História Vivendo com você - Capítulo 60


Escrita por: ~

Postado
Categorias Como Eu Era Antes de Você
Personagens Louisa Clark, Nathan, Will Traynor
Tags Lou, will, Willou
Visualizações 73
Palavras 1.409
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 60 - 57


Treena's Pov:

Devo confessar que eu estava apavorada. Por mais que a ideia de estar grávida me deixasse feliz, eu estava com medo. A minha primeira experiência não foi boa, eu não me arrependo de ter Tom, mas quando o pai dele não quis me dar apoio e sugeriu que eu abortasse, aquilo me magoou profundamente. Hoje Tom é alegria da minha vida, amo meu filho mais que tudo no mundo. Martin e eu temos um relacionamento mais firme do que eu tive com o “pai” de Tom, mas mesmo assim aquela sensação de medo não me deixava, por mais que eu quisesse.

Eu estava na casa de Louisa, sentada com ela vendo algo aleatório na TV e comendo pipocas. Tom brincava no quarto com Lily e Christian, Martin havia ido, dizendo que tinha uma emergência e Tom me implorou para ficar aqui, e foi melhor ficar, a presença de minha irmã me transmitia uma alegria e um conforto que eu adorava.

Eu estava sentada com a cabeça em seu colo enquanto ela fazia carinho em meus cabelos. Passo a mão pela minha barriga ainda sem nenhum volume e respiro fundo.

_Logo logo você vai estar gorda que nem uma bola – Louisa diz.

Dou um sorriso fraco.

_Não senhora, lembre-se que na gravidez de Tom eu não engordei muito e recuperei meu corpo com menos de um mês depois da gravidez.

Ela me dá um tapinha de leve na testa.

_Não estrague minha alegria.

Eu rio.

_Como você descobriu? – ela pergunta enquanto jogava uma pipoca na boca.

Dou de ombros.

_O mesmo de sempre. Enjoos, um mês sem mestruação, peitos inchando, fiz dez testes de farmácia e deu nisso.

_Dez testes?

_Eu fiquei assustada com o primeiro. Não queria acreditar, então fiz dez e mais um exame de sangue.

_Meu Deus Treen – Ela ri. Não acredito que ela riu.

_Não ria. Você vai passar por isso um dia e eu vou rir de você.

Ela para de rir na hora. Me lembro do filho que ela perdeu e me arrependo na mesma hora da minha fala.

_Lou... – me levanto encarando seus olhos – Me perdoe, eu não pensei...

_Tudo bem Treen – Ela me corta – um dia vai acontecer de novo, tenho fé nisso.

_Sim, claro que vai – a abraço forte – Você e Will se amam demais, logo logo vai sair um fruto disso.

Ela sorri. Olho as horas e vejo que já escureceu. Me levanto do sofá.

_Eu vou em casa tomar um banho. Algum problema Tom ficar aqui?

Ela balança a cabeça negativamente.

_Problema nenhum, hoje é sábado, ele pode dormir aqui se quiser. E sei que você quer conversar com Martin.

Suspiro.

_Sim, ainda não conversamos sobre a gravidez. Mas talvez ele não chegue em casa hoje, então provavelmente não vamos conversar.

Calço minhas sapatilhas pretas.

_Vocês vão ter tempo para isso relaxe.

Ela me acompanha até a porta. Eu pego meu casaco, pois lá fora já estava frio por causa da neve fraca. Dou um abraço nela e sigo pela rua até minha casa. A neve caia fraca nas ruas de Londres, algumas pessoas andavam parecendo não se importarem com isso, outras apertam seus casacos na tentativa de afastar o frio. Vejo um casal se beijando apaixonadamente enquanto a neve caia em suas cabeças, mas eles não parecem ligar. Ah o amor jovem.

Chego ao meu prédio e entro, subo as escadas até minha porta. Balanço o casaco para tirar a neve e não sujar a casa e procuro as chaves no bolso da minha calça jeans. Finalmente acho e abro a porta, arregalo os olhos pro que vejo.

O hall de entrada estava coberto por pétalas de rosas brancas e vermelhas. Penduro meu casaco no armário e olho intrigada para tudo aquilo. Algumas velas iluminavam o corredor que dava para o meu quarto que estava com a porta aberta, mais pétalas estavam jogadas sobre o chão. Uma música fraca tocava ao fundo, parecia ser “Love on the Brain” Da Riahna. EU amava aquela música. Sigo o caminho para o meu quarto, a música aumentando cada vez mais. Chego ao meu quarto e meu queixo cai.

