História Vizinhos (BTS) - Capítulo 29


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts
Visualizações 40
Palavras 1.466
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Ficção, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


ontem não escrevi por preguiça pura e com preguiça não consigo pensar em nada. mas hoje estou aqui empolgadíssima pra escrever pra vocês. espero que gostem porque as coisas vão começar a se agravar hein. hahahaha beijos no coração de cada um que me acompanha. obrigada os que comentam, favoritam e todos os leitores <3

Capítulo 29 - Fita verde


Fanfic / Fanfiction Vizinhos (BTS) - Capítulo 29 - Fita verde

Taehyung

Sinto o cheiro dos cabelos de Molly adentram minhas narinas enquanto ainda estamos nus e um tanto ofegantes. Eu acaricio sua pele branquinha enquanto a mesma se mantém em silêncio de olhos fechados. Ela parece tão serena, posso sentir todo seu corpo ainda quente colado ao meu num repouso totalmente calmo...Ela respira calma, as vezes passando seus dedos em meu peito desnudo. Seus toques são realmente a melhor sensação do mundo.

Logo adormecemos com nossos toques, nossos carinhos. Abro os olhos sentindo Molly se retirar do meu corpo, fito a janela e vejo que já estava escuro.

 – Estou com fome...- Levanta-se Molly enrolada no lençol branco que nos cobria, logo me levanto beijando seu ombro nu e encosto meu queixo ali.

 – Tome um banho, e sente-se na mesa da varanda de trás. Farei algo para nós dois. - Respondo depositando alguns beijos em seu pescoço totalmente exposto.

 – Desde quando você cozinha? - Ela sorri para mim um tanto debochada.

 – Aish, quem não sabe fazer rámen? - Sorrio pegando minha calça de moletom jogada no chão ao lado da cama e fico de costas para Molly que se levanta enrolada na coberta indo ao banheiro.

Logo vou em direção a cozinha pegando alguns rámen, eu queria impressiona-la até nisso então daria meus toques especiais para que ficassem diferentes. Abro os pacotes enquanto ouço Molly cantar um pouco baixo no banheiro. Sorrio ouvindo a mesma tão animada em seu canto. Logo começo a cantar junto ouvindo a mesma cantar ainda mais alto aproximando-se da porta com uma blusinha de manga cumprida.

 – Eu amo essa canção - Ela dizia secando seus cabelos.

 – Como não amar essa música? Rain é realmente um hino - Digo desligando o fogão e pegando minha toalha que está pendurada perto da porta do banheiro - Vou tomar um banho, arrume a mesa e logo irei. - Dou um sorriso fechado e entro no banheiro. Demoro alguns minutos e logo saio indo de encontro a Molly que soprava o rámen fazendo biquinho.

 – Pronto, agora está na temperatura adequada - Molly sorria fechando os olhos separando os pratos que ela soprava.

 – A lua está tão bonita hoje...- Digo comendo um pouco do rámen

 – Eu passei a gostar de admirar o céu desde que me levei para o telhado. Ela parece tão próxima, parece caber em meus dedos. - Diz a mesma levantando-se e indo para perto da sacada posicionando seus dedos perto da lua. - Olha, não parece está em meus dedos? - Sorria abobalhada

 – Você é engraçadinha, vem senta e come. Você não estava com fome. - A chamo com as mãos apontando para o prato.

 – Você parece meu pai...- Ela revirava os olhos. - Sério, você me lembra muito ele. - Ela se senta me fitando.

 – Porque? - Falo curioso olhando enquanto sugo o rámen.

 – Ele não era alguém rigoroso. As pessoas vem os pais como pessoas ignorantes e cheias de lições. Meu pai era brincalhão, ele dava bronca sorrindo. Ele não consiga se manter sério. Ele tinha um sorriso tão lindo, Tae. - A mesma fitava meus lábios me olhando sorrir - Eu queria que você o conhecesse. Ele certa vez chorou quando ficou desempregado e disse que não era mais o homem da casa, que se sentia envergonhado. Eu tinha só 10 anos, pra mim ainda sim foi um baque vê meu pai chorar - Molly comprimia seus lábios. - Mas ele me orgulha e eu me espelho nele, sempre deu a volta por cima. Eu apenas o abraçava, e sentia todo seu alivio no meu abraço de criança...

 –  Eu nunca abracei meu pai...- Apoio meus braços na mesa a encarando - Ele era frio, nunca disse que me amava...

 – E sua mãe? A minha era fenomenal, eu amava quando ela cozinhava minhas comidas favoritas em meu aniversário. Eu amava o cheiro da sua comida, e seus beijos em minha testa antes de dormir eram como de um anjo marcando proteção em mim. - Ela encarava o céu e me olhava.

 – Minha mãe...- Penso um pouco antes de falar. - Eu não tenho lembranças, eu ainda lembro do seu rosto. Mas só consigo lembrar dela sempre discutindo com meu pai. Acredite Molly, a única pessoa que eu me orgulharia de apresentar seria minha avó. Ela sim, me deu todo seu amor. - Me levando indo em direção a sacada da varanda olhando todo o céu e logo sinto Molly se achegar meu abraçando por trás, era o nosso momento.

