo da sua grosseria.

Ele ri ainda mais e balança a cabeça.

_Parece que alguém andou furtando coisas do meu armário – ele olha para as minhas roupas.

Coro por ter sida pega no flagra.

_Você não pode reclamar eu sei que gosta de me ver em suas roupas.

_Isso eu não poço negar.

_Almenos na sou eu que estou nu.

Olho para o seu corpo, e sinto o meu esquentar. Ele olha para o próprio corpo e abre um sorriso travesso. Ah esse sorriso maravilhoso, penso.

_Eu sei que você gosta de me ver nu.

Sinto minhas bochechas queimarem. Ele ri.

_Vejo que você trouxe uma bela bandeja de café da manhã – ele aponta com a cabeça para a bandeja. Eu aceno.

_Tudo da mais perfeita qualidade – pego m pedaço de waffles  e coloco no prato – Que tipo de calda você quer?

_De chocolate, por favor.

Abro um sorriso, Will era um chocólatra. Era como perguntar s um padre queria rezar missa.

Jogo calda no waffle, e levo até sua boca. Ele fecha os olhos, apreciando o pedaço, enquanto dava pequenos gemidos.

_Caramba Clark, você se superou.

_Isso seria um elogio Sr.Traynor? – levanto uma sobrancelha.

Will não era muito de me elogiar, mas de algumas semanas pra ca, ele fazia alguns elogios de vez em quando, mesmo que indiretamente, e aos poucos, ele se mostrava cada vez mais romântico.

_Claro, Srt. Clark, eu vivo te elogiando, você que não percebe.

_Ah sim desculpe a minha total falta de atenção, prometo ser mais atenta quando o senhor resolver me elogiar.

Coloco mais um pedaço de waffle, na boca dele, que saboreia com felicidade.

_Acho que sou um aleijado de sorte, tenho uma cuidadora que cozinha muito bem.

Reviro os olhos. Odeio quando Will refere-se a si mesmo dessa forma.

_Bem, eu achei que tinha sido promovida a “namorada” – faço aspas com os dedos quando digo namorada – Mas já que é assim, você pode me dar algumas referências? Recebi uma proposta muito boa de um ex-soldado de vinte e sete anos super gato e sarado que ficou paraplégico depois de receber um tiro na coluna – abano o rosto como se a imagem desse homem fosse super quente. Vejo seu rosto inflar de ciúme.

_Nem pensar, Clark, não estou a fim de compartilhar.

_Quem falou em compartilhar? Eu iria me mudar para a casa dele e esquecer você.

Seu queixo cai, e eu sei que tive sucesso. Ele está morto de ciúmes, e parece incrivelmente chocado.

_Tudo bem então, já que você quer, peço a Nathan para escrever o que eu disser, agora se me der licença – ele vira a cabeça de lado, encerrando a conversa.

Sorrio diante do seu ciúme bobo, gosto quando Will sente ciúmes de mim, e gosto especialmente de provocá-lo. Coloco a bandeja no criado e me jogo no seu colo, rindo.

_Seu bobo, acha mesmo que eu iria embora? – pergunto, ele continua de cara fechada.

_Eu não sei, um ex-militar paraplégico, é melhor do que um tetraplégico inútil.

_Ei, para com isso – pego seu rosto entre minhas mãos, para enfatizar minhas palavras, e fazer ele enfiar de uma vez por todas nessa cabeça dura que eu o amo – Não refira a si mesmo desse jeito, eu não gosto. Eu amo você Will e preferia você, a marinha inteira aos meus pés, será que da pra entender isso de uma vez por todas? Eu estava apenas brincando.

Vejo um sorriso ameaçando aparecer em seus lábios. Sorrio de volto e o beijo.

_Você é um cabeça dura, acha mesmo que depois da noite passada eu vou a algum lugar?

_Por falar em noite passada, eu ainda estou nu – ele diz em um tom sedutor.

Entendo o que ele quis dizer e o beijo apaixonadamente. Algumas horas depois, estávamos os dois na cama completamente exaustos e nus, e o nosso café da manhã totalmente frio e esquecido no criado.

 


Notas Finais


oi gente, espero que tenham gostado do capitulo, deem sugestões e digam se vocês querem que a fanfic continue.
um beijo e até o próximo capitulo ;)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...