O quarto estava todo a luz de velas espalhadas. O chão coberto de pétalas, algumas delas formavam a frase “Casa comigo?” e Martin estava ajoelhado ao lado delas. Ele usava um terno preto, o cabelo loiro penteado pra Trás, a barba por fazer que eu tanto amava. Ele segurava uma caixinha preta nas mãos, com um anel de prata com pequenas pedras que se encontravam em uma maior. Não consigo evitar uma lágrima que cai dos meus olhos.

_Martin, estou sem palavras!

Ele sorri.

_Não precisa dizer nada. Apenas escute – Ele respira fundo e começa – Kathreena Clark. Você entrou na minha vida inesperadamente. Eu nem sabia o quanto você ia se tornar especial para mim, não sabia que ia me apaixonar perdidamente por você. Mas eu sabia que precisava de você na minha vida. Você me mostrou o valor de ter alguém que realmente me ama de verdade, alguém que me faz sorrir todo dia, alguém que me espera com uma caneca de café quente no final de cada plantão e me dá um beijo para afastar meu cansaço. Você me deu uma vida feliz, me deixou ser pai do seu filho, e agora me deu a alegria de um filho fruto do nosso amor e isso não tem preço. Eu nunca tive tanta certeza na minha vida igual eu tenho agora, então só resta dizer mais uma coisa. Kathreena Clark, me faça o homem mais feliz do mundo pra sempre, case comigo.

Ah meu Deus!!! Eu não conseguia parar de chorar, o ar me faltava nos pulmões. “ah Martin!” Eu amo tanto esse homem, amo mais do que achei que seria capaz um dia. Então não posso dizer nada além de...

_Sim! Sim, mil vezes sim eu me caso com você – eu falo sorrindo.

Ele abre o maior e mais lindo dos sorrisos. Eu estendo a mão para ele e ele desliza o anel por meu dedo, dando um beijo no mesmo. Então ele se levanta e me gira no ar enquanto ambos riamos como crianças.

_Eu te amo – eu digo olhando em seus olhos azuis perfeitos.

_Eu também te amo, e agora você vai ser minha pra sempre.

Então ele me beija, me beija com todo o amor possível enquanto a nossa música embalava o nosso momento.

Louisa’s Pov:

Coloco Tom na cama, esse menininho estava cada vez mais pesado. Cubro ele com as cobertas e dou um beijo em sua testa. Fecho a porta e sigo em direção ao meu quarto, fechando a porta quando entro. Estico os braços pra cima esticando a coluna.

_A idade já está te pegando Clark? – Will fala.

Ele estava deitado na cama, apenas com uma cueca box preta e lendo um papel que imagino ser algum contrato. Reviro os olhos para ele.

_Não sou tão velha assim senhor Traynor. Quem deixou minha coluna dolorida foi o pesado do seu sobrinho.

Ele ri e coloca seu contrato no criado.

Vou até o closet e tiro minha blusa e a calça, ficando apenas de langerie preta com bolinhas brancas. Procuro minha camisola pelo espaço, mas não consigo acha-la. Volto pro quarto e percebo o olhar de Will sobre mim.

_Você viu minha camisola? – eu pergunto enquanto vasculhava o cômodo a procura dela.

_Não. Mas você não precisa de camisola Clark.

_Está frio.

_Eu te esquento – ele oferece.

Olho para ele não podendo negar seu convite. Apago a luz do closet e do banheiro e me deito na cama ao seu lado, aninhando minha cabeça em seu peito, sentindo o seu calor me invadir.

_Louisa... – ele me chama. Olho para ele.

_O que foi?

_Você está bem? Digo, com a sua irmã grávida...

_Eu estou bem Will – o interrompo – Estou muito feliz por Treen, claro que fico triste por não poder estar na mesma situação que ela, mas ainda sim estou feliz por minha irmã.

_Ah Clark – ele me aperta nos seus braços, mesmo que fraco, isso me acalma – Ainda vamos conseguir.

_Eu sei que vamos.

Sorrio e dou um beijo no se peito.

_Podemos tentar se quiser.

Reviro os olhos para ele.

_Willian Traynor você é um pervertido!

Ele da de ombros.

_Apenas tentando conceber meu filho, Clark.

_Sei...

Chego mais pra cima e lhe dou um beijo forte.

_Mas aceito sua oferta – digo com os lábios grudados aos seus e o beijo de novo.


Notas Finais


Gostaram? COMENTEM
bjs e até o próximo cap :*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...