 – Agora você tem a mim também... - Dizia num sussurro enquanto sinto ar quente de céus lábios, logo a viro a colocando minha frente.

Molly

Taehyung me olhava de uma forma diferente, era um olhar mais intensivo. Sentia suas mãos soadas pegar em meu rosto, ele parecia nervoso. Não dizia uma palavra, apenas admirava todo meu rosto comprimindo seus lábios cada vez mais, logo abrindo um sorriso onde ouço um sonzinho sair do mesmo. Parece ser inacreditável nós dois naquela cena, olhando aquele céu. Ele logo escorrega uma de suas mãos que estava em meu rosto e coloca em seu bolso.

 – Verde...- Ela dizia retirando uma fita de dentro do seu bolso - É minha cor favorita...- Fita meu olhar e logo sorri tremendamente vendo minha reação.

 – T-tae...- Digo em um gaguejo um tanto nervosa sentindo minha mão ser erguida por Taehyung. Uma fita verde prendia meu dedo mindinho, eu sabia o significado daquilo. Mas não pude acreditar que em um mundo tão grandioso, eu seria a escolhida para ter aquela fita presa. - Porque eu? - Digo admirando a fita presa.

 –  Porque não você? Você foi a primeira garota, pera, mulher...Você é uma mulher incrível, Molly. Olha o que você causa - Ele coloca minha mão esquerda em seu peito - Eu fico tão nervoso ao seu lado, fico tentando bancar o perfeito para que você sinta o mesmo que eu sinto quando te olho. Eu me estremeço por inteiro.

 –  Mas eu sinto - Digo tirando minha mão de seu peito e logo colocando em seu rosto - Você me libertou de um pensamento na qual eu achava que jamais poderia me entregar de novo para alguém. E olha eu aqui, me entregando por inteira pra você. - Digo aproximando meus lábios de seu rosto - Eu nunca fui assim com ninguém. Eu confio em você. - Logo beijo seus lábios sentindo sua mão apertar meu corpo para si. Um beijo doce, calmo, cuidadoso e um tanto apaixonado. Nos separamos por falta de ar. 

 –  Eu nunca estive tão feliz. - Tae tomba a cabeça para trás sorrindo enquanto ainda agarra minha cintura.

 –  Seu pescoço...- Digo mordendo meus lábios enquanto o mesmo volta sua cabeça para frente me olhando.

 –  O que tem? Tá sujo? - O mesmo dizia numa expressão engraçada.

 –  Não, eles são atraentes...Eu gosto...- Digo me aproximando de seu pescoço - De cheira-lo, você tem um cheiro tão bom. - Vejo Taehyung arrepiado fechar seus olhos mordendo sua língua.

 – Não me provoque....- Ele dizia malicioso num sorriso safado. Como era lindo quando ele agia assim.

  –  Apenas quero beija-lo, estou tão exausta. Você me cansou! - Digo manhosa jogando meu corpo para cima de Tae que sorri me pegando no colo.

Nossos narizes se encostavam e nossos dentes se batiam em meio de nossos sorrisos. Sinto seus lábios selar o meu lentamente, apenas com selinhos. Ele amava me encarar, vê toda minha reação ao experimentar seus lábios tão macios. Tae me coloca na cama com todo cuidado beijando minha bochecha, minha testa, e logo meus lábios. O silêncio tomava conta do quarto sendo possível ouvir as batidas do coração do mesmo.

 –  Vem cá, deixa eu mexer em seus cabelos. - Digo o olhando em meu colo como uma mão segurava um bebê - Tae...

 –  O que foi? - O mesmo acariciava minhas costas.

 –  Não desaponte. - Digo em um sussurro.

 –  Não seria capaz, eu gosto de você...- Ele dizia calmo me apertando enquanto estava em meus braços.

 – Amanhã iremos embora muito cedo? - Paro minhas mãos em sua cabeça percebendo que Tae havia adormecido.

O coloco deitado na cama me retirando da situação que me encontrava e vou até a janela do quarto. O céu realmente me prendia ali, mas algo maior prendeu minha atenção. Olho a madeira da janela e vejo algo que me deixa intrigada. "Tae <3" e um nome rabiscado ao lado. Como se alguém tentasse apagar aquilo...Me senti triste, um tanto enganada. Olhava Taehyung adormecido e minha vontade era de perguntar o que era aquilo. Mas eu não tinha direito...Olho para o meu dedo ainda com a fita presa e a solto colocando amarrada na janela...

"Uma fita verde prendia meu dedo mindinho, eu sabia o significado daquilo. Mas não pude acreditar que em um mundo tão grandioso, eu seria a escolhida para ter aquela fita presa"

 

 

 

 


Notas Finais


eita porra, qual nome que devia ser? GENTE NEM EU SEI, ACREDITEM QUE A HISTÓRIA É SURPRESA ATÉ PRA MIM MESMA.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...